Você está na página 1de 2

Página 1 de 2

DENOMINAÇÕES PRESBITERIANAS NO BRASIL

Alderi Souza de Matos

A Igreja Presbiteriana do Brasil é a mais antiga denominação reformada do país, tendo sido
fundada pelo missionário Ashbel Green Simonton (1833-1867), que aqui chegou em 1859.
Mais tarde, ao longo do século 20, surgiram outras igrejas congêneres que também se
consideram herdeiras da tradição calvinista. Elas são as seguintes, por ordem cronológica
de organização: Igreja Presbiteriana Independente do Brasil (1903), com sede em São
Paulo; Igreja Presbiteriana Conservadora (1940), com sede em São Paulo; Igreja
Presbiteriana Fundamentalista (1956), com sede em Recife; Igreja Presbiteriana Renovada
do Brasil (1975), com sede em Arapongas, Paraná, e Igreja Presbiteriana Unida do Brasil
(1978), com sede no Rio de Janeiro.

1. Igreja Presbiteriana Independente do Brasil


Surgiu em 1903 como uma denominação totalmente nacional, sem vinculação com igrejas
estrangeiras. Resultou do projeto nacionalista do Rev. Eduardo Carlos Pereira (1856-1923),
que entrou em conflito com o Sínodo da IPB em torno das questões missionária,
educacional e maçônica. Em 1907, a IPI tinha 56 igrejas e 4.200 membros comungantes.
Fundou um seminário em São Paulo. Em 1908 foi instalado o seu Sínodo, inicialmente com
três presbitérios; em 1957 foi criado o Supremo Concílio, com três sínodos, dez
presbitérios, 189 igrejas locais e 105 pastores. O Estandarte, fundado em 1893, é até hoje o
jornal oficial. Após o Congresso do Panamá (1916), a IPI aproximou-se da IPB e das outras
igrejas evangélicas. A partir de 1930, surgiu um movimento de intelectuais (entre eles o
Rev. Eduardo Pereira de Magalhães, neto de Eduardo C. Pereira) que pretendia reformar a
liturgia, certos costumes eclesiásticos e até mesmo a Confissão de Fé. A questão eclodiu no
Sínodo de 1938. Um grupo organizou a Liga Conservadora, liderada pelo Rev. Bento
Ferraz. A elite liberal retirou-se da IPI em 1942 e formou a Igreja Cristã de São Paulo. Ver
http://www.ipib.org

2. Igreja Presbiteriana Conservadora


Foi fundada em 11-02-1940 pelos membros da Liga Conservadora da IPI, sob a liderança
do Rev. Bento Ferraz. Outros líderes conhecidos foram o Dr. Flamínio Fávero, o Rev.
Rafael Pages Camacho, ex-pastor da 2ª I. P. Independente de São Paulo, e o Rev. Francisco
Augusto Pereira Júnior. Em 1957, contava com mais de vinte igrejas, em quatro estados, e
tinha um seminário em Riacho Grande, município de São Bernardo do Campo. Seu órgão
oficial é O Presbiteriano Conservador (1940). Por alguns anos foi filiada à Aliança Latino-
Americana de Igrejas Cristãs e à Confederação de Igrejas Evangélicas Fundamentalistas do
Brasil. Hoje tem cerca de cinqüenta igrejas e congregações autônomas, em dez estados da
federação. Sua sede nacional está localizada em São Paulo. Ver http://www.ipcb.org.br

3. Igreja Presbiteriana Fundamentalista


Na década de 1950, Israel Furtado Gueiros, pastor da histórica 1ª Igreja Presbiteriana de
Recife (1878) e ligado ao Concílio Internacional de Igrejas Cristãs, fundado por Carl
McIntire, liderou uma campanha contra o Seminário do Norte sob a acusação de
modernismo. Gueiros fundou outro seminário e foi deposto pelo Presbitério de Pernambuco
em julho de 1956. Em 21 de setembro do mesmo ano foi organizada a IPFB com quatro
Página 2 de 2

igrejas locais (incluindo elementos batistas e congregacionais), que formaram um


presbitério com 1800 membros. A pequena denominação tem igrejas no Nordeste, na
Amazônia e apenas uma no sul do país. Há alguns anos, a igreja-mãe de Recife retornou à
IPB.

4. Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil


Em 1968, como resultado do "movimento de renovação" na IPB, surgiu em Cianorte, no
Paraná, a Igreja Cristã Presbiteriana. Em 1972, um segmento separou-se da IPI para formar
a Igreja Presbiteriana Independente Renovada, em Assis, São Paulo. Em 1975, os dois
grupos se uniram, criando a Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil. Ver
http://www.iprb.org.br

5. Igreja Presbiteriana Unida do Brasil


Foi fundada por elementos que discordaram da postura conservadora da IPB durante a
administração do Rev. Boanerges Ribeiro (1966-1978). Surgiram dois grupos dissidentes.
Em 1974, membros do Presbitério de São Paulo criaram a Aliança de Igrejas Reformadas.
Em 1978, foi criada a Federação Nacional de Igrejas Presbiterianas (FENIP), em Atibaia.
Em 1983, na cidade de Vitória, a FENIP adotou o nome de Igreja Presbiteriana Unida do
Brasil. Essa igreja adota uma postura teológica liberal e pluralista. Ver
http://www.ipu.org.br