Você está na página 1de 10

Notas às contas

da empresa

DEVAL’Z-COMÉRCIO E SERVIÇOS, LDA

Referente ao ano
2018
NOTAS ÀS CONTAS

Empresa:

Notas às contas em referência ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2018

Valores expressos em Kwanzas

INTRODUÇÃO

1. Actividade:

A sociedade DEVAL’Z-COMERCIO E SERVIÇOS, LDA com a nº de identificação 5417585858, com o capital social
de 100.000 AOA (Cem mil Kwanzas), com sede social em Luanda, Distrito Urbano e Bairro da Ingombota, Rua
Joaquim Kapango, Prédio nº24, primeiro andar.

A sociedade exerce a actividade na área de Comercio e Prestação de Serviços Mercantis não tendo no entanto este
ano tido qualquer actividade de vendas e/ou prestação de serviços

2. Políticas contabilísticas adoptadas na preparação das Demonstrações financeiras:

2.1. Bases de apresentação das demonstrações financeiras e derrogações:

As demonstrações financeiras encontram-se preparadas de acordo com o plano geral de contabilidade em vigor e
respeitam as características de relevância e fiabilidade; foram preparadas na base da continuidade e do acréscimo;
foram preparadas em obediência aos princípios contabilísticos da consistência, materialidade, não compensação de
saldos e comparabilidade.

Não foram derrogadas quaisquer disposições constantes do plano geral e contabilidade em vigor.

2.2. Bases de valorimetria adoptadas na preparação das Demonstrações financeiras:

Os conjuntos das demonstrações financeiras estão expressas em milhares de Kwanzas Angolano (AOA/Kz), sendo
que os registos contabilísticos das suas operações têm por base a valorimetria do custo histórico globalmente, sendo
que cada rubrica indicará especificamente a valorimetria usada.

As taxas de câmbio usadas para a valorimetria de activos e passivos cujo valor esteja dependente das flutuações da
moeda estrangeira foi a taxa de cambio de referência à data do relato do banco nacional sendo para os activos a taxa
de compra e para os passivos a taxa de venda ambas as taxas sob o ponto de vista do banco.

2.2.1. Critérios de reconhecimento e bases de valorimetria específicas:


Os principais critérios contabilísticos usados na preparação das demonstrações financeiras foram as seguintes:

Imobilizações corpóreas:
Esta rubrica íntegra os imobilizados corpóreos, móveis e imóveis, que se destinam exclusivamente à utilização
para a actividade operacional e não à comercialização, com carácter de permanência superior a um ano.

• Base de medição usada para determinar a quantia bruta registada.


O imobilizado corpóreo encontra-se ao apresentado ao custo, líquido das respectivas
amortizações.
A base de medição usada para determinar a quantia bruta registada é o custo de aquisição que inclui todos os
dispêndios directamente atribuíveis à aquisição para que o bem seja colocado no local e forma pretendida para
laborar.

• Critérios de reconhecimento:
› Valor a partir do qual os bens são capitalizados.
› Usados para encargos com melhoramentos.
› Usados para encargos com reparação e manutenção.
Os imobilizados corpóreos são reconhecimento de acordo com os critérios de reconhecimento consignados no PGC e
são capitalizados em função do benefício esperado independentemente do seu valor (caso haja um valor que só a
partir do qual se capitalize indicar qual).

• Métodos de depreciação usados.


• Vida útil, por categoria e taxas de depreciação usadas.
As amortizações do imobilizado são calculadas através do método das quotas constantes considerando as taxas
máximas fiscalmente aceites como custo de acordo com o disposto no Código do Imposto Industrial.

Imobilizações incorpóreas:
• Base de medição usada para determinar a quantia bruta registada.

A base de medição usada para determinar a quantia bruta registada é o custo de aquisição que inclui todos os
dispêndios directamente atribuíveis à aquisição para que o bem seja colocado no local e forma pretendida para
laborar.

• Critérios de reconhecimento:
Os imobilizados incorpóreos são reconhecimento de acordo com os critérios de reconhecimento consignados no
PGC e são capitalizados em função do benefício esperado independentemente do seu valor.

• Métodos de amortização usados:


• Vidas úteis, por categoria e taxas de depreciação usadas:
As amortizações do imobilizado são calculadas através do método das quotas constantes considerando as taxas
máximas fiscalmente aceites como custo de acordo com o disposto no Código do Imposto Industrial.

Existências:

Para as existências em geral:


• Políticas contabilísticas adoptadas na medição dos inventários, incluindo o método de custeio usado.

As políticas contabilísticas adoptadas na medição dos inventários (existências) são as consignadas no PGC sendo as
existências adquiridas valorizadas ao custo ou ao valor realizável líquido dos dois o mais baixo, sendo que o custo a
considerar é o custo de aquisição que engloba o preço líquido de compra, direitos de importação e impostos não
dedutíveis, custos de transporte, manuseamento e outros custos directamente atribuíveis à compra do bem.

Para as existências produzidas é o custo de produção ou ao valor realizável líquido dos dois o mais baixo sendo o
custeio utilizado o consignado no PGC, o chamado custeio racional que se caracteriza pela imputação dos custos
fixos apenas na proporção da produção real em relação à capacidade instalada.

A valorização do custo das existências vendidas é efectuada através da utilização do método do custo médio
ponderado (se outro, indicar qual) das existências, sendo que é utilizado o sistema de inventário permanente (ou
inventário intermitente).

Contas a receber:
• Valorimetria adoptada.
• Critério utilizado para determinação do valor realizável líquido, quando aplicável.

Embora neste ano não haja saldos de clientes e outras contas a receber (correntes e não correntes), são
contabilizados ao valor nominal deduzido de perdas, necessárias para que espelhem o seu valor realizável líquido
esperado.

As perdas são registadas quando exista uma evidência/indício de que parte ou a totalidade dos montantes em divida,
conforme as condições originais das contas a receber, não será recebida.

Disponibilidades:
• Valorimetria adoptada.
• Critério utilizado para determinação do valor realizável líquido, quando aplicável.
As disponibilidades são valorizadas ao custo.

A base de medição usada para determinar a quantia bruta registada é o custo de aquisição. Na mensuração
subsequente a quantia bruta registada é deduzida de eventuais provisões para as perdas existentes nestes
investimentos.

As disponibilidades em moeda estrangeira, quando haja, são actualizadas ao câmbio da data de relato.

Outros passivos correntes:


• Critério utilizado para:
› O reconhecimento como passiva.
› Para o reconhecimento em resultados no ou nos anos seguintes.

O critério utilizado é a aplicação da base de apresentação das demonstrações financeiras do Acréscimo onde o efeito
das operações e outros acontecimentos são reconhecidos quando ocorrem sendo registados e relatados no período a
que se referem como sejam os Proveitos a repartir por períodos futuros e os Encargos a pagar

Vendas:
• Políticas contabilísticas adaptadas para o reconhecimento do rédito.

Embora neste ano não tenha havido vendas a haver os ganhos decorrentes das vendas (mercadorias e prestações de
serviço), são reconhecidos aquando os riscos e benefícios inerentes à posse dos activos são transferidos para o
comprador e o montante dos ganhos possam ser razoavelmente quantificados. As vendas são reconhecidas líquidas
de impostos, descontos e outros custos inerentes à concretização do montante recebido ou a receber.

Prestações de serviço:
• Políticas contabilísticas adaptadas para o reconhecimento do rédito.
• Métodos adaptados para determinar a fase de acabamento das transacções.

Embora neste ano não tenha havido prestações de serviços a haver os ganhos provenientes da prestação de serviços
são reconhecidos respeitando a base do acréscimo (especialização do exercício), com referência à fase de
acabamento da prestação de serviço à data de Balanço.
As prestações de serviços são reconhecidas líquidas de impostos, descontos e outros custos inerentes à sua
concretização, pelo montante recebido ou a receber.

Juros:
• Políticas contabilísticas adaptadas para o reconhecimento do rédito.
Os juros recebidos são reconhecidos respeitando a base do acréscimo (especialização do exercício), com referência
à data de Balanço. São calculados tendo em consideração o montante em dívida e a taxa de juro durante o período
até a sua maturidade.

Erros fundamentais:
• Critério utilizado para o reconhecimento de erros fundamentais.
A empresa reconhece os erros fundamentais de acordo com o preceituado no PGC registando o seu efeito
retrospectivamente ou seja na conta de resultados transitados/reservas de forma a ser imputado ao ano a que o erro
respeita
Impostos sobre os lucros:
• Enquadramento fiscal da empresa, incluindo uma descrição dos fundamentos nos quais se baseia uma
eventual isenção.
• Base de apuramento do imposto.
• Taxa nominal de imposto.
• Tratamento dado a impostos diferidos.
• Situações que podem levar a ajustamentos no cálculo do imposto.

A empresa encontra-se sujeita à tributação em sede de Imposto Industrial -Grupo A.


O imposto é calculado com base no lucro tributável (resultado contabilístico corrigido para efeitos fiscais) utilizando
uma taxa nominal de 30% (ou outra taxa nominal nos termos da lei em vigor).
O imposto apurado refere-se em exclusivo ao imposto corrente não sendo calculados nem registados quaisquer
impostos diferidos, quer activos, quer passivos.
A entrega do imposto é efectuada por auto-liquidação mediante a entrega de uma declaração que se encontra sujeita
à revisão e correcção por parte das autoridades fiscais durante um período de cinco anos.

3. Alterações nas políticas contabilísticas:


No presente exercício/período não se verificou qualquer alteração nas políticas contabilísticas
adaptadas.

NOTAS AO BALANÇO

4. Imobilização corpórea:

Amortizaçõe
Valor
Rubricas s Valor líquido
bruto
acumuladas
       
Terrenos e recursos naturais      
Edifícios e outras construções      
Equipamento básico      
Equipamento de transporte      
Equipamento administrativo      
Outras imobilizações corpóreas      
Taras e vasilhame      
Imobilizado em curso      
Adiant. por conta de imob. corp.      
       
       

Não se aplica (Não há qualquer imobilização corpórea)

4.7 Compromissos assumidos param aquisição de imobilizações corpóreas:


Não há qualquer compromisso assumido para aquisição de imobilizado corpóreo.
5. Imobilizado incorpóreo:
5.1 Composição:

Amortizações
Rubricas Valor bruto Valor líquido
acumuladas

Tres pa s s es
Des pes a s de des envol vi mento (a )
Proprieda de i ndus tri a l e outros direi tos e contra tos
Des pes a s de cons ti tui çã o 51.000,00 14.615,34 36.384,66
Outra s i mobi l i za ções i ncorpórea s

51.000,00 14.615,34 36.384,66

5.2 Movimentos, ocorridos durante o exercício, no valor bruto:

Saldo Saldo
Rubricas Aumentos Diminui.
Inicial Final

Tres pa s s es
Des pes a s de des envol vimento (a )
Proprieda de ind. e out. di rei tos e contra tos
Des pes a s de cons ti tuição 51.000,00 10.200,00 40.800,00
Outras imobi li za ções incorpórea s

51.000,00 10.200,00 40.800,00

5.3 Movimentos, ocorridos durante o exercício, nas amortizações acumuladas:


Saldo Saldo 6.
Rubricas Aumentos Diminui.
Inicial Final

Tres pa s s es
Des pes a s de des envol vimento (a )
Proprieda de indus tri a l e outros di reitos e contra tos
Des pes a s de cons ti tuição 14.615,34 14.615,34
Outras imobi li za ções incorpórea s

14.615,34 14.615,34

Investimentos em subsidiárias e associadas:


Não se aplica (Não há qualquer investimento em subsidiarias e associadas)

7. Outros activos financeiros:


Não se aplica (Não há qualquer investimento em outros activos financeiros)

8. Existências:
Não se aplica (Não há qualquer existência)

8.4 Informações relativas a contratos plurianais em curso:


Não se aplica (Não há qualquer contrato plurianal em curso))

9. Outros activos não correntes e contas a receber:


9.1 Composição:

9.2 Movimentos, ocorridos durante o exercício, nas provisões:


Não se aplica (Não há qualquer provisão))

10. Disponibilidades:
10.1 Composição:
Rubricas 2018 2017

Títul os Ne goci á ve i s
Sa l dos e m ba ncos 100.000,00 100.000,00
Ca i xa

Provi s õe s _____________
_____________
( ( ) )

100.000,00 100.000,00

10.2 Movimentos, ocorridos durante o exercício, nas provisões:


Não se aplica (Não há qualquer provisão para disponibilidades)

10.3 Restrições existentes:


Não se verifica qualquer restrição em relação às disponibilidades.

11. Outros activos correntes:


Não se aplica (Não há qualquer “outro activo corrente”)

12. Capital:

Saldo
Rubricas Aumentos Diminui. Saldo Final
Inicial
         
Capital 100.000,00     100.000,00
Acções/quotas próprias        
Prémios de emissão        
Prestações suplementares        
         
  100.000,00     100.000,00

Saldo
Rubricas Aumentos Diminui. Saldo Final
Inicial
Sócios/accionistas com participação:        
José Ambrósio Neto 34.000,00     34.000,00
Quinhas Joaquim José Ambrósio 33.000,00     33.000,00
Edivaldo Miguel Ambrósio Barros 33.000,00     33.000,00
Outros sócios/accionistas        
  100.000,00     100.000,00
Saldo
Rubricas Aumentos Diminui. Saldo Final
Inicial
         
Capital subscrito e não realizado        
         
         
         

13. Reservas:
Não se aplica (Não há qualquer movimento nem saldo em reservas por ser o 1º ano de actividade)
14. Resultados transitados:
Saldo
Rubricas Aumentos Diminui. Saldo Final
Inicial
Sa ldo i ni ci a l
Movi mentos no período:
Tra ns ferê nci a dos res ulta dos do exercíci o a nteri or
Apl i ca çã o de res ulta dos (a ) -4.415,34 -4.415,34
Erros funda menta is (b)
Al tera çõe s de pol íti ca s conta bi l ís ti ca s (b)
Efei tos de i mpostos dos erros funda menta i s e da s
a l tera çõe s de pol íti ca s conta bi l ís ti ca s (b)
Outros movi mentos
Discriminar

-4.415,34 -4.415,34

15. Empréstimos correntes e não correntes:


Não se aplica (Não há qualquer empréstimo corrente ou não corrente)

16. Impostos diferidos:


Não se aplica por estar suspensa a obrigatoriedade de eleborar a presente nota

17. Provisões para pensões:


Não se aplica (Não há qualquer provisão para pensões)
18. Provisões para outros riscos e encargos:
Não se aplica (Não há qualquer provisão para outros riscos e encargos)

19. Outros passivos não correntes e contas a pagar:


19.1 Composição:

Não corrente
Rubricas Corrente Vencível a
Vencível
mais Total
Até 5 anos
de 5 anos
         
Valor Bruto        
Fornecedores - Correntes        
Fornecedores - Títulos a pagar        
Clientes - Saldos credores        
Adiantamentos de clientes        
Outros        
Estado (a)        
Participantes e participadas        
Pessoal        
Credores - Compras de imobilizado        
Outros credores 51.000,00     51.000,00
         
  51.000,00     51.000,00

19.2 Activos afectos a garantiam destes passivos


Não se aplica (Não há qualquer activo afecto à garantia destes passivos)

20. Empréstimos de curto prazo:


Não se aplica (Não há qualquer empréstimo de curto prazo)

21. Outros passivos correntes:


Não se aplica (Não há qualquer “outro passivo corrente”)

NOTAS À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS


22 Vendas:
Não se aplica (Não há qualquer venda neste período)

23. Prestação de serviço:


Não se aplica (Não há qualquer prestação de serviço neste período)

24. Outros proveitos operacionais:


24.1 Composição
Não se aplica (Não há qualquer proveito proveniente de Outros proveitos operacionais)

25. Variações nos produtos acabados e em vias de fabrico:


Não se aplica (Não há existências nem iniciais nem finais de produtos acabados e em vias e fabrico)

26. Trabalho para a própria empresa


Não se aplica (Não houve qualquer trabalho para a própria empresa)

27. Custos das existências vendidas e das matérias-primas e subsidiárias consumidas


Não se aplica (Não houve qualquer Custo das existências vendidas e das matérias-primas e subsidiárias
consumidas)

28. Custos com o pessoal


Não se aplica (Não houve qualquer custo com o pessoal)

29. Amortizações
Ver Pagina seguinte

30. Outros custos e perdas operacionais


Não se aplica (Não houve quelquer custo operacional)

31. Resultados financeiros


Não se aplica (a empresa não tem resultados financeiros)

32. Resultados de filiais e associadas


Não se aplica (a empresa não tem filiais e associadas)

33. Resultados não operacionais


Não se aplica (a empresa não tem resultados não operacionais)

34. Resultados extraordinários


Não se aplica (a empresa não tem qualquer resultado extraordinário)

35. Imposto sobre o rendimento:


Não se aplica (a empresa não tem qualquer resultado extraordinário)

OUTRAS NOTAS RELACIONADAS COM A POSIÇÃO FINANCEIRA E OS RESULTADOS DAS OPERAÇÕES

36. Responsabilidades assumidas e não reflectidas no balanço


Não se aplica (a empresa não tem qualquer responsabilidade assumida e não reflectida no balanço)

37. Contingências
Não se aplica (a empresa não tem quaisquer contingências)

38. Acontecimentos ocorridos após a data de balanço:


Não se verificou qualquer acontecimento ocorrido após a data do balanço susceptível de alteração
qualquer reconhecimento ou divulgação nas demonstrações financeiras

39. Auxílio do Governo e outras entidades:


Não se aplica (a empresa não tem qualquer “auxilio do governo e outras entidades”)

40. Transacções com entidades relacionadas:


Não se aplica (a empresa não tem “transacções com entidades relacionadas”)
41. Informações exigidas por diplomas legais:
Não se aplica (a empresa não tem qualquer informação exigida por diploma legal

42. Outras informações:


Não se aplica (a empresa não tem qualquer informação consideradas necessárias para cumprir com as
características qualitativas de relevância e fiabilidade que a informação financeira deve ter.)