Você está na página 1de 3

O que é e como promover o flow no trabalho

Escrito por 23 de dezembro de 2015, 16:23 0

  Flora Victoria 

por Flora Victoria

Flow é uma palavra da língua inglesa que significa fluxo. É, também, um


conceito da psicologia positiva de capital importância para o líder e sua
empresa. O professor de psicologia Mihaly Csikszentmihalyi, que
desenvolveu o conceito, o define como o modo mais poderoso de colocar
as emoções a serviço da performance e do aprendizado. Segundo ele,

o flow é um estado otimizado de motivação


intrínseca que contribui para o
desenvolvimento de competências e a
elevação da performance.
Contribui, também, para o aumento dos níveis de prazer, felicidade e bem-
estar. As empresas também estão percebendo – e capitalizado – os
benefícios do flow, que, aliás, já está se tornando uma força
transformadora no mundo dos negócios. Grandes organizações, como
Microsoft e Toyota, estão introduzindo técnicas para gerar o flow no
ambiente profissional – e com isso elevar os resultados e o nível de
satisfação dos funcionários.

Talvez a melhor maneira de compreender o flow seja por meio da


invocação de momentos nos quais você experimentou esse estado. O flow
ocorre quando, ao realizarmos determinada atividade, mergulhamos em
uma sensação de foco energizado, envolvimento total e fluidez no processo
de realização. É como se os limites do corpo e da mente fossem expandidos
para realizar algo que é, ao mesmo tempo, desafiador e recompensador.
Quando estamos em flow, as emoções não são apenas contidas e
canalizadas. São, também, positivas, energizadas e alinhadas com a tarefa
que estamos executando. Simultaneamente, somos tomados por uma
sensação de alegria espontânea – ou até mesmo de elevação – durante a
performance. O foco no que estamos fazendo é tão profundo que todo o
resto parece ficar em segundo plano – nem sequer sentimos a passagem
do tempo, e até mesmo necessidades fisiológicas como fome ou sede nos
passam despercebidas.

A relevância do flow no ambiente profissional está, entre outros aspectos,


em sua forte correlação com o desenvolvimento de competências. Quando
alguém está em flow, está, também, trabalhando para desenvolver a
excelência na atividade em questão. Ocorre que, para estar em flow, é
necessário que o grau de desafio oferecido pela atividade seja compatível
com o grau de competência atual da pessoa. O desafio estimula o
desenvolvimento que competências que, por sua vez, ao se desenvolverem,
exigirão um nível mais elevado de desafio para que o flow possa voltar a
ocorrer.

Outro aspecto que chama a atenção para a questão do flow no ambiente


profissional é o fato de, embora esse estado possa ocorrer em diferentes
situações – por exemplo, praticando algum hobby ou esporte –, pesquisas
revelam que sua frequência é maior no trabalho do que no tempo livre. O
motivo é que, de modo geral, o trabalho propicia algumas das condições-
chave para que o flow aconteça, a saber:

o Conjunto de metas/objetivos claros e definidos;


o Regras de performance claramente estabelecidas;
o Desafios à altura de nossas habilidades;
o Feedback – pode advir do fato de você saber que o trabalho foi
benfeito, de indicadores preestabelecidos ou do retorno dado por
um supervisor;
o Ambiente que encoraja a concentração.

Até mesmo atividades que, para muitas pessoas, conduzem ao tédio e à


apatia – por exemplo, trabalhar em uma linha de montagem – podem gerar
flow. Nas atividades cujo desafio é muito baixo, o segredo consiste em
aumentar por conta própria o grau de dificuldade, estabelecendo metas
cada vez mais elevadas que exijam um aumento progressivo do nível de
habilidades necessárias para atingi-las. Trata-se, em resumo, de um
autodesafio, isto é, de desafiar a si mesmo. O autodesafio parte de
perguntas como: “O que eu posso fazer para tornar essa tarefa mais
interessante?”,  “Como posso utilizar minhas forças para melhorar meu
desempenho?” O autodesafio pode, por si, transformar-se em uma ação
intrinsecamente motivada, transmutando uma tarefa entediante em uma
atividade capaz de satisfazer nosso anseio por novidades, conquistas e
autodesenvolvimento – e, é claro, abrindo espaço para que o flow aconteça.