Você está na página 1de 21

O

O
ANIMADOR
ANIMADOR
DE
DE FESTAS
FESTAS INFANTIS
INFANTIS

ADAVILTON
ADAVILTON ALENCAR
ALENCAR
“TIO
“TIOVICTOR”
VICTOR”
“O ANIMADOR”
DE FESTA INFANTIL

ANIMADOR DE FESTA INFANTIL, Recreador, Monitor, ..., São vários os profissionais que
podem atuar em uma festa infantil ou evento, muitos desses exerci ou fui chamado ao longo de meus 28
anos de profissão, mas durante esse tempo pude ver e diferenciar bem cada um deles com
profissionalismo e posso explicar o que significam e no final como o ANIMADOR DE FESTA INFANTIL se
diferencia de todos eles, vejamos:

MONITOR
Monitor quando não profissional: é aquela pessoa (normalmente um adolescente)
que é contratado sem verificação previa de experiência (chamado a laço), sem treinamento, sem
conhecimento técnico do brinquedo em que esta responsável pelas crianças, sem saber dos perigos e
como evita-los, sem conhecimento mínimo de psicologia infantil, sem vocabulário (fala gírias) ou hábitos e
postura condizentes ao espaço, ambiente e publico em que esta atendendo. Sem atenção e foco nas
crianças (ficam ao celular, fones de ouvido). Podendo colocar as crianças em risco grave a sua integridade
física e emocional e inclusive risco de paraplegia, tetraplegia e morte.

Monitor quando profissional: é aquela pessoa (normalmente um adolescente) que


fica responsável por organizar e ordenar a entrada e saída das crianças de um brinquedo que os pais
alugaram para sua festa infantil, como por exemplo, uma cama elástica, onde ele, o monitor deve limitar a
quantidade de crianças dentro do brinquedo, o tempo para que todos brinquem e não fiquem muito
ansiosos na fila, sempre atento a segurança das crianças, evitando que elas se machuquem em
brincadeiras de “lutinha”, saltos mortais ou outras manobras arriscadas, que devem ser com muito carinho
e tato proibidas.
Quando se torna um monitor profissional: tornar-se um profissional nessa área
traz muitos benefícios e ganhos, podendo ser até mesmo uma profissão ao longo da vida, com a qual se
pode manter sua família e suas contas em dia.
Para isso devem-se procurar cursos profissionais que são ministrados por veteranos da
área que já passaram por centenas de horas de experiência onde enfrentaram milhares de casos que
tiveram que resolver instantaneamente. Os ganhos podem ser altos dependendo apenas de você mesmo.
Buscar sempre o máximo de informação sobre os brinquedos em que você ira trabalhar é um começo onde
você ira aprender a montar e desmontar o brinquedo, entender todo o funcionamento, tornando-se um
especialista em que apenas de olhar ou ouvir o brinquedo saberá se esta em perfeito funcionamento ou
não. Depois de montado o brinquedo, deve manter a atenção as crianças, principalmente as que estão
dentro do brinquedo, interferindo sempre para manter a segurança, distancia entre elas, forma que estão
interagindo, tempo da brincadeira, colocando sempre a quantidade de crianças adequada para cada
brinquedo, idade e os tamanhos mais próximos para evitar acidentes.
Se você decidir ser um profissional trabalhando em uma casa de eventos infantis, poderá
trabalhar com carteira assinada ou free-lancer (esse segundo tem menos vantagens a longo prazo, mas
tem ganho melhor a curto prazo) se a casa de eventos for bastante requisitada poderá ter muitos eventos
numa mesma semana e quanto mais eventos, maior o ganho, podendo ultrapassar em muito o salario de
um trabalhador comum.
Se decidir trabalhar por conta própria poderá (ou não) ter altos ganhos, dependerá de
você mesmo a propaganda e mídia, negociação com os clientes, compra e manutenção dos brinquedos,
uniformes, contratação e treinamentos de funcionários, mas fazendo tudo com profissionalismo e
resiliência conseguirá seu lugar no mercado e alcançará seu equilíbrio financeiro e profissional, eu conheço
muitos que começaram assim e hoje já ultrapassaram os 6 dígitos de ganhos.

RECREADOR
Recreador quando não profissional: pessoa esta que sem a noção mínima da
responsabilidade e riscos dessa profissão, adentra no mercado apenas por moda ou achando que será fácil
ganhar dinheiro “pois é apenas brincar com as crianças, dar uns gritos, formar filas, entregar premiações e ao
final receber o pagamento”, mas não é bem assim que funciona, temos muitas responsabilidades e

conhecimentos que devemos nos atentar para não causarmos danos irreparáveis as famílias atendidas. O
Recreador não profissional:
Não sabe todas as possibilidades de brincadeiras e problemas para cada ambiente:
1. Piscina; 10. Área coberta; 19. Sacada de apartamento;
2. Quadra; 11. Área aberta; 20. Cinema de shopping;
3. Campo de futebol; 12. Área com ventos; 21. Clubes recreativos;
4. Quintal com arvores; 13. Iluminação adequada; 22. Crianças de 0 a 3 anos;
5. Quintal sem arvores; 14. Área com pouca iluminação; 23. Crianças de 4 a 7 anos;
6. Piso de terra; 15. Dia de chuva; 24. Crianças de 8 a 12 anos;
7. Piso de grama; 16. Dia de sol; 25. Turma mista.
8. Piso de cimento; 17. Evento diurno; 26. Entre outras diversidades
9. Piso de cerâmica; 18. Evento noturno;
Muitas dessas opções de casos podem estar em conjunto num mesmo evento em que o
monitor deverá se adequar e trabalhar da melhor maneira possível e fazer do evento um sucesso. Mas por
não ser profissional ficará perdido e em pavor irá congelar diante de alguns cenários citados.
Outra problemática do não profissional é que ele não sabe o valor de um monitor
profissional e por isso não sabe negociar nem cobrar pelo serviço, fazendo com que o mercado fique
prostituído cobrando-se e recebendo qualquer valor, com o tempo não aguentará manter-se no mercado e
desistirá da profissão, mas já deixará o resultado de sua falta de profissionalismo no mercado, incluindo
fechar o contrato e furar no dia da festa.

Recreador quando profissional: entre outros a maioria deles são pessoas que
cursaram curso superior de Educação Física e por isso aprenderam a fazer algumas dinâmicas e
brincadeiras, tem suas qualidades e vantagens, pois no momento de fazer alguma atividade física eles
sabem a maneira correta de fazê-lo sem que as crianças se machuquem ou machuquem as outras crianças,
mas normalmente a maioria deles age de forma parecida com um técnico de futebol, que passa exercícios
e define as formas de como executar, infelizmente a maioria não tem ou não leva jeito com crianças e nem
teêm aquela alegria infantil que os faria interagir melhor com os pequenos deixando de oferecer toda a
magia e alegria que o Animador de festa infantil traz a esse momento único.

Quando se torna um Recreador profissional: Consegue juntar tudo o que


aprendeu em seu curso de Educação física com respostas e saídas para cada uma das problemáticas
apresentadas nas opções de 1 a 25 do capitulo anterior e muito mais, estando assim preparado
verdadeiramente para o mercado de trabalho, aprende seu valor como pessoa, como profissional, e sabe
cobrar e negociar o valor de seu trabalho, por hora, por dia, por evento, por semana, por mês, por
temporada, podendo ter como cliente: eventos empresariais, clubes recreativos, pousadas e hotéis,
barracas de praia, igrejas, academias, agremiações, condomínios e etc.
Mas na maioria das vezes, este profissional não é o indicado para festas infantis, por
ainda estar presos a teorias e formulas de exercícios físicos.
Os ganhos serão de acordo com seu esforço e forma de trabalho, assim como explicado

no tópico: Monitor.
CONTADOR DE HISTÓRIA
Contador de histórias não profissional: alguém da família ou um desconhecido contratado para
contar histórias, mas que falta-lhe algumas das qualidades que são pré-requisitos para o bom profissional
do ramo:
1. Boa dicção; 6. Conhecer a história contada de cor e com
2. Amplo vocabulário; detalhes;
3. Não usar gírias; 7. Oratória emocionante;
4. Evitar vícios de linguagem; 8. Uso de cacos pontuais para resgatar e prender a
5. Conhecer tempo de atenção de cada faixa etária; atenção.

Normalmente um não profissional, não consegue contar a história sem a muleta do livro
na mão, engasga, gagueja, usa gírias, não se atenta ao tempo de atenção então as crianças começam a
dispersar, a oratória é linear e sem tópicos de emoção abaixo e acima da linha, repete muito as palavras
(falta de vocabulário), não cria cacos e nem detalhes que tragam a atenção de volta ao nível esperado e
necessário. Não sabe usar ferramentas, como bonecos, fantoches, marionetes, livros animados, etc.
Assim, também não sabem negociar e/ou cobrar pelo serviço deixando os clientes
insatisfeitos achando que o que eles fizeram representa o que profissionais fariam, prostituindo assim o
mercado e desvalorizando o serviço pois este cliente nunca mais vai contratar um contador de histórias
(mesmo profissional) por medo da má atuação se repetir.

Contador de histórias profissional: esse é um profissional diferenciado que leva as


crianças e às vezes até os adultos a uma tradição da idade média em que nos palácios vinham os bobos da
corte e contavam histórias emocionantes e engraçadas, para isso alguns deles usavam somente o próprio
corpo com trejeitos, sotaques, saltos, danças e movimentos engraçados; outros além do próprio corpo
usavam marionetes, fantoches, e até bonecos de ventriculismo. Hoje usam também fantasias, painéis de
feltro, livros animados, origamis. Normalmente finaliza suas histórias com ensinamentos em que é
explicado qual é a moral da história, produzindo assim um aprendizado que as crianças levarão por toda a
vida. Conseguem com isso criar nas crianças um gosto refinado pela leitura.

Quando se torna um contador de histórias profissional : Vê o mercado com


respeito ao legado deixado pelos profissionais veteranos que tanto lutaram para que essa classe ganhasse
respeito e valor e busca com intensidade e resiliência ter as qualidades destes e muito mais, dentre elas:
1. Boa dicção; 3. Não usar gírias;
2. Amplo vocabulário; 4. Evitar vícios de linguagem;
5. Conhecer tempo de atenção de cada faixa 7. Oratória emocionante;
etária; 8. Uso de cacos pontuais para resgatar e
6. Conhecer a história contada de cor e com prender a atenção.
detalhes;

Aprende a negociar e cobrar pelo seu serviço com respeito a classe, ou seja, para os que
tem duvidas, faça uma pesquisa de preços na sua região e se não acha que é ainda tão profissional para
cobrar o valor mãos alto, cobre ao menos o menor que você encontrou e vá aumentando conforme cresce
no ramo.
Sempre faz reciclagens, relê suas historias e recria formas variadas de contar as mesmas
para varias faixas etárias de forma a todas se interessarem, recicla e transforma suas ferramentas para não
ser repetitivo nem monótono.

MÁGICO
Mágico: essa é uma arte milenar e em muito não compreendida, existem vários tipos de
magico, não explicarei todas aqui, apenas dois tipos para diferenciar o que nos interessa:
O magico de palco e picadeiro de circo é aquele que tem controle de palco e publico a
distancia, fazendo sempre atos grandiosos que vistos a muitos metros escondem seus segredos, não tendo
assim que interagir com proximidade de todas as crianças ao mesmo tempo, são dignos de respeito e
aplausos em seu habitat: o palco.
Já o magico de festas e eventos é diferenciado, é a mistura do:

Stand up magic: a mágica feita em pé.


É a contra parte do close up. Na
Alemanha denomina-se este tipo de
mágica como Sprech Zaubereri (mágica
onde se fala), e é quase sempre feita em
frente a um público maior.
È a mágica de salão onde o artista se
comunica com o espectador(a). O mágico
explica o que está acontecendo, conta
histórias, fala com o público e intertem o
público não só com apresentações de
mágica, mas também com palavras.
Uma parte do Stand up magic é a comedy
magic.
Comedy magic: mágica cômica.
Este tipo de mágica tenta animar o público
e faze-lo rir. O cômico pode ser tão
cômico até virar bem singular. Um grande
representante deste tipo de mágica é Hans
Moretti.
Este tem o dom e a simpatia de interagir com crianças e adultos com muita proximidade
e consegue fazer com que o publico sinta-se parte do show, sempre chamando alguma criança ou adulto
em todos os números. Sabe usar o dom da palavra e oratória com desenvoltura e destreza, normalmente
preenchendo todo o ambiente com sua voz contando uma historia envolvente e animada que consegue
ligar seus atos numa sequencia logica que o levará a um “Grand Finale”.
Esse é o magico apropriado para festa infantil. Uma boa pedida como complemento ou
ponto alto de uma festa, lembrando que é um momento pontual da festa, (não dura a festa toda),
normalmente os shows são de 50 minutos.

Quando se torna um Mágico profissional: dedica-se com afinco ao aprendizado e


treinamento para a cada dia ser melhor que ontem, cria e recria as magicas já aprendidas, cria magicas
próprias para ser diferenciado no mercado, e busca sempre as qualidades:
1. Boa dicção; 6. Conhecer a história contada de cor e com
2. Amplo vocabulário; detalhes;
3. Não usar gírias; 7. Oratória emocionante;
4. Evitar vícios de linguagem; 8. Uso de cacos pontuais para resgatar e prender
5. Conhecer tempo de atenção de cada faixa a atenção.
etária;

Participa de apresentações e workshops da sua profissão para manter-se atualizado,


aprende como ser empresário para assim saber negociar, cobrar e encantar os clientes, pois mais
importante que a apresentação é o pós venda onde o cliente maravilhado com seu atendimento, atuação,
carinho com as crianças vai lhe indicar para todos que ele conhece, fazendo você ganhar muito mais e
economizar em propaganda secundária, pois a primaria e principal é essa: a boca a boca!
COMPANHIA DE TEATRO
Companhia de Teatro infantil não profissional: normalmente são equipes que
até tem boa vontade, mas falta-lhes experiência, profissionalismo, conhecimento técnico, postura, que
levam a profissão dizendo “esta bom assim mesmo, não precisa ser perfeito” e por isso deixam de ir além e
melhorar a cada dia, não buscam reciclagens, não buscam um novo olhar sobre a arte de atuar, novas
historias e textos, novos cenários, novos enquadramentos, nova sonoplastia, nova dispersão de voz, nova
dimensão e formato de palco, novas formas de interação com o publico.
Portanto é possivelmente uma péssima ideia em sua festa infantil.
Sem contar com os casos em que algumas dessas companhias de teatro fazem mais de
um contrato para o mesmo dia e hora e escolherem atender o que pagar mais, faltando-lhes assim a ética
profissional.

Companhia de Teatro infantil profissional: assim como o magico, é um momento


pontual da festa, (não dura à festa toda), se trata de uma equipe capacitada a recriar historias para
crianças apresentada em forma de teatro onde usam fantasias, musica, e um texto previamente ensaiado,
algumas equipes, quando realmente profissionais, conseguem dar sequencia ao show e ainda interagir
com o publico infantil, outras equipes apenas recitam o texto sem nenhuma interação.
Conseguem com isso criar nas crianças um gosto refinado por teatro e leitura de histórias
que farão bem ao seu futuro.

Quando você torna-se uma Companhia de Teatro infantil profissional: busca


um diretor que tenha sensibilidade voltada às crianças, que por mais que tenha a preocupação com a
atuação perfeita da equipe, esta deve sempre estar alinhada com o encantamento lúdico das crianças.
Quando chegarem a esse equilíbrio serão profissionais e poderão buscar seu valor e cobrar pelo trabalho
de forma consciente e plena, trazendo ao mercado do teatro infantil valor e dignidade, conheço varias
companhias que além de se manterem ainda empregam vários profissionais variados desde montagem de
palco, a cabelereiros, maquiadores, atores, costureiros, cenógrafos e até fonoaudiólogo.
COVER
Show Cover não profissional: para se denominar cover deve ao menos lembrar o
artista representado, muitos desses shows não chegam nem perto disso, nem em atuação, nem em voz,
nem em figurino, nem em cenário.
Também deixam de lembrar que existem direitos autorais, ou seja, ao dono da musica ou
do show original deve ser pedido autorização para essa cópia, ou no mínimo ir até o ECAD e parar o
imposto devido.
Em todas as propagandas deve ficar bem explicito a palavra COVER, e não apenas nas
linhas pequenas, pois se for ocultada essa informação, incidirá no crime de propaganda enganosa e
falsidade ideológica.

Show Cover profissional: igual à companhia de teatro, porém apresentando uma


copia de atuação de algum personagem ou artista famoso que as crianças gostam, igualmente também
quando realmente profissionais, conseguem dar sequencia ao show e ainda interagir com o publico
infantil, outras equipes apenas recitam o texto sem nenhuma interação.
Respeita e cumpre a legislação municipal, estadual e federal, evitando assim o
cancelamento do show e todos os prejuízos que isso causaria ao público.
Treina e ensaia por horas a fio todos os dias para que a cópia seja a mais perfeita
possível, ao ponto de o artista original assistir e aplaudir.

Quando você torna-se um Show cover profissional: ganha respeito artístico e


know how para preparar novos shows e artistas e assim expandir nesse mercado que tem infindáveis
possibilidades nacionais e internacionais, e sim, podem ate se apresentar pontualmente em eventos e
festas infantis, o ANIMADOR DE FESTAS INFANTIS que estiver na festa saberá preparar o publico para sua
chegada e atuação.
Quanto a valores, são os mais variados e promissores, dependendo sempre da fama do
artista copiado no momento e da sua qualidade de atuação individual e sua equipe.

PINTURA FACIAL E/OU INFANTIL


Pintura Facial e/ou Infantil não profissional: pessoa que vai até o evento para
fazer pinturas nas crianças, por não ter conhecimentos técnicos necessários acha que pode ser de qualquer
jeito, a muitos anos atrás fui chamado para prestar serviço em uma empresa de eventos (situada em área
nobre de Brasília – DF), onde nesse dia eu ia além de animar a festa, ia também fazer pintura facial, como
sempre meu material ficava no porta mala do carro, pela dona da empresa dizer que tinha um material de
pintura pronto para eu usar, deixei o meu no carro, mas quando cheguei no escritório da empresa e vi o
“material profissional” que ela me entregou, tive de me segurar para não ser indelicado e rir, pois foi uma
cena no mínimo inusitada, quando abri a maleta plástica e vi seu conteúdo: 03 pinceis com cerdas de
plástico (aqueles de criança pintar com guache na pré-escola), dois batons (um vermelho e um rosa), dois
lápis de olho (um marrom e um preto), um kit de tinta guache escolar (daqueles de potinhos bem
pequenos) e um rolo de papel higiênico já quase no fim. Claro que voltei ao meu carro e busquei meu
material realmente profissional, me neguei a colocar as crianças em risco com material inadequado.
Depois disso essa empresa durou apenas mais um ano.

Pintura Facial e/ou Infantil profissional: profissional que vai até o evento para
pintar com temas divertidos, desenhos e etc. o rostinho da criança por completo, ou apenas a bochecha e
em outras vezes apenas o braço a até mesmo apenas as costas da mãozinha da criança. Esse profissional
deve ter experiência comprovada (indicações de outros contratos, portfólio e etc.), demonstrar a qualidade
das pinturas (tem muitos por ai dizendo que pintam, mas fazem apenas borrões), qualidade dos pinceis
(muitos pinceis não são apropriados, pois arranham a pele), qualidade da tinta utilizada, prazo de validade,
lembrando que tinta guache não é apropriada, chegando a ser perigosa.
Normalmente forma-se uma fila e as crianças ficam muito ansiosas enquanto esperam,
este é um excelente momento para que o Animador de festa infantil, mostrar seu profissionalismo e que
preferencialmente estes dois serviços sejam feitos por profissionais distintos.

Quando se torna um profissional de PINTURA FACIAL: Esse profissional torna-


se um show man, que as crianças e adultos pedem e buscam no mercado, pois são pessoas que tem
capacidade de trabalhar com esse contato de proximidade com as crianças, deixando-as a vontade para
pedir seu desenho preferido e encantar-se durante esse momento em que surge diante dela o desenho
que ela pediu, e assim sai feliz para mostrar aos pais com um sorriso no rosto e felicidade no coração.
Profissional capacitado também para negociar e cobrar de forma consciente e ética por um trabalho que
deve ser respeitado, deixando os contratantes tranquilos quanto a qualidade dos materiais e também de
sua técnica apurada. Prefere sempre trabalhar juntamente com um ANIMADOR DE FESTA INFANTIL, pois
enquanto o profissional da pintura cumpre seu papel de pintar com calma e carinho a cada criança o
ANIMADOR DE FESTA INFANTIL mantem as crianças brincando evitando até mesmo a formação de filas na
pintura fácil, pois podem ser marcadas as crianças com números que o ANIMADOR chama na sequencia.
BOLAMANIA
Bolamania não profissional: pessoa que por ter aprendido a fazer uma ou duas
dobraduras de balão, acha que já é profissional e já começa a fazer propaganda e fechar contratos de festa
infantil para prestar o serviço, não tendo conhecimento técnico e nem experiência mínima no ramo. Não
sabendo:
1 - escolher os balões (não conhece a variedade de detalhes técnicos),
2 - os vários conceitos e tipos de dobraduras e suas funções,
3 - macetes para evitar o desperdício de estouros,
4 - variedade de bichinhos e objetos que podem ser feitos com os balões.

Bolamania profissional: bichinhos de balão, balões tripinha, balões canudo, são


vários os nomes conhecidos que tratam do profissional que com uma bombinha de ar enche um balão
comprido e com dobraduras faz bichinhos e outras coisas para a alegria das crianças, formando-se uma fila
de crianças ansiosas e sorridentes a sua frente, normalmente atende as crianças mais rápido do que na

pintura facial.

Quando se torna um profissional em BOLAMANIA: Passa a atender e satisfazer


os pedidos das crianças de forma fluente e sem respostas negativas pois tem um leque de opções vasta
para que os pequeninos escolham melhor, atendendo e surpreendendo inclusive os adultos durante os
eventos, com sua destreza, velocidade e criatividade, quando trabalha junto ao ANIMADOR DE FESTA
INFANTIL sua desenvoltura também aumenta pois enquanto o ANIMADOR, mantem as crianças ocupadas
brincando por todo o período da festa ele fica mais solto (sem filas) para atender as crianças com mais
tempo e paciência

OFICINAS
Oficinas não profissionais: pessoas que viram algo relacionado na internet acham
que é só comprar os materiais e começar a fazer, sem entender que para ensinar algo (oficina é ensinar as
crianças a fazer algo) é necessária didática, conhecimentos em técnicas de aprendizagem, conhecer e ter
experiência sobre a matéria ensinada tendo experiência sobre tudo que pode acontecer e as formas de
resolver todas as problemáticas ocorridas, portanto pode ser um grande fiasco contratar uma pessoa não
profissional para realizar uma oficina em sua festa infantil.
Oficinas profissionais: em alta nos últimos tempos é quando contratamos uma
pessoa ou equipe de profissionais para ensinar as crianças a fazer algo: cup cakes, pipas, bay blades,
pintura em tela, slime, manipulação de argila, biscoitos, artesanatos em geral, e assim ocupam um período
da festa, mas não podemos chamar de animação.

Quando você desenvolve oficinas de forma profissional: desenvolve técnicas e


um portfólio diversificado de oficinas variadas com os mais variados materiais e intuitos de aprendizado,
que possam ser efetuados desde uma pequena quantidade de crianças até mesmo centenas delas, num
pequeno espaço de varanda de apartamento ou em uma grande quadra. Demonstrando assim
profissionalismo e aptidão para suprir as necessidades dos clientes no que for preciso, negociando e
cobrando valores justos e condizentes com o profissional que és.

Palhaços
Palhaço não profissional: não tem boa apresentação, (exageram ou erram na
maquiagem causando desconforto e medo nas crianças), gritam muito e fazem muito barulho com apitos
ou colocando a musica em alto volume achando que barulho é igual animação, não adaptam o vocabulário
ao ambiente e publico, não tem sensibilidade para sentir e respeitar o tempo de aceitação das crianças,
portanto fazem mais mal do que bem a sua festa e ao futuro das crianças que ficaram com lembranças
ruins desse momento (traumas).

Palhaços quando profissionais são pessoas capacitadas a fazer as crianças e adultos


a rirem e se divertir com piadas e peripécias engraçadas, usando varias formas para isso, sempre com
profissionalismo, respeito e vocabulário apropriado ao ambiente e publico, sabem respeitar o tempo de
aceitação das crianças (algumas ficam com medo no inicio da festa) onde algumas só irão aceitar essa
aproximação e toque quase ao final da festa.

Quando se torna um palhaço profissional: tem sempre uma clientela indicando e


se torna uma lembrança de felicidade na mente das crianças. Depois que veste a fantasia e faz a
maquiagem ele não se lembra de problemas, contas e nem de quanto esta recebendo para executar
aquele evento pois o tesouro de maior valor ali naquele momento são os sorrisos das crianças. Antes de
vestir-se a caráter porem é um profissional preocupado em manter o bom nome e respeito a uma classe
tão antiga e respeitada que são os palhaços, negociando com ética e valores, cobrando quantias
condizentes com seu profissionalismo.
Brinquedos:
Aluguel de brinquedos não profissional: compra brinquedos que em muitas vezes
nem sabe montar ou como é o funcionamento, consequentemente não fazem as manutenções periódicas
de segurança. Quando alugam muitas vezes furam ou se atrasam por faltar-lhes compromisso com o
profissionalismo, alugam brinquedos sem monitor para cuidar das crianças e quando enviam um monitor
este foi catado a laço de ultima hora (sem treinamento) conforme tópico MONITOR. Cobram valores que
não cobrem nem mesmo os custos mínimos de transporte e pagamento do monitor e por isso não
suportam ficar no mercado por mais de 2 ou 3 anos, indo a falência mas deixando o mercado marcado por
sua falta de profissionalismo. A alguns anos um cliente veio até mim para alugar uma cama elástica e
depois de saber da disposição da data e valores ele me perguntou com veemência: -- as vocês buscam no
mesmo dia? Né?
Sem entender a profundidade da pergunta e apenas respondendo qual é o padrão da
empresa, disse: Sim, nós levamos, montamos, testamos, deixamos lá com o monitor treinado e quando for
o horário de termino o monitor já ira desmontar, pois quando formos buscar o monitor já buscamos
também o brinquedo.
Ele aliviado me respondeu: -- que bom, pois a ultima empresa que contratei deixou o
brinquedo ocupando meu quintal por 15 dias até que alugou o brinquedo para outro evento e só ai foi lá
buscar direto para esse outro evento.
Fiquei estarrecido com tamanha falta de respeito com o cliente, com o mercado de
aluguel de brinquedos e com tamanha falta de profissionalismo.

Aluguel de brinquedos profissional: compra sempre brinquedos em perfeito


estado ou novos e mesmo assim faz neles testes e revisões, só aluga pelo preço médio em que o mercado
trabalha para não prostituir o ramo, o brinquedo só é alugado com monitor, sempre se recicla e busca
novidades para se manter entre os tops do mercado.

Quando trabalha com aluguel de brinquedos de forma profissional: tem


sempre a preocupação de trabalhar com ética, valores, respeito, cuidado e amor aos clientes, as crianças,
ao mercado, aos monitores.
Recebe sempre o feedback dos clientes de forma satisfatória quando estes se tornam sua
maior propaganda e ainda mantem a recontratação (contratado varias vezes pelo mesmo cliente) evento
após evento.
Pelo tamanho da confiança adquirida não tem dificuldades de cobrar e negociar, pois os
pais e contratantes tem certeza do tipo de material e profissional estão contratando.
Dicas para todos os profissionais acima:
Leia livros relacionados a:
 Psicologia infantil,  Propaganda e mídia,  Arte de negociação e
 Cuidar de crianças,  Foco, disciplina,  Arte de persuasão.
 Educação financeira,  Como conquistar clientes,

ANIMADOR
DE FESTA INFANTIL

Quando comecei nessa profissão (isso mesmo pode ser a profissão da sua vida), estava
ainda cursando meu 2º grau em Magistério, onde tive muitas matérias que me ajudaram muito, pois lá
estudei muito psicologia infantil, metodologias de ensino e 360 horas de estagio pratico lidando
diretamente com as crianças e etc., que me serviram de base muito rica. Já prestei serviços de ANIMAÇÃO
em diversos ESTADOS, para as mais variadas EMPRESAS, para clientes de todos os LIMITES SOCIAIS e
econômicos, literalmente do PALÁCIO DO PLANALTO, PALÁCIO DO JABURU, fazendas, chácaras e até aos
barracos mais simples e paupérrimos da orla da CIDADE ESTRUTURAL no DF, e em todos os eventos minha
maior realização era os sorrisos alegres das crianças.
Ser “ANIMADOR DE FESTA INFANTIL” é diferente de todos os profissionais já citados
neste livro, ao mesmo tempo em que requer conhecimentos e técnicas de cada um deles, por isso os citei.
Você deve estar preparado para tudo, e quando digo tudo não estou exagerando, se fossem relatadas aqui
todas as problemáticas pelas quais já passei e tive de resolver instantaneamente, esse livro ficaria gigante,
por isso aqui é apenas um resumo. Vamos aos tópicos:
 Conhecimentos prévios  Fantasias (personagem)  Problemáticas
necessários  Materiais básicos  Espaços físicos
 Mercado comercial  Clima
 Brincadeiras e Jogos  Faixas etárias
 Musicoterapia  Nível social
 Uniformes  Uso de tecnologia
O mercado de animação de festa ou evento infantil

O trabalho de ANIMADOR DE FESTAS OU EVENTO INFANTIL é muito popular no


Brasil e tem crescido cada vez mais, talvez pelo fato de sermos um povo tão festivo e alegre, mas
você sabe o que faz esse profissional e por que ele se tornou tão importante para a animação de
uma festa ou evento infantil?
Seu papel, como o próprio nome já diz, é animar um evento, seja festa de
aniversário, casamento, show, homenagens, lançamento de produtos e serviços e muitos outros.
Para isso, ele deve entreter o público presente no local e conseguir criar um
ambiente agradável e descontraído para todas as pessoas, principalmente as crianças.
Geralmente, este profissional é contratado para trabalhar em eventos infantis,
pois é com as crianças que esse profissional faz mais sucesso. O que não significa que ele não atraia
a atenção de pessoas de todas as idades, cada uma delas com sua peculiaridade, fazendo-as
resgatar suas melhores lembranças de infância.
Atualmente, é necessário muito mais do que apenas talento e carisma para ser
um bom animador de festa. Ele precisa ter profissionalismo, afinal, seu trabalho pode ser
responsável por parte do sucesso da festa.

Brincadeiras e Jogos
Para entreter as crianças na hora da festa o ANIMADOR deve ter conhecimento
prévio vasto de brincadeiras, gincanas e atividades (e uma variedade materiais prontos para o uso)
para cada faixa etária e para grupos mistos, pois no momento em que chegar no evento é que terá
a visão real de seus pequenos clientes.

Musicoterapia
A música é uma ferramenta muito importante durante uma animação de festa
infantil, mas o ANIMADOR não deve tê-la como essencial ou imprescindível, ou seja, deve saber
trabalhar inclusive sem ela se for necessário. Mas se puder usar esta ferramenta deve ter em mente
suas funções durante o processo da animação, ela pode ser usada diretamente em brincadeiras
(dança das cadeiras, estatua, etc.) como pode ser apenas o som ambiente que define qual o intuito
do animador onde usamos musicas calmas enquanto as crianças brincam em atividades de chão e
mesa e precisam de calma e concentração e interação sem euforia, ou musicas agitadas para
atividades aeróbicas, corridas, gincanas e etc.
De sempre ser maleável quanto a sua play list, pois em muitos casos ela não se
aplica ao evento em que clientes são religiosos, o cliente não aceitar algum gênero musical (funk
por exemplo).

Uniformes
O uso de uniformes no momento de trabalhar é essencial para destacar o
profissional ANIMADOR DE FESTAS INFANTIS, dos demais convidados da festa, o uniforme pode ser
colorido ou neutro, mas que de preferencia não seja uma fantasia ou lembre uma, pois pode não
combinar com o evento ou até mesmo ser chocante a discrepância, por exemplo, você ir numa
festa do tema “moranguinho” com uma fantasia de palhaço, ou de pirata.
O uniforme deve ser sóbrio e “sexualmente discreto”, ou seja, sem decotes,
fendas, não deve ser justo ou curto demais.
O modelo tênis, boné, camiseta e calça tactel ou macacão são normalmente as
melhores opções.
Saias e vestidos nunca!
Sempre lembrando de que deve ser confortável e leve e que te proporcione
liberdade de movimentos.

Fantasias (Personagem)
Roupas que remetem a um personagem famoso de alguma história,
televisão, filmes, series, desenhos animados, lendas, folclore, mascote de empresas e etc.
Durante muitos anos e até hoje ainda existem muitas empresas que enviam
seus ANIMADORES vestindo alguma fantasia para trabalhar durante todo o evento com essa
vestimenta, lembro a todos que o dono da empresa em muitas vezes nunca foi um ANIMADOR
então não sabe na pratica diferenciar as vantagens e desvantagens de atuar assim fantasiado e na
maioria das vezes falta-lhe também conhecimento prévio de psicologia infantil. Ou seja, enviar um
animador fantasiado acarreta os seguintes problemas:

Para o ANIMADOR:  Perda parcial de visão (cabeças grandes ou

 Perda de movimentos; perucas);


 Perda de energia pelo calor (chapéus e roupas  Medo e/ou Pavor;
pesadas);  Acidente devido à perda de visão parcial do
 Perda de tato devido às luvas ( não consegue ANIMADOR;
segurar materiais);  Perda da fascinação pelo personagem pelo
 Perda parcial de audição (cabeças grandes ou excesso de exposição;
perucas)  Perceber a farsa pelo excesso de exposição;
Para as CRIANÇAS:

Para se evitar isso e resguardar o valor do personagem e também a perfeita execução da


animação é mais apropriado e já comprovado que o personagem faça aparições pontuais em momentos
chave do evento, mostrando seu desempenho e desenvoltura com qualidade enquanto deixa com o
ANIMADOR DE FESTA INFANTIL a responsabilidade de continuar durante toda a festa seu trabalho e
nesses momentos de aparição do personagem a responsabilidade de preparar o publico infantil de forma
eufórica para receber, aceitar e aplaudir o personagem que irá se apresentar. Assim você consegue 100%
de qualidade do ANIMADOR e também do Personagem Fantasiado.

Materiais Básicos
A escolha dos materiais é feito a partir da sua lista de brincadeiras e atividades, tendo em
mente que podem aparecer surpresas quanto à quantidade de crianças, faixas etárias, tamanho do espaço
disponível para as brincadeiras, clima e etc.
Diante disso deve-se estudar com criatividade cada item a ser levado, pois um mesmo
item pode ter mais de 15 funções.

Problemáticas
Espaços físicos
Um ANIMADOR DE FESTAS INFANTIS se adequa instantaneamente ao espaço que o
cliente lhe apresenta como espaço destinado a fazer as brincadeiras. Enquanto adentra esse espaço e
chega nele o ANIMADOR já visualizou, piso (tipo), paredes (tipo de revestimento), cercas, telas, gramados,
plantas com ou sem espinhos, colunas redondas ou de quinas, proximidade das mesas de convidados,
localização da mesa do bolo; torneiras, piscinas; buracos, poças de agua; pedras; desníveis, rampas (qual a
segurança), escadas (qual a segurança), área coberta, área aberta, acústica sonora e iluminação.
Esses fatores irão influenciar decisivamente em como proceder nesse evento.
Deve ter em seu portfolio mental brincadeiras que se adequem a tudo:
1. Piscina; 7. Piso de grama; 12. Área com iluminação
2. Quadra; 8. Piso de cimento; adequada;
3. Campo de futebol; 9. Piso de cerâmica; 13. Área com pouca iluminação;
4. Quintal com arvores; 10. Área coberta; 14. Sacada de apartamento;
5. Quintal sem arvores; 11. Área aberta; 15. Cinema de shopping;
6. Piso de terra; 16. Clubes recreativos;

Clima
O clima também é um fator decisivo a ser verificado, já sabendo como é o espaço físico,
junte agora a informação de como está o clima, o resultado será um descarte de algumas das opções
anteriormente pensadas, e agora a adição de outras que estavam de stand by, tendo assim uma lista
mental do que pode ser feito neste espaço com este clima.
Pense nestas possibilidades:
1. Área coberta; 5. Dia com baixa humidade 8. Dia de sol;
2. Área aberta; do ar; 9. Evento diurno;
3. Dia quente; 6. Área com ventos; 10. Evento noturno;
4. Dia frio; 7. Dia de chuva;

Faixas Etárias
Tempo de concentração da criança por idade
IDADE CONCENTRAÇÃO 6 anos 12 a 30 minutos
1 ano 3 a 5 minutos 7 anos 14 a 35 minutos
2 anos 4 a 10 minutos 8 anos 16 a 40 minutos
3 anos 6 a 15 minutos 9 anos 18 a 45 minutos
4 anos 8 a 20 minutos 10 anos 20 a 50 minutos
5 anos 10 a 25 minutos

Podemos realizar atividades com nossas crianças, que visem a favorecer o


desenvolvimento da concentração. Tenha em conta a idade e proponha-lhe coisas que sejam divertidas e,
ao mesmo tempo, chamem a sua atenção.
Agora com as três informações em mãos (ESPAÇO FÍSICO, CLIMA E FAIXA ETARIA DAS
CRIANÇAS) você pode começar a trabalhar sem que seu cliente nem perceba toda a verificação mental que
você fez apenas ao adentrar no local da festa, com certeza agora você irá olhar para seu material e saber
que alguns dos itens nem serão usados neste evento.

Nível Social
Esse é um item que deve ser analisado com carinho e cuidado, em varias palestras e
cursos que ministrei algumas pessoas demonstraram uma leve irritação por achar que essa analise é uma
forma de preconceito, respirem fundo e entendam que não , é justamente o contrario, é você respeitar as
diferenças e limites de cada cliente e grupo de crianças, vejamos cinco ambientes diferentes:
1 – Tribo Indígena (Caraíbas no sul de São Paulo, Xacriabás no norte de Minas
Gerais) onde as crianças mal falam a língua portuguesa;
2 – Escola das nações (DF) onde as crianças falam três línguas (língua natal de
seu pais, língua inglesa e estão aprendendo a língua portuguesa);
3 – Comunidade carente, (zona sul do Rio de Janeiro ou COHAB em São Paulo).
4 – Fazenda no interior remoto do Goiás
5 – Festa da neta do Presidente da Republica e Vice ( Palácio do Planalto e
Palácio do Jaburu)

Será que posso usar sempre exatamente o mesmo vocabulário nestas 5 situações? A
resposta é não, pois os níveis de conhecimento, cultura, desenvolvimento e desenvoltura são sempre
diferentes e eu devo me adequar ao público por respeito as suas diferenças, nenhum é melhor ou pior que
o outro, são apenas diferentes e devem ser respeitados e é mais simples o ANIMADOR DE FESTAS
INFANTIS, se adequar pois é apenas uma pessoa e é capacitada para isso do que tentar adaptar o público a
você.

Uso de Tecnologia
Durante esses mais de 28 anos de trabalho como ANIMADOR DE FESTAS INFANTIS, vi o
crescimento e surgimento da tecnologia em nosso país, lembro ainda da época em que as crianças não
sabiam ainda o que era um celular ou um tablete e o vídeo game ainda era de uso restrito de pessoas
abastadas, portanto as crianças ainda sabiam brincar como crianças com bola, corda, bolinha de gude,
pipa, carrinho, boneca e etc. Hoje vemos nossas crianças submersas numa piscina de tecnologia como se
não fossem respirar fora delas, em que quando chamamos uma criança para brincar ela vai buscar o
tablete ou celular.
Nosso papel como ANIMADOR DE FESTAS INFANTIS é trazer de volta as crianças ao
mundo da infância feliz e alegre, ao ar puro, as dinâmicas, corridas, jogos, este é um dos motivos principais
motivos que fazem os pais contratarem este profissional... Muitas brincadeiras dessas que precisam
apenas do próprio corpo para ser felizes, por isso se for possível lembrem sempre os pais de deixarem as
tecnologias em casa quando forem aos eventos, para que as crianças possam sentir a felicidade do
entrosamento e interação do grupo com brincadeiras que fizeram e ainda podem fazer todas as crianças
felizes.

Papel essencial do ANIMADOR


Em resumo o ANIMADOR DE FESTAS INFANTIS é aquela pessoa que se torna o mestre de
cerimonia do evento em que esta, com sensibilidade ele busca o equilíbrio da festa.
Mantendo as crianças cuidadas e ocupadas brincando enquanto os adultos têm esse
momento de qualidade com seus convidados, parente e amigos, alguns destes que não havia contato há
anos;
Conversa com o cliente e tem dele a informação de todas as características da festa e
programação, (horário dos parabéns, se haverá ou não discurso, se haverá oração ou não, quem vai
acender a vela, quem vai puxar os parabéns).
Se algum outro profissional irá se apresentar durante aquele evento, com detalhes para
que ele possa preparar o publico no momento certo e fazer a apresentação de entrada deste profissional,
pois é o ANIMADOR DE FESTAS INFANTIS, que controla e dispõe da atenção das crianças, incluindo em seu
cronograma a atuação desses outros profissionais.
Se o aniversariante tem alguma brincadeira predileta ou algum medo a ser evitado
Sendo o mais carismático com todos os convidados, mas principalmente com as crianças
conseguindo delas a confiança, respeito, parceria e amor.
Lembrando que as crianças buscam no ANIMADOR um adulto como os pais, mas que
tenham a mente de uma criança que não se nega a brincar e dar atenção a elas, que as mantenham
seguras, mas não fiquem recitando regras e “não pode” o tempo todo.
O grande benefício do brincar é justamente ter esse tempo para só se divertir, sem
pensar em produtividade. Ou seja, esse momento deve ser livre de qualquer amarra, sem intuito de
sucesso, pura diversão e alegria. Como já dizia o poeta brasileiro Mario Quintana:

“As crianças não brincam de brincar. Brincam de verdade”.


Conquistando tudo isso, você se tornará um profissional indispensável para esses
eventos, terá o amor, carinho e respeito não só das crianças, mas também de todas as famílias que se
fizerem presente, pois só um profissional entende que o que se ganha (valores emocionais) é tão ou mais
importante ao quanto se ganha (valores monetários).
Quando você está neste nível será indicado para outros eventos, fará parte de varias
festas da mesma família que passa a vê-lo como indispensável para aquele momento.
E então você perceberá o quão é válida para sua vida a profissionalização, o impacto
financeiro é muito produtivo onde a profissional ANIMADOR DE FESTAS INFANTIL, tem a oportunidade de
galgar nome, respeito, patrimônio.
Foi o que aconteceu comigo, depois de muitos anos de trabalho, já havia conquistado os
valores profissionais e emocionais, mas ainda sem galgar grandes realizações financeiras, quando entendi o
que estou ensinando aqui, levei apenas 03 anos para chegar ao primeiro milhão.
Mas o principal requisito para isso tudo acontecer é o seu engajamento, resiliência,
determinação e amor a está profissão linda e honrada.

“ANIMADOR DE FESTAS
INFANTIS seja a ponte entre as
crianças e a infância feliz”
Adavilton Alencar
“Tio Victor”