Você está na página 1de 49

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Softwares
De
Apoio a Gestão

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Conceitos Iniciais
• Ementa: Fundamentos té técnicos de Sistemas de
Informaçção
Informa ão.. Abordagens contemporâneas. Sistemas de
suporte gerencial e organizacional. Fundamentos e
mercado de sistemas Enterprise Resource Planning (ERP).
Processo de planejamento e implantaç
implanta ção e integraç
integração com
soluçções complementares: e-business, CRM, Data
solu
Warehouse, Supply Chain Management.
Management.

• Objetivo: Proporcionar aos participantes, o conhecimento e


familiarizaçção com os principais e atuais softwares e
familiariza
sistemas de apoio à gestão
gestão,, utilizados na área corporativa.
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Conceitos Iniciais
• Fundamentos TéTécnicos de Sistemas de Informaç
Informa ção
ão..
• Construindo Sistemas de Informaç
Informa ção - Abordagens
Contemporâneas.
• Sistemas de Suporte Gerencial e Organizacional.
• Gerenciamento de Sistemas de Informaç
Informa ção.
• Fundamentos e mercado de sistemas Enterprise Resource
Planning (ERP
(ERP).
). Processo de planejamento e implantaç
implanta ção e
integraçção com soluç
integra soluções complementares (e (e-business,
CRM, Data Warehouse, Supply Chain Management).
Management).
Tecnologia da Informaç
Informa ção - Computa
Computaçção

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Condução da Disciplina

• Os fatores que levam ao aprimoramento dos sistemas


de informação, sistemas gerenciais ou de gestão e de
apoio a gestão.
• ERPs
• Engenharia de Software – Técnicas, Certificações e
Paradigmas
• Ambientes de DW e BI
• Sistemas de CRM
• Caracteristicas das versões correntes de Mercado de
ERP

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Módulo I
Aprimoramento dos Sistemas
de Informação

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Aprimoramento de SI e de Gestão
• Conceitos
– Ambiente Competitivo
– História da Tecnologia da Informação – SWs e Sistemas
– Gestão
– Sistemas de Informação
• Sistemas Abertos e Fechados
– Dados x Informação
– Conhecimento
– Valor da Informação
– Tecnologias que agregam valor aos Processos da Organização
• Busca e Archiving, UC, Intelligent Communications, Telepresence
• Permitem definir a Qualidade de Importância dos sistemas
de Gestão ou apoio a gestão

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Introdução:
O Ambiente Competitivo da Atualidade

• Três aspectos importantes mudaram o ambiente de


negócios:

– Surgimento de uma economia globalizada (agora caótica


e incerta);
Voce Sabia?

– Transformação de economias / sociedades industriais para


economias de serviço baseada na informação e
conhecimento. Ex. típico – SENAI ....

– Transformação no ambiente de negócio da organização

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Histórico da
Tecnologia da Informação
• 1950-1960: Informação como “bicho-papão”

• Informação era um “mal necessário”

• Informação podia sufocar a empresa e impedi-la de TI?


realizar seu trabalho real;

• Objetivo era redução do custo de processamento de


papel, especialmente da contabilidade
à Primeiros Sistemas de TI – Organizações Atuais?

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Histórico da
Tecnologia da Informação

• 1960-1970: Informação para suporte geral


(sistemas transacionais)

• chamados de Sistemas de Informação Gerenciais


(SIG);

• Fábrica de informações na forma de relatórios :


produção semanal, informação financeira mensal,
inventário, contas a receber, contas a pagar, etc.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Introdução - Histórico da Tecnologia da Informação


O Modelo tradicional de SI

Surge tbem:
O Modelo em etapas
De Desenvolvimento
de Sistemas

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Ciclo de Vida Cl ássico – Modelo Linear

Engenharia de Análise de Projeto


Sistemas Requisitos

Manutenção Teste Codificação

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Modelo de Prototipação
Ciclo Bá
Básico

Conversar Construir/Revisar
com O Protótipo
o Cliente (Ciclo Linear ...)

Revisão
Teste
pelo Cliente

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Mitos de Modificações Software - Clientes


60 a 100 X

C
u
s
1,5 a 6 X
t
o

1X

Definição Desenvolvimento Manutenção

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Histórico da
Tecnologia da Informação

• 1970-1980: Informação para gerenciamento

• Sistemas vistos como coletores, armazenadores e


processadores de informação para o controle
gerencialde toda a organização à Interconexão?

• Surgimento dos Sistemas de Suporte à Decisão


(SSD) e Sistemas de Suporte Executivo (SSE);

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Histórico da
Tecnologia da Informação
• SSD – ou Sistemas de Apoio a Decisão
• Duas definições possíveis
– Para Keen e Scott Morton (1978), um SAD concilia os recursos
intelectuais individuais com a capacidade do computador em melhorar a
qualidade da decisão (“SAD são sistemas computacionais que apóiam
os gerentes tomadores de decisão que são direcionados com problemas
semi-estruturados”). Para Sprague e Carlson (1982), SAD são “ sistemas
computacionais interativos que auxiliam os tomadores de decisão
utilizarem dados e modelos solucionados de problemas não-
estruturados”.
• Em contraste, Keen (1980) diz que é impossível dar uma definição
precisa incluindo todas as facetas do SAD (“ Não há definição de
sistemas de apoio à decisão, somente de apoio à decisão”).
• No início dos anos 90
– SAD à DW e OLAP (on-line analytical processing)
– Nova expressão – BI

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Histórico da
Tecnologia da Informação

• SSE – SSD focados na utilização por pessoal de


alto Escação
• Definição Simples
– um SSD especializado que abrange todo o hardware,
software, dados, procedimentos e pessoas que auxiliam os
executivos de nível superior de uma organização.
• Situações com Grau de Incerteza Relevante
• Orientados para o futuro (fontes de dados sem sempre
precisas)
• Vinculados a processos que agreguem valor

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Histórico da
Tecnologia da Informação
• SSE – SSD e SAD
• Uso de conhecimento multidisciplinar, incluindo
(mas não exclusivamente)
– pesquisas de banco de dados (O segredo ....?)
• Lembrete à existem dados não estruturados!
– Inteligencia Artificial (Sistemas Especialistas, Data
Mining – ex.)
– Interação Homem – máquina
– M étodos de Simulação (ex. regras de Negócio)
– Engenharia de Software
– Telecomunicações

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SAD – Área Médica

http://aguiasolutions.com/GPHPN.html

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Histórico da
Tecnologia da Informação
• 1980-1990: Informação como recurso Métodos?
estratégico

• Informação vista como recurso estratégico, fonte


potencial de vantagem competitiva e arma
estratégica frente à concorrência;
ERP?
• denominados “Sistemas estratégicos”;

• foco na visão da organização como todo.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Histórico da
Tecnologia da Informação
• 1990 -hoje: Informação integrada e voltada para o cliente

• Foco na integração e centralização da informação;

• Denominados “ Sistemas de Gestão Empresarial” ou ERP (Enterprise


Resource Planning);

– Desafios: Fragmentação da informação; dificuldade de obtenção


de informações consolidadas e a inconsistência de dados
redundantes armazenados em mais de um sistema.

– Diferencial: necessidade de conhecer os clientes, suas


preferências e práticas.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Atividades de Gestão

• Administrador – Gestor – Gerente

• Atividades coordenadas para dirigir e controlar


uma organização.

• Dicionário: “Administrar é prever, organizar,


comandar, coordenar e controlar”.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Sistema de Informação

• Um Sistema de Informação (SI) é um sistema que


reúne, armazena, processa e fornece informações
relevantes para uma organização, de forma que a
informação seja acessível e útil para aqueles que a
necessitam, incluindo gerentes, staff, clientes e
outros [BUCKINGHAM,etal,1987].
• Um SI em geral processa dados, de maneira
informatizada ou não,e os apresenta para os
usuários,individuais ou grupos, que são os
responsáveis pela sua interpretação

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Sistema de Informação sob a Óptica de


Business
• Numa perspectiva gerencial e de negócios,
um sistema de informação é uma solução
organizacional e administrativa, baseada
na tecnologia da informação, para desafios e
problemas criados num ambiente de
negócios.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Sistemas Fechados

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Sistemas Abertos

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Dados x Informação

• Dados – é o conjunto de registros qualitativos ou


quantitativos;
– Ex.: Nº de homens e mulheres
• Informação –São dados processados, agrupados,
e organizados de modo significativo, sendo
subsídio útil à tomada de decisão;
– Ex.:Nº de homens e mulheres, notas avalia ção, média,
disciplinas cursadas

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Componentes de um SI
• Conhecimento
• Expl ícito – é o conjunto de informações já
validadas com suporte pr ático (livros,
documentos) e que caracteriza o saber disponível
sobre um tema específico;
• Tácito– é o acúmulo de saber pr ático sobre um
assunto,que agrega valores, crenças, sentimentos,
emoções, e outros fatores ligados à experiência e à
personalidade de quem o detém;

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Componentes de um SI
• Conhecimento
• Conhecimento Estratégico –é a combinação do
conhecimento explícito e tácito, formado a partir
das informações estratégicas, agregando-se o
conhecimento de especialistas.
• Inteligência– é o uso do conhecimento estratégico
no processo de tomada de decisão quanto à
formulação ou redefinição de estratégias adotadas.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Componentes de um SI

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Valor da Informação
• Do impacto que a
informação provoca
nas decisões da
organização; e

• Da utilidade desta
informação, tendo em
vistao seu tempo de
utilização.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Valor da Informação

Em certos casos, o valor da informação pode ser negativo:


sobrecarga de informação

“A ênfase primária não está na geração e na distribuição


de enormes quantidades, mas no uso eficiente de uma
quantia relativamente pequena.” (Davenport)

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Valor da Informação
O que transforma e o que torna a informação mais valiosa são atributos, tais
como:

Verdade – confiança na informação;

Orientação – quando a informação aponta o caminho para a direção de ações ou


tomada de decisão;

Escassez - quando a informação é nova e não está disponível para os


concorrentes;

Acessibilidade – como disponibilizá-la de modo que possa ser utilizada e


compreendida;

Peso – consistência da informação, o que a torna convincente e de uso provável;

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

A diferença entre dado, informação, conhecimento


e sabedoria
Há uma certa confusão sobre a diferença entre dado, informação, conhecimento e sabedoria.
O dado é um pingo de chuva.
Você está andando e sente um pingo, um segundo pingo, um terceiro pingo.
Aquilo não significa que é uma chuva, pode ser um ar condicionado, pingando num dia de calor.
No momento em que você olha para o céu e repara que existem nuvens e que come ça ver os primeiros
raios e sentir mais pingos, complementa aquele conjunto de dados e chega a uma informação: vai chover!
O conhecimento é quando você percebe que com a chuva você vai se molhar e se você se molhar não vai
poder
chegar ao trabalho todo molhado e que você pode ficar resfriado.
Então, isso é um conhecimento.
A sabedoria é o que vai fazer com tudo isso .
Se você vai continuar andando desesperadamente no meio da chuva e se molhar todo, ou vai se preservar
numa marquise e deixar a chuva passar.
A harmonia entre o dado, a informa ção, o conhecimento e a sabedoria poderíamos resumir que é a arte de
viver.
E isso funciona tanto para cada pessoa, para cada grupo, para cada empresa e para cada pa ís.
É isso, muito obrigado!

http://nepo.com.br/2009/01/15/a-diferenca -entre-dado-informacao-conhecimento -e -sabedoria/

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Sistemas de Informação

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

QUIZ - Sistemas de Informação


Níveis de Informação e de Decisão Empresarial?

Operacional
Tático
Estratégico

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

QUIZ – Tecnologias Aplicadas a Sistemas de


Informação
-SSE
– desenvolvimento MIT (década de 70)

- SAD
- etapas de desenvolvimento, comparação e classificação dos riscos, além de
fornecer subsídios
para a escolha de uma boa alternativa, com base na geração de diversos cenários de
informações (FREITAS et. Al., 1997; STAIR, 1998; LAUDON & LAUDON; 1999).

- ERP
– Enterprise Resource Planning - Planejamento de Recursos Empresariais -
são pacotes (software) de gestão empresarial ou de sistemas integrados, com recursos
de automação e informatização, visando contribuir com o gerenciamento dos negócios
empresariais.
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

QUIZ – Tecnologias Aplicadas a Sistemas de


Informação
-BD - Banco de dados convencional; b. Sistema Gerenciador de
Banco de Dados; c. Data Warehouse.

- Inteligência Artificial - como tecnologia de funcionamento


dos Sistemas de Informação Executivos, por meio de seus
recursos, tais como, os sistemas especialistas, Data Mining.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Tecnologia da Informação e Agilidade nos


Negócios – Sistemas de Apoio a Decisão

• Ambientes de Busca de Informações


• Sistemas de UC
• Sistemas de Comunicações Inteligentes
• Ambientes de Telepresença
• Cases

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

TI – BU.s and Processes

• To Optimize BU’s Processes


– Besides – BU’s Processes reengineering, putting in
place necessary/good applications and infrastructure
– Considering - People and Correct Information
• ISF could also improve BU’s processes
– It is able to find necessary information to take decisions quickly
– To involve correct group of persons in the right moment with
low cost

P2 -People
-Information
P1 P3
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Case Presentation – Corporate Search

• BA numbers
– Revenue of £8.5bn and profit before tax of £620m
– 49,000 staff worldwide
– 36 million passengers worldwide
– 140 destinations / 289 aircraft

• Environment before Corporate Search


– 98% of staff access BA's intranet
– Surveys and user feedback - biggest employees
question "how/where do I find XX"

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Case Presentation – Corporate Search


• Strategy and adopted solution
– Three vendors selected including open source solution
– PoC (2 Google Search Appliances)
• familiar search experience
• relevant content
– Google was chosen based on:
• Integration
• Usability
• User feedback and suitability
– Implementation: three months

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Case Presentation – Corporate Search

• Results
– User satisfaction has leapt from 59% to 80%
– Greater access to information
– Ease of use in retrieving documents
– Employee self service programme is worth £55m

Source: http://www.google.com/enterprise/gsa/british_airways.html

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

People

P2 -People
-Information
P1 P3

What should be considered?

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

People

P2 -People
-Information
P1 P3

Behavioral Characteristics
depending on:
-Each individual
- Social Environment
-´Generation`

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

People – User Behaviors


User Behaviors also depend on Generations
Characteristics:

• The Veterans
• The Baby Boomers
• Generation X
• The Millenials

Forrester Approach
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Today’s workforce is multigenerational

The Veterans Company loyalty

(b. 1922 to 1945)


The Baby Boomers Financial success

(b. 1946 to 1964)


Generation X Strongly independent

(b. 1965 to 1979)

Millennials
Personalized work
(b. 1980 to 2000)
Entire contents © 2007 Forrester Research, Inc. All rights reserved.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Millenials : the “zapping” generation


Millennials Older workers
Like to receive information quickly, Used to receiving information linearly, thinking
from multiple sources in real time about it, and digesting it
Like to parallel process and multitask. They “zap” Like to proceed step-by-step and do tasks in order
jobs, home, family and friends, etc.
Like to work in peer groups Like individual work
Are more learner-centered with teacher as a guide. Are more teacher-centered with teacher as the
“sage”
Have little tolerance for delays with IT systems Are happy when the technology works ; show more
patience but also experience frustration
Prefer to “construct” their knowledge from Prefer to receive instructionin a logical sequence
experiences
Tend to be more visual learners Tend to be more text-based learners who are careful
observers
Are f lexible, adaptable, and comfortable with Resist change but find coping strategies
uncertainty in a change-driven world

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

First effects to Corporate IT

• Social computing : response time, flexibility,


new applications quicker, user interface with
RIA, Wikis, Dynamic Applications

• Millenials Needs: Instant Messaging, Blogs, e-


learning, Mobility

• « Baby Bang » retirement : Knowledge


management / preservation, Collaboration
Entire contents © 2007 Forrester Research, Inc. All rights reserved.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

E-mail Management Case – Vault

Largest general contractor in the western U.S.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Main Results
• ROI: 10 months
• E-mail TCO: 25% reduction
• Legal Compliance (Sarbanes-Oxley, legal requirements)
• Search information optimized
• Backup and Storage optimization
• Exchange server performance improved
• PST problems eradication

• Costs and Risks reduction

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Case Study – Mobility – Lifetime Products

• American Manufacturing company


– 2300 employees in Utah and 200 in China
– Customers in more than 50 countries

• The world’s leading manufacturer of residential


basketball equipment and polyethylene folding
tables.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Case Study – Mobility – Lifetime Products


• Main Benefits
– Improve productivity by at least 250 hours annually per
mobile employee.
– Make business decisions faster:
• Speed up response to customers.
• Increase savings on purchases.
• Improve time to market.
– Improve collaboration on marketing materials and
planning schedules.
– Reduce IT support costs.
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Telepresence

• Innovative way to meet remote people with ‘in-person’


experience

• Collaboration improvements can help business to overcome


geographical barriers

• Used today by SAP and Australian Telco


– According to Uwe Herold (CIO –SAP): "We anticipate that
TelePresence will substantially enhance SAP's operational
efficiency, particularly in the areas of new product development,
and customer engagement."

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Intelligent Communication
• Intelligent Communication is not only about making and receiving calls
anywhere

• It is about using IT to optimize business processes

• Case: Whirlpool Corporation and Avaya– “ World’s leading manufacturer and


marketer of major home appliances; annual sales of $18 billion, 73,000
employees, more than 60 manufacturing and technology research centers
around the world”

• Data à Information à Action (Using SAP interfacing with Avaya System)

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Para reflexão

• Baseado nos Cases Apresentados


- Onde TI e SI podem atuar para acelerar o
desenvolvimento da Gestão dde empresas?
- Como isto pode ser realizado?
- Em que situações são aplicáveis

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Dissertação: a Importância estratégica de SI (TI


e Telecom)

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Módulo II
Sistemas ERP

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Sistemas ERP
• Primeiros Sistemas
• Teoria das Restrições
• Sistemas MRP, MRP-II e ERP
• Players no Mercado
• Arquitetura ou Modelo de ERPs
• Setores de Utilização – Novos Papéis em SI
• Por que implementar um ERP?
• Esforços e Fatores de Sucesso

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

ERP
• Definição
– ERP = Enterprise Resource Planning – Sistema de Planejamento de
Recursos da Empresa.

• Não existe uma assertividade no nome

• Tendência – considerar um software aplicativo que permita:


Esforco?
– Automatizar e Integrar – Processos de Negócios – Finanças,
Controles, Logística (Suprimentos, Fabrica ção e Vendas) e Recursos
Humanos
– Compartilhar Dados e Uniformizar Processos de Negócio
– Produzir e Utilizar Informações em Tempo Real

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU
ERP
• Noção Chave da Importância – Integração

• Para garantir o entendimento – explorar ex.s de situações


onde ela não está presente.
• Primeiros Sistemas
– limitados em geral a Folha de Pgto., Contabilidade, Contas a
Receber, Faturamento, Vendas ou Controle de Estoques.
– Comunicação entre sistemas – mínima
• Redundância de Dados ou inconsistências
• Estrategicamente - ´desastre`:
– Produção – deve fazer o que Vendas ´vendeu`
– Suprimentos – comprar o que é necessário.
» Como sincronizar?

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

ERP
• Noção Chave da Importância – Integração

• Primeiros Sistemas
• Plano T ático
– Dados do cliente – podem ser diferentes! Uma mudança de endereço
pode ser registrada em um sistema, mas não em outro.
– Outro ponto – o que é cliente? Contabilidade = saldo aberto no final
do exercício. Contas a receber = saldo aberto atualmente.
– Sistemas podem ter sido desenvolvidos em épocas diferentes =
diferente linguagem e gerenciador de banco de dados.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

ERP
• Primeiros Sistemas
– Difícil coordenar atividades de diferentes áreas da Organização
– Tarefas acabam por ser redundantes
– Ex. – dados do pedido de um cliente, registrado em vendas –
devem novamente ser digitados em Faturamento – alimentar
manualmente Contas a Pagar – Baixa de Estoques manualmente
com base em relatório de faturamento. Coerência de Inventário?

• Reação Natural a estes inconvenientes – integrar os


Sistemas entre si.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

ERP
• Primeiros Sistemas – explorando um pouco mais o
conceito – exemplos
– Gerenciar alocação de Recursos (Médicos, Enfermeiros e Filas)
em Hospitais
– Filas em Pedágio
– Priorizar Sistemas de Delivery (como de uma Pizzaria)

– Princípio básico – os recursos são finitos


– Eles devem ser bem administrados!
– Teoria das Restrições ...

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

ERP
• Teoria das Restrições

• A Teoria das Restri ções (TOC - Theory of Constraints) é uma filosofia de


negócios introduzida por Eliyahu M. Goldratt no seu livro A Meta, de 1984

• TOC sustenta que é essencial focalizar os esforços de melhoria no elo mais


fraco da corrente, pois é ele que determina o desempenho global do sistema
em estudo. Qualquer iniciativa de tentar melhorar outros elos que não o
mais fraco não trará benefícios sistêmicos, e mesmo os potenciais benefícios
locais poderão ameaçar a meta global.
– Por isso, os 5 Passos de Focalizaç ão fundamentam um processo de melhoria contínua:
– IDENTIFICAR a restrição
– DECIDIR como EXPLORAR a restriç ão
– SUBORDINAR tudo à decisão acima
– ELEVAR a restri ção à PLANO de Ações
– SE a restri ção for quebrada, VOLTAR ao início, mas não deixar que a IN ÉRCIA crie uma restriç ão

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Reflexão sobre Restrições e possibilidades de


como Explorar elas
• Posto de Saúde
• Atendimento para solicitar aposentadoria
• Pizzaria Delivery

• Apoio de Funções de TI/SI?

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU
ERP
• Mas a integração exige:
– Maior capacidade de processamento
– Homogeneidade de tecnologias e processos de negócio
• Evitando conceitos conflitantes
– Integrar = aumentar a complexidade. Ex. – o número de
etapas consecutivas (automáticas aumenta) e a reversão
é mais intrincada. Estornar uma Nota Fiscal de Venda
à Anular em Contas a Receber, Promover o reingresso
do material no estoque, executar ações fiscais, etc.

– Esta ´reação natural` já estava madura (mesmo que não


totalmente implementada), antes da década de 1990,
quando surgiram os ERPs
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU


ERP
• Áreas de aplicação básica – empresas
Manufatureiras ou da área Industrial.
• Tres áreas básicas de suporte das organizações:

– Back-office
• Finanças
• Operações e Logística
• Recursos Humanos

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

ERP
• Áreas Típicas de Aplicação de ERPs
Finanças e Controles Operações / Logísticas Recursos Humanos
Contabilidade Financeira Suprimentos Recrutamento e seleção de
pessoal
Contas a pagar / receber Administração de Materiais Treinamento

Tesouraria Gestão da qualidade Benefícios


Ativo Imobilizado Planejamento e Controle da Desenvolvimento de Pessoal
Produção
Orçamentos Custos de Produ ção Medicina e Seguran ça do trabalho
Contabilidade Gerencial Previsão de Vendas Remuneração
Custos Entrada de Pedidos Folha de pagamento
Análise de rentabilidade Faturamento
Fiscal
Gestão de Projetos

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU
ERP
• Destas áreas as de RH (ex. folha de pgto.)
admitem aplicações horizontais – satisfazem a
empresas de diversos ramos (manufatura, varejo,
serviços, etc.). Outras há grandes diferenças –
verticalização de customização
• ERP – deve ser facilmente adaptável e moldável
aos processos de diversas empresas
– Processos de Customização

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU


ERP
• Exemplos de empresas que produzem e comercializam sistemas ERP

– R/3 ou mySAP.com SAP (http://www.sap.com/brazil/index.epx)

– Oracle Aplications Oracle (http://www.oracle.com/us/products/applications/jd-


edwards-enterpriseone/index.htm)

– Magnus Datasul (http://www.datasul.com.br/linha_tempo/index.php)

– Microsiga
(http://www.microsiga.com.br/w_m3ins001.apw?cod=000011&cat=000006)

– PeopleSoft
(http://www.oracle.com/splash/support/customerconnection/maintenance.html)

– Oracle – aquisições da JD-Edwards (empresas de médio porte e Peoplesoft –


grande porte)

– BAAN - 2005 à SAA. 2006 à Infor

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

ERP

ERPsoftware 2009

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SOA Overview
• SOA – Service Oriented Architecture
• Managed by OASIS (Organization for the
Advancement of Structured Information
Standards)
– non-profit organization
– 600 organizations are participants over 100 countries
– Created initially to be focused in e-business, Security,
Public sector standards challenges
• Today – SOA-RM development
http://www.looselycoupled.com/opinion/2006/nicku-why-arch0104.html
http://www.oasis-open.org/home/index.php

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SOA Overview
• SOA proposes usage of well-defined IT services,
what can be loosely coupled
• SOA-RM mentions necessity to publish App.
Services in a ´Common Directory/DB` as a way to
compose them, performing Business Process
Tasks
• With the advance of Internet and WEB tools, SOA
has been increasing its importance and market
relevance. E.g.: British Petroleum, Bilbao y
Viscaya Bank, TIM Brasil.
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SOA Overview
• SOA recommends to establish a Service:
– Visibility (Directory), Service
Description/Perimeter, Execution/Usage
Context, Quality, Security Constraints, Contract
& Policy
• OASIS allows usage of SOA to describe
and organize Applications and
Infrastructure Services
– Other option: SONA approach (by CISCO)

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SOA Overview

• It proposes a different way to approach


Business Process as certain number of
service components. Desirable effects:
– Reusability, Composability, Autonomy,
Optimization, Agility
• Perimeter Vision – it facilitates contract
issues and Security Constraints
identification
Cost, Time to Deliver, Efficiency
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SOA View Applied to Infrastructure


• It facilitates IT Service Treatment:
– Clear View – Perimeter, SLAs, SLMs,…
• Time to Exchange, Time to Deliver
– Service Maintenance / Evolutions
– Explore and Cross Partner’s Composite
– Service Clustering Possibilities
• Costs Optimizations
– Geographic View / Specificities
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

ERP – SAP - Módulos

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Para revisão - discussão

• Como justificar o aparecimento de ERPs?


Eles dependem de tecnologia de informática
e Telecom?
• Quais os principais players no Mercado
atual
• Qual uma possível modelagem de como
identificar e explorar possíveis
implementações de módulos ERP? Por que?

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU


HISTÓRIA DOS SISTEMAS ERP
• Década de 1960 – aplicações financeiras –
equipamentos caros, lentos
• Década de 1970 – computadores mais poderosos e
baratos – MRP (Materials Requirements Planning)
– Empresas Manufatureiras
– Controle de Estoques
– Planejamento de Produção e Compras
– Seguiam ´receitas de bolo`
• O que preciso para produzir
• O que já tenho – debito do estoque
• O que não tenho – ordem de compras

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU


HISTÓRIA DOS SISTEMAS ERP
• Década de 1980 – evolução dos sistemas MRP –
MRP II (Manufacturing Resources Planning)
– Função de planejamento de produção e estoque
– PCP
– Aspectos financeiros – orçamentação e Custeio da
Produção

– Muito difundidos com o uso de minicomputadores -


´estilo departamentais ´
– Ponto de atenção - ´Departamento` - dificultava o
suporte completo e integrado do processos de negócio

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU
HISTÓRIA DOS SISTEMAS ERP
• Década de 1990

• Fatos Históricos
– Fim da Guerra Fria
– Queda do Muro de Berlim
– ´Globalização`

• Capitalismo
– Negócios == aumento da competitividade!

• Ambientes de Sistemas
– A inclusão do tratamento de recursos humanos e finanças em sistemas
MRPII prometia agilidade e redução de custos
– Nasce a expressão ERP

– Neste período – tecnologia evoluiu para Sistemas Cliente-Servidor


(BD central, grande número de aplicações, interfaces gráficas em micros)

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

HISTÓRIA DOS SISTEMAS ERP

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU


HISTÓRIA DOS SISTEMAS ERP
• Década de 1990

• Empresas manufatureiras – MRP -> MRPII ->


ERP

• Funcionalidades como Contabilidade, Contas a


pagar e receber, Compras, Vendas e Recursos
Humanos podem ser vistas como necessidades
horizontais à novos setores: telecomunicações,
mídia, servi ços públicos (agua, energia elétrica),
serviços financeiros, etc.
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações
UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

HISTÓRIA DOS SISTEMAS ERP


• Grande desafio – metodologia de trabalho específica
– Implementação de ERP e consequente integração de processos e
funções à impacto em toda a Organização
– Mudança em TI
• Deixam de ser simples ´magos da tecnologia`
• Novos papéis – certas habilidades técnicas e conhecimentos de
negócio específicos à analistas de processo

– Observe que a evolução dos ERPs e suas funcionalidades só foi


possível graças e evolução da tecnologia em si.
– Esta máxima continua verdadeira para o futuro??

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

HISTÓRIA DOS SISTEMAS ERP

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

HISTÓRIA DOS SISTEMAS ERP

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

HISTÓRIA DOS SISTEMAS ERP

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Para revisão - discussão


• Como evoluiram em empresas manufatureiras os
sistemas até os ERPs?
• O que são aplicações horizontais e verticais
• Qual o novo papel (job description) com o
aparecimento de sistemas ERPs em áreas de SI?
Por que?
• Qual a diferenção entre sistemas MRP e MRP-II
• Qual a diferença entre sistemas MRP-II e ERP

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

MODELO DOS SISTEMAS ERP


• Modelo Cliente Servidor <>
computação monolítica de
mainframes
• Forma mais Comum de
implementação de ERPs
– 3 Tier
– 1.a Camada – Apresentação –
microcomputador
– 2.a Camada – Aplicação –
composta pela parte funcional
centralizada do sistema ERP.
SW – reside em um ou mais
computadores centrais.
– 3.a Camada – GBD e SGBD –
gestão dos dados

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU
MODELO DOS SISTEMAS ERP
• Tendência mais moderna – funções de
apresentação – exercidas por um Browser em
modelo ´thin-client`. Em teoria os ´thin-clients´são
mais baratos que os ´fat-clients`
• Possibilidades
– Interligar sistemas com gerenciadores de BD – SQL
(Structured Query Language) – ISO em 1987
– Utilização de páginas HTML e programas
desenvolvidos em Java (ou Active X) na comunicação
entre as camadas de apresentação e aplicação

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Para discussão

• Quais as vantagens e desvantagens (ou pontos de


atenção) na arquitetura (modelo) dos sistemas
atuais de ERP?

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU


TENDÊNCIAS DOS SISTEMAS ERP
• Tendência intrínsecas:
– Aumento de funcionalidades – ex. (Human Capital Management –
HCM)
– Expansão dos Setores de Aplicação – ex. comércio varejista,
servilos de saúde
– Aumento de facilidade de Implementação + ´Componentização`
– Serviços compartilhados (shared services) – infra por Grupo
econômico ou diversas empresas
– Acesso pela Internet
– Terceirização Tecnológica – suporte TI por empresas
especializadas. Exemplo – comercialização da virtualização -
´slices` de máquinas f ísicas.
– Hospedagem de aplicações

+ Funcionalidades, Acessíveis a Empresas de Menor Porte


Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações
UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU
TENDÊNCIAS DOS SISTEMAS ERP
• Tendência extrínsecas:
– Comércio Colaborativo – muda o foco de otimização de
processos
– Conexão externa com clientes e fornecedores
– Arquitetura centrada na Internet
– Uso de Dados em ambientes internos e externos à
empresa

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU


POR QUE IMPLANTAR ERPs?
• Fatores favoráveis:
– Motivos estratégicos
• Diferenciar-se da concorrência – melhores práticas de
negócio
• Busca por maior competitividade no plano global
• Preparação para o Crescimento
• Flexibilidade – mudar processos de negócio
– Motivos Operacionais
• Integração com os sistemas existentes
• Elevado número de fornecedores de sistemas

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

POR QUE IMPLANTAR ERPs?


• Fatores favoráveis:
– Alterações na Legislação
– Tecnologia
• Obsolescência de equipamentos ou dos sistemas de
informação
• Exigências tecnológicas de parceiros de negócio

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

ESFORCOS DE IMPLEMENTAÇÃO DE ERPS


• Projetos
– São executados por pessoas
• Limitados pela disponibilidade de recursos
• São planejados, executados e controlados

• Tendência Inicial
– Reengenharia de Processos – Michael Hammer (1993)
• Mudanças radicais
• Caras
• Demoradas

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

ESFORCOS DE IMPLEMENTAÇÃO DE ERPS


• Tendência atual
– Redesenho baseado no
Sistema – premissa ERPs
podem suportar boas
práticas

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

INTEGRAÇÃO DOS BOLT-ONS


– EDI
– FAX
– Código de Barras e RFID
– Geradores de Relatório
– Configuradores de Produtos
– Sistemas de PDV

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

INTEGRAÇÃO DOS BOLT-ONS


– Sistemas de automação de forças de Vendas
– LIMS
– MES
– Sistema de Controle de Ponto/tempos
– Sistema para coleta de dados de qualidade
– Sistemas para controle estatistico de processos

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

FATORES DE SUCESSO - AVALIAÇÃO


• Envolvimento do usuário – 19
• Apoio da Direção – 16
• Definição clara de necessidades – 15
• Planejamento Adequado – 11
• Expectativas Realistas – 10
• Marcos Intermediários – 9
• Equipe Competente – 8
• Comprometimento – 6
• Visão e objetivos claros – 3
• Equipe dedicada – 3

Fonte – Deloitte Consulting

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Antes de Concluir – Exemplos


• Como aumentar a produtividade nas
Empresas

• Cuidado com o Excesso de Automatismo!

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Para sua reflexão

• Por que implementar um sistema de ERP


em uma empresa?

– Quais são as tendências intrínsecas e


extrínsecas ligadas a ERPs?
– Quais os principais fatores de Sucesso a serem
considerados?

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Módulo III
Sistemas de Apoio
A Decisão
Integrados e E-business

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Ecossistema Empresarial

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• CRMs – Customer Relationship Management
– Foco no Cliente
• SCM – Supply Chain Management e E-
procurement
– SCM – trabalha em geral com dados e informações
diretas
– E-procurement – trabalha em geral com dados indiretos

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SCM e e-procurement

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• ERPs versus DW-BI
– Questões clássicas
• Qual o saldo devedor do cliente A? - ERP ou DW-BI?
• Qual o estoque disponível do produto X? - ERP ou DW-BI?
• Qual o retorno da ultima promo ção de MKTG? - ERP ou DW-
BI?
• Qual é o padrão de consumo do cliente S? - ERP ou DW-BI?
• Qual é a característica comum daqueles que deixaram de ser
clientes? - ERP ou DW-BI?

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Característica de DW-BI
• Imnon – define um DW
– “Um conjunto de dados orientado a assuntos, integrado, não volátil,
modificável com o tempo, orientado ao apoio de processo gerenciais de
decisão”

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS

• Aplicações Típicas do DW
– Análise de Mercados e Vendas
– DB de MKTG
– Desenvolvimento de Orçamentos
– Reportes financeiros e de consolidação
– Aplicações de BSC
– Análise de Rentabilidade e Qualidade
• Quem precisa ter acesso a Sistemas de DW?

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Arquitetura de um Datawarehouse SI
(evolução dos SSD, SSE)

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• Principais componentes de um DW:
– Data stager
– Gerenciador de BDs
– OLAP – on-line Analytical Processing
– Front-end

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Para Reflexão

• Quais os elementos que estimulam a criação de


ambientes de datawarehouse (BI) nas empresas?
• Qual a complexidade de infra de TI a ser
trabalhada?
• Se a partir de um sistema de DW (BI) queremos
retroalimentar o ambiente de ERP, que cuidados
devemos tomar? Ex. – compromissar o estoque
com clientes ´preferenciais` ou VIP após análise

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• Principais modelos de dados de um DW. Devem
permitir:
– Identificação de necessidades
– Dos fatos, baseados em necessidades
– Das Dimensões
– Dos Níveis de Granularidade e Agregação

• Star Schema – as dimensões, e os fatos – quantitativos que


fazem referência as dimensões

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• DW – ETL processo de criação
– Extract, Transform and Load

– Ex. analisar os dados de faturamento de nossa empresa


• Podemos fazer em várias dimensões:
– Temporal, Geográfica, por Produto, ....
– O numero pode ser grande! “ Melhor prevenir do que remediar”
– Drill-down - ´furar` - deixar o usuário solicitar, por ex., o
detalhamento das vendas de qq. Estado por mês, vendedor, ...
» Drill-down == brincar == perceber

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• DW – características importantes:
– Capacidade de Busca de Dados
– Filtragem de Dados
– Classificação de indicadores
– Destacar o que interessa
• Dados podem ser estruturados ou não (ERP, Workflow)

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

• Marketplace dos DWs

Pesquisa Firrester Q1-2009


Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações
UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

• Marketplace dos DWs

Pesquisa Firrester Q1-2009


Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS

• DW – projeto – diferenciais importantes:


– Conteúdo técnico do projeto – ex. BD – razoavelmente
complexo
– Número de pessoas
– Padrão de Uso do Sistema
– Falta de feedback ...

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Para reflexão

• Você é o respons ável por uma cadeia de Lojas de


Delivery de Comida chinesa a domicilio
• Acabou de implementar um ERP, para melhorar a
visibilidade e funcionamento da Cadeia
• Que motivadores o estimulariam a implementar
um sistema de DW? Que métricas usaria para
avaliar o seu sucesso de implementação?

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

DW-BI
• Exemplos:
• Banco poderia considerar neste subconjunto de potenciais clientes,
somente aqueles que já sejam proprietários de veículos, que tiveram
algum tipo de financiamento com o banco nos últimos cinco anos, cujo
saldo médio nos últimos 12 meses seja superior a R$300,00 e com a
restrição de idade acrescida do prazo de financiamento não poder
superar 80 anos.
• Programa Pão de Açúcar Mais, da mesma rede de supermercados.
Quando um cliente efetua suas compras, recebe determinada
pontuação que lhe dá algumas facilidades/benefícios futuros, porém, o
mais importante para o BI é que o sistema registre seu histórico de
consumo no datawarehouse. Utilizando esta base de dados é possível
direcionar campanhas de marketing, como exemplo, fazer uma
promoção de azeites estrangeiros para clientes que tenham comprado
azeites nacionais nos últimos seis meses. O direcionamento da
campanha aumenta o nível de retorno, reduz os custos de divulga ção e
tende a aumentar a fidelidade do cliente.

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

DW-BI
• Exemplos:
• Outro exemplo seria uma empresa de tratamento e distribuição de água, que
tem como seu principal sistema transacional, a leitura mensal do consumo do
usuário, a emissão do boleto e o controle dos pagamentos recebidos. Em
termos de BI, o sistema de apoio à decisão poderia efetuar a análise de
consumo médio mensal de água por bairro de uma determinada cidade dos
últimos dois anos, possibilitando a criação de campanhas educativas
direcionadas para redução do consumo e desperdícios. Em seguida, poder-se-ia
analisar o índice de retorno da mesma campanha, com base no consumo médio
observado no período pós-campanha. Se cada campanha utilizasse meios de
divulgação distintos (por exemplo; emissoras de rádio AM e FM, TVs aberta e
por assinatura, jornais, revistas, etc.), seria possível medir qual mídia tem a
melhor relação custo-benefício para este tipo de campanha.
• Na área de saúde, o dia-a-dia das Unidades Básicas de Sa úde é atender a
população gratuitamente, realizando consultas, exames, aplicando vacinas e
injeções, fazendo curativos e fornecendo medicamentos básicos. Com uma
consistente base de dados histórica é possível fazer análise epidemiológica, por
bairro, por tipo de doença, por serviço prestado. Assim, é possível definir um
conjunto de ações efetivas (preventivas ou corretivas), que traga significativos
benefícios à saúde do cidadão com custos reduzidos para os municípios.
Fonte - http://www.artigonal.com/negocios-admin-artigos/o-business-intelligence-pode-ir-alem-da-area-de-negocios-1038626.html

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-business
– 1980 .... EDI nas redes VAN (Value Added Network)
– Principal promessa – padronização no intercambio de
dados
• XML – eXtensible Markup Language
• Esforços de padronização por Segmentos

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS

• E-business

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-business
– E-banking
– E-commerce
– E-engineering
– E-mailing
– E-trading

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-commerce = compra e venda pela Inet
• Outros componentes importantes:
– Colaboração
• Ex. E-engineering (ex. Sistema Katia – Boing 777)
– Processos Internos – auto-serviço de funcionários
• Ex.s – Amazon – pulo do gato?
– B2C – Brasil – Submarino, Lojas Americanas

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-business – algumas aplicações
– CRM
– SCM
– E-procurement
• Pontos de atenção
– Estratégia ante de iniciar a implementação
– Segurança

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-business – CRM

– Até o final da década de 1980 – SI – preocupado em


otimizar capacidade produtiva – excesso de demanda
– A partir de 1980 – foco de atenção muda à CLIENTE

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-business – CRM

– Análise profunda das características e comportamento


dos clientes
• Apoio com DW e BI
– Planejamento de Ações Mercadológicas e da interação
com o cliente (sem padronização de SI)
– Ações de venda ou apoio ao cliente
• Venda direta, tele-mktg, Internet, ...

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Possíveis abordagens (múltiplas) – em CRM

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-business – CRM – Por que implantar?
– Eficácia do processo de vendas
– Serviço ao cliente
– Comunicação com o cliente
– Previsões
– Informações atualizadas
– Receitas
– Suporte a vendas
– Administração de vendas
– Eficácia de MKTG
– Margens
– Custos de Vendas
(Deloitte Consulting)
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-business – CRM – Integração com ERP?
– É importante?
– Compartilhamento de dados
• Produtos, clientes
• CRM à fornece ordens
• ERP à fornece posição de estoques

– Não integração – pode ser bastante negativa!

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-business – SCM – Supply Chain Management
– Envolver empresas da Cadeias
• Fornecedores de mat érias primas
• Fornecedores de componenentes
• Fabricantes
• Distribuidores
• Transportadores
• Varejistas

• Ex. de área de negócio que utiliza o SCM bem??

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-business – SCM
– Supply Chain – cadeia de fornecimento. Desafios tecnológicos e
culturais:

• Tecnológicos – padrões de comunicação e de sistemas


• Culturais – complexos! Ex. agentes econômicos – não revelar posição
de estoques ...

• Resultados em geral do não ´SCM`: níveis elevados de estoque na


Cadeia, e mau atendimento dos clientes

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


• E-business – SCM AOS ERPS
– O que tem acelerado a sua adoção:
• Pressões competitivas
• Disponibilidade de sistemas ERP
• Viabilização de tecnologia como EDI, EFT (electronic funds transfer)
– Exemplo bem sucedido de colaboração – setores de alta tecnologia
– Rosettanet
• Processos – PIP – Partner Interface Processes
• Dados
– Identificação de parceiros – cadastro DUNS (Data Universal Numbering
System)
– Classificações com padrões UM/SPSC – United Nations – Standard
Product and Service codes
– GTIN – 14 dígitos por UPC ou EAN

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Sistemas EAN, UPC e o Brasil

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

UPC, EAN-8 e 13 - exemplos

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Códigos de barra bi-dimensionais


• Também chamados QR Codes
• Denso-Wave (Japão) – 1994
• Capacidade de armazenamento
– Numérica - Max. 7.089 caracteres
– Alfanumerica - Max. 4.296 caracteres
– Binário (8 bits) - Max. 2.953 bytes
– Kanji/Kana - Max. 1.817 caracteres
• Capacidade de corre ção de erros
– Nível L 7%
– Nível M 15%
– Nível Q 25%
– Nível H 30%

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SCM – SW.s Apoio ERPs

Forrester – Q4-2008
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

E-business - VMI
• E-business – SCM – exemplos
– VMI – vendor managed inventory

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações


UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-business – Compras Eletrônicas
– Focadas em Materiais Indiretos (x SCM)
– E-procurement
– Ordens de Compra
– Marketplace – ex. Leilões reversos

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

SISTEMAS DE APOIO COMPLEMENTARES


AOS ERPS
• E-business – Compras Eletrônicas
– Portais C2C
• E-Bay, MercadoLivre

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Para reflexão

• Que tipos de sistemas orientados a Gestão


podemos utilizar em relações B2B, B2C?

• Portais eletrônicos tem sido implementados


de forma a prestar e agilizar serviços, sem
esquecer das possíveis lucratividades
oriundas destes. E no caso C2C?
Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações
UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Módulo IV
– Características, Módulos e Interoperação do ERP e novas
funcionalidades do SAP
– Características do ERP e novas funcionalidades do
Oracle
– Características do ERP e novas funcionalidades da
Microsoft
– EAI – Enterprise Application Integration e Casos
– O BPM e duas tendências
– O papel do CRM nas Empresas
– O papel do SCM nas Empresas

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE LATO SENSU

Obrigado!!!

Prof. Newton Gestão Estrat égica em TI e Telecomunicações