Você está na página 1de 2

AGO.

/1991 EB-2131
Defensas portuárias de elastômeros
ABNT-Associação
Brasileira de
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar
CEP 20003 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ
Tel.: PABX (021) 210 -3122
Telex: (021) 34333 ABNT - BR
EndereçoTelegráfico:
NORMATÉCNICA

Especificação

Origem: Projeto 02:007.05-002/90


CB-2 - Comitê Brasileiro de Construção Civil
Copyright © 1990, CE-02:007.05 - Comissão de Estudo de Utilização de Defensas Portuárias
ABNT–Associação Brasileira EB-2131 - Elastomers for use in marine fenders - Specification
de Normas Técnicas
Printed in Brazil/
Impresso no Brasil Palavras-chave: Estruturas portuárias. Elastômeros. Porto 2 páginas
Todos os direitos reservados

SUMÁRIO MB-497 - Elastômero vulcanizado - Determinação da


1 Objetivo dureza - Método de ensaio
2 Documentos complementares
3 Condições gerais MB-1111 - Elastômero vulcanizado - Determinação
4 Condições específicas da aderência com metais - Método de ensaio
5 Inspeção
6 Aceitação e rejeição MB-1933 - Elastômero vulcanizado - Envelhecimento
acelerado em câmara de ozônio - Ensaio estático -
1 Objetivo Método de ensaio

Esta Norma fixa as condições exigíveis para aceitação e NB-1009 - Preparação da placa de borracha vulcani-
recebimento dos elastômeros a serem empregados em zada para ensaios físicos e químicos - Procedimento
defensas portuárias.
TB-122 - Elastômeros - Classificação
2 Documentos complementares
3 Condições gerais
Na aplicação desta Norma é necessário consultar:
3.1 Características dos elastômeros
EB-362 - Sistema de classificação de materiais elas-
toméricos vulcanizados para aplicações gerais - Espe- O elastômero a ser utilizado na confecção das defensas
cificação pode ser de borracha natural ou sintética ou da mistura das
duas, desde que atendam aos requisitos indicados em 4.2.
MB-57 - Elastômero vulcanizado - Ensaio de tração -
Método de ensaio 3.2 União das camadas de borracha

MB-383 - Elastômero vulcanizado - Ensaio de defor- No caso de existência de várias camadas de elastômeros,
mação permanente à compressão - Método de ensaio a resistência da colagem entre elas deve corresponder à
resistência do próprio material. O elastômero deve ser de
MB-394 - Elastômero vulcanizado - Determinação do qualidade uniforme, sem corpos estranhos, sem partes
envelhecimento acelerado em estufa - Método de en- fofas e sem bolhas.
saio
3.3 Placas de aço
MB-407 - Elastômero vulcanizado - Ensaio de rasga-
mento - Método de ensaio As placas de aço quando utilizadas devem ser fixadas com
2 EB-2131/1991

adesivos, de modo a ficar solidamente aderente no elastô- águas. Estes últimos grupos de solicitações são importan-
mero. tes em face da duração das suas ações. As propriedades
dos elastômeros podem ser influenciadas ou modificadas
3.4 Classificação sensivelmente por eles.

Na especificação e aquisição de defensas portuárias de 4.2 Requisitos dos elastômeros


elastômeros, deve ser utilizada a TB-122.
4.2.1 Os elastômeros para defensas devem possuir os re-
quisitos indicados na Tabela.
4 Condições específicas
4.2.1.1 Os corpos-de-prova para a realização dos ensaios
4.1 Solicitações dos elastômeros constantes da Tabela, sempre que possível, devem ser re-
tirados das defensas ou dos lotes que os compõem.
Os elastômeros para defensas não só são solicitados me-
canicamente pelas embarcações como pelos raios sola- 4.2.1.2 Após o envelhecimento acelerado em ozônio, a re-
res, pelas águas salgadas, pelas águas poluídas, pelo efei- tenção de qualidade mínima do elastômero utilizado deve
to de ozônio, pelos óleos e pelos gases que emanam das estar de acordo com a EB-362.

Tabela - Requisitos dos elastômeros

Propriedades Unidade Requisito Método de ensaio

Tensão de ruptura MPa mín. 16 MB-57

Alongamento de ruptura % mín. 350 MB-57

Dureza Shore A máx. 80 MB-497


envelhecimento
Variação após

Tensão de ruptura % máx. - 20 MB-394


(96 h, a 70°C)
acelerado

Alongamento de ruptura % máx. - 20 MB-394

Dureza pontos máx. + 10 MB-394

Deformação permanente à MB-383


compressão (22 h, a 70°C) % máx. 25 (Proc. B)

Resistência ao rasgo N/cm mín. 500 MB-407 (corpo-de-prova MOD II)

Envelhecimento acelerado sem MB-1933


em ozônio - fendimento (Met. A - 50 ppcm de O3, 72 h, a 40°C)

4.2.2 Os corpos-de-prova para realização dos ensaios de- 5.2 Para os demais itens da Tabela, deve ser realizado um
vem ser confeccionados conforme a NB-1009. ensaio representativo dos lotes de massa componente pa-
ra a fabricação de uma defensa.
4.2.3 Para a fixação das placas de aço conforme 3.3, deve
ser realizado ensaio de aderência em corpo-de-prova, de 6 Aceitação e rejeição
acordo com a MB-1111.
6.1 O lote de massa deve ser considerado aceito quando
atender aos requisitos especificados na Tabela.
5 Inspeção
6.2 Em caso de não conformidade em alguns itens do lote
Na inspeção dos elastômeros devem ser verificados os de massa, novos ensaios podem ser realizados, a fim de
resultados dos ensaios da seguinte forma: se ter a contraprova.

5.1 Para os três primeiros itens da Tabela, devem ser rea- 6.3 Para a execução dos ensaios da contraprova, é per-
lizados ensaios em 100% dos lotes de massa. mitida a correção que se fizer necessária do lote de massa.