Você está na página 1de 12

FUNDAÇÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA


PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES
DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DAS COORDENAÇÕES MUNICIPAIS

Município:____________________________ Período ____/_____a ____/_____/_____

I – DADOS DE IDENTIFICAÇÃO/ MUNICÍPIO E COORDENAÇÃO


ESTRUTURA ORGANIZACIONAL/ MUNICÍPIO E COORDENAÇÃO

1. Nome do Órgão Gestor Municipal de Saúde:


_____________________________________________________
2. Nome do Gestor Municipal de Saúde:
_____________________________________________________
3. Nome do setor responsável pela Coordenação das Ações de Imunizações no municipio e sua
posição no organograma da Secretaria Municipal de Saúde.
_____________________________________________________
O Municipio está dividido em distritos de saúde, ou equivalente?
( ) Sim. Quantos? ___________
( ) Não
4. Número total de distritos no municipio: _______
5. Número de distritos com o Programa de Imunizações implantado: _______
6. Salas de vacinação: ________________
6.1 Públicas: ____________________
6.2 Privadas: __________________
6.2.1Cadastradas no Programa________________
6.2.2 Não cadastradas no Programa____________
7. Salas de vacinação que aplicam a vacina BCG:__________
7.1 Públicas:____________________
7.2 Privadas: ___________________

8. Número de unidades de internação públicas e/ou conveniadas no município (hospitais,


maternidades, etc.) que fazem vacinação:
BCG Dupla Viral/Tríplice Viral Hepatite B
Existentes N.º % N.º % N.º %
Hospital

9. Identificação do Coordenador do Programa de Imunizações do Município:


9.1. Nome:
____________________________________
9.2. Profissão:
________________________________________________________
9.3. Dedicação exclusiva ao Programa de Imunizações:
( ) Sim
( ) Não. Qual (s) outra(s) atividade(s) desenvolve?
________________________________

1
9.4. Carga horária/semana:
( ) 40 horas ( ) 30 horas ( ) 20 horas ( ) Outras
9.5. Há quanto tempo está no cargo? ________________
9.6. Cursos realizados:
9.6.1. Especialização: ________________________________
9.6.2. Mestrado : _________________________________________________
9.6.3. Outros relacionados a imunizações:_____________________________
10. Recursos humanos existentes no Órgão Central da Coordenação do Programa que desenvolvem
atividades específicas de imunizações:
Categoria Quantidade/Carga horária
Profissional 20 horas 30 horas 40 horas Outras Total
Médico
Enfermeiro
Biólogo
Biomédico
Farmacêutico
Médico veterinário
Odontólogo
Assistente social
Sociólogo
Outros profissionais de nível
superior
Nível médio
Nível básico
Total

11. Desses recursos humanos, quantificar os de nível superior, segundo o tipo de pós graduação:
11.1. Especialização em Saúde Pública: __________
11.2. Especialização em Epidemiologia: ___________
11.3. Especialização em Vigilância Epidemiológica: __________
11.4. Especialização em Infectologia: ________________
11.5. Especialização em Saúde Coletiva: ___________________
11.6. Especialização em Planejamento em Saúde: _______________
11.7. Outras / especificar: __________________________________
11.8. Mestrado: ___________________ Doutorado: __________________

II – PROGRAMAÇÃO, CAPACITAÇÃO E SUPERVISÃO

1.Existe uma Programação de Trabalho para o desenvolvimento das ações de Imunizações?


( ) Sim ( ) Não
Se SIM:Acompanha e avalia a execução da programação?
( ) Sim ( ) Não

2. A Coordenação Municipal realiza reunião (ou semelhante), com todas os distritos de saúde para
preparação das campanhas nacionais de multivacinação?
( ) Sim, só para a 1ª etapa ( ) Sim, só para a 2ª etapa
( ) Sim, para a 1ª e 2ª etapa ( ) Não
2
3. A Coordenação Municipal realiza reunião (ou semelhante), para avaliação das ações de
imunizações?
( ) Semestral ou menos ( )Anual ( ) Ocasional ( ) Não

4. Adota estratégias de vacinação diferenciadas para áreas com baixas coberturas?


( ) Semestral ou menos ( )Anual ( ) Ocasional ( ) Não

5. O Programa Municipal de Imunizações está desenvolvendo ou envolvido em algum projeto de


pesquisa relacionado com vacinação?
( ) Sim ( ) Não Especificar:______________
6. Percentual de profissionais que receberam capacitação em Sala de Vacinação:
( ) 9 a 100% ( ) 76 a 89% ( ) <76% ( ) Não

7. A Coordenação do Programa Estadual de Imunizações realiza supervisão?


( ) Semestral ou menos ( )Anual ( ) Ocasional ( ) Não

7. 1. Utiliza instrumento para supervisão?


( ) Sim ( ) Não

III – SISTEMA DE INFORMAÇÃO – SI – PNI

O API está informatizado: ( ) Sim ( ) Não

1. Número da versão na Coordenação Municipal está atualizada?

Informe o nº da versão_______________

2. Suporte técnico atende às necessidades do sistema?


( ) Sim ( ) Em parte ( ) Não ( ) Não existe

3. Existe atraso no encaminhamento dos dados (município/regional/estado)?


( )Mensal ( ) Ocasional ( ) Não

4. O município conhece suas metas de cobertura vacinal, inclusive se a base é estimativa IBGE ou
dados de NV SINASC?
( ) Sim ( ) Não

5. No recebimento dos dados de rotina a Coordenação avalia número de postos existentes X número
de postos informantes?

( ) Mensal ( ) Ocasional ( ) Em outra instância ( ) Não

6 Compara e avalia a cobertura vacinal através do conhecimento da taxa de abandono para as vacinas com
mais de uma dose?
( ) Mensal ( ) Ocasional ( ) Em outra instância ( ) Não

7. Avalia a homogeneidade de cobertura no município?


( ) Mensal ( ) Semestral ou menos ( ) Ocasional
8. No recebimento das informações, a Coordenação avalia os produtos do sistema para planejamento
e/ou distribuição de imunobiológicos? Unidades x Municipal

3
( ) Mensal ( ) Ocasional ( ) Avaliado na Rede de Frio ( ) Não
9. Compara e avalia as doses aplicadas com os quantitativos de imunobiológicos distribuídos / dis?

( ) Mensal ( ) Ocasional ( ) Avaliado na Rede de Frio ( ) Não

10. Avalia as perdas de imunobiológicos ocorridas?


( ) Mensal ( ) Ocasional ( ) Avaliado na Rede de Frio ( ) Não

11.O EAPV está instalado na instância municipal?


( ) Sim ( ) Não

12. O EAPV está descentralizado para CRIES ou Regionais?

( ) Sim ( ) Não Onde_____________________

13.Número da versão na Coordenação Municipal está atualizado?

( ) Sim ( ) Não
Informe o nº da versão______________________
14. O envio dos dados (formulários, disquetes ou Internet) entre as instâncias é feito?

( ) Mensal ( ) Semestral ou menos ( ) Ocasional ( ) Anual

15. Os formulários do AIU foram implantados: ( ) Sim ( ) Não

16. O AIU informatizado já foi implantado na Coordenação l:

Municipal ( ) Sim ( ) Não Informe quantos_____________

17. O PAISSV (sala de vacinação) foi implantado na Coordenação Municipal?


( ) Sim ( ) Não

IV – REDE DE FRIO

A . INSTALAÇÃO FÍSICA

1. A Central de Distribuição está subordinada, tecnicamente, ao Programa de Imunizações?


( ) Sim ( ) Não
2. A Central de Distribuição está subordinada, administrativamente, ao Programa de Imunizações?
( ) Sim ( ) Não
3. A área física da Central de Rede de Frio é própria da Secretaria de Saúde?
( ) Sim ( ) Não
4. A área física da Central de Rede de Frio é exclusiva para imunização?
( ) Sim ( ) Não
4.1. Os equipamentos são exclusivos para imunização?
( ) Sim ( ) Não
5. A rede de Frio tem gerador?
( ) Sim ( ) Não
Se SIM :
5.1. É exclusivo da Rede de Frio?
( ) Sim ( ) Não
6. Existe sala de manipulação para recebimento e distribuição de imunobiológicos?
( ) Sim ( ) Não
Se SIM:
6.1. Tem bancada?
4
( ) Sim ( ) Não
6.2. A temperatura é adequada (18 a 20ºC)?
( ) Sim ( ) Não
________________ºC
7. A rede de frio tem câmara fria positiva?
( ) Sim ( ) Não
7.1. O espaço físico da câmara positiva é suficiente para armazenar os imunobiológicos?
( ) Sim ( ) Não
7.2. Existe antecâmara na câmara positiva?
( ) Sim ( ) Não
7.3. O espaço físico da câmara positiva é utilizado exclusivamente para armazenar os
imunobiológicos?
( ) Sim ( ) Não
8. Existe equipamento completo de proteção individual (casaco com capuz, luvas e botas)?
( ) Sim ( ) Não
8.1. Os funcionários usam o equipamento de proteção individual?
( ) Completo ( ) Em parte ( ) Não
9. A rede de frio conta com câmara fria negativa?
( ) Sim ( ) Não
9.1. O espaço físico da câmara negativa é suficiente para armazenar os imunobiológicos?
( ) Sim ( ) Não
9.2. Existe antecâmara na câmara negativa?
( ) Sim ( ) Não
10. Os imunobiológicos estão organizados por tipo, lote e validade?
( ) Sim ( ) Não
11. Existem freezers ?
( ) Sim ( ) Não
Se SIM:
11.1. São suficientes para armazenagem de vacinas?
( ) Sim ( ) Não ( ) Não se aplica
11.2. São suficientes para armazenagem de gelo reciclável?
( ) Sim ( ) Não
12. Existem geladeiras comerciais e/ou domésticas?
( ) Sim ( ) Não ( ) Não se aplica
Se SIM:
12.1. São suficientes?
( ) Sim ( ) Não ( ) Não se aplica
Quantas e tempo de uso___________________________________________
13. Os diluentes são armazenados em prateleiras, por vacina, lote e validade, dentro da Central da
Rede de Frio?
( ) Sim ( ) Não
14. Existe manutenção preventiva dos equipamentos de refrigeração e gerador?
( ) Sim ( ) Não
14.1. A manutenção preventiva é feita mensalmente?
( ) Sim ( ) Não
14.2. Existe manutenção corretiva dos equipamentos de refrigeração e gerador?
( ) Sim ( ) Não

5
B. GERENCIAL

15. A Coordenação gerencia diretamente a Rede de Frio?


( ) Sim ( ) Não
16. A Coordenação realiza o planejamento e avaliação dos pedidos de imunobiológicos e insumos
para distribuição considerando: meta mensal acumulada, saldo, perdas e número de salas existentes?
( ) Sim ( ) Não
17. A distribuição dos imunobiológicos é mensal?
( ) Sim ( ) Não
17.1 Utiliza o caminhão da Rede de Frio?
( ) Sim ( ) Não
18. A Coordenação realiza o planejamento para distribuição de seringas e agulhas, considerando:
meta mensal acumulada e saldo?
( ) Mensal ( ) Semestral ou menos ( ) Ocasional ( ) Não

19. A solicitação de imunobiológicos à Coordenação Estadual é feita pela Coordenação Municipal?


( ) Mensal ( ) Semestral ou menos ( ) Ocasional ( ) Não
20. Para solicitação a instância estadual é levada em consideração os saldos existentes no município?
( ) Sim ( ) Não
21. São realizadas supervisões de Rede de Frio:
21.1. Municipal ( ) Sim ( ) Não
22. Existe um gerente só para a Rede de Frio da Central?
( ) Sim ( ) Não
Se SIM:
22.1. Pertence a equipe do Programa de Imunizações?
( ) Sim ( ) Não
22.2. Foi treinado em Rede de Frio?
( ) Sim ( ) Não
Se SIM há quanto tempo:
( ) menos de 02 anos ( ) de 02 e 05 anos ( ) mais de 05 anos
22.3. Foi treinado no Sistema EDI?
( ) Sim ( ) Não
23. O pessoal que atua na área de Rede de Frio é suficiente?
( ) Sim ( ) Não
23.1. Foram treinados em Rede de Frio:
( ) Todos ( ) Alguns ( ) Nenhum
23.2. Pelo menos dois já foram treinados no SI-EDI?
( ) Sim ( ) Não

TÉCNICO OPERACIONAL
24. Os equipamentos da Rede de Frio possuem termômetros de máxima e mínima e de cabo
extensor ou outro equipamento para o controle de temperatura?
( ) Sim ( ) Não
25. Faz controle de temperatura para todos os equipamentos e registra no formulário padrão da
CGPNI?
( ) Sim ( ) Não
26. Nos finais de semana, feriados e no período noturno fica alguém responsável para verificar a
temperatura dos equipamentos?
( ) Sim ( ) Não
26.1. Se SIM, essa pessoa responsável foi treinada?
( ) Sim ( ) Não

6
27. A tomada com a fonte de energia elétrica é exclusiva para cada equipamento (geladeiras,
freezer, computador)?
( ) Sim ( ) Não
28. As caixas com imunobiológicos que chegam da instância estadual são acompanhadas de nota de
fornecimento e detalhamento de carga?
( ) Sim ( ) Não
29. Ao receber o imunobiológico da instância estadual, é verificada a temperatura das caixas
térmicas?
( ) Sim ( ) Não
Se sim:
29.1 De todas as caixas térmicas?
( ) Sim ( ) Sim, por amostragem ( ) Não
30. Os meios de transporte utilizados na distribuição dos imunobiológicos são adequados quanto à
conservação recomendada para as vacinas?
( ) Sim ( ) Em parte ( ) Não
31. O meio de transporte é suficiente para garantir o cronograma de entrega das vacinas?
( ) Sim ( ) Não
32. Existe o cuidado de orientar o transportador sobre os cuidados com a carga de imunobiológicos?
( ) Sim ( ) Não
33. No momento da distribuição aos setores requisitantes, é feito controle de temperatura de todas as
caixas térmicas?
( ) Sim ( ) Não
34. Existe diferenciação no acondicionamento térmico dos imunobiológicos, considerando distância
e dificuldades de acesso?
( ) Sim ( ) Não
35. As caixas com imunobiológicos possuem monitoramento térmico com termômetro de cabo
extensor durante o transporte até o seu destino?
( ) Sim ( ) Não
36. As caixas térmicas são acompanhadas de Nota de Fornecimento de Imunobiológicos e
detalhamento da carga?
( ) Sim ( ) Não
37. As vacinas que podem submeter-se a temperaturas negativas são enviadas em caixas térmicas
separadas das que não podem?
( ) Sim ( ) Não
38. O descarte dos imunobiológicos sob suspeita é realizado com consulta a CGPNI?
( ) Sim ( ) Não
39. O descarte é realizado pela Vigilância Sanitária com a orientação da Coordenação Estadual?
( ) Sim ( ) Não
40. O programa adota para o descarte de agulhas e seringas as normas de bio-segurança?
( ) Sim ( ) Não

V – CENTRO DE REFERÊNCIA PARA IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS

NÃO ESTÁ DISPONIVEL NO MUNICÍPIO.


1. O CRIE situa-se em local adequado de acordo com as normas da CGPNI?
( ) Sim ( ) Não
2. A localização geográfica do CRIE é de fácil acesso à população?
( ) Sim ( ) Em parte ( ) Não
3. As instalações físicas estão de acordo com as normas?
( ) Sim ( ) Em parte ( ) Não
4. Os equipamentos da sala de vacinação estão de acordo com as normas da CGPNI?
( ) Sim ( ) Em parte ( ) Não
7
5. Os procedimentos na sala de vacinação estão de acordo com as normas da CGPNI?
( ) Sim ( ) Não ( ) Não obsevado
6. Existe técnico de nível superior responsável pela avaliação das indicações?
( ) Sim ( ) Não
7. Existe enfermeiro responsável pela sala de vacinação?
( ) Sim ( ) Não
8. O CRIE tem mecanismo para atendimento 24 horas?
( ) Sim ( ) Não
9.Os casos de eventos adversos graves são encaminhados ao CRIE?
( ) Sim ( ) Não
10.Existe uma estrutura para internação disponível na unidade onde funciona o CRIE ?
( ) Sim ( ) Não
11.O CRIE viabiliza os exames laboratoriais necessários p/o esclarecimento do diagnóstico dos
EAPV?
( ) Sim ( ) Não
12.CRIE está recebendo encaminhamentos das Instituições que potencialmente deveriam
encaminhar pacientes com indicação para imunobiológicos especiais?
( ) Sim ( ) Não
13.O CRIE está avaliando sua demanda de atendimento?
( ) Sim ( ) Não
14.O SI- CRIE está sendo utilizado?
( ) Sim ( ) Não
15.Os recursos humanos lotados no CRIE contemplam a equipe mínima recomendada?
( ) Sim ( ) Não
16.O Coordenador Estadual acompanha, supervisiona e avalia as atividades do CRIE?
( ) Mensal ( ) Semestral ou menos ( ) Ocasional ( ) Não

VI . COMITÊ TÉCNICO ASSESSOR


1. Existe Comitê Técnico Assessor de Imunizações no âmbito do Municipio?
( ) Sim ( ) Está desativado ( ) Não
2. Existe portaria de criação do Comitê Técnico Assessor de Imunizações?
( ) Sim ( ) Não
3. Com qual periodicidade o Comitê se reúne?
( ) Anual ( ) Semestral
( ) Trimestral ou menos ( ) Só quando convocado
4. O Comitê Técnico Assessor tem contribuído para a melhoria das ações do Programa Estadual de
Imunizações?
( ) Sim ( ) Em parte ( ) Não

VII - NORMAS TÉCNICAS


1. Município adota o calendário básico de vacinação preconizado pela CGPNI?
( ) Sim ( ) Não
2. Os manuais e o calendário básico de vacinação estão disponíveis em todas as instâncias?
( ) Sim ( ) Não

VIII - EVENTOS ADVERSOS PÓS VACINAÇÃO


1. Existe técnico responsável pela vigilância e investigação dos Eventos Adversos:
1.1. Municipal ( ) Sim ( ) Não
2. Municipal notificado está sendo investigadas?
( ) Sim ( ) Não
8
3. Os responsáveis realizam avaliações das notificações dos EAPV?
( ) Sim ( ) Não
4. Os relatórios estão sendo encaminhados ao Programa estadual de Imunizações, mensalmente, até
o dia 15 de cada mês?
( ) Sim ( ) Não
5. É realizado o monitoramento por esta Coordenação Estadual aos municípios que estão
silenciosos nas notificações de Eventos Adversos?
( ) Sim ( ) Não
6. Na ocorrência de óbito pós vacina, essa Coordenação adota os procedimentos preconizados pelo
Programa Nacional de Imunizações?
( ) Sim ( )Não - NÃO HOUVE ÓBITOS

XIX - VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA/IMUNIZAÇÕES

1. A Coordenação acompanha e analisa o comportamento das doenças imunopreveníveis junto com


a vigilância epidemiológica? Sim
Doenças imunopreveníveis ( ) Sim ( ) Não
1.1. Se SIM, com qual periodicidade
( ) Anual/Ocasional ( ) Semestral ( ) Trimestral ( ) Mensal

1.2. Esta avaliação serve para indicação das estratégias de vacinação adotadas?
( ) Sim ( ) Não
2. Situação epidemiológica do município Em situações de risco epidemiológico, a coordenação
estadual do programa de imunizações e vigilância epidemiológica avaliam, planejam e
operacionalizam as intervenções necessárias?
( ) Sim ( ) Não

3. No desenvolvimento das atividades do Plano de Erradicação do Sarampo, a Coordenação do


Programa realiza:

3.1. Avaliação mensal, por município, das coberturas vacinais contra-Sarampo e Tríplice Viral?
( ) Sim ( ) Não

3.2. Intensificação da vacinação nos municípios com cobertura vacinal inferior a 95%?
( ) Sim ( ) Não

3.3. Identificação dos suscetíveis?


( ) Sim ( ) Não

3.4. Realização de Bloqueios vacinais?


( ) Sim ( ) Não

3.5. Vacinação de grupo de risco relacionados no guia de campo do Plano de Erradicação do


Sarampo e outros identificados?
( ) Sim ( ) Não

3.6. Avaliação do impacto das ações de Imunizações (incidência x cobertura vacinal)?


( ) Sim ( ) Não

4. No desenvolvimento das atividades do Plano de Eliminação do Tétano Neo-Natal enquanto


problema de saúde pública a Coordenação Estadual do Programa realiza:

9
4.1. Avaliação mensal, por município, das coberturas vacinais em MIF?
( ) Sim ( ) Não

4.2. Intensificação da vacinação nos municípios com cobertura vacinal inferior a 95%?
( ) Sim ( ) Não

4.3. Identificação dos suscetíveis?


( ) Sim ( ) Não

4.4. Adota estratégias diferenciadas para os municípios de risco?


( ) Sim ( ) Não

4.5. Avaliação do impacto das ações de Imunizações (incidência x cobertura vacinal)?


( ) Sim ( ) Não

X - EDUCAÇÃO EM SAÚDE E INFORMES


1. São elaborados informes/boletins?
( ) Mensal ( ) Semestral ou menos ( )Ocasional ( ) Não
1.1.Estes informes/boletins são distribuídos amplamente?
( ) Sim ( ) Não
2. A desenvolve ações de educação em saúde que contemple as ações de imunizações ?
( ) Mensal ( ) Semestral ou menos ( )Ocasional ( ) Não
3. Existe um trabalho regular de divulgação das ações de vacinação?
( ) Mensal ( ) Semestral ou menos ( ) Só nas campanhas ( ) Não

XI - IMUNIZAÇÃO EM CLÍNICAS PRIVADAS

1. Existem Clínicas Privadas de vacinação no Municipio?


( ) Sim ( ) Não
1.2 As Clínicas Privadas de vacinação são licenciados pela Coordenação Estadual e Vigilância
Sanitária?
( ) 90 a 100% ( ) 76 a 89% ( ) < 76% ( ) Não
Quantas são licenciadas________________________________

1.3 Realiza capacitação dos recursos humanos que atuam nesses estabelecimentos?
( ) Sim ( ) Não

1.4. Realiza supervisão e acompanhamento dos mesmos?


( ) 90 a 100% ( ) 76 a 89% ( ) < 76% ( ) Não
Quantas supervisões________________________________

1.5. As Clínicas Privadas enviam os dados de doses aplicadas para o SI-API?


( ) 90 a 100% ( ) 76 a 89% ( ) < 76% ( ) Não
Quantas enviam os dados________________________________
XII - PRINCIPAIS DIFICULDADES

1. Situações identificadas: Não cobertura vacinal adequada para BCG; Sala de Vacina do
Hospital em reforma, assim como a do pólo base.
2. Recomendações:

10
DATA: ____/_____/_____ SUPERVISOR:

MINISTÉRIO DA SAÚDE
SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE
DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA
COORDENAÇÃO GERAL DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES
Tel. (61) 314 66 06 / 226 77 38

RELATÓRIO EXECUTIVO DA SUPERVISÃO


IDENTIFICAÇÃO
UF: PERÍODO: NÚMERO DA SUPERVISÃO:
SUPERVISOR:
OBJETIVO

Monitorar, avaliar e assessorar as ações desenvolvidas pela Coordenação do Programa de Imunizações nesse
estado, a fim de contribuir para o controle, eliminação e ou erradicação das doenças imunopreveníveis.

11
DETALHAMENTO

• Situações Identificadas:

• Recomendações (responsabilização – nominar quem; prazo):

OBS.: Avaliar os resultados obtidos em relação a supervisão anterior.

ASSINATURA E DATA: ___________________________ _____/______/_________

12