Você está na página 1de 27

MODULO 01

GESTÃO AMBIENTAL NAS


CORPORAÇÕES
Crescimento demográfico acelerado + modelo econômico não sustentado =
acidentes ambientais e intensificação dos impactos (grau e frequência)

Desconfiança por parte da sociedade com relação ao desempenho e à


responsabilidade ambiental das empresas

Pressão sobre governos e empresas, despertando o interesse de ambos para a


importância da gestão ambiental
• A comunidade empresarial se deu conta de que os
padrões de produção e consumo correntes eram
insustentáveis

• Empresas: integrar componentes ambientais a suas


estratégias comerciais e seu planejamento de longo
prazo.

• Aproveitar oportunidades de negócios, competir


com outras organizações que levem o meio
ambiente em consideração, e oferecer mais
informações sobre o seu desempenho ambiental

• Melhoria nas expectativas das partes interessadas,


como acionistas, fornecedores, consumidores, entre
outros.
• Sistemas de contabilidade ambiental: ativos (bens e direitos reservados
para a recuperação, a preservação, a proteção e o controle de meio
ambiente) e passivos (gastos dispendidos com a prevenção ou a correção
de problemas de natureza ambiental) ambientais
1. a prevenção da poluição:
mudança do controle para a
prevenção e a eliminação de
poluentes antes da formação dos
mesmos

2. a zeladoria de produtos:
administração dos impactos
ambientais durante todo o ciclo
de vida

3. utilização de tecnologias limpas


ambientalmente sustentáveis.
O INICIO DO CONCEITO
“MENOS É MAIS”
Poluição = perdas:

Perder Saúde
Coletiva e
Qualidade de Vida

Perder Recursos
Naturais Valiosos

 Perder
Credibilidade

 Perder Imagem
• A questão central que afeta os negócios: ↑ preços se elevam na medida em
que a escassez dos produtos aumenta

• A manutenção da oferta e do custo da matéria-prima é função da


demanda, da eficiência da exploração e da dimensão da reserva do recurso
SUSTENTABILIDADE COMO DIFERENCIAL
COMPETITIVO
MENOS É MAIS!
• Os cinco menos que são mais

• SEBRAE

1. Minimização do desperdício de água na


produção;
2. Minimização do desperdício de energia por
unidade de produção;
3. Minimização das perdas de matéria-prima
por unidade de produção;
4. Minimização da geração de resíduos; e
5. Minimização da poluição.
MARCOS HISTÓRICOS
AMBIENTAIS
Marcos Históricos (+)
• EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA GESTÃO AMBIENTAL NO MUNDO
• 1972: Conferência da ONU sobre o Meio Ambiente Humano - Estocolmo
• 1984: Comissão Mundial de Meio Ambiente e Desenvolvimento: Nosso Futuro
Comum (1987)
Desenvolvimento Sustentável: “Desenvolvimento que atende às necessidades do
presente sem comprometer a capacidade de as futuras gerações atenderem suas
próprias necessidades.”

• 1984: Programa de Atuação Responsável da Indústria Química


• 1991: A ISO discute o desenvolvimento de padrões ambientais
• 1991: 16 Princípios da Carta Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável
• 1992: Rio 92 - Conferência sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento 1992: 27
Princípios da Carta da Terra
• 1994: Normas e esquemas: BS 7750, EMAS, ISO
• 1996: Norma ISO 14001
• 2002: Rio Mais 10 da ONU
• 2012: Rio Mais 20
Marcos Históricos (-)
• Chernobyl
• Exxon Valdez
• Refinaria Duque de Caxias
• Prestige
• Bhopal
• Césio, Goiânia
• Incêndio na Ultracargo: R$ 22,5 milhões de multa
• 2015, rompimento da barragem de Mariana. liberação de 62 milhões de
metros cúbicos de rejeitos; 17 pessoas identificadas como vítimas; 329
famílias desabrigadas; R$ 300 bloqueado pela Justiça; R$ 1 bilhão em
acordos judiciais; R$ 20 bilhões pedido pela União para a criação de um
fundo; R$ 250 milhões em multas aplicadas pelo Ibama à Samarco.
“Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem
de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-
se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo
para as presentes e futuras gerações”.
•  conscientização ambiental (empresas,
consumidores, sociedade):
sustentabilidade passa a constituir uma
preocupação do marketing

• Sustentabilidade passa a ser cada vez


mais relevante aos negócios (pressões
da sociedade; necessidade de atender
normas e leis em âmbitos locais,
regionais, nacionais e até internacionais)

• Gerar lucro com responsabilidade social


e ambiental se relaciona com a
sobrevivência dos negócios.
• Política + objetivos e metas ambientais: “análises” ou “auditorias” ambientais

• A gestão ambiental passa a ter uma abordagem sistêmica

• Concluiu-se, ao longo do tempo, que seria necessário que essas


comprovações de desempenho ambiental e de sua permanência e
continuidade no tempo, fossem realizadas dentro de um sistema de gestão