Você está na página 1de 20

Governo do Estado do Rio de Janeiro

Secretaria de Estado de Educação

Comte Bittencourt
Secretário de Estado de Educação

Andrea Marinho de Souza Franco


Subsecretária de Gestão de Ensino

Elizângela Lima
Superintendente Pedagógica

Coordenadoria de Área de conhecimento


Maria Claudia Chantre

Assistentes
Carla Lopes
Fabiano Farias de
Souza Roberto
Farias Verônica
Nunes

Prof. Carla Machado Lopes


Colégio Estadual Rodrigo Otávio Filho (Brasil- Itália)
Prof. Enoque Cristian Ribeiro
CE Jornalista Rodolfo Fernandes
Prof. Guilherme José Motta Faria
C.E. Hispano Brasileiro João Cabral de Melo Neto
Prof. Leonardo Jorge Azevedo Ramos
C.E Professor José Accioli

2
Capa
Luciano Cunha

Revisão de texto
Prof ª Alexandra de Sant Anna Amancio Pereira

Prof ª Andreia Cristina Jacurú Belletti


Prof ª Andreza Amorim de Oliveira Pacheco.

Prof ª Cristiane Póvoa Lessa Profª


Cristiane Ramos da Costa

Prof ª Deolinda da Paz Gadelha


Prof ª Elizabete Costa Malheiros

Prof ª Isabel Cristina Alves de Castro Guidão

Prof José Luiz Barbosa


Prof ª Karla Menezes Lopes Niels
Prof ª Kassia Fernandes da Cunha
Prof ª Leila Regina Medeiros Bartolini Silva

Prof ª Lidice Magna Itapeassú Borges


Prof ª Luize de Menezes Fernandes Profº
Marcos Giacometti
Prof Mário Matias de Andrade Júnior Profº
Paulo Roberto Ferrari Freitas Profª Regina
Alves Somões
Paulo Roberto Ferrari Freitas
Prof ª Rosani Santos Rosa
Prof ª Saionara Teles De Menezes Alves
Prof Sammy Cardoso Dias
Prof Thiago Serpa Gomes da Rocha

Esse documento é uma curadoria de materiais que estão disponíveis na internet, somados à
experiência autoral dos professores, sob a intenção de sistematizar conteúdos na forma de uma
orientação de estudos.

©□ 2021 - Secretaria de Estado de Educação. Todos os direitos reservados.

3
História – Orientação de Estudo – 1º Bimestre Módulo III EJA Ensino
Médio

Sumário
INTRODUÇÃO.................................................................................................................................6
Aula 1 – Primeira Guerra Mundial ....................................................................................................7
Aula 2 - Fascismo ..........................................................................................................................10
Aula 3 - Nazismo............................................................................................................................11
Aula 4 – Guerra Fria e a posição do Brasil .....................................................................................13
Aula 5 - ATIVIDADES ....................................................................................................................15
CONSIDERAÇÕES FINAIS ...........................................................................................................17
RESUMO .......................................................................................................................................19
INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS ................................................................................................20

4
DISCIPLINA: História

ORIENTAÇÕES DE ESTUDOS PARA HISTÓRIA

1º Bimestre de 2020 – EJA Módulo III do Ensino Médio

META:

Apresentar, de forma integrada, o contexto que gerou conflitos internacionais e


possibilitou o surgimento de ideologias totalitárias. Relacionar o Brasil na
conjuntura da Guerra Fria.

OBJETIVOS:

• Compreender o contexto histórico da eclosão da I Guerra Mundial;

• Compreender os conceitos de Fascismo e Nazismo.

• Reconhecer a Guerra Fria como parte da Ordem Bipolar e a posição do Brasil nesse
cenário

5
INTRODUÇÃO

O estudo da História é fundamental para entendermos nosso lugar no mundo, como


agente transformador da nossa sociedade. Quando conhecemos a História somos
capazes de entender melhor o presente e projetarmos o futuro. Os acontecimentos
históricos estão entrelaçados e repercutem uns nos outros. Não há um fato isolado
na História. Os conflitos geopolíticos e econômicos, surgidos no fim do século XIX,
vão desencadear a Primeira Guerra Mundial. E como uma das consequências da
Guerra, teremos o surgimento de ideologias totalitárias.

6
Aula 1 – Primeira Guerra Mundial (1914-1918)

https://www.suapesquisa.com/uploads/site/soldados_numa_trincheira.jpg

A primeira Guerra Mundial ocorreu entre 1914 e 1918, envolvendo diversos


países europeus. Deixou muita destruição e um saldo de mais de 10 milhões de
mortos. Como principais causas citamos:
✔ disputas imperialistas;

✔ nacionalismos;

✔ alianças militares;

✔ corrida armamentista.

Desde o fim do século XIX as nações europeias disputavam mercados


consumidores e novas áreas para colonizar, principalmente no continente africano. A
Alemanha, após se unificar, vai se tornar uma potência e ameaçar os interesses de
França e Inglaterra. O clima de tensão é ainda mais forte por conta de nacionalismos
exacerbados. Faltava apenas um motivo e esse motivo aconteceu em junho de 1914
quando, o arquiduque Francisco Ferdinando, herdeiro do trono austríaco, é
assassinado por um ativista nacionalista quando visita Saravejo, capital da Bósnia.
Em seguida a Áustria declara guerra à Sérvia, a Alemanha declara guerra à Rússia e
à França. Depois o Reino Unido declara guerra à Alemanha. Era o começo da

7
Primeira Guerra Mundial.
Os países em guerra vão se organizar em alianças. Vamos entender?

➔ Tríplice Entente formada por Rússia, Grã-Bretanha e França.

➔Tríplice Aliança formada por Alemanha, Áustria-Hungria, Império Otomano e Itália.

Os especialistas consideram que essa guerra teve duas fases: uma fase de
agosto a novembro de 1914 (Guerra de movimento) e a segunda fase, mais longa,
que ocorreu entre 1915 e 1918 ( Guerra de Trincheiras). Em 1917, a Rússia se
retira da Guerra, pois vivia uma revolução interna – a Revolução Russa. Nesse
mesmo ano um novo país vai participar da guerra: os EUA, que darão apoio à
Inglaterra e a França. Os EUA vão se tornar uma nova potência no cenário político
mundial após o fim da Primeira Guerra Mundial, sendo uma nova influência no
cenário internacional. A primeira guerra mundial termina em 1918, com a vitória dos
aliados e sendo a grande derrotada a Alemanha.
Terminada a guerra os países vencedores vão se organizar para exigir
reparações. Para tanto foi assinado um tratado de Paz, o Tratado de Versalhe.
O Tratado estabelecia diversas penalidades à Alemanha. A Alemanha foi
considerada culpada pela guerra e por isso seria obrigada a ceder minas de carvão,
minas de ferro, terras cultiváveis, territórios e colônias à França, à Inglaterra, Polônia
e a Bélgica. Além disso, teve todos os seus investimentos no exterior, confiscados,
para poder ressarcir (pagar) uma indenização aos países vencedores da Primeira
Guerra, sobretudo a França.
Em 1919 foi fundada a Liga das Nações (1920-1946), que tinha como um de
seus objetivos evitar novas guerras mundiais, procurando resolver os conflitos de
forma negociada. Mas veremos que a Liga fracassou neste objetivo, visto que o
mundo ainda passaria pela Segunda Guerra Mundial.
Com o fim da Guerra houve uma reorganização política e geográfica no
continente europeu. Confira no mapa abaixo:

8
https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2018/11/13/mapa_europeu_em_
191 4- 8538870.jpg
Três Impérios foram destruídos e a partir disso surgiram novos países.
Do desmembramento do Império Austro-Húngaro: Áustria, Hungria,
Checoslováquia e Iugoslávia (nome oficial da “Grande Sérvia”, criado em 1931).
Do desmembramento do Império Russo: União Soviética (URSS), Finlândia,
Polônia, Lituânia, Letônia e Estônia. Do desmembramento do Império Turco-
Otomano: Iraque, Síria e o Líbano.

https://s2.glbimg.com/rTEkn6Ahvs9nPz1J85IZBSbVmZ8=/645x388/i.glbimg.com/og/ig/infoglobo1/f/ori ginal/20
18/11/09/1.jpg

9
Aula 2 - Fascismo

O fascismo é “uma ideologia política, baseada em certas afirmações de


origem filosófica e cultural, adotada por movimentos intelectuais, sociais e políticos
para transformar-se em partido e regime onde as circunstâncias históricas o
permitissem” (SZNAJDER, p.25, 2010), que se consolidou na década de 1920, do
século XX, na Itália.

A derrota na Primeira Guerra Mundial (1914-1918) provoca na Itália e na


Alemanha a necessidade de se reposicionarem no contexto político pós-guerra.
Neste momento, a Europa passava por grave crise econômica, causada pelas
perdas na guerra, tanto de recursos naturais - ferro, cobre, e destruição das cidades
já existentes, quanto de recursos humanos – aproximadamente mais de 10 milhões
de pessoas morreram, entre soldados e civis.

Esta situação de crise criou condições para o surgimento de regimes


autoritários, que buscaram restaurar o orgulho nacional, estimulando o nacionalismo
entre a população, como na Alemanha e na Itália.
O líder italiano do movimento fascista foi Benito Mussolini, político que liderou
o Partido Nacional Fascista e que foi uma das figuras-chave na criação dessa
ideologia. Esse ideal nacionalista, de direita, chega a outros países: Alemanha,
Áustria, Bélgica, Grã-Bretanha, Finlândia, Hungria, Romênia, Espanha, África do Sul,
e Brasil, sendo aqui denominado Integralismo e liderado por Plínio Salgado.

https://conteudo.imguol.com.br/blogs/92/files/2014/03/blog-integralismo-001.png

10
A Itália vivia um momento de grande agitação política com sindicatos
fortalecidos organizando greves vitoriosas. O momento era de radicalização: de um
lado as forças revolucionárias socialistas agrupadas no Partido Comunista da Itália,
e do outro o Partido Popular Italiano, que tinha como objetivo conter o socialismo
na Itália.

Mussolini, apoiado pela elite italiana, organiza milícias que vão perseguir
violentamente os integrantes de movimentos de esquerda. O governo fascista
ganhará algum apoio popular, devido à melhora na economia, mas a Segunda
Guerra Mundial (1939-1945) trará mudanças nesse cenário.

Aliado da Alemanha nazista, Mussolini perderá apoio e com a vitória dos


Aliados será deposto e fuzilado (1945), pelas forças do Comitê Nacional de
Libertação do Norte da Itália (CNLNI).

Aula 3 - Nazismo

Devido à derrota causada pelas pesadas sanções oriundas do Tratado de


Versalhes e a crise econômica que se instalou na Alemanha, a ideologia Nazista
encontrou terreno fértil para surgir e expandir no país.
A palavra Nazismo vem da abreviação da palavra alemã
Nationalsozialismus (Nacional Socialismo). Essa abreviação é NAZI. O Partido
Nazista ganhou um número relativamente baixo de cadeiras no Reichstag alemão
(parlamento alemão), mas cresceu proporcionalmente com o agravamento da crise
econômica.
Hitler chegara ao poder enquanto líder do partido Nazista, partido que
defendia a militarização da Alemanha e tinha opiniões abertamente antissemitas.
Hitler foi um ex-combatente da primeira guerra mundial e tinha tentado carreira nas
artes antes de entrar para o exército. Excelente orador passou a ser conhecido por
seus discursos inflamados em praça pública, onde chamava a população alemã para
a tarefa necessária de reconstruir o orgulho, e tornar a Alemanha novamente uma
potência, lutando contra as ameaças dos judeus e dos marxistas.
Muitos historiadores consideram que Adolph Hitler, fez sua própria versão do
fascismo – o Nazismo, por conta da semelhança entre as duas ideologias. Tanto

11
Hitler quanto Mussolini compartilhavam dos mesmos ideais nacionalistas,
revanchistas, militaristas e antissocialistas. Havia, porém algumas especificidades: a
primeira delas foi o antissemitismo Nazista, que não havia no fascismo italiano, e
uma maior centralização de poder por parte de Hitler. Alguns aspectos do Nazismo:
 Totalitarismo;
 o racismo: segundo a ideologia, os alemães pertenciam a uma
raça superior (Arianismo);
 o antimarxismo e anticapitalismo: para Hitler, o marxismo era um
pensamento judaico e o capitalismo iria agravar as desigualdades;
 nacionalismo: para o nazismo deveria ser construída a Grande
Alemanha.
Ao chegar ao poder, Hitler dá um golpe político, fecha as instituições
democráticas, centraliza o poder, e endurece a repressão a adversários políticos.
A partir daí começam a ser construídos os campos de trabalhos forçados, que mais
tarde ficaram conhecidos como campos de concentração.
O objetivo desses campos era encarcerar judeus, marxistas, anarquistas,
deficientes, ciganos, homossexuais, e qualquer outra minoria social apontada pelo
regime nazista enquanto sinal de atraso para a Alemanha.

https://static.dw.com/image/38620175_303.jpg

A recuperação econômica da Alemanha favoreceu a consolidação do


Nazismo. A Segunda Guerra Mundial vai se originar dos movimentos nacionalistas

12
nazifascistas em sua necessidade de expansão territorial e ideológica.
São características do Nazismo:

✔ submissão e reverência incondicional a um líder totalitário;

✔ ufanismo e exaltação da coletividade nacional e nacionalismo;

✔ perseguição às minorias étnico-raciais;

✔ manifestações excludentes e xenofóbicas;

O que devemos ter atenção é que, embora o movimento Nazifascista tenha


sido combatido e condenado por muitas países, a ideologia de movimentos
autoritários e violentos permanece. Diversas reportagens, artigos e manifestos são
feitos lançando luz para esse problema. Seus líderes foram derrotados e mortos, mas
a ameaça aos direitos humanos continua presente em todas as sociedades.

Aula 4 – Guerra Fria (1947-1991) e a posição do Brasil

A Guerra Fria (1947-1991) recebeu essa denominação por ser uma guerra
travada no campo ideológico e político, ou seja, nunca houve um conflito direto
armado entre as nações que estiveram no centro do conflito. Os países que foram
protagonistas desse evento são: Estados Unidos da América e a União Soviética
(URSS).
Embora os dois países não tenham se enfrentado diretamente, apesar das
constantes ameaças mútuas, essa disputa por áreas de influência entre os dois
países desencadearam diversos conflitos durante o período que ocorreu. Suas
origens estão no fim da Segunda Guerra Mundial, quando esses dois países saíram
como novas potências mundiais, e vão disputar áreas de influência para fortalecer os
modelos econômicos que defendiam e praticavam. De um lado temos os EUA,
representando a economia capitalista, do outro lado URSS, economia socialista.
Podemos citar como alguma das características dessa “guerra”:
 Polarização (socialismo x capitalismo);

13
 Interferência estrangeira em outros países;

 Corrida armamentista.

Como registramos acima, diversos países viveram conflitos, crises ou processos


revolucionários, desencadeados por essa disputa. É importante você pesquisar sobre
alguns deles, como:
▪ a Guerra da Coreia (1950-1953);

▪ a Crise dos Mísseis em Cuba ( 1962);

▪ a Guerra do Vietnã (1959 e 1975); e a

▪ Implantação de governos ditatoriais na América Latina entre1960-1970.

No que diz respeito participação histórica do Brasil, nesse período da Guerra


Fria, destacamos o período da implantação da Ditadura Civil Militar (1964-1985).
Durante a década de 1950 e 1960 o Brasil vivenciara um período de
modernização, equilíbrio na economia e valorização da democracia. Os governos
dos presidentes Juscelino Kubitschek (1956-1961) e João Goulart (1961-1964)
desenvolveram ações econômicas que fortaleceram a economia nacional,
priorizando cinco setores fundamentais: energia, transporte, alimentação, indústria
de base e educação.
Ao assumir o governo, João Goulart reforçou uma linha de governo
nacionalista e uma política externa independente. Essa linha de governo causou
atritos junto aos EUA, pois a dependência brasileira do capital norte-americano era
necessária para a manutenção da hegemonia estadunidense.
No contexto da Guerra Fria, há uma radicalização de discursos e posições
políticas ideológicas (direita X esquerda). Alegando que iriam “livrar o país do
comunismo” e apoiados pelos EUA, os militares assumem o poder presidencial
destituindo o presidente eleito, fechando o Congresso Nacional por meio de um
golpe de Estado.

14
O golpe de Estado como conceito se aproxima de outros, como revolução: em
comum, ambos se apresentam como rupturas bruscas da ordem institucional. Além
disso, o objetivo dos dois é derrubar um governo e instituir outro, mas enquanto a
revolução é uma modificação radical das estruturas econômicas e sociais, o golpe,
em geral, é apenas a substituição pura e simples das elites no poder, quase
sempre leva a cabo pelas chamadas elites orgânicas, ou seja, as elites inseridas
no próprio Estado, como burocratas e os militares. (Dicionário de conceitos
históricos, 2013, p. 175)

A ditadura civil-militar vai durar de 1964 a 1985. Durante este período da


Guerra Fria, o Brasil, foi uma peça importante no apoio à defesa dos interesses dos
EUA dentro da América Latina. Os governos militares fizeram uso da violência e do
arbítrio para que se manterem no poder.

Aula 5 - ATIVIDADES

1) (Unifesp) Morrer pela Pátria, pela Ideia (...) Não, isso é fugir da verdade. Mesmo
no front, matar é que é importante (...). Morrer não é nada, isso não existe. Ninguém
podeimaginar sua própria morte. Matar é o importante. Essa é a fronteira a ser
cruzada. Sim, esse é o ato concreto de vontade. Porque aí você torna sua vontade
viva na de outro homem. Esse texto, de 1943-45, expressa a visão de mundo de um
adepto da ideologia:

a) socialista.

b) liberal-fascista.

c) nazi-fascista.

d) anarquista.

e) capitalista.

15
2) A crise que atingiu a Alemanha foi resultado, em parte, das indenizações cobradas da
Alemanha após a Primeira Guerra Mundial. Essas indenizações foram impostas pelo(a)
a) Tratado de Genebra.

b) Conferência de Munique.

c) Conferência de Berlim.

d) Tratado de Balfour.

e) Tratado de Versalhes.

3) Faça o que se pede:


A) Identifique as duas fases que marcam os conflitos da Primeira Guerra Mundial.

B) Pesquise e descreva as dificuldades experimentadas pelos soldados quelutaram nas


trincheiras da Primeira Guerra Mundial.

4) O Imperialismo, ocorrido no séc. XIX, tinha como objetivos, EXCETO:


a) desenvolver o capitalismo industrial.
b) garantir mercado consumidor.
c) buscar matérias-primas básicas na África e Ásia.
d) não exercer o domínio político e econômico na África e na Ásia

5) A disputa política-ideológica travada entre EUA e URSS ficou conhecida porGuerra


Fria,assim explicada:
a) A rivalidade entre EUA e URSS se deu apenas no campo cultural, comercial
epolítico e não bélico.
b) As disputas do mundo bipolar passavam por fortalecer internamente o

16
modelo político sem se importar com a opinião exterior.
c) O arsenal de ambas as potências não era suficiente para garantir a
destruição do adversário.
d) Não houve enfrentamentos de fogo direto entre os EUA e a URSS, apenas
emzonas onde os dois países disputavam sua influência.

6) Dentre os conflitos que ocorreram por conta da disputa ideológica durante aGuerra Friapodemos
citar:
a) Revolução Francesa

b) Revolução Cubana

c) Guerra Russo-Japonesa

d) Guerra Hispano-Americana

CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Indicamos alguns filmes para complementar os conhecimentos adquiridos nesta


Orientação de Estudo:

1. Getúlio

17
Sinopse: A intimidade de Getúlio Vargas (Tony Ramos), então presidente do Brasil,
em seus 19 últimos dias de vida. Pressionado por uma crise política sem precedentes, em
decorrência das acusações de que teria ordenado o atentado contra o jornalista Carlos Lacerda
(Alexandre Borges), ele avalia os riscos existentes até tomar a decisão de se suicidar.

2. O menino do pijama listrado

Sinopse: Alemanha, Segunda Guerra Mundial. O menino Bruno (Asa Butterfield), de


8 anos, é filho de um oficial nazista (David Tewlis) que assume um cargo importante em um
campo de concentração. Sem saber realmente o que seu pai faz, ele deixa Berlim e se muda
com ele e a mãe (Vera Farmiga) para uma área isolada, onde não há muito o que fazer para
uma criança com a idade dele. Os problemas começam quando ele decide explorar o local e
acaba conhecendo Shmuel (Jack Scanlon), um garoto de idade parecida, que vive usando um
pijama listrado e está sempre do outro lado de uma cerca eletrificada. A amizade cresce entre os
dois e Bruno passa, cada vez mais, a visitá-lo, tornando essa relação mais perigosa do que eles
imaginam.

18
RESUMO

19
INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

A Primeira Guerra Mundial e o declínio da Europa - Paulo Fagundes Visentini


(AltaBooks, 2014).

Tempos de Fascismos: Ideologia – Intolerância – Imaginário. Maria Luiza


Tucci Carneiro e Frederico Croci (Org.). São Paulo: Editora da Universidade
de São Paulo, Imprensa Oficial, Arquivo Público do Estado de São Paulo.,
20120.

A guerra que acabou com a paz - Margaret Macmillan (Temas e Debates,


2014)História 3 – ensino Médio. Ronaldo Vaifnas, São Paulo, Saraiva, 2016.
https://brasilescola.uol.com.br/historiag/primeira-guerra.htm

https://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia/exercicios-
sobre- regimes-totalitarios.htm

https://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia/exercicios-sobre-
nazismo.htm

https://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia/exercicios-
sobre- primeira-guerra-mundial.htm

20