Você está na página 1de 1

14

Aprendendo Mais

Setembro/2005

Multimistura de farelos

Errata: Na edição 105, julho de 2005, do Jornal da Pastoral da Criança, publicamos uma reportagem dizendo que a “Multimistura de farelos não combate a anemia”. No ítem que fala de uma Pesquisa realizada no município de Pelotas/RS, esquecemos de mencionar que a receita analisada continha também o pó da folha de mandio-

Perguntas Perguntas e e respostas respostas

ca. Assim, a receita analisada, que constatou que a multimistura de farelos não combate a anemia, foi a seguinte: farelo de trigo (30%); farelo de arroz (30%); farinha de milho (15%); farinha de trigo (10%); casca de ovo (5%), pó de folha de mandioca (5%) e sementes de abóbora ou girassol (5%).

A Coordenação Nacional da Pastoral da Criança recebeu alguns e-mails, cartas e telefonemas onde alguns líderes apresentaram suas dúvidas com relação ao artigo publicado sobre a multimistura de farelos. Publicamos aqui respostas dadas a líderes pelo Dr. Nelson Arns Neumann, Coordenador Nacional Adjunto da Pastoral da Criança, acreditando que elas poderão ajudar a esclarecer as dúvidas de muitos outros líderes de nossas comunidades.

Pergunta 1: Gostaria de saber mais sobre a multimistura, pois estou na Pastoral da Criança há mais ou menos 10 anos e sempre a multimistura foi muito bem aceita e agora ela não serve para mais nada. Recebi um jornal falando sobre isso e pelo que eu entendi ela não faz mais efeito nenhum. Eu sei que temos que ensinar as famílias a aproveitar o que nós jogamos fora, mais eu não me conformo com isso. Gostaria de uma resposta. Obrigada, Isabel.

Resposta: Prezada Isabel, Paz e Bem! Calma. Leia mais uma vez a notícia publicada. Onde está escrito que a multimistura não serve para nada? Nessa nova leitura você vai perceber que escrevemos que a multimistura de farelos ou Tetramistura (farelos, casca de ovo e folha de mandioca): 1) não recupera a ane- mia das crianças; 2) não faz crianças nutridas ganharem peso (aliás nem devia, pois poderíamos causar obesidade). Por outro lado, o que a Pastoral da Criança vem incentivando há muitos anos é a Alimentação Enriquecida. Esta ninguém tem dúvida que funciona, principalmente prevenindo a anemia, desnutrição, obesidade e outros distúrbios nutricionais. Preocupou-me, especialmente, o fato de você confundir a multimistura de farelos (tetramistura) com o aproveita- mento do que é jogado fora. O que nós ensinamos e devemos continuar ensi- nando é o aproveitamento integral dos alimentos e o uso de alimentos de alto valor nutritivo que, por desconhecimento ou falta de hábito, não são utilizados. Assim, pode-se comer a banana e fazer farofa com a casca da banana. A Pastoral

da Criança jamais ensinou que era, por exemplo, para os ricos comerem a banana e os pobres a casca. Ensinamos que tanto pobres como ricos podem uti- lizar os dois produtos, a fruta e a casca. Lembrando que devemos saber a origem dos alimentos para não utilizarmos alimentos contaminados, seja o fruto, seja a casca do mesmo. Lembro que se a tetramistura resolvesse sozinha os problemas de desnutrição e anemia, a Pastoral da Criança nem precisaria se preocupar com esses problemas nutricionais. Bastava o Correio entregar de casa em casa a multimistura de farelos e tudo estava resolvido. Isto você e a Pastoral da Criança sabem que não é verdade e a pesquisa veio apenas confir- mar. Enfim, o que funciona mesmo é o que, provavelmente, você está fazendo:

aproveitando os alimentos da região, evitando o desperdício e enriquecendo a alimentação de costume. Continuamos a sua disposição, sempre em busca da Vida Plena para todas as crianças. Um abraço, Nelson Arns Neumann.

Pergunta 2: Dr. Nelson, sou voluntária da Pastoral da Criança há quatro anos, e mensalmente recebo o jornal da Pastoral da Criança. E no mês de julho, um artigo me chamou a atenção: “Multimistura de farelos não combate a anemia”. Sempre acreditei o contrário, inclusive eu mesma já tive ane- mia que acabou após utilizar a multimistura em minha alimentação. Em nossa comunidade recomendamos às mães o consumo de multimistura. Eu não entendo muito sobre nutrição, mas sempre acreditei que a maioria das crianças desnutridas possui anemia, porém nem todas as crianças anêmicas são desnutridas. Se a multimistura for capaz de combater a desnutrição de uma criança anêmica, ela não estará automaticamente minimizando a anemia dessa criança? Gostaria de saber quais são os verdadeiros benefícios da multimistura de farelos, pois assim saberemos orientar nossas mães corretamente. Obrigada, Karla Kreuzberg.

Pergunta 3: O meu nome é Gildete Andrade, de Brasília, e gostaria de um esclarecimento: Lendo o jornal de julho de 2005, página 14, fiquei saben- do da pesquisa feita com a multimistura. Em que a multimistura beneficia a crianças ou mesmo adultos que fazem uso da mesma como complemento alimentar?

Resposta: Prezadas Karla e Gildete, Paz e Bem! Gostei das suas observações. De fato, praticamente todas as crianças desnutridas apresentam anemia. Por outro lado, bom peso não significa ausência de anemia: muitas crianças obesas também estão anêmicas. Recuperar uma criança da anemia é mais complexo que evitar a desnutrição. Para se ter uma idéia de como isto acontece é necessário estudar como o ferro é absorvido pelo organismo e este é o grande problema dos farelos. Apesar dos farelos conterem bastante ferro, também contêm uma substância chamada fitato. O fitato impede a absorção do ferro. Talvez por isso a multimistura de farelos (tetramistura) não tenha funcionado para anemia. Assim, para recuperar uma criança anêmica, ou mesmo para evitar a anemia, a multimis- tura de farelos (tetramistura) não é a solução. É preciso fazer tudo o que foi apre- sentado no artigo do nosso Jornal, que vocês já leram. Uma coisa deve ficar bem

clara: sem alimentos crus, em especial folhas e frutos, a dieta é e sempre será inadequada. Quanto aos benefícios da multimistura, provavelmente são muitos, especialmente se for de fato MULTImistura e não mistura apenas de farelos. É preciso aproveitar as riquezas regionais, a sabedoria dos antigos e, provavel- mente, como é o caso da região de vocês, gradualmente abandonar o farelo de trigo argentino e o farelo de arroz gaúcho em favor das castanhas de caju e do pará, do açaí, da manga, da banana, e de tantos outros produtos que existem nas suas regiões. Fazer de fato a alimentação enriquecida. Muitos acham que a mul- timistura resolve tudo. No entanto, o que vemos na Pastoral da Criança é que o milagre não é da multimistura, o milagre é do líder - que com sua dedicação, entusiasmo, alegria, conhecimento, partilha e fé - remove montanhas. Um abraço, Nelson Arns Neumann.

!
!

NOTA: Agora, a Pastoral da Criança está com uma nova nutricionista. Se vocês quiserem escrever para ela e tirar outras dúvidas, o nome dela é: Katiuscia Dier Francisco e o endereço de e-mail é: k.francisco@pastoraldacrianca.org.br