Você está na página 1de 3

INTRODUÇÃO

O nitrogênio é um elemento químico com símbolo N, número atómico 7 e


número de massa 14 (7 prótons e 7 nêutrons) (Figura 1). É encontrado na
natureza na forma gasosa forma molecular biatômica (N2), formando cerca de
78% do ar atmosférico e em algumas outras formas.

NITROGÊNIO NA AGRICULTURA

O nitrogênio é, depois do C, H e O é o elemento mais demandado pelos


vegetais. É um dos macronutrientes primários sendo o mais utilizado, mais
absorvido e mais exportado pelas culturas; nutriente de obtenção mais cara; é o
mais lixiviado nos solos, requerendo cuidados especiais em seu manejo pelos
riscos de contaminação do lençol freático.

Sabendo que o nitrogênio é o nutriente que se perde facilmente vem a


pergunta, como ocorre essas perdas?

Existem vários caminhos de perdas de nitrogênio dos solos e


abordaremos alguns deles, sendo eles a Lixiviação, a volatização e a remoção
pelas culturas.

Lixiviação

A Lixiviação é o processo de extração de uma substância presente em


componentes sólidos através da sua dissolução num líquido. É um termo
utilizado em vários campos da ciência, tal como a geologia, ciências do solo,
metalurgia e química.

Na área ambiental esse conceito é de suma importância uma vez que


permite que substâncias adicionadas na superfície do solo, possam, por meio do
transporte realizado pela água, atingir camadas mais profundas do solo ou
mesmo atingir a água subterrânea como previamente mencionado.

Na agricultura é tida como uma grande vilã pois é a causadora do


processo de erosão conhecida como superficial, ou laminar. Nesse processo a
água lixivia os nutrientes do solo das camadas superficiais, favorecendo a
erosão, um exemplo claro disto é quando chove que podemos observar na água
cores referente ao solo, ali está ocorrendo lixiviação.
Além disso é uma das principais causadoras também da perda de
nitrogênio.

Bom a forma absorvida é o nitrato que por possuir carga negativa em suas
extremidades ele é facilmente repelido pelos coloides dos solos, para além disso
ele apresenta fácil dissolução em água favorecendo ainda mais sua lixiviação.

A quantidade de água que percola o perfil irá interferir diretamente na


perda do nitrogênio.

Em solos alagados conforme o esquema tido para o cultivo de arroz, as


perdas por solos inundados tendem a ser muito elevadas quando ocorrer a
desnitrificação do nitrato disponível na solução do solo que pode desaparecer
em até alguns dias, principalmente devido a baixa quantidade de ar disponível
nesse solo fazendo o oxigênio disponível na solução ser consumido rapidamente
reduzindo o nitrato ali presente em N2O ou N2

Isso demonstra que as perdas de nitrogênio são muito mais rápidas


quando comparado com os demais nutrientes. MUDAR SLIDE

O processo de lixiviação do nitrogênio também pode ser influenciado pela


textura do solo, justamente devido a solos que aprestam maior macroporosidade
permitirem maior passagem de água e maior lixiviação, exemplo disso são solos
arenosos que detém de menor microporosidade e menor quantidade de
agregados fazendo com que a água desça mais rápido no sentido descendente.
Inversamente a esse fator, solos argilosos detém de menor perda de
nitrogênio por lixiviação pois, apresentam menor tamanho dos agregados e
maior quantidade de microporosidade. PASSAR SLIDE

Como reduzir essas perdas?

Então uma das formas de mitigar as perdas por lixiviação é buscar por
alternativas que aumentem o sincronismo entre a liberação do N pelo fertilizante
e a absorção do nutriente pela planta. ATÉ AQUI

Para isso deve-se buscar a substituição desses fertilizantes que foram


incorporados por fontes de liberação mais lenta, o parcelamento das aplicações
e ainda com a escolha de insumos revestidos com polímeros. Caso o nitrogênio
esteja na forma do cátion amônio (NH4+), garantir uma Capacidade de Troca
Catiônica (CTC) no solo, pode ser outra alternativa, evitando assim a grande
perda por lixiviação.