Você está na página 1de 2

CIEP 333 CACILDA BECKER

PROFESSORA: TANIA TURMA: __________


DATA: _______________
EDUCANDO: ___________________________________________________nº___

Muitos alunos ainda identificam história como matéria que se memoriza.


Nada mais grotesco ou anacrônico. Essa distorção é, em parte, herança da ditadura militar
que impôs um ensino acrítico e não-reflexivo. Os tempos mudaram, mas alguns problemas
persistem: a falta de leitura, a mercantilização, a má qualidade do ensino e sua desvinculação
da realidade. Isso, é claro, incide sobre o estudo da história. Mas, afinal, o que é história? É o
estudo do passado para entender o presente, mas de um passado vivo, que está presente em
nós. Vejamos, por exemplo, a sua história pessoal. Ela é a história das transformações
vivenciadas por você. Sejam elas no plano pessoal, familiar ou social. Só quando olhamos
para trás, é que percebemos como nós mudamos (sejam mudanças externas ou internas). O
mesmo vale para a sociedade. A função da História é a de fornecer à sociedade (às pessoas)
as explicações de suas origens. Como diz Vavy Pacheco Borges, a História busca oferecer às
pessoas uma explicação genética da sua formação e consolidação. A história das sociedades
é feita pelos próprios homens que vivem naquela sociedade e naquele tempo histórico, ou
seja, naquele determinado período de sua existencia.
O que é história? História é tudo o que está relacionado ás presença, ás atividades, as
maneiras de ser das pessoas. Também é dado outro sentido: História, ciência que estuda a
vida humana através do tempo. O estudo da história pode servir a diferentes finalidades, que
variam conforme o ponto de vista de quem a estuda. O Historiador é a pessoa que interpreta
os fatos históricos ou experiências humanas com ajuda dos registros deixados de um povo.
Em história há tempos de curta,média e longa duração. Curta duração é aquele que passa
imediatamente. Média duração é um fato no nosso tempo. E longa duração é aquele que
ocorreu há muito tempo atrás, como a “Pré História”.
A base de trabalho de um historiador é o FATO HISTÓRICO.
Fato histórico: é o acontecimento singular, irreversível, de repercussão social,
influindo de algum modo em eventos posteriores.
OBS: Todo fato histórico é social, mas nem todo fato social é histórico
A partir daí a pesquisa é feita a partir da coleta de FONTES HISTÓRICAS, que
são elementos deixados pelo homem que permitem o conhecimento dos fatos
passados. Alguns exemplos de fontes históricas são:

Ruínas: de templos, palácios, túmulos, esculturas, vestiários, cerâmicas,


moedas, medalhas, armas.
Escritas: códigos, decretos, tratados, constituições, editais, relatórios, registros
civis, memórias, crônicas.
Tradições: lendas, fábulas, narrações poéticas, canções populares transmitidas
de geração em geração, e as festas populares.
As “ciências auxiliares” da História
CIÊNCIAS INDEPENDENTES DA HISTÓRIA
Economia : estuda os meios de produção, distribuição, consumo e circulação da
riqueza.
Sociologia : estuda o homem em sociedade.
Geografia : estuda a superfície da terra no seu aspecto físico e humano.
Antropologia : estuda o homem no seu aspecto biológico e cultural.
Arqueologia : estuda as culturas extintas.
Paleontologia : estuda os fósseis.
Filosofia : ciência geral dos seres dos princípios da causa.
Filologia : estuda a língua e a literatura como instrumentos de manifestação cultural.

CIÊNCIAS DEPENDENTES DA HISTÓRIA


Cronologia : estuda a localização dos fatos no tempo.
Paleografia : decifra os escritos antigos gravados em material leve.
Epigrafia : estuda os escritos gravados em materiais pesados.
Heráldica : estuda os brasões da nobreza, os escudos e as insígnias.
Sigilografia : estuda os selos.
Genealogia : estuda as origens e os desdobramentos das famílias.
Diplomacia : estuda documentos oficiais.
Numismática : estuda as moedas.
Lingüística : estudo histórico e comparativo das palavras.

Para facilitar o entendimento cronológico (de tempo) nos estudos de História foi
adotado uma convenção didática em que a divide em períodos , divididos por grandes marcos
(acontecimentos de grande importância).

PERÍODOS DA HISTÓRIA
Pré-História: compreende o período do aparecimento do homem, até o princípio do
domínio da escrita.
Antigüidade: compreende o período que vai desde a utilização da escrita até a queda
de Roma em poder dos bárbaros por Odoacro em 476 d.C.
Idade Média: do ano de 476, até a tomada de Constantinopla, capital do Império
Romano do Oriente, pelos turcos otomanos em 1453.
Idade Moderna: inicia-se em 1453 e vai até a revolução francesa em 1789.
Idade Contemporânea: vai desde 1789, até os dias de hoje.
E acabou por aí mesmo?
É claro que não!! Nesse período, dois grandes acontecimentos são considerados por
alguns historiadores como iniciadores de novas eras; são elas: o lançamento da bomba
atômica sobre Hiroshima e Nagasaki, em 1945, e a chegada do homem à lua em 1969. Resta
apenas futuramente uma nova convenção (acordo) em criar a partir daí uma nova era...
CONTANDO OS SÉCULOS
Um modo fácil de identificar a que século pertence determinado ano é somar 1 ao
número de centenas do ano.
Por exemplo: no ano de 1998, o número de centenas é 19 . Temos então:
19 98 19
__+ 1 _
20
Assim, 1998 pertence ao século 20 (XX).
No entanto, quando um ano termina em 00 , como por exemplo 1900, temos uma
exceção à regra. Nesse caso:
19 00 o número de centenas indica o século.
século 19 (XIX )
Isso significa que o ano de 1900 ainda pertence ao século XIX, enquanto o ano de 1901
pertence ao século XX.