Você está na página 1de 6

Pelo e pelagem

Estrutura fisiológica do pelo

É constituído por duas porções, sendo uma interna e outra externa.

Porção Interna, também conhecida como Folículo piloso: Está localizada na derme,
camada mais profunda da pele animal, onde ocorre a formação, nutrição e o crescimento
do pelo.

A formação do Folículo piloso abrange:

- Raiz- Parte interna do pelo


- Papila Dérmica – Responsável pela nutrição do folículo através dos vasos sanguíneos
- Bulbo – Formado por células germinativas. É a partir dele que o pelo cresce.
- Músculo eretor – Responsável pela sensação tátil.
- Glândula Sebácea – Responsável pela lubrificação do fio.

Porção externa:

Haste: É a parte visível. Localizada na epiderme, é composta basicamente de queratina.

A formação da Haste abrange:


- Medula:

Parte interna da fibra capilar, constituído por células anucleadas, não possuindo função
definida.

- CMC (Complexo de membrana celular) – Adesão

Confere adesão entre o córtex e a cutícula (“cimento intercelular”). É composto por


ceramidas e outros lipídios apolares e proteínas.

- Córtex: Força, Tensão, Maciez e Reparo.

Porção intermediária do fio, constituída por células queratinizadas e grânulos de


melanina. As células queratinizadas, formam feixes de queratina que se aglomeram
entre si formando macrofibras, responsáveis pelas propriedades mecânicas da fibra
como resistência, elasticidade, porosidade e permeabilidade do fio. Os grânulos de
melanina dão a cor aos fios.

- Cutícula: Proteção, Maciez, Desembaraço, Anti-frizz e Brilho

Porção mais externa do fio. Formada por células sobrepostas, sem pigmentos e
totalmente queratinizada, tendo como sua principal função a proteção contra agressões
exteriores, como por exemplo, ambientais (sujeiras, sol, radiação UV), físicas por ação
mecânica (escovar, pentear) e por tinturas.
Quando as suas escamas se encontram alinhadas, o fio reflete a luz exterior e o resultado
é um pelo brilhante. Quando o pelo está danificado, apresenta-se sem brilho, com
dificuldades em desembaraçar e pentear, comprometendo a maciez.

Medul
Córte a
x
Cutícul
a

Cutícula

CMC
COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO PELO

O pelo é composto por água, lipídios (ceramidas, ácidos graxos e colesterol),


aminoácidos (que compõem as proteínas), pigmentos (melanina) e queratina (65-95%).

Propriedades de hidratação do pelo


Estruturas envolvidas: Cutícula e Córtex

O fio possui capacidade de absorver água do ambiente, aumentando seu diâmetro,


tornando-o mais maleável. Quanto mais hidratado o fio, mais elástico e resistente ele se
torna. O pelo danificado perde água interna com muita facilidade, tornando-se poroso e
sem brilho. Para inibir essa perda de água, o fio necessita de reposição de queratina que
forma uma capa protetora, impedindo a evaporação de água interna, tornando o fio
brilhante, macio e fácil de pentear.

Queratina, pq é tão importante?

A queratina é uma proteína fibrosa com estrutura tridimensional em alfa hélice que lhe
confere características especiais como microfilamentos com resistência, elasticidade e
impermeabilidade à água. Essas estruturas ocorrem porque os aminoácidos da queratina
interagem entre si através de ligações de hidrogênio (ligações fracas) e ligações de
dissulfetos (ligações muito fortes), responsáveis pela resistência da fibra. Possui em sua
composição aminoácidos com cargas positivas e negativas, sendo em sua maioria
aminoácidos aniônicos, o que caracteriza que o pelo possui característica negativa.
A queratina representa cerca de 90% da constituição do pelo e forma-se a partir de
aminoácidos, entre eles a tirosina (responsável por atrair e reter pigmentos) e a cistina
(que liga as estruturas que dão forma ao fio).
Devido as agressões do dia a dia, as escamas superficiais dos fios se abrem, deixando
a camada interna exposta que, assim, perde água, nutrientes e queratina, e o fio acaba
ressecado e frágil.

Carga aniônica

Aminoácidos(C
(negativa)
Hidratação ao
fio

Carga catiônica
(positiva)

Cadeias Ácidas
Principal AA Afinidade pela
responsável fibra
pela resistência
do fio
Nutrição aos
Aminoácidos presentes fios danificados

na cutícula no córtex:
Glicina Arginina
Lisina Ácido
Prolina glutâmico
Serina Treonina
Valina
Selagem:
É a formação de uma “película” que irá proteger este fio. Dando-lhe uma maior ligação
e proteção nas escamas fazendo com que fiquem mais “fortes”. A selagem pode ocorrer
de formas diferentes como, por exemplo, à quente (uso de produtos termo ativados e
chapinha), à frio (usando produtos de ph baixo), por diferença de íons e tb por
formadores de filmes.

Corte do fio sem selar Fio cortado e selado

Selagem por diferença de pH.

A camada hidrolipídica que protege o pelo, têm pH levemente ácido, um valor


compreendido entre 5,5 e 6,5 na escala de pH., sendo um pH ideal em torno de 6,5.
Quando utilizamos produtos, como por exemplo, shampoo que possui caracteristica
mais alcalina, estamos abrindo a cutícula do pelo. Já qdo utilizamos produtos como
máscaras e condicionadores que possuem característica mais ácida, nós fechamos a
cutícula.
O uso de produtos com pH baixos, aumenta a possibilidade de aplicação,, uma vez que
poodles, gatos e etc. não podem fazer uso da chapinha.

Selagem por cationicidade.

O pelo possui carga negativa, já que, os aminoácidos que formam a queratina são, em sua
maioria, aniônicos.
Produtos como condicionadores e máscaras, apresentam características positivas
(quaternários presentes na composição dos produtos). Estes produtos formam uma
película eletrostática (interação carga-carga) restabelecendo o estado normal do fio,
fechando a cutícula e assim deixando o pelo macio.

Selagem por temperatura

É um processos térmicos para a restauração do fio. O tratamento consiste no depósito


de queratina, proteínas, no córtex capilar e com um secador ou prancha, o calor fecha a
cutícula do fio tratado, deixando-o brilhante e macio. Normalmente, passa-se uma
fórmula a base de aminoácidos cationizados, ou seja, carregado positivamente. Qdo elas
são ativadas com a prancha de cerâmica (tb cationizada), as cargas positivas da
queratina e as cargas positivas das chapas entram “em choque”. É criado um efeito de
repelência, onde a queratina é “empurrada” para dentro do córtex do fio. As zonas
danificadas do cabelo, por sua vez, são carregadas negativamente, facilitando ainda
mais a atração dos ingredientes positivos presentes na formula
Cuidados: Caso a chapinha esteja em uma temperatura muito alta, podem-se acarretar
problemas futuros. (Quais?) - Ressecamento do fio por perda de líquidos, quebra por
calor excessivo, frizz e volume por exposição prolongada (queimadura), entre outras.

Selagem com Silicone.

Uma das mais utilizadas forma de selagem é a selagem com silicone. Silicones e
poliquatérnios são moléculas grandes e de alto peso molecular, utilizadas para selarem
as cutículas. Formam um filme sobre a cutícula, fechando-a. Com isso o pelo fica
brilhante e macio. Este tipo de técnica é somente superficial, não trata a cutícula e nem
o córtex. Não é um tratamento e sim um efeito visual.

Hidratação:
A hidratação é uma reconstrução profunda do fio, tanto interna quanto externamente.
Dando mais vida e força aos fios, repondo componentes importantes para o aumento de
maciez e com a ajuda da queratina (que é uma proteína fibrosa de alto peso molecular) a
qual é responsável pela vitalidade, força e boa aparência dos fios.

Cauterização: É um tratamento que cicatriza a cutícula do cabelo para que as


proteínas depositadas, após a hidratação, permaneçam por mais tempo nos fios. Ela
corrige a estrutura capilar e recuperam as fibras capilares através de meios
energéticos chamados catiônicos.
Uma explicação mais popular definiria a cauterização como uma hidratação profunda
que sela as escamas dos fios e suaviza as pontas duplas, o que permite eliminar o
aspecto arrepiado dos cabelos (anti-frizz).
A cauterização normalmente é feita da seguinte forma:
Lava-se o pelo com um shampoo especial, em seguida aplica-se uma máscara a base de
queratina, creatina etc. Deixar agir por alguns minutos sob aquecimento com manta
térmica ou secador. Enxaguar e aplicar algum produto que tenha um pH um pouco mais
ácido, para selar por completo a cutícula e manter a recuperação do fio. Essa técnica,
trata o fio internamente e externamente, deixando-o brilhante, macio e hidratado.

Interesses relacionados