Você está na página 1de 4

O que é Epidemiologia?

Epidemiologia - É o estudo da distribuição e dos determinantes dos estados


ou acontecimentos relacionados à saúde em populações específicas, e a
aplicação destes estudos para controle dos problemas de saúde.
Estudo inclui vigilância, observação, pesquisas analíticas e
experimentos. Distribuição se refere à análise pelo tempo, lugar e classe de
pessoas afetadas. Determinantes são todos os fatores físicos, biológicos,
sociais e comportamentais que influenciam a saúde. Estados ou
acontecimentos relacionados com a saúde incluem doenças, causa de morte,
comportamentos, como uso de tabaco, reações aos métodos preventivos,
provisão e uso dos serviços de saúde. Populações específicas são aquelas
com características identificáveis, tal como seu número definido. A aplicação
destes estudos para controle explicita o objetivo da epidemiologia que é o de
promover, proteger e restaurar a saúde.

WIKIPEDIA:

Epidemiologia é uma ciência que estuda quantitativamente a distribuição dos


fenômenos de saúde/doença, e seus fatores condicionantes e determinantes,
nas populações humanas. Alguns autores também incluem na definição que a
epidemiologia permite ainda a avaliação da eficácia das intervenções
realizadas no âmbito da saúde pública.

Considerada como a principal “ciência básica” da saúde coletiva, a


Epidemiologia analisa a ocorrência de doenças em massa, ou seja, em
sociedades, coletividades, classes socias, grupos específicos, dentre outros
levando em consideração causas categoricas dos geradores estados ou
eventos relacionados à saúde das populações características e suas
aplicações no controle de problemas de saúde.

Desta maneira podemos entender a epidemiologia como a ciência que estuda o


comportamento das doenças em uma determinada comunidade, levando em
consideração diversas características ligadas à pessoa, espaço físico e
também tempo, desta maneira é possível determinar as medidas de prevenção
e controle mais indicadas para o problema em questão como também avaliar
quais serão as estratégias a serem adotadas e se as mesmas causaram
impactos, diminuindo e controlando a ocorrência da doença em análise.

Vale ressaltar que enquanto a clínica trata a doença individualmente, a


epidemiologia aborda o processo saúde-doença em populações ou grupos de
pessoas.
A análise de determinação causal das doenças em uma coletividade humana,
dividida em classes sociais e/ou grupos específicos de populações (ou a
distribuição desigual das doenças nas sociedades) exige da epidemiologia uma
interação transdisciplinar e estabelece sua dependência a outras ciências a
exemplo das: Ciências Sociais (Antropologia, Sociologia, Etnologia); Ciência
Política; Estatística; Economia; Demografia; Ecologia e História.

Por outro lado sua origem, histórica e conceitual, na clínica médica e


dependência de ambas à patologia (estudada inicialmente como série de
casos) para identificação do objeto de análise, o processo saúde/doença, é
responsável pela grande cisão da epidemiologia moderna em epidemiologia
social e a epidemiologia clínica, sendo essa última, portanto a aplicação de
métodos epidemiológicos à prática clínica e a primeira, a ciência que responde
às demandas da medicina preventiva e promoção da saúde com a teoria da
multicausalidade das doenças e as necessárias intervenções sócio-econômicas
para redução da pobreza, melhoria das condições de vida e saneamento do
meio - ambiente.

O inquestionável é a evolução e as muitas definições de epidemiologia. No


decurso dos últimos 60 anos, a definição desta tem vindo a alargar-se desde a
sua preocupação com as doenças infecto-contagiosas e outras doenças
transmissíveis (o estudo das epidemias) até abarcar, presentemente, todos os
fenômenos relacionados com a saúde das populações.

Desconhece-se qual o estudioso que a utilizou pela primeira vez. O Oxford


English Dictionary cita Parkin (1873) como fonte. Contudo, em 1850, já existia
uma London Epidemiological Society; em 1802, a palavra aparece no título do
livro espanhol Epidemiología Española (Madrid); e em 1799, Webster referia-a
num dicionário. Tem como origem o grego clássico: epi(sobre) + demos (povo)
+ logos (conhecimento).

A palavra epidemia é muito mais antiga, tendo sido, inclusivamente utilizada


por Hipócrates (séc. VI a.C.).

MORBIDADE

Em epidemiologia, morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de


determinada doença em relação à população total estudada, em determinado
local e em determinado momento. A quantificação das doenças ou cálculo das
taxas e coeficientes de morbidade e morbi-mortalidade são tarefas essenciais
para Vigilância epidemiológica e controle das doenças que, por sua vez para
fins de organização dos serviços de saúde e intervenção nos níveis de saúde
publica podem ser divididas em doenças transmissíveis e Doenças e Agravos
Não Transmissíveis - DANTs.

OS CONCEITOS ATUAIS

• Controle à é reduzir a taxa de incidência ao nível endêmico arbitrado


p/ a doença.
• Eliminaçãoàé levar a doença ao nível endêmico zero, ào que leva a
ausência de transmissão, mas tendo que manter as ações [medidas] de
controle.
• Erradicaçãoà é fazer o agente da doença[ uma espécie ] desaparecer
do ambiente global .[ “cortar pela raiz” ].E assim, pode-se retirar
definitivamente as ações[medidas] de controle.

• Ex: única doença já erradicada globalmenteà a Varíola


EXEMPLO: Quando a doença fica abaixo do valor estatístico esperado é tido
como eliminado e não erradicado pois existe ainda a presença do patogeno,
mais a doença ainda existe na população.