Você está na página 1de 1

Obìnrin Dudu T’Àṣẹ: as interfaces do feminino

sagrado nas construções de gênero e identidade


negra
RESUMO
Angela Maria Santos
A pesquisa intitulada Obìnrin Dudu T’Àṣẹ (Mulheres Negras de Axé): as
interfaces do feminino sagrado nas construções de gênero e identidade
negra trata de um trabalho para conclusão do curso de graduação em
Sociologia. A partir de uma perspectiva sociológica este relato busca refletir
sobre as dimensões do sagrado feminino na tradição yorùbá na diáspora
brasileira e os impactos desse mote religioso para a questão gênero e
identidade para as mulheres negras. As participantes são mulheres negras
integrantes da Religião afro-brasileira (Candomblé Ketú) e Religião
Tradicional Yorùbá, todas localizadas na cidade de Cuiabá-MT. Estão
problematizadas no trabalho questões como: Existe um processo
socioeducativo a partir das representações das divindades femininas para a
percepção das questões de gênero entre as mulheres negras? As mulheres
negras constroem positivamente e/ou relacionam a sua identidade negra
considerando as vivências ritualísticas com o sagrado feminino? Em que
essas questões apontam para o ensino em Sociologia? O estudo se ancora
em variadas fontes bibliográficas, entrevistas e observações relacionados a
relação feminino sagrado e a participação das mulheres negras no contexto
dessas religiões. Os resultados apontam para a existência de uma
construção de referencial negro identitário e percepção de gênero,
fortalecido pela especificidade de matriz africana, no grupo social afro-
religioso onde participam as mulheres negras.

Palavras-chave: Mulheres Negras; Religião de Tadição Yorùbá; Sociologia.