INVERSÃO:
QUAL
É
O
SEU
PAPEL
NA
FAMÍLA
 Entre
esposa
e
marido
 Ricardo
Costa
 
 INTRODUÇÃO
 Vamos
lançar
nossos
olhos
hoje
para
a
questão
da
inversão
que
nossa
sociedade
 efetua
na
relação
entre
esposa
e
marido.


Isso
passa
por
como
se
é
compreendida
 a
questão
dos
papéis
dentro
da
relação
conjugal.
 Esse
 não
 é
 um
 tema
 novo!
 Além
 de
 ser
 um
 tema
 que
 já
 há
 muito
 vem
 sendo
 discutido,
 é
 um
 tema
 que
 provoca
 discussões
 bastante
 acaloradas.
 Talvez
 seja
 bom
começarmos
pontuando
dois
extremos
que
tem
sido
apresentados
quando
 esse
tema
entra
em
cena.

 1. Por
 um
 lado,
 temos
 o
 antigo
 machismo.
 A
 idéia
 que
 o
 ser
 humano
 masculino
é
mais
capacitado
do
que
o
feminino
e
que
o
primeiro
deve
se
 lançar
 com
 liberdade
 em
 busca
 de
 um
 desenvolvimento
 de
 amplitude
 social,
enquanto
o
segundo
deve
se
limitar
a
uma
vida
confinada
a
tarefas
 domésticas
e
da
criação
de
filhos.
 2. Por
 outro
 lado,
 como
 uma
 reação
 a
 esse
 machismo
 temos
 o
 que
 se
 desenvolveu
a
partir
da
década
de
60
e
que
se
tornou
conhecido
como
o
 movimento
 feminista.
 Esse,
 por
 sua
 vez,
 defende
 a
 tese
 de
 que
 as
 mulheres
deveriam
ter
direitos
iguais
a
dos
homens,
pois
não
é
inferior
a
 ao
mesmo,
mas
é
capaz
de
fazer
tão
bem,
ou
mesmo
melhor,
tudo
o
que
o
 homem
é
capaz
de
fazer.
 Atualmente
 encontramos
 um
 viés
 entre
 esses
 dois
 extremos
 que
 é
 a
 sugestão,
 embasada
e
defendida
pela
psicologia
e
antropologia
de
que
uma
sociedade
que
 amadurece,
 compreenderá
 e
 apoiará
 a
 inversão
 de
 papéis
 dentro
 de
 um
 relacionamento,
vendo
com
bons
olhos,
o
fato
da
esposa
vir
a
ser
a
provedora
da
 família,
enquanto
o
marido
ocupa‐se
dos
afazeres
da
administração
doméstica
e
 do
cuidado
da
casa.
 Conforme
 relatório
 do
 Centro
 Norte‐Americano
 de
 Pesquisas
 apresentado
 no
 Jornal
 “The
 New
 York
 Times”
 de
 Janeiro
 de
 2010,
 um
 quarto
 (22%)
 dos
 casamentos
 americanos
 possuem
 a
 mulher
 como
 provedora
 da
 família.
 Não
 temos
dados
como
esses
referentes
as
famílias
brasileiras,
mas
o
que
vemos
por
 aqui
 é
 que
 tal
 tendência
 tem
 se
 tornado
 cada
 vez
 mais
 natural
 entre
 muitas
 famílias.
 Assim,
 para
 a
 nossa
 sociedade
 contemporânea
 tem
 havido
 uma
 inversão
 na
 compreensão
e
desenvolvimento
dos
papeis
do
marido
e
da
mulher,
no
contexto
 do
casamento.
E
essa
inversão
tem
gerado
um
“cabo
de
guerra”
entre
os
cônjuges
 que
 não
 os
 leva
 a
 lugar
 nenhum
 a
 não
 ser
 a
 falta
 de
 segurança
 que
 cada
 um
 deveria
 ter
 no
 outro
 e
 ao
 esgotamento
 relacional,
 culminando
 muitas
 vezes
 em
 ruptura
no
casamento.



 Se
 queremos
 viver
 uma
 proposta
 diferenciada
 para
 nossos
 casamentos.
 no
 que
 diz
 respeito
 aos
 papéis
 que
 temos
 como
 cônjuges.21)
 A
palavra
utilizada
aqui
no
original
grego
para
“sujeição”
ou
“submissão”.
mas
pela
questão
da
identidade.
 É
 dentro
 deste
 fundamento
 que
 a
 Palavra
 de
 Deus
 vai.
 ordenar
 que
 a
 mulher
submeta‐se
a
seu
marido
e
o
marido
a
sua
mulher.
então
precisaremos:
 
 I.
assim
como
Cristo
amou
a
igreja
e
entregou­ se
 por
 ela
 para
 santificá­la.”
(v.Nossa
 proposta
 é
 voltarmos
 nossos
 olhos
 para
 as
 Escrituras.
se
buscado
e
vivenciado
por
cada
casal.
 tendo­a
 purificado
 pelo
 lavar
 da
 água
 mediante
 a
 . COMPREENDER
 A
 IDENTIDADE
 MASCULINA
 PARA
 EXERCER
 NOSSO
 PAPEL
A
PARTIR
DELA.
 ou
 do
 contexto
 social
da
época
onde
o
escravo
se
submetia
a
seu
senhor.
ame
cada
uma
sua
mulher.
vem
do
 contexto
 militar.
 não
 para
 defendermos
uma
posição
machista.
pois
a
Bíblia
não
aprova
tal
postura.
e
nem
 para
termos
uma
abordagem
restrita
da
questão
ao
fato
da
mulher
ser
ou
não
tão
 capaz
quanto
o
homem.
 a
 partir
 do
 que
 Deus
 nos
 propõe
em
sua
Palavra.
 Tomaremos
como
base
o
texto
de
Efésios
5.
 E
 o
 texto
 diz
 que
 devemos
 realizar
 isso
 de
 modo
 recíproco.
 “uns
aos
outros”.
 Em
outras
palavras.
ou
seja
 pela
igualdade
dos
sexos.
enquanto
nossa
sociedade
discute
e
propõem
uma
inversão
 dos
 papéis
 desenvolvidos
 pela
 esposa
 e
 pelo
 marido
 em
 sua
 relação
 conjugal
 tomando
 por
 base
 tão
 somente
 o
 ponto
 de
 vista
 operacional.21‐33
para
vermos
como
a
proposta
 do
 Reino
 de
 Deus
 é
 contraria
 a
 inversão
 que
 nossa
 sociedade
 faz
 quanto
 aos
 papéis
da
esposa
e
do
marido.
 Sim!
 Conforme
 podemos
 observar
 neste
 texto
 a
 questão
 dos
 papéis
 que
 desenvolvemos
 em
 nossos
 relacionamentos
 conjugais
 não
 passam
 primeiramente
pela
questão
funcional.
seja
pelo
machismo.
 O
texto
bíblico
que
estamos
tratando
começa
com
a
seguinte
afirmação:
 “Sujeitem­se
uns
aos
outros
por
temor
a
Cristo.
 ou
 seja.
pode
resultar
em
um
maior
 e
mais
efetivo
beneficio
para
nossos
casamentos.
a
idéia
primária
da
palavra
é
a
de
abrir
mão
de
sues
próprios
direitos
ou
 vontades.
 portanto.
Como
isso
é
feito?
 Quero
começar
analisando
isso
pelo
marido!
 “Maridos.
seja
pelo
feminismo.
 onde
 um
 soldado
 se
 submete
 a
 seu
 superior.
 Nosso
desejo
é
poder
perceber
como
o
propósito
original
de
Deus
na
criação
do
 ser
humano.
 as
 Escrituras
 nos
 apresentam
 essa
 questão
 de
 uma
 perspectiva
 mais
 holística
 (integral)
 que
 é
 resultante
da
compreensão
que
temos
da
própria
identidade
do
ser
masculino
e
 feminino.
 Ou
seja.


homem
e
mulher.
o
homem
deixará
pai
e
mãe
e
se
unirá
à
sua
mulher.
ama
a
si
mesmo.
Gênesis
2.
na
Criação.
 Então.31.
 Então.
desenvolver
essas
funções.
 mas
 é
 pelo
 fato
 de
 que
 faz
 parte
 da
 identidade
 masculina.
 Quem
 ama
 sua
 mulher.
mas
que
amemos
como
Cristo
amou.
 o
 papel
 que
 o
 homem
 desenvolve
 em
 seu
 serviço
 de
 subordinação
 a
 sua
 esposa
a
partir
de
sua
identidade
é
amá‐la.
 Da
 mesma
 forma.
 os
 maridos
 devem
 amar
 cada
 um
 a
 sua
 mulher
 como
 a
 seu
 próprio
 corpo.
 Jesus
 fez
 isso
 para
 poder
 santificá‐la.
 Uma
vez
que
nós
homens
tivemos
nossa
identidade
afetada
pela
nossa
rebelião
 contra
 Deus
 não
 temos
 mais
 como
 desenvolver
 por
 conta
 própria
 esse
 nosso
 papel
e
por
isso
precisamos
de
uma
referência
para
imitar
e
seguir.
 Eu
não
estou
seguindo
a
Jesus
Cristo
e
não
estou
contribuindo
para
que
o
melhor
 da
minha
esposa
seja
desenvolvido
nela.
 com
 base
 nas
 Escrituras.
antes
de
seguir
adiante
aqui.24)
 Logo.
a
sua
imagem
e
semelhança.
Jesus
faz
isso
continuando
a
operar
sua
obra
na
vida
 da
igreja
até
que
ela
chegue
a
seu
objetivo
final.
 ou
 seja
 torná‐la
 separada
e
única
para
ele.”
(Efésios
5.palavra.
 ou
 seja
 ele
 é
 seu
 líder.
 o
 papel
 que
 é
 dado
 a
 nós
 como
 maridos
 não
 é
 em
 função
 do
 homem
 ser
 melhor
 do
 que
 a
 mulher.
 e
 para
 apresentá­la
 a
 si
 mesmo
 como
 igreja
 gloriosa.
como
também
Cristo
faz
com
a
igreja.
 Portanto.
 a
 ordem
 não
 é
 que
apenas
amemos.
 mas
 santa
 e
 inculpável.
e
os
dois
se
 tornarão
uma
só
carne.
 que
 se
 entregou
 pela
 igreja.
eu
na
verdade
estou
deixando
de
cumprir
meu
papel
de
ser
humano
 feito
a
imagem
e
semelhança
de
Deus.
 Quando
Deus
criou
o
ser
humano.
 ele
 deu
 a
 cada
 um
 uma
 missão
 a
 ser
 desempenhada
 com
 o
 intuito
 de
 que
 pudéssemos
crescer
em
nosso
relacionamento
e
expressar
de
modo
mais
nítido
a
 imagem
de
Deus
em
nosso
mundo.
Mas.
 A
pergunta
a
ser
feita
portanto
é:
como
Cristo
amou?
E
a
resposta
é
liderando‐a
 sacrificialmente!
 Jesus
 é
 o
 cabeça
 da
 igreja.
ninguém
jamais
odiou
o
seu
próprio
corpo.
 Assim.
 A
 referência
 que
 Deus
 nos
 oferece
 é
 a
 pessoa
 de
 Jesus
 Cristo.
 evoca
 nestas
 suas
 orientações
 aos
 maridos
 e
 mulheres
a
referencia
da
Criação:
 “Por
essa
razão.
nosso
papel
como
maridos
é
fruto
de
entendermos
nossa
identidade
em
 Jesus
 e
 de
 nos
 amoldarmos
 a
 vida
 dele
 que
 está
 em
 nós.
deixe‐ .”
(Efésios
5.
 antes
o
alimenta
e
dele
cuida.
 o
 apóstolo
 Paulo.
Além
do
mais.25­ 29)
 Veja.
 Nossa
 tarefa
 quando
 as
 Escrituras
 dizem
 que
 devemos
 amar
 nossa
 esposa
 é
 referendada
 na
 pessoa
 de
 Jesus
 Cristo
 e
 na
 maneira
 que
 ele
 desenvolveu
 seu
 papel
 no
 plano
 redentor
de
Deus.
 quando
 eu
 como
 homem
 admito
 a
 inversão
 proposta
por
nossa
sociedade
que
diz
que
a
esposa
é
igual
ao
marido
e
que
não
 há
nada
de
errado
em
ela
assumir
as
responsabilidades
de
liderança
e
provedora
 da
família.
 sem
 mancha
 nem
 ruga
 ou
 coisa
 semelhante.


 
Voltemos
nossa
atenção
novamente
para
o
texto
de
Efésios
5.
 a
 esposa
 deve
 submeter­se
 ao
 marido.11)
 A
 sabedoria:
 “Nele
 estão
 escondidos
 todos
 os
 tesouros
 da
 sabedoria
 e
 do
 conhecimento.
 também
 as
 mulheres
estejam
em
tudo
sujeitas
a
seus
maridos.
 estando
 arraigados
 e
 alicerçados
 em
 amor.
 agora
 podemos
 .
 
 II.
e
oro
 para
 que.
 21)

 A
 força:
 “sendo
 fortalecidos
 com
 todo
 o
 poder.
Assim
como
a
igreja
se
 submete
 à
 liderança
 de
 Cristo.15.
do
 qual
 ele
 é
 o
 Salvador.”(Colossenses
1.
 entenda
 e
 dê
 apoio
 ao
 seu
 marido.
 Cristo.
 juntamente
com
todos
os
santos. COMPREENDER
 A
 IDENTIDADE
 FEMININA
 PARA
 EXERCER
 NOSSO
 PAPEL
A
PARTIR
DELA.
 se
 como
 homens
 formos
 redimidos
 pelo
 Evangelho.
a
 altura
 e
 a
 profundidade.
compreender
a
largura.
 sujeite­se
 cada
 uma
 a
 seu
 marido.
mas
da
mesma
forma
com

 a
qual
Cristo
faz
à
igreja:
com
carinho.
 cresçamos
 em
 tudo
 naquele
 que
 é
 a
 cabeça.
 para
 que
 tenham
 toda
 a
 perseverança
 e
 paciência
 com
 alegria.”
 (A
 Mensagem)
 Uma
 vez
 que
 compreendemos
 qual
 é
 o
 papel
 que
 o
 marido
 deve
 ter
 em
 seu
 casamento
 como
 conseqüência
 de
 sua
 identidade
 masculina.
 e
 nele
 foram
ensinados
de
acordo
com
a
verdade
que
está
em
Jesus.
 pois
 assim
 demonstrará
 seu
 apoio
 a
 Cristo.
 vocês
 ouviram
 falar
 dele.
 Assim
 como
 a
 igreja
 está
 sujeita
 a
 Cristo.
 para
 que
 vocês
 sejam
 cheios
 de
 toda
 a
 plenitude
 de
 Deus.”
(Efésios
5.”
(Efésios
4.
 como
 ao
 Senhor.
 de
 acordo
 com
 a
 força
 da
 sua
 glória.
 vocês
 possam.
como
também
Cristo
é
o
cabeça
da
igreja.
 seguindo
 a
 verdade
 em
 amor.me
 com
 base
 no
 que
 a
 Palavra
 de
 Deus
 nos
 apresenta
 pelos
 textos
 do
 apóstolo
 Paulo
 pontuar
 quatro
 realidades
 que
 são
 oferecidas
 pela
 liderança
 de
 Jesus
 Cristo
 a
 igreja
 e
 que
 devem
 ser
 produzidas
 também
 em
 nossa
 liderança
 como
 maridos
em
nossos
casamentos
e
famílias:
 • A
 verdade:
 
 “Antes.3)
 O
amor:
“para
que
Cristo
habite
no
coração
de
vocês
mediante
a
fé.
O
marido
exerce
liderança
em
relação
à
esposa.
 De
 fato.”
 (Efésios
3.22‐24:
 “Mulheres.
 e
 conhecer
 o
 amor
 de
 Cristo
 que
 excede
 todo
 conhecimento.17­19)
 • • • Assim.
o
comprimento.
que
é
o
seu
corpo.
 pois
 o
 marido
 é
 o
 cabeça
da
mulher.22­24)
 Deixe‐me
 compartilhar
 com
 você
 como
 Eugene
 Peterson
 faz
 a
 tradução
 deste
 texto
em
sua
Paráfrase
da
Bíblia:

 “Esposa.
não
por
dominação.”
(Colossenses
2.
providenciando
assim
um
ambiente
de
segurança
para
 nossos
filhos.
 a
 imagem
 de
 Jesus
 Cristo
 estará
 sendo
 construída
 em
 nós
 e
 não
 teremos
 outra
 opção
 e
 nem
 outro
 desejo
que
não
seja
o
de
ocupar
o
nosso
papel
de
lideres
que
servem
com
amor
 sacrificial
a
nossa
esposa.


onde
é
explanado
o
perfil
da
mulher
ideal.
 quando
 como
 esposa
 uma
 mulher
 não
 aceita
 a
 liderança
 de
 seu
 marido
 sobre
ela.
que
também
deve
ser
fruto
da
compreensão
de
sua
identidade
feminina.fundamentar
 com
 mais
 facilidade.1­2)
 .
 Conforme
o
texto
de
Efésios
a
tarefa
que
Deus
deu
ao
marido
foi
para
liderar
em
 amor
sacrificial
sua
esposa.
 que
 inclui
o
fato
desta
mulher
ser
uma
capaz
administradora
e
negociadora.

 “Do
mesmo
modo.
 observando
a
conduta
honesta
e
respeitosa
de
vocês.
 A
mulher
faz
isso
reconhecendo
e
apoiando
a
autoridade
que
o
homem
tem
como
 líder
 e
 provedor
 no
 casamento.
seja
ganho
sem
palavras.
 A
Bíblia
não
defende
esse
posicionamento.”
(1Pedro
3.
sujeite­se
cada
uma
a
seu
marido.
Sua
 criação
 deu
 forma
 final
 a
 humanidade
 porque
 a
 partir
 dela
 houve
 correspondência
entre
o
ser
humano
masculino
e
feminino.”
(Gênesis
2.
em
direitos
e
deveres.
 mas
 em
 sua
 identidade
 feminina
 definida
na
Criação.
farei
para
ele
 alguém
que
o
auxilie
e
lhe
corresponda.
 Ao
olharmos
para
a
narrativa
bíblica
da
formação
da
mulher
fica
evidenciado
que
 sua
função
está
diretamente
vinculada
aos
objetivos
de
Deus
para
a
sua
Criação.
 Assim.
 ou
 clareza.
não
vê
tal
postura
como
a
missão
de
cuidado
que
Deus
conferiu
para
 seu
marido.
 Veja.
o
equivoco
gerado
pelo
feminismo
que
defende
a
idéia
de
que
a
sociedade
 precisa
ver
a
mulher
igual
ao
homem.
se
dá
pelo
fato
do
 movimento
 restringir‐se
 as
 suas
 teses
 a
 partir
 da
 funcionalidade
 operacional
 e
 não
da
identidade
relacional
dos
cônjuges.
ela
não
corresponde.
se
ele
 não
obedece
à
palavra.
e
para
provar
isso
basta
que
leiamos
 o
 texto
 de
 Provérbios
31.
 Isso
 não
 tem
 nada
 a
 ver
 com
 achar
 que
 a
 mulher
 é
 menos
 competente
 do
 que
 o
 homem
ou
que
a
mulher
não
possa
trabalhar
fora.
mas
concorre
com
ele.
 como
 a
 esposa
 desenvolve
 seu
 papel.
levando‐a
ao
máximo
de
seu
potencial.
mulheres.
pelo
procedimento
de
sua
mulher.
 “Então
o
SENHOR
Deus
declarou:
Não
é
bom
que
o
homem
esteja
só.
 Como
 demonstrado
 na
 questão
 do
 marido.
 O
 que
 a
 Bíblia
 nos
 ensina
 e
 o
 que
 estou
 tentando
 mostrar
 aqui
 é
 que
 existe
 a
 necessidade
 de
 reconhecermos
 que
 em
 um
 relacionamento
 conjugal
 há
 uma
 autoridade
 que
 foi
 confiada
 por
 Deus
 ao
 marido
 para
 ser
 o
 líder
 e
 uma
 tarefa
 dada
a
esposa
e
filhos
de
se
submeterem
a
sua
liderança.
A
tarefa
que
a
 esposa
 tem
 a
 exercer
 dentro
 deste
 relacionamento
 é
 justamente
 respeitar
 e
 se
 deixar
liderar
pelo
marido
nesta
tarefa
de
amá‐la
e
servi‐la.10‐31.
 a
 esposa
 ocupa
 seu
 papel
 no
 casamento
 não
 baseado
 em
 suas
 funções.
 Não
 quero
 que
 você
 me
 entenda
 mal
 aqui.
 Corresponder
 tem
 a
 ver
 com
 assumir
 uma
 postura
 e
 atitude
 que
 coopera
 e
 facilita
a
tarefa
que
outro
tem
para
exercitar
e
concorrer
significa
assumir
uma
 postura
e
atitude
que
emperra
e
dificulta
uma
tarefa
que
outro
tem
a
exercer.
a
fim
de
que.18)
 Conforme
esse
texto
a
mulher
foi
criada
como
auxiliadora
idônea
do
homem.

Novamente.
do
qual
ele
é
o
Salvador.”
(Efésios
5.
 Não
 pode
 ser
 desenvolvido
 através
 de
 nossa
mera
compreensão
humana.
 E
nós
só
podemos
ser
igreja.18)
 E
nós
só
podemos
ser
cheios
do
Espírito
Santo
se
estivermos
rendidos.
 a
 inversão
 produzida
 em
 nossa
 cultura
 quanto
 aos
 papéis
 desempenhados
 no
 relacionamento
 conjugal
é
 fruto
de
 uma
 cosmovisão
que
 se
 pauta
tão
somente
pelas
relações
funcionais.23)
 Quem
é
igreja?
A
igreja
é
o
“corpo
de
Cristo”!
 O
que
o
apóstolo
Paulo
está
propondo
aqui
não
pode
ser
desenvolvido
através
da
 energia
 de
 nossa
 própria
 capacidade.
 o
 texto
 de
 Efésios
 nos
 conduz
 a
 um
 passo
 além
 da
 compreensão
 de
 nossas
 identidades
 masculina
 e
 feminina
 para
 exercer
 nossos
 papéis
 a
 partir
 delas.
 mas
 deixem­se
 encher
 pelo
Espírito.
 .
 E
só
podemos
ser
submissos
ao
governo
de
Jesus
Cristo
sobre
nós
se
estivermos
 inseridos
no
seu
“corpo”.
 com
 a
 compreensão
 da
 nossa
 identidade
 relacional
 estabelecida
por
Deus
na
Criação.
 “Não
 se
 embriaguem
 com
 vinho
 que
 leva
 a
 libertinagem. 
FUNDAMENTAR
NOSSAS
IDENTIDADES
EM
JESUS
CRISTO.
porém.
 
 III.
 
 Por
 fim.
 porque
 nós
 temos
 uma
 nova
identidade
que
está
inserida
e
sendo
construída
em
Jesus
Cristo.
 O
 que
 está
 sendo
 proposto
 aqui
 só
 é
 viável
 na
 vida
 daquelas
 pessoas
 que
 são
 cheias
da
presença
do
Espírito
Santo
em
suas
vidas.
 nas
 Escrituras.
que
é
o
seu
corpo.
Quando
o
 reconhecemos
como
nosso
Salvador.
 e
 a
 mulher
 trate
 o
 marido
com
todo
o
respeito.
como
parte
do
seu
povo.”
(Efésios
 5.
cada
 um
 de
 vocês
 também
 ame
 a
 sua
 mulher
 como
 a
 si
 mesmo.
Não
pode
ser
desenvolvida
mediante
o
nosso
 emprenho.
ser
parte
do
corpo
de
Cristo
se
reconhecemos
aquilo
 que
Deus
fez
em
nosso
favor
a
partir
da
morte
e
ressurreição
de
Jesus.
 O
 texto
 nos
 exorta
 a
 construirmos
 nossas
 identidades
 na
 relação
 que
 temos
com
o
próprio
Senhor
Jesus
Cristo.
 “Cristo
é
o
cabeça
da
igreja.
existem
papéis
que
são
desempenhados
em
nossa
vida.
 “Este
é
um
mistério
profundo.
 submissos
a
liderança
de
Jesus
Cristo
sobre
nossas
vida.
 aprendemos
 que
 nossos
 papéis
 tem
 a
 ver
 com
 a
 essência
 de
 nosso
 ser.
Portanto.
refiro­me.
que
é
a
igreja.32­33)
 O
que
as
Escrituras
estão
nos
dizendo
aqui
é
que
existe
uma
relação
de
liderança
 e
subordinação.
de
uma
 maneira
 diferente
 daquela
 que
 a
 cultura
 nos
 oferece.
 Entretanto.
sujeitos.”
(Efésios
5.
a
Cristo
e
à
igreja.


 como
 Cristo
 ama
 a
 igreja.
 precisamos
entender
essas
funções
dentro
de
nossas
respectivas
identidades.
e
são
um
como
parte
do
corpo
de
Cristo.
expresso
através
do
sacrifício
 de
seu
Filho
Jesus
Cristo.
 mas
 com
 a
 circuncisão
 feita
 por
 Cristo.
 onde
 haja
 a
 complementação
 entre
 nossas
 identidades
 a
 medida
 que
 nos
 submetemos
 juntos
 a
 liderança
 de
 Jesus
 Cristo
 exercida
 por
 seu
 amor
 sobre
 nós.”
(Colossenses
2.
 Isso
 é
 possível
 quando
 reconhecemos
 a
 necessidade
 que
 temos
 de
 nos
 rendermos
ao
maravilhoso
amor
de
Deus
por
nós.
 O
 objetivo
 que
 isso
 aconteça
 não
 é
 apenas
 para
 que
 tenhamos
 casamentos
 melhores
 e
 sejamos
 mais
 felizes.
 outros
 possam
 saber
 que
 existe
 uma
 alternativa
de
Deus
para
suas
histórias
e
relacionamentos.9­12)
 Assim.
 O
 marido
 ama
 a
 esposa.
e
com
ele
 foram
 ressuscitados
 mediante
 a
 fé
 no
 poder
 de
 Deus
 que
 o
 ressuscitou
 dentre
 os
 mortos.21)
 
 CONCLUSÃO
 Para
vencermos
a
inversão
que
nossa
cultura
promove
entre
os
papéis
de
esposa
 e
 esposo
 nós
 precisamos
 ir
 além
 das
 funções
 que
 temos
 no
 casamento.
masculina
e
feminina.
 As
 mulheres
 se
 sujeitam
 ao
 marido.
 • • • • A
mulher
se
sujeita
ao
marido.
Isso
aconteceu
quando
vocês
foram
sepultados
com
ele
no
batismo.
 Uma
 vez
 que
 os
 papéis
 a
 serem
 exercidos
 por
 nós
 como
 esposo
 e
 esposa
 é
 resultante
de
nossa
identidade.
 através
 de
 casamentos
 bem
 consolidados.
então.
 O
 objetivo
 é
 que
 através
 de
 nós.
 Para
 que
 nossas
 identidades
 contribuam
 com
 o
 devido
 exercício
 de
 nossos
 papéis
as
mesmas
precisam
ser
redimidas
e
se
fundamentarem
em
quem
somos
 e
estamos
nos
tornando
em
Jesus
Cristo.
 O
marido
é
o
cabeça
da
mulher.
e.
vocês
receberam
a
plenitude.
como
ao
Senhor.
 que
 é
 o
 despojar
 do
 corpo
 da
 carne.
 para
 que
 possamos
 cumprir
 nossos
 papéis
 a
 partir
 da
 compreensão
 de
 nossas
identidades
é
preciso
que
as
mesmas
estejam
redimidas
e
fundamentadas
 em
Jesus
Cristo.
 mas
 em
 uma
 .
como
Cristo
é
da
igreja.
 Por
que
devemos
agir
assim?
 “Sujeitem­se
uns
aos
outros
por
temor
a
Cristo.
que
é
o
Cabeça
de
todo
poder
e
autoridade.
 não
 com
 uma
 circuncisão
 feita
 por
 mãos
 humanas.
Nele
 também
 vocês
 foram
 circuncidados.
 por
 serem
 parte
 da
 igreja
 que
 está
 sujeita
a
Cristo.
por
estarem
 nele.“Pois
em
Cristo
habita
corporalmente
toda
a
plenitude
da
divindade.
 a
 ama
 porque
 é
 um
 como
ela.”
(v.
compreenderemos
 que
 tais
 papéis
 não
 estão
 confinados
 ao
 relacionamento
 conjugal.


especialmente
com
sua
esposa?
 Como
você
mulher.
 Aplicando:
 Como
 você
 homem
 pode
 exercer
 sua
 liderança
 de
 serviço
 sacrificial
 para
com
as
mulheres.certa
medida.
se
casada.
deve
ser
vivenciado
por
todo
homem
e
por
toda
mulher
em
seus
 relacionamentos.
especialmente
para
com
seu
marido?
 
 
 
 
 
 
 .
pode
exercer
sua
cooperação
para
com
o
serviço
de
liderança
 que
o
homem
deve
lhe
prestar.
se
casado.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful