CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

INTRODUÇÃO: MAPA DA VIAGEM ‡A palavra cidadania está na moda após o fim da ditadura militar eda Constituição de 1988. (p.7) ‡ Muito se esperou da democracia, mas, os avanços foram poucos:os próprios mecanismos e agentes do sistema democrático,como as eleições, os partidos, o Congresso, os políticos sedesgastam e perdem a confiança dos cidadãos (p.8) ‡ Cidadania pode estar ligado apenas a conquistas dos direitos civis,políticos e sociais? ‡Direitos Civis: direitos fundamentais à vida, à liberdade, àpropriedade, à igualdade perante a lei (p.9) ‡Direitos políticos: se referem à participação do cidadão no governoda sociedade. Seu exercício é limitado a parcela da população econsiste na capacidade de fazer demonstrações políticas, deorganizar partidos, de votar, de ser votado. Em geral, quando sefala de direitos políticos, é do direito do voto que se está falando.(p.9) ‡Direitos sociais: garantem a participação no governo dasociedade, a participação na riqueza coletiva. Elesincluem o direito à educação, ao trabalho, ao saláriojusto, à saúde, à aposentadoria (p.10). ‡ A soma dos três direitos se fundamenta na justiça social. depois vieram os direitos políticos (XIX) e osdireitos sociais (XX). ‡ A educação popular for a condição primordial para aconstrução da cidadania (p.11) No Brasil não se aplica o modeloInglês: houve noBrasil pelo menos duas diferenças importantes. Aprimeira refere-se à maior ênfase em um dos direitos, osocial, em relação aos outros. A segunda refere-se àalteração na sequência em que os direitos foramadquiridos: entre nós o social precedeu os outros (p.12). ‡Não há cidadania sem a construção de um estado-nação:Isto quer dizer que a construção da cidadaniatem a ver com a relação das pessoas com o Estado ecom a nação. As pessoas se tornavam cidadãs àmedida que passavam a se sentir parte de uma nação ede um Estado (p.12).

Capítulo - Primeiros Passos (1822-1930) ‡O peso do passado (1500-1822) A colonização portuguesa: ³Os portugueses tinham construído um enorme país dotado de unidade territorial, lingüística, cultural e religiosa. Mastinha

numa população de cerca de 5 milhões. uma sociedade escravocrata. poderemos ter uma ideia da situaçãoàquela época (p.deixado uma população analfabeta. que pudesse ser a garantia dosdireitos civis (p. meio século após a independência. Sobre a educação ±analfabetismo da maioria: ³Mas se verificamosque em 1872. incluindo 800 mil índios havia mais de 1 milhão deescravos (p. apenas 16% dapopulação era alfabetizada. em 1808. Conquista e a conotação comercial: produção de açúcar para resolver oproblema da demanda na Europa. escravidão e pela doença de milhõesde índios. XVII: a mineração . Porém exigia largas extensões deterras e mão de obra escrava dos negros africanos: o latifúndio monocultor e exportador de base escravista´ (p.19). Sobre a dizimação dos índios: ³Os índios foram rapidamentedizimados. isto é. um Estado Absolutista. epudessem seguir curso superior tinham que viajar a Portugal.sobretudo a Coimbra´(p. Calcula-se que até 1822 tenham sido introduzidos nacolônia cerca de 3 milhões de escravos.19). Os escravos começaram a ser importados na segundametade do século XVIa época daIndependência. A importação continuouininterrupta até 1850.23) ‡ As universidades no Brasil: contrastando com a Espanha. que pudesse ser a garantia da igualdade de todos perante a lei.20). Em 1823 restava menos de 1 milhão. em todos oslugares. escolas superiores só foram admitidas após achegada da corte. Os brasileiros que quisessem. O Brasil foi conquistado: confronto entre duas civilizações (pedra polidacom os europeus detentores de tecnologias avançadas)Dominação: extermínio pela guerra. Portugalnão permitia a criação de universidades em suas colônias: Naparte portuguesa. 1822: Os direitos políticos saem na frente ‡ Houve a independência mas nada mudou na questão dacidadania .uma economia monocultora e latifundiária. 28 anos após a independência.22).a criação de gado A escravidão: ³O fator mais negativo para a cidadania foi aescravidão(p.23) ‡No período colonial a grande maioria da população ficou excluída dos direitos civis e políticos e sem a existência de um sentido denacionalidade. ‡No período colonial não havia poder público: ³A consequência detudo isso era que não existia de verdade um poder que pudesse serchamado de público. Séc.18). Em todos os setores da sociedade havia escravos: Aescravidão penetrava em todas as classes. Calcula-se que havia na época da descoberta cerca de4 milhões de índios. em todos os desvãos da sociedade: asociedade colonial era escravista de alto a baixo´(p.

‡ Eleições fraudulentas ±cabresto ‡ Guerra do Paraguai: surge o sentimento de nação no Brasil 1881: tropeço (limite de voto aos analfabetos aumento da renda para votar.29). ‡ 1872 ±13% da população livre ‡ 1886 ±08% da população (p. (p. 200 mil réis). Estado comprometido com o poder privado (p.43) Direitos civis só na lei No período colonial: escravidão. ou afazendas vizinhas.50) Negros libertos: “No Brasil. os libertos nãoforam dadas nem escolas. ‡ Alta participação nas eleições de 1872: 13% da população adulta masculina votou ±excluindo osescravos.46) ‡ Brasil. nem terras. ‡Participação popular restrita no Brasil (p. ‡Escravidão: pressão inglesa para o fim do tráfico.48).Pedro. MG) eleições fraudulentas. estabeleceu os três poderes tradicionais. o legislativo (dividido em Senado e Câmera)e o Judiciário.40) ‡De 1890 ±1930: política dos coronéis eliteslocais ± Política café com leite (SP.somente 15% da população era alfabetizada. para retomar otrabalho por baixo salário (p.49). Portugal aceitou a independência do Brasil mediante o pagamento de uma indenização de 2 milhões de libras esterlinas´(p. ‡ De 1822 a 1930 houve eleições ininterruptas. grande propriedaderural. tendo como figura mediadora o Príncipe D.27) ‡ Unificação ao invés da fragmentação territorial ‡ A notícia da independência só chegou depois de trêsmeses nas capitais das províncias mais distantes constituição outorgada de 1824: ³regeu o Brasil até o fim da monarquia.47). Passada a euforia dalibertação.4% da população (p.‡ Contrariando outros países da América Latina no Brasila independência foi pacífica.39) ‡ 1945 ±13. o Executivo.45). último país de tradição cristã e ocidental a libertaros escravos (p. ‡O cristianismo (IGREJA) admitia a escravidão (p.nem empregos. combinando ideias de constituições europeias.52) O negro hoje: encontra-se entre os que . José do Patrocínio ±filho de padre com escrava (p. como afrancesa de 1791 e a espanhola de1812. A independência negociada ‡ Portugal aceita a ³independência´do Brasil: ³Graças àIntermediação da Inglaterra. muitos exescravosregressaram a suas fazendas. ‡ Guerra de Secessão nos EUA (1860) ±SULESCRAVISTA ( o escravo que fugisse para o nortetornava-se livre (p. a coroa portuguesa ea Inglaterra. 4milhões de escravos (p. O que houve foi anegociação entre a elite nacional.

eles não teriam as condiçõesnecessárias para o exercício independente dodireito político (p.64). A cidadania operária ‡a década de 20 deu-se a urbanização eo processo de industrialização eaumentodo operariado (p. Nessas circunstâncias. Carvalho cita dois movimentos: o abolicionista e o tenentismo (1922) (p. ‡Apenas associações particulares (Igreja) Cidadão em negativo ‡ O Brasil de 1881 a 1925: O Brasil não tem povo LouisCouty (p.65). ‡Outras formas de resistências: cabanos. em 30 milhões dehabitantes.57). ‡Avanço nos direitos civis (p. ‡ Da mesma forma: em 1920. não havia pátria brasileira.57).cabanagem (Pará ±a mais violenta 30 mil mortos(p. seria difícil falar de direitossociais (p.café) ‡ ³Para os amigos pão. não havia poderverdadeiramente público. (p. algodão. para os inimigos pau (p.69).76) Três revoltas da regência com cunho separatista: Asabinada. A República e o golpe: Além disso.61).ocupam posições inferiores (p. ‡ Para salvar a Pátria. apenas 24% sabiam ler e escrever (p. ‡Anarquismo (GREVE GERAL DE 1917) ‡Criação do Partido comunista (1922)formado por ex-anarquistas (p. antes da chegada da corteportuguesa. a Cabanagem e a Farroupilha. Canudos e Contestado. o ato da proclamaçãoem si foi feito de surpresa e comandado pelos militaresque tinham entrado em contato com os conspiradorescivis poucos dias antes da data marcada para o início domovimento (p.60) Os direitos sociais ‡Com direitos civis e políticos tãoprecários. balaiada. Mesmo que lhes fossepermitido votar.77) Foi apenas na Guerra do Paraguai (1865-1870) que surgiua nação (p. mobilizou cerca de 140 mil soldadosvindos de todas as províncias.66). Revolta da Vacina O sentimento nacional ao final da colônia.58).59). não poderia havercidadãos políticos.78). (p.80) .52) A grande propriedade: coronelismo emonocultura de exportação (cana. não havia cidadãoscivis. Não havia justiça.

ele assistia.talvez um tanto divertido´(p. atônito.81) ‡ A participação popular foi menor do que na Proclamaçãoda independência (p. pode-se assim dizer.81) ‡ Movimentos antirrepublicanos: Canudos uma ameaça aRepública.Era uma cidadania emnegativo. que até 1930 não havia povoorganizado politicamente nem sentimentonacional consolidado(p. sem entender o que se passava. (p.com. ‡Cidadania negativa. (Euclides da Cunha -Os Sertões) eContestado em SC. bestificado. gogabw@hotmail.mas como curioso.Famosa frase de Aristides Lobo: O povo do Rio deJaneiro assistira bestializado.83) ‡ Aos grandes acontecimentos políticosnacionais. desconfiado.83).br . então.aos acontecimentos. não como bestializado.com cezargilberto@yahoo.81) ‡A República adotou o federalismo ao estilo norte-americano eforçando os governos estaduais (p. isto é. temeroso.julgando tratar-se de parada militar. (p.83). Até 1930 ±participação política restrita: Pode-se concluir.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful