Você está na página 1de 12

Resenhas

• As resenhas são um fruto típico do desenvolvimento


da imprensa. Até há poucos séculos, a quantidade de
livros publicados era tão pequena que não era necessária
a figura de alguém que indicasse quais livros eram
bons e quais não eram. Como a melhoria da tecnologia
de imprensa, a situação se inverteu: são tantos livros
lançados que pouquíssimas pessoas têm condições de
separar o joio do trigo. Assim, o trabalho dos
resenhistas se tornou essencial. Eles não deveriam
apenas dizer que livros são bons, mas também explicar
para qual público eles se destinam. Afinal, o melhor
livro de culinária é inútil para quem não gosta de
cozinhar. (Ver Peter Burke)

RESENHA CRÍTICA
• A resenha crítica é realizada quando se deseja fazer a
apresentação do conteúdo de uma obra. Indica-se a
forma de abordagem do autor sobre o tema e a teoria
utilizada.
• Ela envolve um conceito de valor, formulado por
quem redige a resenha. Isto significa dizer que
houve, anteriormente, a leitura da obra e, a partir daí,
foi realizada uma crítica, redundando, portanto, em
uma análise crítica, contendo um conceito de valor,
emitido pelo resenhista sobre a obra lida.

1
RESENHA CRÍTICA

• A finalidade da resenha é a de informar sobre as


contribuições do autor da obra avaliada, não cabendo
ao resenhista deturpar o pensamento do autor.
• A resenha se constitui em uma síntese das idéias
expressas pelo autor, apontando falhas ou erros de
informação (quando houver), bem como a
contribuição valiosa do autor, se for o caso.

RESENHA CRÍTICA

• Descreve-se as propriedades da obra consultada;


apresenta-se as credenciais do autor da obra; resume-
se as idéias do autor; apresenta-se suas conclusões e
metodologia empregada, expondo em que
referenciais o autor se fundamentou. Finaliza-se com
a avaliação das informações contidas na obra e de
como foram expostas, informando a que público a
obra se destina (MEDEIROS, 2003).

2
Uma resenha crítica deve ter os
seguintes elementos:
1 - Referência bibliográfica completa
O resenhista deve colocar todos os elementos bibliográficos,
na ordem dada pela ABNT.

2 - Credenciais do autor
Informações sobre o autor, em especial sua formação
universitária, títulos e livros publicados.

3 - Resumo da obra.
Resume as idéias principais do autor. É aconselhável que dê
uma visão geral da obra, e haja um aprofundamento de um
capítulo.

• 4 - Conclusões da autoria
Qual é a tese do autor? O que ele quer provar com seu livro? A
que conclusões ele chega?

5 - Metodologia
Qual foi a metodologia utilizada pelo autor? O texto é apenas um
ensaio, ou é resultado de uma pesquisa de campo? Sua pesquisa é
qualitativa ou quantitativa?

6 - Quadro de referências do autor – aporte teórico


Qual é o paradigma no qual o autor sustenta suas idéias? Cada área
de conhecimento tem suas teorias específicas. Nas Administração,
por exemplo, há a teoria fordista, taylorista...

7 - Crítica do resenhista
Esse é o momento em que o resenhista faz sua análise da obra.
Qual a sua importância? Que contribuição ela traz para o seu
campo de estudo. Como é a linguagem do autor? Simples, clara,
complexa, rebuscada? O livro aprofunda os assunto estudados?

3
8 - Indicações do resenhista
A quem se destina a obra? Quem poderia se interessar por
ela? O leitor precisa ter algum tipo de conhecimento prévio
para compreender o livro?

• Essa divisão didática deu a muitos a idéia de que


uma resenha deveria ser feita na forma de tópicos.
Na prática, a maioria dos autores produz um texto
contínuo, que apresenta os elementos básicos de
uma resenha científica.

ELABORAÇÃO
• A crítica deve considerar os seguintes itens:
• -Quanto à edição:
• - erros/acertos quanto à revisão textual;
• - in/existência ( e atualidade) de índices e
ilustrações;
• - apresentação (capa, folha de rosto, impressão).

4
ELABORAÇÃO

• -Quanto ao conteúdo:
• - erros/acertos quanto às informações
veiculadas (datas, nomes, estatísticas);
• - seriedade da documentação (extensão,
qualidade e atualidade das referências
bibliográficas, criteriosidade das citações);
• - in/consistência (contradições);
• - disposição do material (seqüência
lógica,organização equilibrada).

ELABORAÇÃO
• Generalidades

• - referenciação da obra sempre conforme as


normas da ABNT (Associação Brasileira de
Normas Técnicas).
• - redação direta sem entretítulos, com a divisão
sendo evidenciada pela organização do texto.

5
ESTRUTURA DA RESENHA
1. Referência bibliográfica:
Autor
Título da obra
Elementos da imprensa > local de edição,
editora, data, número de páginas.

2. Credenciais do autor
Informações sobre o autor
Autoridade no campo científico

CRÍTICA DO RESENHISTA

- Qual a contribuição dada?


- As idéias são originais, criativas?
- A abordagem dos conhecimentos é
inovadora?

6
IDÉIAS ESSENCIAIS

- Identificar a idéia-chave

- Identificar as idéias secundárias.

- Identificar quais as idéias que


interessam ser expressas e quais as
que devem ser dispensadas.

OBJETIVIDADE

COMO IDENTIFICAR A
IDÉIA-CHAVE?

- FORMULE A PERGUNTA:
O que o autor quer dizer ao leitor?

7
ESTILO
Maximizar a informação com o mínimo de palavras
-A autora tem o objetivo de comunicar = A autora
comunica...
Retirar idéias excessivas
- A autora informava que a freqüência e a permanência
naquele clube era terminantemente proibida a pessoas
que não fizessem parte do seu quadro de sócios. =
A autora informava que era proibida a entrada de
não-sócios.

CLAREZA

- Evite a linguagem técnica.

- Evite o uso excessivo de substantivos


abstratos

- Evite o parágrafo longo.

8
APRESENTAÇÃO

Texto:
- apresenta os dados sobre a obra, seu autor;
- o resumo do conteúdo;
- os aspectos teóricos;
- a avaliação crítica do resenhista numa
seqüência;
► texto- deve ser harmonioso, sucinto e de fácil
leitura.

APRESENTAÇÃO GRÁFICA

> Papel A4 ( 210x297)

Corpo do texto:
margem superior – 3cm
margem inferior - 2 cm
margem esquerda - 3cm
margem direita- 2 cm

9
APRESENTAÇÃO GRÁFICA

Fontes > Times New Roman (tamanho 12)


ou Arial (tamanho 12)

Espaçamento > no texto: 1,5


na bibliografia: simples

Citação >SOBRENOME,Nome do autor.Título da obra.


Subtítulo. Edição. Cidade (local da publicação)Editora,
ano da publicação.

RESENHA CRÍTICA
• Medeiros (1997, p. 142) sugere um outro modelo:
• 1. Referências da obra consultada;
• 2. Credenciais do autor;
• 3. Resumo da obra (digesto);
• 4. Conclusões do autor (caso sejam mencionadas);
• 5. Metodologia da autoria;
• 6. Quadro referencial do autor;
• 7. Crítica do resenhista (apreciação);
• 8. Indicações do resenhista.

10
HUMBERG, Mario Ernesto. Ética na
política e na empresa :12 anos de
reflexão. São Paulo: CLA,2002. 122p.

• Por José Henrique Farias


• Professor titular do Departamento de
Administração Geral e Aplicada da
UFPR.

Ética na Política e na Empresa:


12 Anos de Reflexão

O livro de Humberg reúne uma seleção de


artigos sobre o tema da ética originalmente
publicados em jornais e revistas. Não há o
que ponderar sobre a escolha e a oportunidade
do tema tão atual hoje quanto para os
pré- socráticos.
Ética e moral são processos interligados e por
vezes complementares.

11
12