Você está na página 1de 8

Compilação de repertório – Fábio Zanon (Fórum Violão Erudito)

GRUPO I - Renascimento, alaúde e vihuela

Bakfark: Obras completas Byrd: Obras completas (Nigel North) Cato: Galliardes, Favorito, etc Collard: Obras completas (Duarte) Dowland: Obras completas (Poulton) Holborne: Obras completas Milán: Obras completas Francesco da Milano: Obras completas Mudarra: obras completas Narváez: Obras completas Pisador: Obras completas Phillips: Chromatica Pavana e Galharda Praetorius: 4 Danças de Terpsichore (transcrição Williams) Valderrábano: Obras completas

Também espiar as coletâneas da época, por exemplo Variety of Lute lessons, Lord of Cherbury's Book, Fitzwilliam Book, Jane Pickering's book para uma boa quantidade de excelentes peças avulsas.

GRUPO 2 - Barroco, incluindo transcrições inevitáveis e obras de alaúde

Bach: Obras completas para alaúde, violino e violoncelo Buxtehude: Suíte em mi menor (Bream) Scarlatti: Sonatas (transcrições de Segovia, Williams, Barbosa Lima, Brouwer e Fisk) Visée: obras completas Weiss: obras completas (especialmente Tombeau, Suíte XVII, etc)

Veja também estas possibilidades pouco exploradas: C.P.E.Bach, Corbetta, Fasch, Frescobaldi, Gaultier, Guerau, Haendel, Kellner, Kohaut, Murcia, Rameau, Roncalli, Sanz, Scarlatti, Visée

GRUPO 3 - Período 'Clássico'

Aguado: obras completas Carcassi: Estudos op.60, fantasias sobre óperas, temas com variações Giuliani: Grand Ouverture op.61, Variações sobre um tema de Haendel, 6 Rossinianas (especialmente nos 1-2-3), Variações, Sonata op.15, Sonata Heróica, Giulianate, Abertura Semiramide de Rossini Legnani: Introdução e Variações op.64, 36 Caprichos Matiegka: 2 sonatas Paganini: Grande sonata, obras completas Sor: Obras Completas (Variações sobre a 'Flauta Mágica' op.9, Grand Solo op.14, Folias d'Éspagne op.15 no.2, Estudos op.6, 29, 31 e 35, Fantasias op.7, 10, 12, 16, 21, 30, Sonata op.15 no.1, op.22 e 25, 6 Arias da Flauta mágica de Mozart, peças curtas p.ex. op.1, 5, etc.)

Veja também: Carcassi, Carulli, Castellacci, Molino, Scheidler, obras completas de Aguado e Giuliani

GRUPO 4 - Período "Romântico", abrangendo Coste até Barrios

Albéniz: Suíte Espanhola completa, Recuerdos de Viaje completo, toda e qualquer obra. Barrios: La Catedral, El Último Canto, Choro da Saudade, Julia Florida, Valsa op.8 no,3 e 4, Allegro Sinfônico, Tua Imagem, País de Abanico, Danças Paraguaias, Estudos, Las Abejas, Gavota em estilo antigo, Sueño en la Floresta,Uma Limosna, Romanza em imitação ao violoncelo, Oración, Confessión, etc, etc, etc Bobrowicz: Variações sobre 'La Ci Darem la Mano', Grand Polonaise Coste: Obras completas, Introdução e Polonaise (Souvenir du Jura), Estudos, La source du Lyson, Introdução e Marcha Fúnebre, etc Granados: Danzas Españolas completas, Valsas Poéticas, Dedicatória Horetzky: Grandes Variações Llobet: Canções Catalãs completas, prelúdios, Romanza, transcrições completas Manjón: Obras completas, em especial Leyenda, Aire Vasco, Cuento de amor Mertz: obras completas Regondi: Obras completas, em especial Introdução e Capricho, Reverie, 10 Estudos Tarrega: Obras originais completas, Transcrições completas

Também olhe: Arcas, Angel Barrios, Castellacci, Manjón, Horetzky, Parga, Sagrini

GRUPO 5 - Repertório "Segovia"

#Berkeley: 4 Peças #Breville: Fantasia Castelnuovo-Tedesco: Tonadilla, Sonata 'Homenagem a Boccherini', Tarantella, Suite op.144, Platero y Yo, Caprichos de Goya, Apuntes, Capricho Diabólico, Rondo, etc #Collet: Briviesca op67 #Donostia: Nostalgia, Dolor Duarte: Suite Inglesa, Variações s/ um tema catalão, Sonatina, Sua Cosa, etc Esplá: Impressões Levantinas, Tempo di sonata, Antaño #Ferroud: Spiritual #Fornerod: Prelude Harris: Variações s/ um tema de Haendel Haug: Obras completas (Alba, Prelúdio; Prelúdio, Tiento e Toccata) #Laparra: Pueblo castellano Manén: Fantasia-sonata #Martelli: 4 Peças op32 Milhaud: Segoviana #Mompou: Suite compostelana, Canção e Dança no.10 e 13 #Pahissa: Canço nel Mar Pedrell: Obras completas (3 peças curtas, Impromptu, 3 Danças das princesas cativas) #Peyrot: Tema e Variações Ponce: Obras completas Pujol: Impromptu, Estudos, 3 Peças Espanholas, etc etc Rodrigo: Obras completas, p ex.3 Peças Espanholas, Invocación y Danza, Sonata Giocosa, Elogio de la Guitarra, Por los campos de Espanha, Sarabande Lointaine, Sonata a la Española, 3 Pequenas Peças, etc. Roussell: Segovia Samazeuilh: Serenata # Sanjuán: Uma Leyenda

#Cyril Scott: Sonatina Segovia: Estudos, Anedotas, Estudo sem luz, Neblina Tansman: Obras completas (Mazurka, Cavatina, Suite em Modo Polonico, Variações s/ Scriabine, Homenagem a Chopin, 4 Mazurkas, etc) Torroba: Sonatina, Castillos de España, Suite Castellana, Peças Características, Madroños, Nocturno, Prelúdio, Serenata Burlesca, Burgalesa, Sonata-Fantasia Turina: Obras completas Villa-Lobos: Obras completas

Compositores marcados com # pertencem à coleção recém descoberta de obras inéditas do arquivo pessoal de Segovia. Todas estão já editadas pela Berben.

GRUPO 6 -Pós-românticos de outras tendências, incluindo alguns espanhóis independentes

Asencio: Collectci Intim e obras completas (Suite Valenciana, Suite Mística, Homenagens, Tango da Casada Infiel) Bautista: Prelúdio y Danza Bozza: 3 Prelúdios, Impressões Andaluzas Chavarri: Sonata II, Intermezzo, 7 peças Falla: Homenagem a Debussy, Canção do Fogo Fátuo, Dança do Moleiro Ghedini: Estudo de Concerto Grau: Corranda, Fable

R. Halffter-Escriche: Giga

Ibert: Française, Ariette Antonio José: Sonata Malipiero: Prelúdio Poulenc: Sarabande Ruiz-Pipó: Canções e Danças no.1-4, Nênia, etc

Sainz de la Maza: Platero e Yo, Campanas del Alba, etc

R. Sainz de la Maza: Zapateado, Rondeña, Petenera. Etc

Veja também: Abril, Ascot, Auric, Bacarisse, Chick Corea, Palau, Ruiz-Pipó, Salazar, Yogourtjian

GRUPO 7 - Modernos, não violonistas (repertório 'Bream', 'Williams', 'Fisk', 'Starobin', etc.). Estrela * indica obras de complexidade rítmica, em geral atonais

Arrigo: Serenata per Chitarra* Bennet: Obras completas (Impromptus, sonata) Babbitt: Composition for guitar* Berio: Sequenza XI* Berkeley: Obras completas (sonatina, variações) Britten: Nocturnal Carter: Changes* Dodgson: Partita no.1 Donaton: Algo* Eastwood: Ballade-Fantasy Françaix: Serenade Cristóbal Halffter: Codex I* Henze: Obras completas (Royal Winter Music*, Drei Tentos, Memórias) Jolivet: Obras completas (Tombeau de Robert de Visée, 2 Estudos) Keeley: Encantamientos Martin: 4 Peças breves Maxwell-Davies: Obras completas (Hill Runes*, Sonata*, Lullaby*, Farewell)

Maw: Music of Memory Migot: Sonata, Homenagem a Debussy Murail: Tellur* Northcott: Fantasia* Ohana: Obras completas (Tiento, Si le Jour Parait, Cadran Lunaire) Petrassi: Nunc*, Suoni Noturni* Quedreni: Perludi Rautavaara: Serenade for a Unicorn Rawsthorne: Elegy Rochberg: Caprice Variations Searle: Five* Takemitsu: Obras completas (All in Twilight, Folios, Into the Woods, Equinox) Tippett: The blue Guitar Param Vir: Clear Light Magic Body* Walton: 5 Bagatelas

Veja também: ApIvor, Arnold, Beaser, Company, Constant, Dodgson, Freidlin, Giacometti, Kovats, Lopes Graça, Lutoslawsky, McCabe, Mronsky, Sauguet, Sculthorpe, Walters

GRUPO 8 - Modernos, violonistas

Biberian: 4 valsas, Sonata no.4* Bogdanovich: Sonatas no.1 e 2, 6 Miniaturas dos Bálcãs, The Golden Flower, etc. D'Angelo: 2 Canções Lídias, Magie Domeniconi: Koyunbaba, Variações, Homenagem a Jimmy Hendrix, etc Dyens: Tango en Skaï, Libra Sonatina, Saudades, etc Gilardino: 60 Estudos de virtuosidade e transcendência, sonatas, obras avulsas, concertos, etc. Koshkin: Usher Waltz, Prince's toys, Sonata, etc Orkouzonov: Sonata Rougier: 3 canções da Bulgária, Romênia e Grécia York: Sunburst

Veja também: Biberian (outras sonatas, Mosaic etc), Chapdelaine, Dwyer (Estudos), Ida Presti, Walker, York

GRUPO 9 - Latino-Americanos , inclui brasileiros

Almeida Prado: Obras completas (Sonata, Portrait, Livre pour six cordes) Angulo: Cantos Yoruba de Cuba

E. Angulo: Segunda sonata

Ardévol: Sonata Assad: Aquarelle, Sonata, etc

Bellinati: Jongo, e tudo o mais Broqua: Evocaciones Criollas Brouwer: Obras completas

L. P. de Campos: Ponteio e Toccatina, 4 Prelúdios

Carlevaro: Prelúdios Americanos, Cronomias Durán: Sonata

Eisenberg: Prelúdio, Coral e fuga Escobar: Prelúdio Fabini: El Poncho, Mozartiana

Faria: Entoada, Olhos de uma Lembrança Fariñas: Prelúdio e Canção Triste Lorenzo Fernandez: Velha modinha Garoto: Obras completas Ginastera: Sonata op.47 Gnatalli: Brasiliana no.13, Suite, Tocatas em ritmos de samba, Estudos em forma de samba, 10 Estudos, etc etc. Guarnieri: Obras completas Guastavino: Obras completas (3 Sonatas, Cantilenas, Bailecito) Guerra-Peixe: Sonata, Prelúdios Kampela: Danças Percussivas* Kaplan: Sonatina Krieger: Ritmata Lauro: Valsas completas, Suite Venezuelana, sonata Mignone: Obras completas (12 estudos, 12 valsas, Lenda Sertaneja) Nin-Culmell: Variações s/ um tema de Milán Nobre: Obras completas (Momentos, Prólogo e Toccata, Entrada e Tango, Homenagem a Villa- Lobos, Reminiscências, Ciclo Nordestino, etc.) Pernambuco: Obras completas P. Porto-Alegre: Sonata no.1, Suite Brasileira, 5 Peças, 10 estudos, etc. Orbón: Prelúdio e Dança Piazzolla: 5 Peças, 4 Estações Portenhas (arr. Assad), Adiós Nonino Dilermando Reis: Obras completas Sávio: Cenas Brasileiras, Prelúdios Pitorescos, Caixinha de música, etc. Santórsola: 4 Peças Latino-americanas, 4 Tentos, 6 Bagatelas, 3 sonatas, 6 Prelúdios Scliar: Estudo no.1 Tsilicas: Espiral*, Periklosis*

Veja também: Jorge Antunes, Aguirre, Baden Powell, Arrigo Barnabé, Bartoloni, Burle Marx, N. Hollanda Cavalcanti, Márcio Cortes, Chaviano, Gismonti, Jobim/Barbosa Lima, Armando Neves, W. Corrêa de Oliveira, R. Coelho de Souza*, Tacuchian, Zarate

GRUPO 8 - Concertos:

Arnold, Asafiev, Bennett, Berkeley, Bondon, Castelnuovo Tedesco, Brouwer 1-5 e Danças concertantes, Faria 1 e 2, Françaix, Dodgson no.2, Gilardino, Giuliani no.1, 2 e 3, Gnatalli 1-4, Halffter, Haug, Molino, Ohana, Palau, Ponce, Rodrigo (c/ Fantasia e Concierto p/ una Fiesta), Tansman, Takemitsu, van der Roost, Villa-Lobos, Vivaldi (ré maior e dó maior)

Por experiência própria, os concertos que são indispensáveis são Vivaldi em ré, Concierto de Aranjuez, Villa-Lobos, Giuliani op.30 e, um pouco atrás, o Castelnuovo-Tedesco em ré e Concierto del Sur de Ponce.

Em geral, para cada vez que toco um outro concerto, toco o Aranjuez umas 5 vezes. O Vivaldi é necessário para quem quer aproveitar a chance de tocar com orquestras de estudantes, ou até com um grupo pequeno de amigos. O Giuliani é o mais tocado com orquestra de cordas. O V- Lobos é o mais tocado no Brasil.

No Brasil, é bastante difícil convencer as pessoas a tocar algo que não seja V-Lobos, Aranjuez ou Vivaldi. No exterior, o V-Lobos é bem menos conhecido, mas ainda se toca de vez em quando, principalmente na América do Norte. Bom, esse apanhado não é guiado por preferência musical ou didática. É simples estatistica, os outros concertos não se tocam tanto.

O

Tedesco e Ponce coloquei por razões didáticas. Eles são concertos à moda antiga, com 3

movimentos, forma-sonata, cadência, contraste de temas, diálogo com a orquestra, etc., então o

estudante aprende como resolver uma peça romântica, que é uma coisa fundamental. Já toquei muito o Tedesco na Europa, o Ponce algumas vezes na América Latina e na Espanha. São bem úteis e uma grande escola, eu só me senti preparado para tocar um concerto depois que aprendi esses dois.

O Aranjuez, apesar de ser popular e bastante convencional, é cheio de excessões no que se

refere à forma. Tem um ritmo técnico meio pesado, começa muito difícil, tem uma cadência no 2o movimento e não no primeiro, enfim, é um concerto meio maroto de se tocar. O mesmo com

o V-Lobos.

Idealmente, haveria uma ordem para se aprender os concertos, indo do mais fácil ao mais difícil, mas em geral as pessoas aprendem o Vivaldi quando são crianças e já vão direto pro V-Lobos sem nenhuma bagagem prévia, e logo em seguida o Aranjuez por pura necessidade. É uma pena.

Pra quem está começando a montar um repertório, há outros concertos acessíveis, por exemplo

a Serenata do Arnold, o Diálogo do Mahle, os concertos do Gnatalli, os Retratos Catalães do

Brouwer. Mesmo que não haja a oportunidade de tocá-los, acho importante estudá-los e, de repente, tocá-los com piano, como preparação para outras obras mais pesadas. Claro que qualquer seleção como essa será controversa, mas vou dividir os concertos em grupos de dificuldade, fica mais fácil.

Alguns casos são meio capciosos. Qual é mais difícil, o Villa-Lobos ou o Ponce? Depende. Tecnicamente, eles são praticamente equivalentes - o Villa-Lobos é um pouco menos confortável, mas não requer soluções extremas. Mas ele é mais obviamente realizável como música de violão, mais fácil de memorizar, e mais familiar à maioria dos violonistas. O Ponce é mais debaixo do dedo, mas é mais ardiloso do ponto de vista musical, com mais diálogo entre solista e orquestra, mais difícil de decorar e mais traiçoeiro de se tocar ao vivo. Os que não inclui são aqueles que nunca toquei, que não conheço nem de passagem. Então vou por categoria:

1 - Elementar, obras que não apresentam grande dificuldade técnica ou musical, acessíveis a quem já tocou, por exemplo, Prelúdios de Villa-Lobos ARNOLD, Malcom - serenade op. 50 MAHLE, Ernst - Concertino

Diálogo

FASCH - Concerto em re menor PIAZZOLA, Astor - duplo concerto - bandoleon, violão VIVALDI, Antonio - concerto em A RV82 concerto em D RV 93 concerto em C RV425 Duo concerto em Dm RV540 - viola, violão Duo concerto em G RV532 - dois violões WEISS, Johann Sigismund - concerto em Dm

2 - Um razoável passo acima, obras que exigem um nível técnico maior mas acessíveis do ponto

de vista musical e estilístico, acessível a quem já toca, digamos, Estudos de Villa-Lobos ou Grand Ouverture de Giuliani.

BOCCHERINI, Luigi - concerto em E BONDON, Jacques - concerto de Mars concerto con fuoco

BROUWER, Leo - concerto n° 1

3 danças concertantes

retrato catalão. CARULLI, Ferdinando - concerto em A, op. 8a concerto em Em, op. 140 duo concerto em G - flauta e violão CASTELNUOVO-TEDESCO, Mário - Serenata em F, op. 118 concerto n° 2 em C, op. 160 GILARDINO, Angelo - concerto "leçons de ténèbres" Concerto for flute and guitar, La Casa delle Ombre GNATALLI, Radamés - concerto no.1 Concerto no.3 (Copacabana) LAURO, Antonio - concerto MOLINO, Francesco - concerto em Em, op. 56 RODRIGO, Joaquin - Fantasia para um Gentilhombre (esta é bastante fácil até o 4o movimento, mas o Canário exige coragem e firmeza nas escalas, depende da facilidade do intérprete) SANTÓRSOLA, Guido - concertino TANSMAN, Alexandre - concertino música de corte VILLA-LOBOS, Heitor - concerto introdução aos choros

3 - Estes não são um grande passo técnico acima, mas apresentam problemas maiores:

desconforto técnico, escrita pouco violonística que requer um trabalho de edição, complexidade do ponto de vista de conjunto, complexidade de ritmo ou de discurso, familiaridade com estilo (Giuliani, por exemplo) etc. BERKELEY, Lennox - concerto op. 88

BROUWER, Leo -concerto n° 2 "Liegi" concerto n° 3 "elegíaco" concerto n° 4 "toronto" CASTELNUOVO-TEDESCO, Mário - concerto n° 1 em D, op. 99 (com os cortes que o Segovia fez ele fica bem mais acessível e pode ir tranqüilamente para nível 2, mas acho que cada um deve decidir por si se deve edita-lo ou tocar como está escrito) duo concerto em G, op. 201 - dois violões CORDERO, Ernesto - Concerto Antillano DODGSON, Stephen - concerto n° 1 concerto n° 2 FARIA, Alexandre - concerto no1 Concerto no.2 "Mikulov" GIULIANI, Mauro - Concerto em A op. 30 concerto em A op. 36 concerto em D, op. 70 - terz guitar HALFFTER, Ernesto - Concerto MIGNONE, Francisco - concerto OHANA, Maurice - concerto três gráficos PONCE, Manuel - concierto del Sur PREVIN, Andre - concerto REMACHA - Concerto RODRIGO, Joaquin - concerto andaluz - quatro violões concerto de aranjuez (Este e o Concerto para uma Fiesta podem entrar na categoria 4, pois exigem boa dose de virtuosismo, escalas rápidas, complexo trabalho de mão esquerda, etc., mas como é bastante familiar isso acaba dependendo da facilidade de cada um. Além do mais é um concerto difícil de começar, com um difícil primeiro movimento)

concerto para uma festa (ao contrário do que parece, é mais acessível que o Aranjuez, apesar das escalas velozes, porém é mais longo e o primeiro movimento já começa na pauleira) SANTÓRSOLA, Guido - duo concerto - dois violões

4 - Bom, estes exigem muita maturidade musical e/ou virtuosismo. O Concerto de Arnold, ou os de Torroba, são musicalmente bastante acessíveis mas exige um grau exacerbado de facilidade com passagens rápidas, que são tocadas de sopetao depois de pausas longas, etc. O Takemitsu não tem praticamente virtuosismo nenhum, mas tem um discurso fluido que requer controle total de andamento e conjunto e está fora do alcance de quem não está acostumado a tocar com orquestra. E assim por diante. ARNOLD, Malcom - concerto op. 67 BENNETT, Richard Rodney - Concerto BERIO, Luciano - Chemins IV CORIGLIANO, John - Concerto Troubadours DUN, Tan - Concerto HENZE, Hans Werner - Aus eine Aeolsharfe MORENO TORROBA, Federico - concerto de castilla Concerto para guitarra flamenca e orquestra RODRIGO - concerto madrigal - dois violões SEROUSSI, Ruben - Concerto TAKEMITSU, Toru - to the edge of dream spectral canticle - violino e violão vers, l'arc-en-ciel, palma - oboé e violão VICTORIO, Roberto - Concerto p/ flauta e violão YOSHIMATSU: Concerto "Pegasus Effect"

Confesso que há lacunas imperdoáveis, por exemplo não conheço o concerto de Carlevaro, não conheço todas as obras com orquestra de Gilardino ou de Cordero, ainda não conheço os últimos concertos de Brouwer, etc. Mas acrescentei alguns concertos que acho indispensáveis, como "

Mignone, Gnatalli, Henze, etc

Além destes mencionados, há o Concierto Levantino de Manuel Palau, que toquei em Riberião Preto há duas semanas, lindíssimo, que é de dificuldade igual ao do Ponce. Outros que estão faltando: Homenaje a la Seguidilla de Moreno Torroba, mas este é uma pedrada; e o Concerto de Boris Asafiev, uma obra interessantíssima e super na mão, se duvidar é nível 1. Ele foi escrito em 1939 (mesmo ano de Aranjuez e C-Tedesco) e provavelmente escrito com o Segovia em mente, mas como o velho nunca mais tocou na URSS depois da guerra, provavelmente não ficou nem sabendo de sua existência. O último movimento são variações sobre um tema de Tchaikovsky, muito legal. Asafiev era o crítico oficial da URSS, é música bem acadêmica mas parece que resulta bastante bem. Isso é que é curioso: os concertos espanhóis de Palau, Remacha e Halffter são música muito mais interessante que Rodrigo, mas o efeito Aranjuez é difícil de evitar. Eu estava também dando uma olhada na Serenata de Castelnuovo-Tedesco, bem acesível, mas tem um 3o movimento cheio de escalas encrencadas que o empurram para o nível 3. Quando tiver algum tempo livre, vou fazer um levantamento mais completo e posto uma lista de concertos; 90% da lista aí acima já foi gravada, nem que sejam LPs obscuros. Tem tambem o Concerto Antico do Richard Harvey(*1953), um belo concerto em 5 movimentos, e o Concerto de Steve Gray (*1947), ambos gravado pelo John Williams com a London Symphony Orchestra.