Energias Renováveis e Geração de Renda para a Agricultura Familiar

Painel: Energias Renováveis e Superação da Pobreza
3º MICROGERAR Brasília-DF Maio/2012

Agricultura Familiar  no  Brasil  

IBGE (2006)

Agricultura Familiar  no  Brasil  

IBGE (2006)

Agricultura Familiar  no  Brasil  
• Papel  fundamental  nas  seguintes  questões:  

• Segurança  alimentar;   • Mudanças  climá;cas;  

• Agroenergia.  

Possibilidades de geração de renda via inclusão produtiva para a agricultura familiar
Alimentos Fibras Serviços ambientais Artesanato Turismo rural

Plantas medicinais

ENERGIAS RENOVÁVEIS

A experiência do MDA com o PNPB e Selo Combustível Social

Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB)
Segurança  e  norte  criado  por  instrumentos  legais:  
•  •  •  •  Lei    nº  11.097  de  13  de  janeiro  de  2005;     Lei    nº  11.116  de  18  de  maio  de  2005;     Decreto  nº  5.297  de  6  de  dezembro  de  2004;     Resolução  nº  05  de  03  de  outubro  de  2007  do  Conselho  Nacional  de  Polí;cas  Energé;cas  (CNPE),   Instrução  NormaMva  nº  01,  do  MDA,  de  19  de  fevereiro  de  2009;     •  Instrução  NormaMva  Nº  01,  do  MDA,  de  20  de  junho  de  2011.  

Mistura  obrigatória:  
Antecipação  de  metas  pelo   CNPE  

Mercado  controlado  e  monitorado  por  meio  de  leilões:  
•  Leilões  trimestrais  organizados  pela  ANP.  

Inclusão  produMva  da  agricultura  familiar  
•  Selo  CombusWvel  Social;   •  PolíMca  de  aquisições  e  tributária;   •  Organização  da  base  produMva.  

Selo Combustível Social

Componente de identificação criado para viabilizar a estratégia social do PNPB; É concedido pelo MDA à empresa produtora de biodiesel que voluntariamente decide cumprir os critérios descritos em sua normativa vigente (Instrução Normativa Nª 01, do MDA, de 19 de fevereiro de 2009), e que confere ao seu possuidor o caráter de promotor de inclusão social dos agricultores familiares enquadrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – PRONAF.

Regras do Selo Combustível Social
Para ter o Selo Combustível Social a empresa precisa cumprir três critérios:

1º)   Adquirir     matéria-­‐prima   da   agricultura   familiar   em   percentual   mínimo.  
Regiões   Nordeste  e  Semi  Árido   Norte   Centro  Oeste   Sul   Sudeste   Percentuais  mínimos   30%   15%   15%   30%   30%  

Fórmula  de  cálculo  =  (X/Y)  *  100   X  =  custo  anual,  em  Reais  (R$),  de  aquisição  de  matérias  primas  da  agricultura  familiar;     Y  =  custo  anual,  em  Reais  (R$),  das  aquisições  totais  de  matérias  primas  u;lizadas  para     produção  de  biodiesel.  

Regras do Selo Combustível Social

2º) Celebrar contratos de compra e venda de matéria prima, negociados com os agricultores familiares, em que conste a identificação e anuência da representação dos agricultores familiares que participou das negociações. 3º) Assegurar assistência e capacitação técnica gratuita aos agricultores familiares contratados.

Papel da Coordenação Geral de Biocombustíveis do DGRAV/SAF/MDA

Números do Selo Combustível Social

Inclusão Produtiva da Agricultura Familiar
Nº de estabelecimentos da agricultura familiar beneficiados
2011 2010 2009 2008 2007 2006 2005 0 20.000 40.000 60.000 80.000 100.000 120.000

NORDESTE e SEMIÁRIDO Perfil das famílias beneficiadas pelo PNPB e Selo Combustível Social

•  Famílias tradicionalmente produtoras de mamona em consórcio com alimentos (feijão e milho); •  43% delas enquadradas na DAP B (microcrédito), e, portanto, com perfil de beneficiárias do Plano Brasil Sem Miséria; •  Possibilidade de participar de uma cadeia ligada à agroenergia e à química verde.

NORTE Programa da Palma de Óleo e número de contratos do PRONAF Eco Dendê

•  Atualmente existem 456 famílias com contratos de compra e venda de dendê, recebendo assistência técnica e com financiamento do PRONAF; •  Impactos significativos no desenvolvimento territorial, e no capital social das comunidades e assentamentos.

Mercado para Agricultura Familiar
Aquisições totais Selo Social (milhões de R$)
2011 R$ 1.519,16

2010

2009

2008

2007

2006 R$ 0,00 R$ 200,00 R$ 400,00 R$ 600,00 R$ 800,00 R$ 1.000,00 R$ 1.200,00 R$ 1.400,00 R$ 1.600,00

Organização econômica

Nº de cooperativas da agricultura familiar participantes do PNPB
2011 65

2010

59

2009

42

2008

20

2007

13

2006 0

4 10 20 30 40 50 60 70

Nº de cooperativas da agricultura familiar por Região - 2011

Sul

49

Centro Oeste

9

Nordeste

5

Sudeste

2

0

10

20

30

40

50

60

Ações ligadas à agroenergia

•  Plano Plurianual 12-15: Programa de Energia com objetivos sob responsabilidade do MDA; •  Ação orçamentária da Coordenação de Biocombustíveis do MDA ampliada: de apoio à cadeia do biodiesel para apoio às cadeias de energias renováveis; •  Ação iniciada para elaboração de um programa de biogás a partir do tratamento de dejetos animais, alinhado às metas assumidas pelo MDA dentro do programa ABC:
•  Geração de renda com energia evitada, energia exportada, biofertilizantes e crédito de carbono. •  Ações em estudo para avaliação de viabilidade (produção individual e formas de produção coletiva), proposta de alteração de marco regulatório e adequações em instrumentos de crédito (PRONAF) e ATER;

Desafios ligados à agroenergia

•  Alinhamento das políticas públicas com o conceito de biorrefinarias, com ampliação das possibilidades de utilização de biomassa; •  Fortalecimento do cooperativismo e empreendimentos da agricultura familiar alinhado às possibilidades de geração, auto consumo de energia e comercialização de energia, em especial nas regiões Norte, Nordeste e Semiárido.

•  Maior sinergia entre a política de geração de renda com as políticas de ATER e crédito.

MUITO OBRIGADO!
André Grossi Machado Coordenador de Biocombustíveis CGBIO/DGRAV/SAF/MDA +55 61 2020-0272/0275 andre.machado@mda.gov.br www.mda.gov.br/saf

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful