TRABALJHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

TCC
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO
E COMPORTAMENTO DE CORTINAS
ATIRANTADAS
Docente: Tomaz Turcarelli

Orientador: Prof. Dr. Roberto Chust Carvalho
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS


TCC
INTRODUÇÃO
- Estabilizar encostas naturais
- Taludes de estradas
- Contenção em Subsolo de Edifícios
- Faces de tuneis
Fonte: Autor
Contenção ancorada no terreno com
pequena deslocabilidade
Fonte: Autor
Fonte: Geofix Fundações


TCC
JUSTIFICATIVA
- Pouco exploradas nos cursos de graduação em
engenharia civil

- Carecem de estudos e publicações nacionais
apesar do pioneirismo brasileiro devido ao
Prof. Costa Nunes

- Peculiaridades de projetos dessas estruturas em
relação as convencionais
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS


TCC
OBJETIVOS
• Orientações de Concepção e pré-dimensionamento
(número de tirantes, espaçamento entre tirantes,
comprimento e ângulo de embutimento)

• Método executivo
(Tirantes e cortina)

• Sistematizar uma rotina de projeto de Cortinas
Atirantadas
(Verificações e dimensionamentos geotécnicos e estruturais)

• Aspectos Complementares
(Ensaios, uso do subsolo, patologias e durabilidade)

ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
METODOLOGIA
• DUAS ETAPAS
1-Coleta de informações técnicas e acadêmicas:
Revisão bibliográfica
2-Elaboração do corpo do trabalho:
4 capítulos a seguir:

Capítulo 6: Aspectos gerais sobre Cortinas Atirantadas: classificação da
estrutura, partes constituintes e comparações com outros tipos de
contenção

Capítulo 7: Processo Executivo dos Tirantes: Nesse capítulo é explicada
detalhadamente a metodologia executiva dos tirantes.

Capítulo 8: Projeto de Cortinas Atirantadas: explica e sistematiza os
processos de verificações e dimensionamentos de projeto.

Capítulo 9: Assuntos Complementares: Uso do subsolo, Ensaios,
Durabilidade, Comportamento da estrutura durante a escavação
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS


TCC


TCC
CLASSIFICAÇÃO DOS TIRANTES

- Quanto a vida útil:
Obras definitivas (> 2 anos)
Obras provisórias (< 2 anos)
- Quanto à forma de trabalho:
Tirante ativo (protendido)
Tirante passivo (chumbadores)
- Quanto à constituição:
Tirante monobarra
Tirante de múltiplas barras
Tirante de fios
Tirantes de cordoalhas
Tirantes autoinjetáveis
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS


TCC
COMPONENTES

Cabeça:
Cunhas
Parafuso e porcas
botões

ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
Trecho Ancorado:
Há atrito com solo
Por formação do bulbo
Lancorado >5m (prática)
Trecho livre:
Sem atrito com solo
Llivre > 3m
Llivre > 5m (prática)

Fonte: Yassuda e Dias (1996)


TCC
EXECUÇÃO DOS TIRANTES

1ºetapa – Montagem:
Número de fios, cordoalhas ou barras, marcação
comprimento livre e do ancorado no aço e
proteção contra corrosão

2ºetapa – Perfuração:
Perfuração do solo ou rocha, na profundidade e
diâmetro de projeto, manual ou mecanicamente,
com uso de fluido estabilizante (água, lama ou ar
pressurizado) ou revestimento quando necessário.

3ºetapa – Introdução do tirante e
preenchimento da perfuração:
É feito com nata de cimento com relação
água/cimento de 0,5, esse preenchimento se refere
a bainha ou ao tubo plástico no trecho livre

Fonte: Geofix (2009)
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
Fonte: Geofix (2009)


TCC
EXECUÇÃO DOS TIRANTES


4ºetapa – Injeção da nata de cimento
no bulbo: é feito com pressão de 2 MPa a 3 MPa
através de uma mangueira até o bico de injeção com
perfurações laterais(obturador). Pode ser feita em
faze única ou em múltiplas fazes de injeção

5ºetapa – Ensaios de Protensão:
devem ser realizados a partir do momento que a
nata de cimento atingiu a resistência de projeto, na
prática é feita em sete dias para cimentos normais e
após três dias da injeção para cimentos de alta
resistência inicial, os ensaios são feitos junto com a
etapa de protensão
Fonte: Lima(2009)
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS


TCC
EXECUÇÃO DOS TIRANTES

6ºetapa – Protensão e Incorporação:
após a aceitação nos ensaios submetidos o tirante pode ser
protendido, a protensão alinhada ao travamento da placa de
ancoragem incorpora toda a estrutura da cortina ao tirante. O
carregamento imposto na protensão corresponde a carga de
incorporação que deve estar entre 80% a 100% da carga de
trabalho (0,8 Ft< Fi < 1,0 Ft).

7ºetapa – Preparo da cabeça:
é feita em tirantes definitivos com a concretagem do bloco de
ancoragem, após a concretagem é injetada nata de cimento no
bloco de ancoragem para preencher eventuais vazios.

ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS


TCC
SISTEMÁTICA DE PROJETO
PRÉ-DIMENSIONAMENTO
Fonte: Autor
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS


TCC
SISTEMÁTICA DE PROJETO
Fonte: Autor
Fonte: adaptado de More (2003) e de Strom e Ebeling (2002) citado em Mendes (2010)
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS


TCC
 ESTABILIDADE GLOBAL (EXTERNA)
Comprimento livre mínimo
Força de protensão mínima


 ESTABILIDADE LOCAL (INTERNA)
Comprimento livre mínimo
Força de protensão máxima


 AÇÕES NA CORTINA
Empuxo e sobrecarga


 ESFORÇOS SOLICITANTES
Em função do tipo de laje:
Área de influência, Viga contínua,
Pórticos equivalentes, Grelha
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
SISTEMÁTICA DE PROJETO


TCC
 DIMENSIONAMENTO DA SEÇÃO DE AÇO
fios
Cordoalhas
barras

 VERIFICAÇÃO DO BULBO DE ANCORAGEM
Método da NBR 5629:2006
Método de Costa Nunes (1987)
Método de Bustamante e Doix (1985)
Método de Ostermayer (1974)

 DIMENSIONAMENTO DA CORTINA
Em função do tipo de laje:
laje lisa, laje em grelha,
parede diafragma (placas verticais)

 VERIFICAÇÃO DA PUNÇÃO
No caso de Laje lisa

ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
SISTEMÁTICA DE PROJETO


TCC
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
SISTEMÁTICA DE PROJETO
PARTICULARIDADES DAS CORTINAS ATIRANTADAS
 ESTABILIDADE GLOBAL (EXTERNA)
-Métodos
(Bishop, Culmam, Jambu, Spencer,
Morgenstern-Price, Brasileiro de
atirantamento)
- deve-se levar em conta a força
do tirante no equilíbrio


 ESTABILIDADE LOCAL (INTERNA)
-Método de Kranz (1953)



TCC
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
SISTEMÁTICA DE PROJETO
PARTICULARIDADES DAS CORTINAS ATIRANTADAS
 EMPUXO EM PARAMENTOS RÍGIDOS e/ou SOLOS MOLES

- paramento rígido: pouco arqueamento
- solos moles: comportamento próximo a um fluído
- diagrama de empuxo triangular (clássico)
- empuxo entre estado ativo e de repouso

 EMPUXO EM PARAMENTOS FLEXIVEIS

- arqueamento do solo
- rotação e translação da estrutura
- diagrama de empuxo deve ser retificado
- ou diagrama aparente
- empuxo ativo


TCC
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
SISTEMÁTICA DE PROJETO
PARTICULARIDADES DAS CORTINAS ATIRANTADAS


 EMPUXO x PROCESSO COSNTRUTIVO



TCC
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
ASSUNTOS COMPLEMENTARES
ENSAIOS
 ENSAIO BÁSICO

Deve ser feito quando se utiliza um novo tipo de tirante, esse ensaio
consiste na execução do ensaio de qualificação e posterior escavação
ao lado do tirante e na verificação da conformação do bulbo, da
qualidade de injeção e dos comprimentos livre e de ancoragem.

 ENSAIO DE QUALIFICAÇÃO

É utilizado para verificar a capacidade de carga e deslocamentos dos
tirantes, desse ensaio pode-se obter o comprimento livre e avaliar o
atrito ao longo do comprimento livre.
É realizado em pelo menos 1% dos tirantes por obra, 1% dos tirantes
por tipo de terreno e 1% por tipo de tirante, com pelo menos 2
tirantes








TCC
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
ASSUNTOS COMPLEMENTARES
ENSAIOS
 ENSAIO DE RECEBIMENTO

Trata-se do principal ensaio, deve ser realizado em todos os tirantes da
obra para garantira capacidade de carga e do comportamento do
tirante.






 ENSAIO DE FLUÊNCIA

Tem como objetivo avaliar o comportamento do tirante sob o efeito de
cargas de longa duração.
É realizado em pelo menos 1% dos tirantes por obra, 1% dos tirantes
por tipo de terreno e 1% por tipo de tirante), com pelo menos 2
tirantes.




Quantidade de tirantes para ensaio
tipo A mínimo 10% dos tirantes da ora
tipo B demais tirantes restantes
tipo C mínimo 10% dos tirantes da ora
tipo D demais tirantes restantes
tirante permanente
tirante provisório


TCC
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
ASSUNTOS COMPLEMENTARES
USO DO SUBSOLO E VISINHANÇA
• Problema devido a
interferências com sistemas
públicos
• Problema com vizinhos e
interferências em obras
existentes
• Problemas devido à injeção



TCC
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
CONCLUSÕES
• Exige do engenheiro conhecimentos de geotecnia e
de estruturas.

• Seu comportamento pode se tornar extremamente
complexo dependendo da situação.

• Em meio a todos os fatores complicadores as
cortinas atirantadas têm seus fundamentos
baseados nos mesmos conceitos clássicos de
geotecnia e concreto armado fazendo com que o
desenvolvimento de um projeto consista em saber
juntar os conhecimentos das diversas áreas do
conhecimento pertinentes a engenharia civil.



TCC
ASPECTOS DE PROJETO, EXECUÇÃO E COMPORTAMENTO
DE CORTINAS ATIRANTADAS
SUGESTÕES DE PESQUISA
• Determinação do empuxo para múltiplos níveis de
ancoragem

• Estudo do efeito da protensão no empuxo

• Estudo do comportamento da fundação das cortinas

• Influência da ficha nas estruturas com múltiplos níveis de
ancoragem

• Consideração dos efeitos da sequência executiva no
projeto

• Utilização de métodos computacionais para cálculo

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful