Você está na página 1de 5

Aula 1: afinal, o que é empreendedorismo?

o que é ser empreendedor?

• É comum associar a figura de um empreendedor a de um indivíduo sonhador, que está


sempre em busca de realizações, pois ele é capaz de transformar uma ideia em algo
concreto, modificando assim a sua realidade, bem como a dos colaboradores de seu
projeto ou negócio.
• O empreendedor de sucesso é a pessoa que cria algo novo, que vê uma oportunidade
ainda não aproveitada por outra pessoa e que sai da zona de conforto, realizando ações
práticas para a concretização de um sonho.
• Ele também é um indivíduo capaz de entender como suas ideias podem ser a solução
para problemas específicos ou demandas de muitas pessoas. Depois, age para que estas
ideias se transformem em produtos ou serviços que serão oferecidos no mercado.
• Portanto, Empreender é criar algo inovador. Isso pode ser feito com um projeto, na
empresa onde você trabalha, no setor público, no terceiro setor, ou em uma iniciativa
própria de negócio. Não necessariamente empreender significa abrir seu próprio
negócio, mas uma inovação: empreender uma nova ideia que você tem.
Os tipos de empreendedor

• 1. O empreendedor individual: aquele que já executava serviços por conta


própria ou mantinha um microempreendimento e buscou se regularizar.
Empreendedores individuais, são, sem dúvidas, os que mais crescem no país.
• 2. Os empreendedores cooperados: Os empreendedores cooperados, como o
próprio nome já dá indícios, são aqueles empreendedores que se unem em
cooperativas com o intuito de fortalecer a sua atuação ou posicionamento no
mercado.
• 3 O empreendedor digital: é o indivíduo que enxerga na internet e, de modo
mais amplo, no mundo digital, como um todo, uma oportunidade para oferecer
seu produto ou serviço, gerando lucros através disso.
• 4. O empreendedor social: Por fim, o empreendedor social é um indivíduo que
busca solucionar os problemas da sociedade onde vive, e não apenas somente,
gerar lucros.
Por que alguns novos empreendimentos não
obtém sucesso?

Ainda persiste no país a percepção de que não é preciso estudar para
empreender. Qualquer pessoa que pensar em algo precisa buscar
informações para estruturar aquela ideia que teve, para identificar quais
são as estratégias que ela deve adotar para atingir o seu objetivo final.
• Para empreender, não basta ter uma boa ideia, mas pensar
financeiramente de maneira estruturada. O mesmo vale para o sentido
contrário: ao trabalhar a educação financeira, os estudantes lidam com
habilidades empreendedoras: criatividade, proatividade, pensamento
organizado.
• Também é importante elaborar um plano de negócios do novo
empreendimento, que será um guia, tanto financeiramente quanto de
metas a cumprir, para alcançar o objetivo final.