Você está na página 1de 29

Engenharia termotecnica

4 nível
Tema: projecto de dimensionamento de
equipamento de ar condicionado tipo split para
uma residência tipo 3

Discentes:
Docente:
Ivassi W.Mesquita de Sousa
1 Eng° Mário Ventura Mondlane
Ildo Alberto Punguane

Pedrito Lourenço Raposo


INTRODUÇÃO

O desenvolvimento sustentável, na área de engenharia,


inicia se na fase de projecto. Para isso é necessário, fazer
uma obra a escolha correta de materiais, como tubulações
feitas de plástico reciclado, madeira de reflorestamento,
fibras naturais e materiais reaproveitados de demolição
colaboram para a sustentabilidade, assim como um projecto
de dimensionamento ar condicionado residencial, de
localização de portas e janelas possibilitam o aproveitamento
da iluminação e da ventilação natural, o que colabora com a
redução do consumo de energia eléctrica.

2
CONTINUAÇÃO

O aparelho Multi Split é um ar condicionado capaz de


refrigerar e aquecer até cinco ambientes diferentes com
uma única condensadora (unidade externa), o ar
condicionado Multi Split funciona com evaporadoras de
iguais e diferentes capacidades (Btus) e ainda com
tecnologia Inverter, que pode gerar economia de até 60%
no consumo de energia elétrica.

3
OBJECTIVO

Objectivo geral:

Inserido nesse contexto, o presente trabalho tem por


objectivo desenvolver um sistema de controlo e
automação de forma a optimizar o consumo de energia e
obter conforto térmico através de uma boa operação do
sistema de ar condicionado.

4
DEFINIÇÃO DE "CONFORTO TÉRMICO“:

Segundo a ASHRAE Standard 55 (Norma 55 da Sociedade


Americana dos Engenheiros de Aquecimento, Refrigeração e Ar-
Condicionado) American Society of Heating, Refrigerating and Air-
Conditioning Engineers), o "Conforto Térmico" pode ser definido
como:
"Um estado ou condição de sentir satisfação com relação ao
ambiente térmico em que a pessoa se encontra. Se o resultado das
trocas de calor a que o corpo da pessoa se encontra submetido for
nulo, e a temperatura da pele e suor estiver dentro alguns limites
aceitáveis, é possível dizer que a pessoa sente Conforto Térmico."
5
INDICES DE CONFORTO TÉRMICO

Foram desenvolvidos a partir de diferentes aspectos


do conforto:

 Biofísicos (troca de calor corpo-ambiente)

 Fisiológicos (reações fisiológicas a partir dos


parâmetros aseguir citados)

 Subjetivos

6
A SENSAÇÃO DE CALOR E/OU FRIO É DETERMINADA
POR:

7
FACTORES QUE INFLUEM NO CONFORTO

1. Metabolismo;

2. Temperatura da pele;

3. Roupa que usa

4. Temperatura do ar

5. Temperatura à superfície dos elementos

6. Umidade relativa do ar

7. Velocidade do ar
8
RECURSOS COMPLEMENTARES DE
CONDICIONAMENTO TÉRMICO

 Ar condicionado
Acopla necessidades de resfriamento que seguem desde a
temperatura ambiental externa até condições de exposição a
poluição sonora.
 Expansão direta: aqueles em que o gás refrigerante é o
responsável pelo resfriamento do ar injetado no ambiente,
como nos equipamentos do tipo split e os de janela.
 Expansão indireta: aqueles em que o gás refrigerante resfria
a água que circula pelo sistema, sendo esta a responsável
pelo resfriamento do ar. Esse é o funcionamento das centrais
de água gelada. 9
EQUIPAMENTOS EM AR CONDICIONADO

 Serpentinas
 Ventiladores
 Torres de resfriamento
 Condensadores
 Humidificadores
 Filtros de ar

10
11
CARGA TÉRMICA

A carga térmica é a quantidade de calor sensível e latente,


que deve ser retirada (resfriamento) ou colocada
(aquecimento) no recinto a fim de proporcionar as condições
de conforto desejada ou manter as condições ambientes
adequadas para a conservação de um produto ou para
realização de um processo de fabricação.

12
OS FATORES QUE INFLUEM CARGA TÉRMICA

 Radiação solar através de superfícies transparentes tais como


vidros das janelas;
 Condução de calor através das paredes externas e telhados;
 Condução de calor através das paredes internas, divisórias,
tetos e pisos;
 Calor gerado dentro do ambiente pelos ocupantes, luzes,
equipamentos, desenvolvimento de processos ou qualquer
outra fonte geradora de calor;
 Calor proveniente da ventilação (ar exterior) e infiltração de ar
exterior;
 Calor gerado por outras fontes.
13
CONTINUAÇÃO

A seleção correta do equipamento para humidificação ou


desumidificação e resfriamento é feita levando- se em
consideração os valores de calor sensível e latente.

O ganho de calor sensível é o ganho de calor de um


determinado ambiente devido à transmissão por radiação,
condução ou convecção, ou devido ainda a estas formas
simultaneamente.

14
As parcelas que compõem o cálculo da carga térmica são:
 Cargas externas;

 Cargas internam;

 Carga de ventilação e infiltração.

Para o cálculo da carga externa, as seguintes informações são


necessárias:
 Orientação e dimensões dos ambientes da edificação;

 Características dos materiais do piso, paredes, teto, forro falso e


vidros das janelas e portas;
 Tamanho e utilização do espaço a ser condicionado;

 Condições externas do ambiente e condições dos

 ambientes adjacentes.

15
Calculo da carga térmica para o a escolha de um equipamento
multsplit de uma casa tipo 3 que será localizado na zona norte da
vila de Songo província de tete cujo é uma zona urbana os dados
para o calculo da carga térmica estão na tabela abaixo e os
equipamentos. O quarto de banho e a cozinha a área de serviço
não será dimensionada, pois na cozinha coloca-se normalmente
um exaustor que ira ajudar na remoção de calor e nos quartos de
banho temos um grau de humidade elevado e normalmente não
fica-se lá por muito tempo.

16
DADOS DO PROJECTO
Condições externas Condições internas
Simbologia Unidade Valor Simbologia Unidade Valor
TBS ᵒC 32 TBS ᵒC 24
Hr % 60 Hr % 45
TBU ᵒC 25,9 TBU ᵒC 15,2
W kg ar/kg 0,0184 W kg ar/kg 0,0084
V m3/kg 0,8889 V m3/kg 0,8528
h kJ/kg 80 h kJ/kg 47
∆𝑻 = 𝑻𝒂𝒎𝒃 −ᵒC
To 𝑻𝒊𝒏𝒕 =8ᵒC 23,9 To ᵒc 11,1
Tnc=Tc+∆t=28,1ᵒC
∆𝑻 = 𝟓, 𝟓 − 𝟏, 𝟒 = 𝟒, 𝟏
Condições do ambiente não condicionado
Tnc ᵒC Hr % H kJ/kg TBU ᵒC V m3/kg To ᵒC W kg/kgar
17

28,1 45 56 19,4 0,8667 14,9 0,0109


Materiais de construção
Parede externa U [kcal/hm^2ᵒc]
Tijolo maciço (20*10*6cm) uma vez (24cm) =20tij+2revestiment 1,95
Parede interna U [kcal/hm^2ᵒc]
Tijolo maciço (20*10*6cm) uma vez (24cm) =20tij+2revestiment 1,66

Janelas U [kcal/hm^2ᵒc]
Vidro comum simples 5,18
Piso U [kcal/hm^2ᵒc]
Concreto interna 15cm 2,83
Teto U [W/m^2k]
Forro PVC (1,0cm) câmara-de-ar (> 5cm) telha cerâmica 1,505

Para a potencia de iluminação recomendas o uso de lâmpadas


florescente lux onde o factor de multiplicação e de potencia
dissipada e de 9w/m2 e o numero de pessoas recomenda-se 18
para salas dividir a área por 8 e quartos dividir por 10
Potência de iluminação em cada Determinação de número de

ambiente pessoas

Sala comum 529,902 W Ambiente area [m2] Np


Sala comum 58,878 7,4 8
Quarto 1 202,86 W
Quarto 1 22,54 2,3 3
Quarto 2 132,3 W Quarto2 14,7 1,5 2
Quarto 3 149,04 W Quarto 3 16,56 1,7 2
CÁLCULO DE CARGA TERMICA NA SALA COMUM

Dados da sala
A=58,8m2 ;3 Janelas (1,5X1,5)m , 1
Porta com 0,90X2,0m
As paredes são de construção clara
,Parede 1 oeste , Parede 2 norte de
oeste , Parede 3 oeste 19
equipamentos em cada ambiente
sala comum Nequip Potencia umidade
Calor de Iluminação
computador 1 30 w 𝑸𝒊𝒍𝒖 = 𝑷𝒊𝒍𝒖𝒎 × 𝟏, 𝟏 (𝑭𝒍𝒐. )
fax 1 13 w
televisor plasma 12-20pl 1 300 w
Hlv=583kcal/h
copiadora de mesa 1 85 w
Vj=3m3/p e Vp=6,5m3/p
inressora de mesa 1 100 w Q=35 m3/pessoa
monitor 1 80 w
conjunto de som 1 100 w A vazao de ar e multiplicada
aspirador de po 1 750 w pelo numero de Pessoas Np
teclado 1 50 w Calor de eqip.
total 1508 w Mulpl.por 0,86
Cálculo do Condução pelas Paredes
Calor de Pessoas
𝑸𝒄𝒑𝒆 = 𝑼 ∗ 𝑨 ∗ (𝑻𝒆𝒙𝒕 − 𝑻𝒊𝒏𝒕 )
𝑸𝒑𝒆.𝒍 = 𝑵𝒑 × 𝑪𝒂𝒍𝒐𝒓 𝒍𝒂𝒕𝒆𝒏𝒕𝒆 𝒍𝒊𝒃𝒆𝒓𝒕𝒂𝒅𝒐
Calor de Insolação
𝑸𝒑𝒆.𝒔 = 𝑵𝒑 × 𝑪𝒂𝒍𝒐𝒓𝑺𝒆𝒏𝒔𝒊𝒗𝒆𝒍 𝒍𝒊𝒃𝒆𝒓𝒂𝒅𝒐
𝑸𝒊𝒏𝒔 = 𝑼 ∗ 𝑨 ∗ ∆𝑻𝒊𝒏𝒔
Calor de Infiltração
Cálculo de calor devido a ventilação
𝑸𝒊𝒏𝒇.𝒍 = 𝑽𝒊𝒏𝒇 ∗ 𝒉𝒗𝒍 ∗ (𝑾𝒇 − 𝑾𝒊 ) 20
𝒒𝒔 = 𝟎, 𝟐𝟗𝑿𝑸(𝑻𝒇 − 𝑻𝒊)
𝑸𝒊𝒏𝒇.𝒔 = 𝑽𝒊𝒏𝒇 ∗ 𝝆𝒂𝒓 ∗ 𝒄𝒑 ∗ (𝑻𝒇 − 𝑻𝒊 )
𝒒𝒍 = 𝒉𝒍𝒗 (𝑾𝒇 − 𝑾𝒊)
CARGA TERMICA TOTAL NA SALA
Calor de condução 1474,21kcal/h 𝑪𝑻𝒔
𝑭𝑪𝑺 = = 0,74632
Calor de insolação 2042,931kcal/h 𝑪𝑻
Calor de pessoas 1328,8kcal/h
Calor de infiltração 227,3487kcal/h
Calor ventilação 2321,635kcal/h 36494 BTU/h
Calor de equipamentos 1296,88kcal/h 3 TR
Calor iluminação 500,6951kcal/h 11 kW
Total 9192,499kcal/h

𝑪𝑻𝒔 = 𝑸𝒄 + 𝑸𝒊𝒏𝒔 + 𝑸𝒑𝒆.𝒔 + 𝑸𝒊𝒍𝒖 + 𝑸𝒊𝒏𝒇.𝒔 + 𝑸𝒆𝒒 + 𝑸𝒗𝒆𝒏𝒔 = 6860,511 kcal/h

𝑪𝑻𝒍 = 𝑸𝒑𝒆.𝒍 + 𝑸𝒊𝒏𝒇.𝒍 +𝑸𝒗𝒆𝒏𝒕𝒍 = 2331,989 kcal/h

𝑪𝑻 = 𝑪𝑻𝒔 + 𝑪𝑻𝒍 =9192,499 kcal/h

São feitos os cálculos de forma análoga para os


outros espaços quarto a seguir vai apresentar os
quadros de resultados. 21
QUARTO 1 Quarto 1 Neq. Pot. Umid.
Computador 2 30w 60
Televisor plasma 1 50w 50
Medidor de stress 1 173w 173
Telefone e fax 1 13w 13
Telefone movel 4 10w 40
TOTAL w 336
Carga térmica total no quarto 1
Calor de condução 728,786kcal/h
Calor de insolação 1802,006kcal/h
Calor de pessoas 498,3kcal/h
Figura 2 : Croque do quarto Calor de infiltração 156,551kcal/h
Calor ventilação 580,409kcal/h
16859 BTU/h Calor de equipamentos 288,96kcal/h
1 TR Calor iluminação 191,679kcal/h
5 Kw Total 4246,689kcal/h
22
QUARTO 2 Quarto 2 Nequip Potencia Unid.
Computador 2 30w 60
Telefone móvel 2 10w 20
Televisor 1 50w 50
Vídeo game 1 10w 10
Total w 140
Carga térmica total no quarto 2
Calor de condução 614,477kcal/h
Calor de insolação 1770,130kcal/h
Calor de pessoas 332,2kcal/h
Calor de infiltração 156,550kcal/h
Calor ventilação 290,204kcal/h
Calor de equipamentos 120,4kcal/h
Figura 2 : Croque do quarto Calor iluminação 125,008kcal/h
Total 3408,969kcal/h
13534 BTU/h
1 TR
4 Kw 23
QUARTO 3
Carga térmica total no quarto 3
Calor de condução 633,539kcal/h
Calor de insolação 838,592kcal/h
Calor de pessoas 332,2kcal/h
Calor de infiltração 156,551kcal/h
Calor ventilação 580,409kcal/h
Calor de equipamentos 154,8kcal/h
Calor iluminação 140,825kcal/h
Total 2836,915kcal/h
Figura 2 : Croque do quarto

11263 BTU/h
1 TR
3 kW
24
SELEÇÃO DE EQUIPAMENTOS
Com base nas cagas termicas obtidas de todos
compartimentos propoe-se a escolha dos seguintes
equipamentos. conforme a figura no slyde seguinte preveu-
se que na sala tera duas unidades evaporadoras , no e
cada quarto uma unidade evaporadora.ecolheu-se uma
unidade condessadora modelo FM56AHUYO

25
26
CONCLUSÃO

As estratégias de controlo obtiveram conforto térmico.


Verificou-se pela análise do PMV (Predicted Mean Vote) que
as duas estratégias atenderam às normas vigentes para
conforto em sistemas HVAC (Heating, Ventilantion and Air-
Conditioning), mesmo nos momentos onde há uma maior
actividade, como também, nos horários mais quentes do dia.

O resfriamento evaporativo apresentou bom funcionamento,


principalmente, em períodos secos, uma vez que tal sistema
aumenta a umidade relativa, renova e promove o resfriamento
do ar. Nesse sentido, a utilização do sistema multi-split
apresentou benefícios significativos para a climatização e
condicionamento de ar.
27
CONTINUAÇÃO

Como perspectivas para trabalhos futuros sugere-se implementar


controlos mais robustos, levando em consideração variáveis como
eficiência do processo evaporativo, PMV. Adicionar a tecnologia RFID
aos próximos controlos. Interligar toda a rede wireless do LARA,
concentrando o controlo em um único módulo coordenador. Refazer e
melhorar o hardware utilizando tecnologia de circuito impresso e smd.
Utilizar conjunto de sensores para calcular o PMV instantâneo e sem
aproximações.
Também verificou-se que ao dimensionar uma instalação os números
dos ocupantes, equipamentos usados, iluminação, influencia
diretamente na escolha dos equipamentos de ar condicionado. Isto e
quanto maior for a carga térmica maior será a capacidade da unidade
condensadora.

28
Fim

Obrigado pela atenção dispensada!

29