Você está na página 1de 198

Centro de Treinamento – Beckhoff Brasil

Beckhoff Pág. 1
Treinamento Módulo I – Hardware / Software

1° Dia
•Capitulo 1
 Bus Coupler & Bus Terminal
 Fieldbus Boxes

•Capitulo 2
 Controle Baseado em PC

•Capitulo 3
 TwinCAT System
Beckhoff Pág. 2
Treinamento Módulo I – Hardware / Software

2° Dia
•Capitulo 4
 TwinCAT – PLC Control
 TwinCAT – Introdução Com ADS

•Capitulo 5
 TwinCAT - EtherCAT

Beckhoff Pág. 3
Treinamento Módulo I – Hardware / Software

3° Dia

• Capitulo 6
 TwinCAT – Bus Controllers (BCs)

• Capitulo 7
 TwinCAT – Debug & Diagnoses

• Duvidas finais e Perguntas

Beckhoff Pág. 4
Beckhoff Brasil
Matriz
Rua Continental, 146
Jardim do Mar
São Bernardo do Campo
09750-060
www.beckhoff.com.br
(11) 4126 3232

Vendas:
- Marcos Giorjiani
- Cleber Correia
- Vinicius Albuquerque
- Silvio Leonardo

Filial Campinas
Vendas:
- Celio Marcondes
- Thiago Lima

Filial Joinville
Vendas:
- Maikon Frohlic

Beckhoff Pág. 5
Beckhoff Brasil – Suporte Técnico

 Suporte Técnico

 Treinamento

 Eng. Aplicações

 Service

Beckhoff Pág. 6
Beckhoff Brasil – Assistência Técnica

 Assistência Técnica

 Testes de equipamentos

 Estudo de Produtos

Beckhoff Pág. 7
Beckhoff - Europa

Sedes
Filiais
Sede do distribuidor
Filial do distribuidor

Beckhoff Pág. 8
Beckhoff - Mundial

Beckhoff Pág. 9
Grupo BECKHOFF

Mr. Bill Gates Mr. Hans Beckhoff


Beckhoff Pág. 10
Grupo BECKHOFF

Beckhoff Pág. 11
Histórico da Tecnologia

Beckhoff Pág. 12
Histórico da Tecnologia

Beckhoff Pág. 13
Grupo BECKHOFF

Principais Aplicações:
Autopeças;
Indústria Plástica;
Máquinas Ferramentas;
Máquinas de Usinagem;
Indústria de Pneus;
Indústria Aeroespacial;
Indústria Automotiva;
Indústria Alimentícia;
Geração e Distribuição de Água e Energia;
Automação Predial.
Beckhoff Pág. 14
Beckhoff - Aplicações

Beckhoff Pág. 15
Cap. 1 – Bus Coupler e Bus Terminal

Beckhoff Pág. 16
Bus Terminal – Módulos de IO

Tecnologias dos Acopladores e Cartões de E/S:

Barramento Digital – KBUS;


Barramento Digital – EBUS - EtherCAT

Protocolo Proprietário
EtherCAT
Upgrade

Kbus Downgrade Ebus


 Primeira tecnologia desenvolvida pela  Atual tecnologia BECKHOFF @ 2003;
BECKHOFF @ 1995;  Transferência de dados @ atuais 100Mhz;
 Transferência de dados @ 3Mhz;  Permite até 65535 dispositivos (Cartões) no
 Permite até 255 dispositivos (Cartões) no barramento;
barramento.  Compatibilidade com o enlace físico do Ethernet
(IEEE 802.3).

Beckhoff Pág. 17
Bus Coupler e Bus Terminal

Bus Coupler (BKs Ou EKs)


Cabeça de Rede;
Não programável.

Bus Coupler (BCs - BXs)


Controlador Lógico Programável;
Podem ser utilizados como uma
simples cabeça de rede ou ter dupla
função;
 Permite Integração total com o meio
externo, atravéz das ferramentas de
software;
 Ferramenta de programação baseada na
IEC-61131-3 – PLC Control.

Beckhoff Pág. 18
Bus Coupler e Bus Terminal

Bus Coupler Área 01


(BKs)
Profibus DP

CCM

Bus Terminals

Bus Coupler
(BKs) Área 02

Controlador

Beckhoff Pág. 19
Bus Coupler e Bus Terminal

Máquina 02
Bus Coupler
(BC´s)

Profibus DP

Máquina 01

I/O

Beckhoff Pág. 20
Bus Coupler e Bus Terminal

Bus Coupler (BK,BC, BX ou CX) Bus Terminals


Free Mix de sinais

 O sistema de Bus
Terminal BECKHOFF
permite ao usuário um
sortimento irrestrito de
sinais em cada estação!

Os cartões estão


disponíveis em corrente,
tensão, termoresistências,
funções especiais,
motores de passos,
comunicações seriais,
Porta de Parametrização entre outros.

Beckhoff Pág. 21
22 Diferentes Protocolos

MP-Bus

EIB

LON
Fipio DALI

Beckhoff Pág. 22
Bus Coupler – Controlador Lógico Programável
CODIFICAÇÃO DOS ACOPLADORES DE BUS (BUS COUPLER):
PROTOCOLOS:
- 1XXX - ETHERCAT
- 2XXX – LIGHTBUS
- 3XXX – PROFIBUS
- 4XXX – INTERBUS
- 51XX – CANOPEN
- 52XX – DEVICENET
- 6 - REFERE-SE AOS MÓDULOS DE E/S RS232/485, Encoders LON, EIB, SSI...
- 73XX – MODBUS
- 75XX – SERCOS
- 8XXX – RS485
- 81XX – RS232
- 9XXX – ETHERNET (TUDO ENCAPSULADO ETHERNET)
- 9103 – PROFINET - 9500 - USB
- 9105 – ETHERNET/IP

Beckhoff Pág. 23
Bus Terminal (K-BUS)
CODIFICAÇÃO DOS MÓDULOS DE E/S (BUS TERMINAL) :

-ENTRADA DIGITAL: KL1XXX; KM1XXX (ALTA DENSIDADE); KS1XXX,


-SAÍDA DIGITAL: KL2XXX; KM2XXX (ALTA DENSIDADE); KS2XXX
-ENTRADA ANALÓGICA: KL3XXX; KS3XXX (FIAÇÃO REMOVÍVEL)
-SAÍDA ANALÓGICA: KL4XXX; KS4XXX
-FUNÇÃO ESPECIAL (MOTION CONTROL) : KL5XXX
-COMUNICAÇÃO: KL6XXX (SERIAIS 232/485; LON; EIB; ASI)
-MÓDULOS DE SISTEMA: KL9XXX (FONTES DE ALIMENTAÇÃO, TERMINADORES, ETC)
-MÓDULO DE POTÊNCIA (CONTATORES): KL8XXX
KLxxxY
Y: Representa o numero de pontos de i/o por cartão
basicamente 1, 2, 4 ou 8 pontos, mas há exceções!
ex: KL1809, KM1004, etc...

Beckhoff Pág. 24
Bus Terminal (E-BUS)
CODIFICAÇÃO DOS MÓDULOS DE E/S (BUS TERMINAL) :

-ENTRADA DIGITAL: EL1XXX; ES1XXX


-SAÍDA DIGITAL: EL2XXX; ES2XXX
-ENTRADA ANALÓGICA: EL3XXX; ES3XXX (FIAÇÃO REMOVÍVEL)
-SAÍDA ANALÓGICA: EL4XXX; ES4XXX
-FUNÇÃO ESPECIAL (MOTION CONTROL - ENCODER) : EL5XXX; ES5XXX
-FUNÇÃO ESPECIAL (MOTION CONTROL – STEPPER MOTOR): EL7XXX;ES7XXX
-COMUNICAÇÃO: EL6XXX (SERIAIS 232/485; LON; EIB; ASI)
-MÓDULOS DE SISTEMA: EL9XXX (FONTES DE ALIMENTAÇÃO, TERMINADORES, ETC)
ELxxxY
Y: Representa o numero de pontos de i/o por cartão
basicamente 1, 2, 4 ou 8 pontos, mas há exceções!
ex: EL1809.

Beckhoff Pág. 25
Bus Terminal (K-BUS / E-BUS)

Em resumo podemos dizer:


Tipo do dispositivo de acionamento
(relé, transistor, etc...)

Numero de canais (8)

KL 2408
Numero de canais (8 canais)

Cartões digitais de saída

Forma de conexão (L = Local ou S = Socket)

Tipo de barramento (K = KBUS ou E = EBUS)

Beckhoff Pág. 26
KSxxxx | Conexão de I/Os Plugavel

Beckhoff Pág. 27
Conectores Multiplos (KMs)

Plug-in wiring:
 Indicadores de Status do Cartão (Opcional);
 LEDs Indicadores de Status (Opcional);
 Sistema Push Wire;
 Até 64 pontos em um Unico Cartão;
 Isolante do barramento de Potencia.
Códigos:
• KM10xx-0000 (sem conector)
• KM10xx-0001 (conector de 1 pino sem indicação – status led)
• KM10xx-0002 (conector de 1 pino com indicação – status led)
• KM10xx-0004 (conector de 3 pinos com indicação – status led)

Beckhoff Pág. 28
Bus Coupler e Bus Terminal

Conversor Alimentação das unidades...


DC-DC
Alimentação do K-Bus
Corrente Máxima 1,75 Amp
(Depende do modelo de
Acoplador)

Barramento de Potência
Alimentado pelos bornes +,+ e -,-.
Corrente máxima de 10 A

O Acoplador de Rede fornece alimentação para os módulos


de E/S – KL, KS ou KM.

Beckhoff Pág. 30
Bus Coupler e Bus Terminal

Alimentação das
24V 0V unidades...
24V 0V

24V V1
0V

24V 24V

24V
0V 0V

0V
V2

KL9400
Mais 2000 mA
Beckhoff Pág. 31
Bus Coupler e Bus Terminal
Exemplo de calculo de corrente barramento digital Kbus...

Imaginemos uma configuração com:


4x KL2408 (kbus @ 18mA)
2x KL3454 (kbus @ 85mA)
1x KL5152 (kbus @ 50mA)
1x KL6021(kbus @ 65mA)

18mA 85mA 50 65mA

Ok! Corrente kbus < 1750mA


Beckhoff Pág. 32
Bus Coupler e Bus Terminal

Alimentação das unidades...


24V 0V
KL9200 –
(24 Vcc)

24V V1 KL9250 –
(120/230Vca)
0V
V2
KL9190 –
220V (400Vca)

~ Reforço +10A

0V

Beckhoff Pág. 33
Bus Coupler e Bus Terminal
Exemplo de calculo de corrente barramento de potência...

Considerando a corrente do
barramento de potência:
4x KL2408 (Imax. Potência = 3Amp)

Corrente supera os 10Amp!


Recomenda-se o uso do

!
KL9200

Beckhoff Pág. 34
Bus Coupler e Bus Terminal
Exemplo de calculo de corrente barramento de potência...
Inclusão do KL9200 !

Beckhoff Pág. 35
Bus Terminal extension (KBUS)

Até 255 extensões em um unico O Terminal KL9050 permite um bus end terminal
Bus Coupler (BKxx20). novo barramento de I/OS KL9010
Até 64 Cartões por estação

K-bus extension via


Cabo RJ45 Padrão

Cabo entre as
Extensões de até 15
Metros operation of up
to 64 (255) Bus
KL9020 – Extensor de Terminal Terminals

Beckhoff Pág. 36
…As Vantages

Flexibilidade
Bus Couplers para Diversos Protocolos
quanto ao
numero de
Bus Terminals pontos
para cada tipo de
sinal

Comissionamento
Fácil e Rápido

Montagem sem
ferramentas
adicionais
Compacto e Econômico

Tempo de engenharia reduzido


Beckhoff Pág. 37
Cap. 1 – Fieldbus Boxes (IP67)

Beckhoff Pág. 38
Fieldbus Boxes

protocolo ‘aberto’
Suporta os principais protocolos
selado fieldbus do mercado.
Os módulos tem proteção
classe IP 65, IP 66,
IP 67, são encapsulado e
idealmente preparados para modular
trabalho em ambientes úmido, Permite a extensão de
sujos ou empoeirados. E/S a baixo custo.

Compacto
Os módulos são
extremamente pequenos robusto
facilitando o uso em espaço Sua construção permite a utilização
restrito. diretamente em equipamentos sem a
175 x 30 x 26,5 mm necessidade de painéis ou caixas de
(L x A x P) instalação.

Fiação rápida
Fiação é facilitada pelo uso dos
fieldbuses e das conexões rápidas
pré montadas.

Beckhoff Pág. 39
Fieldbus Boxes

Beckhoff Pág. 40
Fieldbus Boxes - Codificação

Compact Box Coupler Box PLC Box Extension Box


IPxxxx-Byyy IL230x-Byyy IL230x-Cyyy IExxxx

IP IL IL IE

xxxx yyy

Sinal/conexão Sistema de fieldbus


Beckhoff Pág. 41
Fieldbus Boxes – EtherCAT Boxes

EPxxxx-yyyy

Beckhoff Pág. 42
Fieldbus Boxes
CODIFICAÇÃO DOS ACOPLADORES DE BUS (FIELDBUS BOX COUPLER):
PROTOCOLOS:
IP/IL/IExxxx - B110 - ETHERCAT
IP/IL/IExxxx – B200 – LIGHTBUS
IP/IL/IExxxx - B31X – PROFIBUS
IP/IL/IExxxx - B400 – INTERBUS
IP/IL/IExxxx - B51X – CANOPEN
IP/IL/IExxxx - B52X – DEVICENET

IP/IL/IExxxx - B730 – MODBUS


IP/IL/IExxxx - B810 – RS485
IP/IL/IExxxx – B800 – RS232

IP/IL/IExxxx - B90X – ETHERNET (TUDO ENCAPSULADO ETHERNET)

Beckhoff Pág. 43
Visão geral – Bus Terminal, Bus Coupler,
FieldBus Box, EtherCAT Box

Beckhoff Pág. 44
Cap. 2 – Controle Baseado em PC

Beckhoff Pág. 45
Controle Baseado em PC

Exemplo clássico de controle por CLP’s

Rack CLP CNC


F C A E
O L D /
N P A S IHM
T P
E T

Estações Remotas

Beckhoff Pág. 46
Controle Baseado em PC

Exemplo clássico de controle por CLP’s (SCAN)

CLPs : Um programa em um CLP é ciclico.

Diagrama de tempo de um CLP padrão

Processa Programa Proces. Processa Programa Process


Imagem de De CLP Imagem Imagem de De CLP a
Entradas saídas Entradas Imagem
saídas

Ciclo de CLP Ciclo de CLP

Beckhoff Pág. 47
Controle Baseado em PC

Principais Características (Controle Convencional)

 Necessidade de vários Hardwares dedicados;


 Softwares dedicados para cada etapa
(Rede,IHM,PLC,CNC e etc.);
 PC ou Laptop para programação;
 Diversas Versões de Firmware;
 Softwares de Programação diferentes para cada
família de PLC;
 Diversos arquivos para fazer Backup
(IHM,PLC,REDE,CNC e etc.).

Beckhoff Pág. 48
Controle Baseado em PC

SISTEMA BASEADO EM PC – Arquitetura típica

Cartões de E/S distribuídos...

PC com Drivers (Motion Control) distribuídos...


funcionalidades
de um PLC / NC –
Controle em tempo Real.

Beckhoff Pág. 49
Controle Baseado em PC

PC
como
PLC/NC
Sistema distribuído – Cartões E/S + Servodrivers

Beckhoff Pág. 50
Controle Baseado em PC

Principais Características (Controle Baseado em PC)

 Maior Performace ;
 Todas as Etapas da automação são configurados em
um único software (Rede,IHM,PLC,CNC e etc.);
 Possibilidade de Programação direta, dispensando o
uso de LapTops;
 Firmwares compatíveis com todas as versões;
 Mesma Plataforma de Programação (IEC-61131-3)
para todas as famílias (PC/BC/BX, etc);
BackUp facilitado pelo menor número de arquivos.

Beckhoff Pág. 51
Controle Baseado em PC – Modelos de CPUs

performance ARM / X86

IPC
CX Grandes dispositivos
Medios
dispositivos
BX
Pequeno/medio dispositivos

BC
Pequenos
dispositivos

custo
Beckhoff Pág. 52
Overview – Linha CX (Embedded) – Montagem
trilho
CX5000
CX8000
Menor Performance

X86
CPU ARM CPU Atom
1.1 – 1.6 GHZ

CX9000
ARM
CPU X86 IXP420 Xscale CX1020
255/533 MHz X86
CPU Intel Celeron
1GHz
CX1000
X86
CPU Pentium MMX
266 MHz
Maior Performance

CX1030
X86
CX1010 CPU Intel Pentium M
X86 1.8GHz
CPU Pentium MMX
500 MHz

Beckhoff Pág. 53
Controle Baseado em PC - Performances

Test e1: Operações Inteiras


Tempo Execução – Escala linear

3500 16/32 bit


2898
Teste2: Operações Bit
3000 1/16/32 bit
[µs/5000 linhas de codigo

2515 Teste3: Misto (incl. Operações


2500 com REAL)

2000 Test 1
1616 Test 2
1500 1443
1500 Test 3
1000

500
93 39,5 14,12 9,84 5,66 5,62 5,2
0
C Hz

C Hz

z
B 00
B LC

C 00

C 00

C 10

C 00
85 10

2. 20

3. 30
H
M
1

P4 X10

P4 X10
90

G
.P

X3

X9

X9

X1

PI X1

0
C

2
nv
co

II

Beckhoff Pág. 54
Controle Baseado em PC
CERHOST (Acesso remoto - WinCE)
Entrar com o endereço
IP ou hostname da
CPU alvo para a
visualização e
operação da TELA!

ftp://ftp.beckhoff.com/Software/embPC-Control/CE/Solutions/RemoteDisplay/
CeRemDispHost.zip
Beckhoff Pág. 55
Cap. 3 – TwinCat System

Beckhoff Pág. 56
The Windows Control and Automation Technology

Beckhoff Pág. 57
Controle Baseado em PC – Pacotes de SW

TwinCAT - ”The Windows Control and Automation Technology”


 O software de automação TwinCAT
é uma solução completa de automação
para computadores compatíveis com PC.
 TwinCAT é extensivo a qualquer PC compativel com:
real-time control, multiplos IEC 61131-3 PLC,
NC positioning, ambiente de programação,
interface usuário.
 TwinCAT combina a capacidade de
controle de tempo real com uma
plataforma de software aberta e
amplamente utilizada ao redor do mundo,
ex.: Sistema operacional Windows.

Beckhoff Pág. 63
Controle Baseado em PC – Pacotes de SW

TwinCAT CP Versão “free” – Utilizada para implementar a


comunicação ADS (Roteador ADS [ADS Router]) – Uso com
OPC Server;

TwinCAT I/O “NOT FREE”– Utilizada para acesso e


comunicação com a estrutura de E/S BECKHOFF, seja elas as
placas PCI, E/S Ethercat, e tarefas ciclicas de comunicação
das E/S;

TwinCAT PLC “NOT FREE”– Controle de PLC até 4 tarefas e


mais 4 RUNTIMES (Equivale a 4 PLCs);

TwinCAT NC PTP “NOT FREE”– Controle de movimentação de


eixos (Até 255 motores, movimentação absoluta, Flysaw,
sincronismos Gear eletrônico, etc...);

TwinCAT NC I “NOT FREE”– Controle de movimentação de


eixos interpolados (Até 32 grupos com 3 interpolados + 5
auxiliares – Aceita dialeto SIEMENS GCODE);

TwinCAT CNC “NOT FREE”– Controle de movimentação de


eixos interpolados (6 eixos interpolados, CNC Spline, CNC
Transformation, etc...);

Beckhoff Pág. 64
Controle Baseado em PC

Instalação do TwinCAT – sem mistérios!


No Explorer (execute o setup.exe)

Escolha o tipo de
4 licença/controle Preencha os campos
(Registro não necessário! Modo demo) 3

5
Beckhoff Pág. 65
Controle Baseado em PC

Instalação do TwinCAT – sem mistérios! Eleja os itens opcionais...

Escolha 30 days demo...

FIM... Só falta reiniciar o PC!


9 8

Beckhoff Pág. 66
Controle Baseado em PC – Definição RUNTIME

Quando mencionamos ´RUNTIME´ estamos nos


referindo ao software de controle (ou seja – PLC ou NC).
O software (RUNTIME) pode ser executado em diversas
plataformas, tais como, PCs, Embedded systems (WinCE)
ou mesmo em pequenas plataformas (ex: BC9xxx,
BX9000, etc...).
Quando desejamos configurar ou programar um PLC
BECKHOFF, estamos configurando um ´RUNTIME´, que
pode estar disponível local ou remotamente!
O icone que vemos na barra de tarefa do Windows,
na realidade é a representação do „RUNTIME“ local (ou
seja... o seu Notebook ou Desktop será o PLC!).
Beckhoff Pág. 67
Controle Baseado em PC – Target Local

Target Local = PC/LapTop


é o PLC

Beckhoff Pág. 68
Controle Baseado em PC – Definição RUNTIME

Exemplo de programação „LOCAL“


usando o ´RUNTIME´ da propria
máquina como controlador (PLC ou NC).

O endereço (AMS) no rodapé


indica que estamos
comunicando com o PLC
LOCAL (RUNTIME)!
Beckhoff Pág. 69
Controle Baseado em PC – Target Remoto

NÃO precisa de licença Plc1


do RunTime!

O “Target” tem o
RUNTIME

Plc2

O “Target” tem o
Target Remoto = PLC1 e/ou PLC2 RUNTIME
PC/LapTop é o
Terminal de Programação

Beckhoff Pág. 70
Controle Baseado em PC – RUNTIME “Remoto”

Acessando uma unidade „RUN-TIME“ (PLC –BECKHOFF)


No PC/Notebook, usamos
apenas as ferramentas de
programação e configuração Dispositivo
(TwinCAT PLC CONTROL e BECKHOFF com
System Manager) o RUNTIME
(PLC/NC)
Cabo Ethernet instalado!

O endereço (AMS) no rodapé


indica que estamos
comunicando com o PLC
REMOTO (RUNTIME)!

Beckhoff Pág. 71
TWINCAT – System Manager

Carga do TwinCAT System Manager

Beckhoff Pág. 72
Estabelecendo a conexão remota
Tc System Manager

Beckhoff Pág. 73
Estabelecendo a conexão remota e fazendo a
busca do Controlador (PLC / Computador)
Primeiramente fazer a
busca de todos os
PCs TwinCAT na rede
através do botão
„Broadcast Search“.
Então selecionar o PC
a ser conectado
pressionando o
botão„Add Route“.
Um X na coluna
„Connected“
aparecerá, uma vez
que o password tenha
sido digitado.
Caso não apareça
pressione o
botão„Refresh State“.
Beckhoff Pág. 74
Selecionando um „target system“ (PLC) para a
conexão do Tc System Manager

Beckhoff Pág. 75
Tc System Manager – Fazendo a varredura de
uma configuração existente.

Selecione o(s) Device(s) que


voce irá implementar na sua
configuração de I/O!
Beckhoff Pág. 76
Tc System Manager – Ativando o “Free run”
Icone na barra
 Primeiro salve o de ferramenta !
projeto através do
„File/Save As“
 Então troque para o
estado „Config mode“
 Então recarregue o I/O
(Reload I/O) dos
„devices“ e ative o
„free run“
 Você notará que o
estado de „Free run“ e
„Config mode“
piscarão
alternadamente

Beckhoff Pág. 77
Tc System Manager – Adicionando o programa
de controle (PLC)

Selecionar o arquivo de
projeto compilado
[arq].TPY

As variáveis lógicas de I/O


serão disponibilizadas na
tela para fazer a associação
com as variáveis físicas (I/O
de campo).

Beckhoff Pág. 78
Tc System Manager – Link de variáveis
Associação de variáveis (Link do endereço lógico com o físico)

1. Duplo click 3. Click

2. Click
Beckhoff Pág. 79
Tc System Manager – Link de variáveis
Associação de variáveis
• System Manager

Imagens do Processo
 Lado Software
 Lado Hardware

Beckhoff Pág. 80
Tc System Manager – Link de variáveis
Associação de variáveis (Link do endereço lógico com o físico)

Beckhoff Pág. 81
Tc System Manager – Ativando uma
configuração no PLC (RUNTIME)

Generate Mappings

1
2

Activate configuration
Check configuration RUNTIME
3 Running!

Beckhoff Pág. 82
Lendo uma configuração existente com o
Tc System Manager („target“ - PLC)

“UPLOAD DE CONFIGURAÇÃO”

Uma vez conectado. O


arquivo de projeto do
Tc System Manager
pode ser carregado do
„target“ (PLC).

Beckhoff Pág. 83
Tc System Manager – Ativando uma
configuração “vazia” (SIMULAÇÃO)!

NOTA: Este passo cria uma configuração de start-up „vazia“ definida no


System Manager, que previne interferencias de um mapeamento
existente com a execução de um programa de PLC anterior.
Beckhoff Pág. 84
Tc System Manager – DEVICES

Os Devices no TcSM (I/O Configuration -> I/O Devices…) são as interfaces de


comunicação com os dispositivos remotos!

Interfaces de Comunicação:
Lightbus
Profibus DP
Profinet
CANOpen
DeviceNet/Ethernet I/P
Sercos
EtherCAT
Ethernet
USB
Interbus-S
Hw BECKHOFF
Miscelaneous
• Serial
• Paralelo
• etc...

Beckhoff Pág. 85
Tc System Manager – Profibus DP
Exemplo: Configurando uma rede Profibus-DP (arquivos GSD/GSE)

1. Click

Selecione o arquivo
“descritor” (gsd)

Beckhoff Pág. 86
Cap. 4 – TwinCat PLC Control

Beckhoff Pág. 87
Tc PLC Control – Carregando aplicativo PLC
Control

Beckhoff Pág. 88
Tc PLC Control – Criando um programa
Informa o tipo de
linguagem
selecionada!
Ferramentas

Variáveis

Programas

Área Programação

FeedBack Sistema

Beckhoff Pág. 89
Tc PLC Control - Linguagens

IEC 61131-3

Linguagens:
• ST (Texto Estruturado)
• IL (Lista de Instruções)
• LD (Ladder)
• FBD (Blocos de Função)
• CFC (Blocos de Função Continuo)
• SFC (Logica de passos “GrafSet” )

Beckhoff Pág. 90
Tc PLC Control – Exemplos Programas em IL

[ IL ] - Instruction List
(Lista de Instruções)

Beckhoff Pág. 91
Tc PLC Control – Exemplos Programas em FBD

[ FBD ] - Function Block Diagram


(Diagrama Blocos de Função)

Beckhoff Pág. 92
Tc PLC Control – Exemplos Programas em ST

[ ST ] - Structure Text
(Texto Estruturado)

Beckhoff Pág. 93
Tc PLC Control – Exemplos Programas SFC

[ SFC ] - Sequence Flow Chart


(Seqüência de fluxo)

Beckhoff Pág. 94
Tc PLC Control – Exemplos Programas em CFC

[ CFC ] - Continuos Flow Chart


(Diagrama de fluxo contínuo)

Beckhoff Pág. 95
Tc PLC Control – Main Program

Programa A

Programa C Main Programa B

3
4
2

Beckhoff Pág. 96
Tc PLC Control – Criando Programas

1 4 Nome

5
3

2
Linguagem

Beckhoff Pág. 97
Tc PLC Control – Tipos de Variáveis

Tipo Qq. - Palavra Tipo Qq.-Tipo Palavra Chave


Tipo chave
Ponto Qq. _Real REAL
Booleano Qq._Bit BOOL flutuante
simples
Bit string(8) BYTE
Ponto LREAL
Bit string(16) WORD flutuante
Bit string(32) DWORD longo
Data Qq. _Data DATE (D)
Inteiro curto Qq. SINT
_Num Tempo TIME_OF_DAY
Inteiro INT HH:MM:SS (TOD)
Inteiro duplo DINT Data e hora DATE_AND_TIME
Inteiro curto sem sinal USINT (DT)
Inteiro sem sinal UINT Tempo Qq._Time TIME
Inteiro duplo sem sinal UDINT Caracteres Qq._Strin STRING
sequenciais g

Exemplo:
VarReg1 : LREAL; VarReg3 AT %MB20: INT;
VarReg2 AT %QX12.5: BOOL; VarReg4: WORD;

Beckhoff Pág. 98
Tc PLC Control – Tipos de Variáveis

Variáveis Locais Variáveis Globais

Beckhoff Pág. 99
TwinCAT - Dados remanecentes ou persistentes

RETAIN
PERSISTENT

Os dados podem
Os dados somente podem ser ser excluidos
excluidos através do através do „Reset“
„Reset All“ ou „Clean all“

Habilitar
arquivamento

Habilitação do arquivamento
não é necessário

Beckhoff Pág. 100


TwinCAT - Dados remanecentes ou persistentes

Nota Importante:
 Dados persistentes (persistent e retain) somente
são armazenados se o serviço do sistema TwinCAT
é encerrado normalmente (Shutdown). Isto
usualmente envolve o uso de UPS para o
desligamento do computador.
 Dados também são escritos se o computador é
encerrado (shutdown) manualmente.
 Um novo boot project tem que ser criado se as
variáveis „persistent“ e „retain“ forem modificadas!!!

Beckhoff Pág. 101


Tc PLC Control – Tipos de Variáveis [Resumo]

Sintaxes:

Variável Interna ( a ser utilizada internamente na lógica )

Nome:tipo; ( EX.: bBotao1:BOOL; )

Variável de Conexão ( Variável Fisica(I/O) )

Nome AT% I* : tipo; ( EX.: bBotao1 AT%I*:BOOL; )

Nome AT% Q* : tipo; ( EX.: bLampada1 AT%Q*:BOOL; )

As variáveis de conexão podem ser do tipo globais e/ou locais.

Beckhoff Pág. 102


Tc PLC Control – Auto Declaração Variaveis

Uso da tecla [ SHIFT + F2 ]

Classe da
Variável Nome Tipo

Valor Inicial Comentário Variáveis


Conexão, usar:
Endereço %I* = Entradas
%Q*=Saídas

Beckhoff Pág. 103


Tc PLC Control – Explorando o LD/FBD

NetWorks

Linha Antes

Linha Depois

Beckhoff Pág. 104


Tc PLC Control – Explorando o LD/FBD

Blocos

Box With EN
1

Beckhoff Pág. 105


Tc PLC Control – Explorando do LD/FBD
Blocos

Uso da tecla [F2] – “Assistente de entrada”

Selecionar o AND
e pressionar
A Tecla F2 1
3

Beckhoff Pág. 106


Tc PLC Control – Explorando do LD/FBD

Blocos

Nome do Bloco

T#5s

Beckhoff Pág. 107


Tc PLC Control – CrossReference

Referencia cruzada para variáveis, endereços ou POU.

Ctrl+Alt+C

Importante: Para acesso a esta opção o programa


deve ter sido compilado, <Build> ou <Rebuild all>.

Beckhoff Pág. 108


Tc PLC Control – Data Types
Os “Data Types” são utilizados para agruparmos conjuntos de dados, facilitando a
organização e uso do mesmo na programação estruturada IEC 61131-3.

Digitar um nome para a


sua estrutura de dados
(Data Type)

Beckhoff Pág. 109


Tc PLC Control – Data Types

Descrever as variáveis
que farão parte do
conjunto (estrutura) de
dados.

Beckhoff Pág. 110


Tc PLC Control – Data Types

Declarando a
estrutura... Da
mesma forma da
declaração de Uma vez criada a
uma variável instância da
tipo WORD, estrutura, os
BYTE, BOOL, elementos dessa
etc... estrutura são
acessadas pelo
NOME + ponto (.) o
intelisense abrirá
uma lista para a
sua seleção.

Beckhoff Pág. 111


Tc PLC Control – Data Types

Beckhoff 112
Tc PLC Control – Visualization

Click com o botão


da direita sobre a Escolha Add
pasta object e insira
´visualizations´ uma tela!

Aba ´Visualizations

Beckhoff Pág. 113


Tc PLC Control – Visualization

Escolha os
objetos a ser
colocados na tela!
Ex: uso de um
objeto ´Rounded
Rectangle´

Beckhoff Pág. 114


Tc PLC Control – Visualization

Duplo-click e
abrirá a tela de
propriedades...

Category: Variables ->


Preencha o campo
Textdisplay para visualizar
o valor do registrador!

Beckhoff Pág. 115


Tc PLC Control – Visualization

Category: Text -> Preencha o


campo Content para visualizar o
valor do registrador!

Os caracteres [%s] equivale Digite...” Valor: %s“


aos campos formatadores
do código em C (printf) ->
Apresentar valor no formato
String
Beckhoff Pág. 116
Tc PLC Control – Visualization

Campo de visualização de valores.... Quando em linha (online)


o campo %s, será substituido pelo valor numerico do
registrador.
Beckhoff Pág. 117
Tc PLC Control – Visualization

Inserção do objeto
”Button”

Beckhoff Pág. 118


Tc PLC Control – Visualization

Selecione Toogle e
pressione [F2]
escolhendo a variável
(bool) para ser
comandada!

Escolha a Category: IMPORTANTE: Para “forçar” valores em uma


Input variável esta deve ser preferencialmente uma
variável interna ou saída!
Beckhoff Pág. 119
Tc PLC Control –Visualization
(WinCE TargetVisu)

IMPORTANTE: Para habilitar a transferência das telas para o “Target


com WinCE” (PLC), é necessário ativar o checkbox antes de fazer o
download.

Beckhoff Pág. 120


Tc PLC Control - Selecionando um „target system“
(PLC) para a conexão do (target + runtime)

IMPORTANTE!!!!

Beckhoff Pág. 121


Tc PLC Control - Selecionando um „target
system“ para o PLC

IMPORTANTE!!!!

Quando ”Conectado“ o sistema mostra o “target” que está em uso!

TARGET => PLC “remoto”


Beckhoff Pág. 122
Tc PLC Control – Fazendo o Login/Logout

Logout [F12]

STATUS do conexão:
Login [F11]
ONLINE => Login
OFFLINE => Logout

Beckhoff Pág. 123


Tc PLC Control – Fazendo Download....

Login [F11]

DOWNLOAD

Plc1

Beckhoff Pág. 124


Tc PLC Control – Create BOOT PROJECT

Para deixarmos o
programa permanente
na memória do PLC, é
necessário fazer o
“Create Boot project “

Importante: Para execução do Create BootProject é necessário que o Tc PLC Control


esteja em linha (Online /Login) com o RUNTIME (PLC).

Beckhoff Pág. 125


Tc PLC Control – Sourcecode Download

Apenas o código
fonte é transferido
para o PLC...
Permitindo assim a
sua recarga
(UPLOAD).

Importante: Para execução do Sourcecode Download é necessário que o Tc PLC Control


esteja em linha (Online /Login) com o RUNTIME (PLC).
Beckhoff Pág. 126
Tc PLC Control – Fazendo UPLOAD....
projeto de um controlador de PLC BECKHOFF
UPLOAD de programa (código fonte)
•O projeto de PLC corrente
pode ser aberto diretamente
do controlador.
Local

Remoto

Beckhoff Pág. 127


Tc PLC Control – Fazendo Upload....

UPLOAD

Plc1

O UPLOAD de programa é feito a partir do código


fonte (Sourcecode). Não fazemos o UPLOAD do
programa binário!

Beckhoff Pág. 128


Tc PLC Control – Export / Import ...

Escolha os itens que


você deseja exportar.

Escolha a pasta e o nome do


arquivo a ser gerado!

Beckhoff Pág. 129


Tc PLC Control – Export / Import ...

Escolha o arquivo
exportado (<nome>.exp)
e click no Abrir.

Beckhoff Pág. 130


Controle Baseado em PC – Diretórios (WinXP)

BACKUP – Principais arquivos


Arquivos de PROJETO:
• [Arq].PRO ou [Arq].PR6 ou [Arq].prx -> Arquivos plc control
• [Arq].TSM -> Arquivos System Manager

O principal diretório de instalação do TwinCAT é a pasta


C:\TwinCAT nesta pasta é armazenado todos os componentes
do sistema TWINCAT.

As bibliotecas de funções ficam armazenadas no diretório


C:\TwinCAT\Plc\PLIB.
O diretório C:\TwinCAT\BOOT é responsável por manter as
configurações e o Boot Projects (programas de controle).

Beckhoff Pág. 131


Tc PLC Control – Comunicação ADS

Beckhoff Pág. 132


Tc PLC Control – Comunicação ADS

Beckhoff interface ADS (Automation Device Specification)


 aberta, simples, gratuita e documentada
 muitos fornecedores Scada
 padrão de interface OPC
 DA/AE/XML
 UA (Unified Architecture)
C#, Delphi Explorer VB, C#
VB Third party Third party
VB.Net C++ Third party Delphi/C++

Internet

OCX .Net ASP XML Wrapper


ADS Dll TwinCAT OPC Server
ADS Router
Beckhoff Pág. 133
Controle Baseado em PC – Conectividade Web

Facilidade no uso dos padrões de comunicação:


 ADS (Automation Device Specification)
Acesso ao ADS com mecanismos padrões do Windows:
 controle ActiveX, DII, .Net, ASP, OPC

ADS por TCP/IP


Conexão ADS através
das portas seriais

ADS por TCP/IP ADS por HTTP/SOAP

ADS por Fieldbus

Beckhoff Pág. 134


Controle Baseado em PC – Comunicação ADS
“Aplicação exemplo”
Ex: Link com Visual Basic (OCX)
INTERFACE TcADSDll.Dll

Beckhoff Pág. 135


Controle Baseado em PC – Comunicação ADS
“Aplicação exemplo”
Ex: Link com Visual Basic (OCX)

INTERFACE TcADSDll.Dll

Beckhoff Pág. 136


Controle Baseado em PC – Comunicação ADS
“Aplicação exemplo”
Ex: Link com Visual
Basic (OCX)
INTERFACE ADS Dll

Programa Visual Basic

Beckhoff Pág. 137


Controle Baseado em PC – ADS “EXEMPLO”

Ex: Runtime com PLC Control e Aplicação no Visual Basic

TwinCat PLC CONTROL

Programa PLC Control

Visual Basic

Demonstração de leitura de variaveis. Comunicação ADS & VB


Beckhoff Pág. 138
TwinCAT System – Information System

Help online Ou ...... Http:// infosys.beckhoff.com


Beckhoff Pág. 139
Tc PLC Control – Infomation System

Instalação:

Link para Download:


http://download.beckhoff.com/download/Software/TwinCAT/InfoSystem/1033/
install/InfoSys.exe
Beckhoff Pág. 140
Tc PLC Control – Recursos Infomation System

Beckhoff Pág. 141


Cap. 5 – TwinCAT / ETHERCAT

Beckhoff Pág. 142


Introdução ETHERCAT

Beckhoff Pág. 143


Introdução ETHERCAT – E/S Ultra Rápida

Beckhoff Pág. 144


EtherCAT performance

 200 I/Os analogicos (16 bit) em 50 µs,


 correspondendo a 20 kHz taxa de amostragem
 100 eixos servos em 100 µs
 1000 I/Os digitais em 30 µs
 256 I/Os digitais em 12 µs

Beckhoff Pág. 145


Ethernet e TCP/IP

TCP

IP

Frame Ethernet

Beckhoff Pág. 146


Principio de Funcionamento: Ethernet “on the Fly“

 Vantagens:
 Melhor estrutura de I/O Telegrafada
 Comunicação completamente em hardware: :
Excelente Performace
 Sem necessidade de switch.
 Excelente características de diagnóstico

Beckhoff Pág. 147


Mapeamento de Dados Mestre  Escravos

Beckhoff Pág. 148


EtherCAT - On The Fly

Slave Device Slave Device

EtherCAT Slave EtherCAT Slave


Controller Controller

 Dados do processo é inserido e extraído dos


dispositivos Slave
 Dados de processo podem variar entre 1 Bit…60
Kbyte, dentro do Slave

Beckhoff Pág. 149


Diferença com EtherCAT – Real Time Ethernet

Nova Tecnologia na comunicação com Escravo –> Sem switch

Real Time Ethernet EtherCAT

Switch Delay:
10..300 µs Dependendo do Switch
Beckhoff Pág. 150
Performance EtherCAT
 40 Eixos (A cada 20 Byte Input- e Output-Data)
 50 Estações de I/O com um total de 560 Bus Terminals em
EtherCAT
 2000 Digitais + 200 Analogicos I/O, um comprimento de 500 m
 Desempenho EtherCAT: tempo de atualização: 276µs
a uma carga de 44% do bus, com telegrama de 122µs

56% bandwidth remaining,


e.g. for TP/IP

* Source: Ethernet Powerlink Spec V 2.0, App.3


Beckhoff Pág. 151
Introdução ETHERCAT – Componentes SW
Instalar Service & Protocol do TwinCAT RT-ETHERNET BECKHOFF nas propriedades do
Windows.

Protocol

Beckhoff Pág. 152


Cabos e Conectores EtherCAT

- EtherCAT / Conectores Ethernet, RJ45,


IP20.
-Performace Robusta, para ambientes
industriais.
- Distingui do padrão usado pelas redes de
escritório.

Beckhoff Pág. 153


Introdução ETHERCAT – Componentes SW –
Atualização dos arq. descritor (Ethercat.xml)

O arquivo de descrição
do Ethercat deve ser
atualizado caso a versão
utilizada NÃO contemple
os novos módulos.

Faça o download do arq.


Beckhoff_EtherCAT_XML.zip no site da
BECKHOFF e sobrescreva o seu conteúdo na
pasta C:\TwinCAT\IO\Ethercat....
Beckhoff Pág. 154
Introdução ETHERCAT – Scan de devices

Exemplos de configurações EtherCAT.

Inserção de
dispositivos
EtherCAT.

Beckhoff Pág. 155


Introdução ETHERCAT – Propriedades do
Device Ethercat

- TwinCAT System Manager -


Configuração EtherCAT
(TwinCAT RunTime LOCAL)

Beckhoff Pág. 156


Introdução ETHERCAT – Outros protocolos
sobre o Ethercat

Flexibilidade na configuração.

“DeviceNet Master” – Sub redes

Uso dos BusCouplers e modulos K-bus!

Beckhoff Pág. 157


Introdução ETHERCAT – Topologia Livre

Beckhoff Pág. 158


Introdução ETHERCAT- Visão Geral do sistema

Industrial PC TwinCAT Industrial PC


Embedded PC CX1020,
EtherCAT Terminals ELxxxx

Coupler EK1100, Coupler EK1100, Coupler EK1100, Coupler EK1100, Coupler EK1100, Ethernet Switch
EtherCAT Terminals ELxxxx EtherCAT Terminals EtherCAT Terminals EtherCAT Terminals EtherCAT Terminals
ELxxxx ELxxxx ELxxxx ELxxxx

Coupler EK1100, Coupler EK1100, Coupler EK1100, Embedded PC CX1020, Ethernet Controller CX9000,
EtherCAT Terminals ELxxxx EtherCAT Terminals EtherCAT Terminals EtherCAT Terminals ELxxxx EtherCAT Terminals ELxxxx
Ethernet ELxxxx ELxxxx

Bus Coupler BK1120, Bus Terminals Bus Coupler BK1120, Bus Terminals KLxxxx Coupler EK1000 for Coupler EK1100,
KLxxxx operation at the switch EtherCAT Terminals ELxxxx

Bus Coupler BK1120, Coupler EK1100, Coupler EK1100,


Bus Terminals KLxxxx EtherCAT Terminals ELxxxx EtherCAT Terminals ELxxxx

Coupler Box Extension Box Coupler Box Extension Box


IL230x-B110 IExxxx IL230x-B110 IExxxx

Digital Compact Servo Drives Digital Compact Servo Drives Digital Compact Servo Drives Digital Compact Servo Drives Digital Compact Servo Drives
AX5xxx-B110 AX20xx-B310 AX5xxx-B110 AX5xxx-B110 AX5xxx-B110

Beckhoff Pág. 159


System Manager “ETHERCAT”- Topologia

Beckhoff Pág. 160


EtherCAT - Diagnoses

EtherCAT Diagnosis

• Fazer Diagnósticos nas Arquiteturas de rede EtherCAT.

• Process data:
• “Working Counter” mostra se a troca de dados do processo é
válida ou não.
• Verifica as leituras e escritas dos dados de Processo.

• Estado do mestre
• Estado do Device
• Estado do Escravo
• Estado da Máquina

• Bus diagnosis: CRC, indica se o Frame esta correto ou não.

Beckhoff Pág. 161


EtherCAT – Diagnoses

• Os erros de CRC podem ser


resultados de:
- Erro de Cabeamento
- Problema de contato
- Perda de contato
- Conectores frouxos

Freqüência de ocorrência
na Port A do
Slave
(Possíveis Erros detectados!)

Beckhoff Pág. 162


EtherCAT - Sync Units no TwinCAT System
Manager

Frames e Largura do frame e


Datagrams Working counter
Beckhoff Pág. 164
TwinCAT&EtherCAT: Status

Slave status

Slave-CRC
Port A, B, C, (D)

MasterState

Slave Frame Statistic

Beckhoff Pág. 165


EtherCAT - E-Bus Corrente de consumo

!
Beckhoff Pág. 166
XFC – eXtreme Fast Control Technology

- Eficiência ao máximo da Máquina por XFC


- Fast I/O

Beckhoff Pág. 167


XFC – eXtreme Fast Control Technology

• Diagnostic

Veja diagnose on-line da qualidade da rede

Beckhoff Pág. 168


Cap. 6 – TwinCAT & Bus Controllers (BCs)

Beckhoff Pág. 169


Tc PLC Control – Criando um programa para BC

Programas e bibliotecas
com extensão .pr6 / .lb6

Beckhoff Pág. 170


TWINCAT – PLC Control - Declaração Variáveis

BC9000

 KL9510 (Power supply 10Vdc)


 KL3062 (Entrada Analógica 0-10Vdc)
 KL9200 (Terminal isolador de
Alimentação c/ fusível)
 KL1002 (2 - Entrada digital 24Vdc)
 KL1002 (2 - Entrada digital 24Vdc)
 KL2114 (4 - Saída digital 24Vdc)
 KL2114 (4 - Saída digital 24Vdc)
 KL2114 (4 - Saída digital 24Vdc)
 KL2114 (4 - Saída digital 24Vdc)
 KL9010 (Terminador de bus)

Beckhoff Pág. 171


TWINCAT – PLC Control - Overview

Permite a Configuração
Configuração Permite configuração
via System Manager,
apenas manual Através do System
e inserção dos módulos
Manager
manualmente

BC3150 BC9020 BC3100


BC5150 BC9120 BC5100
BC5250 BC5200

BC8150 BC8000

BC9050 BC9000

Beckhoff Pág. 172


TWINCAT – PLC Control - Declaração Variáveis

Endereçamento para módulos digitais e


analógico
<< Forma compacta >>

Tabela Imagem de E Tabela Imagem de S


%Iw0 Canal 1 Ent. Analógica (DADO) 15 14 13 12 11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 %Qw0
%Iw2 Canal 2 Ent. Analógica (DADO)
%Iw4 3 2 1 0 4 módulos Saídas Digitais

2 módulos Ent. Digitais

Beckhoff Pág. 174


TwinCAT – PLC Control – Inserindo módulo
Bus Controlers

Configuração
apenas manual

1 BC9020
2
BC9120 5

Beckhoff Pág. 175


TwinCAT – PLC Control – Exportando Variáveis
Bus Controlers

1
2

4
3
Beckhoff Pág. 176
TwinCAT – PLC Control – Importando Variáveis
Bus Controles

Beckhoff Pág. 177


TwinCAT – PLC Control – Importando Variáveis
Bus Controles

 Mapeamento
de I/O Importado

Beckhoff Pág. 178


TwinCAT – PLC Control – Bus Controlers

 Após o DownLoad do
programa, faça o “Create
Bootproject”! Isso garante
a execução automática
após reboot do PLC.

 Se for necessário o
“DELETE Bootproject”
elimina o projeto corrente
na memória!

Beckhoff Pág. 179


Cap. 7 – TwinCAT - Debug & Diagnoses

Beckhoff Pág. 180


TWINCAT –Debugs

TwinCAT PLC Control dispõe de ferramentas úteis na detecção


e análise de falhas para as lógicas de programação e
problemas de Hardware.

Podemos citar:

1) Monitoração online
2) Sampling trace
3) Watching and Recipe manager
4) Visualizations
5) Scope
6) Leds de Status dos Devices

Beckhoff Pág. 181


TWINCAT – PLC Control - Debugs

Monitoração online

Beckhoff Pág. 182


TWINCAT – PLC Control - Debugs
Sampling trace

Para abrirmos uma configuração para o


trace, clicar com o botão direito do mouse
e escolher “Trace Configuration”!

Beckhoff Pág. 183


TWINCAT – PLC Control - Debugs

Sampling trace
Uma vez configurada a relação de variaveis podemos visualiza-la no formato gráfico

Beckhoff Pág. 184


TWINCAT – PLC Control - Debugs
Watching and Recipe manager
As variáveis são criadas e armazenadas no projeto para visualização.

É possível
fazer o
“forcing” ou
alteração de
variáveis on-
line.

CTRL+F7 => Write Value


F7 => Forcing Value

Beckhoff Pág. 185


TWINCAT – PLC Control - Debugs

Visualization

Podemos
criar uma
supervisão
para facilitar
a análise e
exercícios
das
variáveis do
programa/
sistema.

Beckhoff Pág. 186


TWINCAT – PLC Control – Debugs SCOPEVIEW
TwinCAT Scope View

Podemos acessar o
aplicativo Scope a partir
do menu iniciar do
Windows.
Beckhoff Pág. 187
TWINCAT – PLC Control – Debugs SCOPEVIEW
TwinCAT Scope View

Beckhoff Pág. 188


TWINCAT – PLC Control – Debugs SCOPEVIEW
TwinCAT Scope View

Beckhoff Pág. 189


TWINCAT – PLC Control – Debugs SCOPEVIEW
TwinCAT Scope View

AMS Net ID -> Identificação do PLC


Server Port -> Identificação do Serviço
Reference -> (0) Symbols
( ) Index Group/Offset
( ) Direct per Symbol

Symbol

Index Group/Offset

Direct per Symbol

Beckhoff Pág. 190


TWINCAT – PLC Control – Debugs SCOPEVIEW
Ativar os “Symbols” no TwinCAT System Manager

Para leitura do “Symbols”


é necessário habilitarmos
o “checkbox” Create
symbols no TwinCAT
System Manager !

Beckhoff Pág. 191


TWINCAT – PLC Control – Debugs SCOPEVIEW

TwinCAT Scope View – Aba Display


Ajuste das escalas do
display para
apresentação das
grandezas monitoradas

Limite inferior e
superior

Ganho e offset
para
visualização

Beckhoff Pág. 192


TWINCAT – PLC Control – Debugs SCOPEVIEW

TwinCAT Scope View – Aba Style


Configura a cor da
“pena/linha” da
grandeza monitorada

Cor e formato
da linha

Tipo e cor dos marcadores


formatados (+, x, triangulo, circulo)

Beckhoff Pág. 193


TWINCAT – PLC Control – Debugs SCOPEVIEW
TwinCAT Scope View

Tempo da janela de
amostragem

Tempo para a janela


circular
Amostragem
simples Tempo de
(Standard) ou atualização/amostragem
circular na tela
(Ringbuffer)
Tempo entre pacotes
de dados via ADS

Beckhoff Pág. 194


TWINCAT – PLC Control – Debugs SCOPEVIEW
TwinCAT Scope View
Seleção do canal de
trigger

Ativação automática do
trigger

Beckhoff Pág. 195


TWINCAT – PLC Control – Debugs SCOPEVIEW
TwinCAT Scope View

Área de plotagem!

Ativação dos
cursores para
medição de
grandezas!

Beckhoff Pág. 196


Diagnose - Hardware

Leds de Dignóstico da Rede

Leds de Dignóstico de I/O

BK3100

Visão geral de um
BK3100 - Profibus

Conexão dos
Bus terminal (K-BUS)

Beckhoff Pág. 197


Diagnose - Hardware

 BK3100: Leds – Diagnóstico.

Beckhoff Pág. 198


Diagnose – Hardware - Documentação

Beckhoff Pág. 199


Diagnose - Hardware

Beckhoff Pág. 200


Diagnose - Hardware
 CX1020: Leds – Diagnostico.

Visão geral
CX1020 – TwinCAT PLC/NC

Conexão dos
Bus terminal (K-BUS)

Beckhoff Pág. 201


Diagnose - Hardware
 CX1020:

Leds – Diagnostico.

Módulo CPU

Beckhoff Pág. 202


Diagnose - Hardware
 CX1020: Leds – Diagnostico. – Power Supply

Beckhoff Pág. 203


Diagnose - Hardware
 CX1020: Leds – Diagnostico. – Power Supply

Error code for


K-Bus diagnosis
(Leds I/O K-BUS)

Beckhoff Pág. 204


TwinCAT – Total Windows Control and
Automation Technology

Beckhoff Pág. 205


TwinCAT – Total Windows Control and
Automation Technology

Beckhoff Pág. 206