Você está na página 1de 13

PLANO DE AÇÃO

Justificativa
• É publico e notório que a 160 anos os governos
gastam dinheiro público com estudos e projetos,
no intuito de levar água para o Nordeste do
Brasil, sempre obtendo resultados limitados.
• Através da Tecnologia Contemporânea, que hoje
nos possibilita fazer esta captação em altitudes
superiores a 700 metros e transportá-la por meio
de gravidade em aquedutos fechados até seu
usuário final.
Quadro Jurídico Institucional
• Parceiro Privado – A responsabilidade do grupo Execut
consiste em demonstrar sua capacidade técnica,
administrativa e econômico financeira para assumir e
executar o objeto desta proposta.
• Parceiro Público – A responsabilidade do Ministério da
Integração Nacional consiste em avaliar a capacidade
do proponente sob os diversos pontos de vista
mencionados nesta proposta e a conformidade do
projeto com respeito as normas legais, bem como em
acompanhar e fiscalizar a execução do
empreendimento.
Objeto
• Reservatórios de Captação – Serão
construídos reservatórios de captação,
localizados em altitudes superiores a 750
metros e situados ao longo e em torno do
paralelo 44.5o de longitude e entre os
paralelos 12.5o e 15o de altitude nos Afluentes
da margem esquerda do Rio São Francisco e
dos afluentes da margem direita do Rio
Tocantins.
Reservatórios de Distribuição
• Serão construídos na Chapada do Araripe(Fronteira de
Pernambuco, Ceará e Piauí), em altitude aproximada
de 600 metros, com capacidade de cerca de 10 milhões
de metros cúbicos.
• Tubulação Primária – O transporte de água dos
reservatórios de captação para os de distribuição ser
assegurado por tubulação primária em algo e/ou
concreto. Onde, em pontos estratégicos desta
tubulação, serão colocados adaptadores para atender a
conexão de futuras redes secundárias de distribuição.
Construção de PCHs
• Em pontos estratégicos ao longo desta
tubulação primária (com distâncias de
aproximadamente 100km), serão construídas
PCHs (Pequenas Centrais Elétricas), com
capacidade entre 5 e 15 MWs.
• Redes Tubulares Secundárias – Serão
construídas redes tubulares secundárias a fim
de distribuir água para uso múltiplo em todo o
nordeste.
Revitalização das Matas Ciliares
• Serão revitalizadas com vegetação auto
sustentável as mas matas ciliares da bacia do
São Francisco e do Rio Paraná em
conformidade com a Política Nacional de Meio
Ambiente e mais especificamente com a
Política de Recursos Hídricos, promulgada pela
Lei 9433 de 08/01/1997.
Desassoreamento
• A Bacia do São Francisco será desassoreada
por meio de bombas de sucção a partir de
poços estrategicamente localizados. Os
detritos serão acumulados em dunas estética
e ambientalmente localizadas.
• Saneamento Básico – Serão construídas
estacões de tratamento de esgoto para
receber os detritos das cidades ribeirinhas.
Proteção Ambiental
• O Grupo Execut promoverá um processo de
Educação Ambiental junto as populações
ribeirinhas. Orientará também os
empreendedores, para que adotem
tecnologias coerentes com o desenvolvimento
sustentável da região.
Projeto de Segurança Hídrica

• Mapa situacional
• Quantificação / qualificação
• Cronograma de Obras
Revitalização Hidroambiental do Rio
São Francisco

• Diagnóstico das margens do Rio São Francisco


e de 10 Sub-bacias hidrográficas;
• Elaboração e implementação de projetos de
recuperação das áreas degradadas para
proteção das nascentes.
Documentos Bancários

• Comprobatórios da fonte financeira (Grupo


Execut).
Documentos Comprobatórios

• Contatos e contratos firmados com estados,


municípios e segmentos do governo Federal;
• Licenças ambientais e outros documentos
inerentes aos processos executivos
convergentes aos objetos propostos.