Você está na página 1de 41

Lean construction

Construção Enxuta

Prof. André Cruz


Mestre em Engenheira Civil
Doutor em Engenharia de Produção
1
Peculiaridades da indústria da construção
identificadas por Meseguer (1991):
1. A construção é uma indústria de caráter nômade;

2
Peculiaridades da indústria da construção
identificadas por Meseguer (1991):
2. Cria produtos únicos e não produtos seriados;

3
Peculiaridades da indústria da construção
identificadas por Meseguer (1991):
3. Não é possível aplicar a produção em cadeia (produtos
passando por operários fixos), mas sim a produção
centralizada (operários móveis em torno de um produto fixo);

4
Peculiaridades da indústria da construção
identificadas por Meseguer (1991):
4. É uma indústria muito tradicional, com grande
inércia às alterações;

5
Peculiaridades da indústria da construção
identificadas por Meseguer (1991):
5. Utiliza mão de obra intensiva e pouco qualificada, sendo
que o emprego dessas pessoas tem caráter eventual e suas
possibilidades de promoção são escassas, o que gera baixa
motivação no trabalho;

6
Peculiaridades da indústria da construção
identificadas por Meseguer (1991):
6. A construção, de maneira geral, realiza seus trabalhos
sob intempéries;

7
Peculiaridades da indústria da construção
identificadas por Meseguer (1991):
7. O produto é único, ou quase único, na vida do usuário;

8
Peculiaridades da indústria da construção
identificadas por Meseguer (1991):
8. São empregadas especificações complexas, quase
sempre contraditórias e muitas vezes confusas;

9
Peculiaridades da indústria da construção
identificadas por Meseguer (1991):
9. As responsabilidades são dispersas e poucos definidas;

10
Peculiaridades da indústria da construção
identificadas por Meseguer (1991):
10. O grau de precisão com que se trabalha na construção é, em
geral, muito menor do que em outras indústrias, qualquer que
seja o parâmetro que se contemple: orçamento, prazo,
resistência mecânica, etc.

11
Lean construction
Construção Enxuta

12
Lean construction
Construção Enxuta

13
Produção como processo de Fluxo
Shigeo Shingo (Anos 50)

“Produção é um fluxo de material e/ou


informação desde a matéria prima até o
produto final. Neste fluxo o material é
processado (conversão), é inspecionado, está
parado ou está em movimento. Estas atividades
são diferentes. O processamento representa a
conversão da produção; a inspeção, o
movimento e o armazenamento representam o
aspecto defluxo da produção”
14
Lean construction
Construção Enxuta

Produção como processo de Fluxo

15
Shigeo Shingo (Anos 50)
Lean construction
Construção Enxuta

BASE CONCEITUAL

“A diferença básica entre a filosofia gerencial


tradicional e a teoria da Lean Production é
essencialmente conceitual. A mudança mais
importante para a implantação do novo paradigma é
a introdução de uma nova forma de entender os
processos”

16
Modelo Tradicional de Processo
Modelo de Conversão

INPUTS OUTPUTS
PROCESSO

Matérias primas DE Produtos


PRODUÇÃO

INPUTS OUTPUTS

Subprocesso A Subprocesso B

17
Modelo Tradicional de Processo
Modelo de Conversão

O Processo de conversão pode ser sub-dividido


em sub-processos, que também são processos
de conversão;

18
Modelo Tradicional de Processo
Modelo de Conversão
O esforço de minimização do custo total de um
processo em geral é focado no esforço de
minimização do custo da cada sub-processo
separadamente

19
Modelo Tradicional de Processo
Modelo de Conversão
• O valor do produto (saídas) de um sub-processo
é associado somente ao custo (ou valor) de seus
insumos

20
Deficiências do Modelo de Conversão

• Não considera atividades de fluxo entre


conversões;

21
Deficiências do Modelo de Conversão
• O controle da produção e esforço de melhorias
tende a ser focado nos sub-processos individuais
e não no sistema de produção como um todo;

22
Deficiências do Modelo de Conversão
• A não consideração dos requisitos do cliente
pode resultar na produção, com grande
eficiência, mas que não tem valor de mercado
por não atender aos requisitos dos clientes.

23
Modelo de Processo na Construção Enxuta

INPUTS OUTPUTS

RETRABALHOS

TRANSPORTE ESTOQUE PROCESSAMENTO INSPEÇÃO TRANSPORTE ESPERA

REJEITOS

24
MODELO DE PROCESSO NA EXECUÇÃO DA
ALVENARIA
INPUTS OUTPUTS

Areia Silo

Argamassa

Argamassa
Marcação
da
Alvenaria
Transporte
Cimento Depos Vertical no
Produção
guincho Limpeza Espera Aperto
de
do para da
Argamassa
Pavimento Aperto Alvenaria

Elevação
da
Tijolo Alvenaria

Pilha Tijolo
Tijolo

25
Lean construction
Construção Enxuta

CONCEITO DE VALOR
O conceito de valor esta diretamente
vinculado à satisfação do cliente, não
sendo inerente à execução de um
processo.
Um processo só gera valor quando
atividades de processamento transformam
as matérias primas ou componentes nos
produtos requeridos pelos clientes, sejam
eles internos ou externos
26
Lean construction
Construção Enxuta

PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO


Reduzir a parcela de atividades que não agregam valor;

27
Lean construction
Construção Enxuta

PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO


Aumentar o valor do produto através da
consideração das necessidades dos clientes;

28
0
1000
2000
3000
4000
5000
6000
7000
8000
482,5
BLOCO 3 - 3º

HORAS(h)
1433,64
PAV.

486
BLOCO 2 - 3º
1434,65
PAV.
1,02

514,5
BLOCO 3 - 2º
1521,87

CUSTOS(R$)
PAV.
88,23

565,5
BLOCO 2 - 2º
1.657,18
PAV.
223,54

703,5
BLOCO 1 - 2º
2.029,29

PERDAS(R$)
PAV.
595,66

768,5
BLOCO 3 - 1º
2.034,96
PAV.
601,33
Reduzir a variabilidade;

784
BLOCO 1 - 3º
2.234,11
PAV.
800,48

836,5
BLOCO 4 - 1º
2.394,48

29
PAV.
960,84

1044,5
BLOCO 1 - 1º
2.749,15
PAV.
1315,52

1015
HORAS / CUSTOS UTILIZADOS NO ERGUIMENTO DA ALVENARIA

BLOCO 2 - 1º
2.843,92
PAV.
1410,28

1006
BLOCO 4 - 2º
2850,16
PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO

PAV.
1416,53

746,05
MÉDIA 2107,58
Construção Enxuta

SOMATÓRIO
Lean construction

Perdas: Considerada em relação ao melhor valor obtido

DAS PERDAS
(R$) 7413,42
Lean construction
Construção Enxuta

PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO

Reduzir o tempo de ciclo;

30
Lean construction
Construção Enxuta

PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO

Simplificar através da redução do número de


passos ou partes;

31
Lean construction
Construção Enxuta

PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO

Simplificar através da redução do número de


passos ou partes;

32
Lean construction
Construção Enxuta

PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO

Aumentar a flexibilidade de saída;

33
Lean construction
Construção Enxuta

PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO

Aumentar a transparência do processo;

34
Lean construction
Construção Enxuta

PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO

Introduzir melhoria contínua no processo;

35
Lean construction
Construção Enxuta
PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO
Focar o controle no processo global;

36
Lean construction
Construção Enxuta

PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO

Manter um equilíbrio entre melhorias nos fluxos


e nas conversões.

37
Lean construction
Construção Enxuta

PRINCÍPIOS PARA A GESTÃO DE PROCESSO

Fazer Benchmark.
TEMPO E CUSTO, POR M²,EM ATIVIDADES DE TRANSPORTE,
NO PROCESSO DE ALVENARIA

5,00
4,50 4,31

4,00
3,50
3,00
2,48
2,50
1,73 1,87
2,00
1,50 1,29
1,14
0,97
1,00 0,80 0,66 0,68
0,36 0,40
0,50 12,2% 16,3% 11,1% 21,7% 24,7%
8,0%
-
EMPRESA E EMPRESA C EMPRESA F EMPRESA A EMPRESA B EMPRESA I

Horas (h) / m2 Custos (mão-de-obra) (R$) / m2 38 % do Custo Total do Pavimento


Lean construction
Construção Enxuta

PERDAS
Na construção enxuta o conceito de perdas
está fortemente associado à noção de agregar
valor e não está limitado apenas ao consumo
excessivo de materiais;

Perdas estão relacionadas ao consumo de


recursos de qualquer natureza, tais como
materiais, mão de obra, equipamentos e
capital, acima da quantidade mínima
necessária para atender os requisitos dos
clientes internos e externos.
39
PERDAS
Perdas inevitáveis (perda natural) :
Correspondem a um nível aceitável de
perdas, que é identificado quando o
investimento necessário para sua redução é
maior que a economia gerada.

40
PERDAS
Perdas evitáveis :
Ocorrem quando os custos de ocorrência são
substancialmente maiores que os custos de
prevenção.

41