Você está na página 1de 16

Escola Nacional de Formação de

Formadores do Ministério de Pregação

AULA: MINISTÉRIO
Apostila 1 - Capítulo 1
OBJETIVO DA FORMAÇÃO NO
MINISTÉRIO DE PREGAÇÃO
• Queremos oferecer às pessoas que já pregam nos
grupos de oração e àquelas que sentem o chamado
para pregar a Palavra de Deus uma oportunidade de
se aprofundarem, a fim de exercerem o seu
ministério com mais qualidade, terem pregações
mais eficazes e crescerem como evangelizadores,
dando um testemunho mais claro do amor salvífico
do Senhor, que se revela, sobretudo, na Palavra.
NOSSA MISSÃO
• A Lumen Gentium, constituição Dogmática do
Concílio Vaticano II sobre a Igreja, declara na sua
introdução que a natureza e a missão da Igreja é
anunciar o Evangelho a toda criatura para iluminar
todos os homens a claridade de Cristo.
• Nossa missão se origina na missão da Igreja. Pelo
batismo, somos habilitados a participar do projeto
evangelizador, sendo um SINAL SACRAMENTAL DO
REINO por meio do nosso serviço.
MINISTÉRIO
• O Documento 62 da CNBB – Missão e Ministério dos
Cristãos Leigos e Leigas – assim define um ministério:
...ministério, fundamentalmente, o carisma que assume a
forma de serviço à comunidade e à sua missão no mundo e
na Igreja e que, por esta, é como tal acolhido e
reconhecido;
• Nem todo carisma, porém, é ministério. Certamente, a
dimensão do serviço deve caracterizar todo carisma, e seu
portador deve aspirar ao dom maior, que é o amor. Mas só
pode ser considerado ministério o carisma que, na
comunidade e em vista da missão na Igreja e no mundo,
assume a forma de serviço bem determinado.
(CNBB, Doc 62, § 85)
MINISTÉRIO
• O ministério é um caminho, de uma construção fruto
de esforço pessoal frente ao poder do alto. Este
caminho sempre começa pela disponibilidade em
suprir as necessidades da comunidade e aceitar os
convites que surgem para servir. É neste momento
que tomaremos consciência se aquele serviço
dispensado ressoa em nós como algo que nos
chama a um envolvimento cada vez maior, se há um
chamamento da parte de Deus. O caminho exige
discernimento, disponibilidade e decisão.
MINISTÉRIO
• Uma vez reconhecida a presença de um ministério
tanto pela comunidade, pelas autoridades e pelos
frutos evidentes deste serviço, passa este a ter um
grau de seriedade ainda maior. Afinal, está
manifesta aí uma autoridade dada por Jesus, que
reveste uma pessoa para que ela produza vida
espiritual, ou seja, a força de produzir conversão nos
corações.
PASSOS PARA CONSTRUIR
AUTORIDADE ESPIRITUAL
• Ter fé expectante;
• Mergulhar no chamado que se revela nos fatos da
vida, nas profecias particulares;
• Buscar a retidão de vida baseada nos 10
mandamentos e nas bem-aventuranças;
• Conhecer o magistério da Igreja.
MINISTÉRIO DE PREGAÇÃO
DA RCC
• Ministério é dom de Deus, é um carisma colocado a serviço
aos outros e, como tal, precisa ser assumido com
responsabilidade e atender às exigências permanentes das
pessoas e do organismo a que serve (RCC), bem como
concorrer para os objetivos desse mesmo organismo que o
legitimou;
• A missão do Ministério de Pregação da RCC é a formação de
pregadores para os Gos, conduzindo-os à unidade de fé e do
conhecimento de JC, a partir do BES, buscando a santidade,
reavivando a consciência de sua identidade e capacitando-os
para o eficaz exercício do ministério de pregação.
MINISTÉRIO DE PREGAÇÃO
DA RCC
• Quando uma pessoa tem um amor entranhado pela
Palavra, tem desejo de ler e conhecer a Palavra,
quando vê o anúncio da Palavra como alo sagrado e
entende que deve atuar na ordenação deste mundo
de acordo com a Palavra de Deus, quando está
disposta a estudar a Bíblia e se deixar formar, pode-
se dizer que essa pessoa tem o chamado para o
Ministério de Pregação, e deve, portanto, ser
acolhida e formada.
EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
DE PREGAÇÃO
• Oração pessoal e leitura da Bíblia
• Formação (Módulo Querigma – Módulo Básico –
Formação específica MP)
• Missão - envio
O MINISTÉRIO DE PREGAÇÃO
É UM SERVIÇO AO GO
• Tudo o que fazemos, seja em termos de organização ou de
formação é para garantir que os nossos GOs continuem fiéis
às suas origens, para que a formação chegue ao GO e a
nossa identidade não se perca, para que as pessoas, através
da pregação da Palavra, pelo louvor e oração sejam levadas
a uma conversão madura e contínua a JC, nosso Senhor e
Salvador; para que continuem sendo batizadas no ES e se
abram à recepção e ao uso dos dons espirituais, os carismas,
para que tenham suas vidas transformadas e passem a dar
testemunho de conversão, de vida nova, de amor, obediência
e serviço à Igreja.
MINISTERIALIDADE ORGÂNICA E
COMPLEMENTARIEDADE: TODOS
RAMOS DA ÚNICA VIDEIRA
 Jesus diz: “Eu sou a videira e vós os ramos” (Jo 15, 5)
• Competências do coordenador e servos do MP.
• Competências do presidente do conselho estadual e
diocesano.
• Competências do coordenador do Grupo de Oração.
• Competências da Coordenação do Ministério de
Pregação.
O PILAR DO MINISTÉRIO DE
PREGAÇÃO
• É a relação intrínseca que existe entre a Palavra e o
Espírito;
• A técnica é boa e ajuda a tornar a nossa pregação
mais eficaz, mas nada substitui o nosso
conhecimento e comprometimento com a Palavra e
a nossa docilidade ao ES, que provém em grande
parte, de uma vida em permanente estado de
conversão.
A PREGAÇÃO NO GO
• O núcleo do GO é responsável pelo discernimento do tema
da pregação, devendo também discernir a Palavra a ser
pregada, visando atingir o objetivo inspirado pelo ES;
• A pregação deve estar no centro do GO, pois a fé provém
da pregação. É pela fé em JC que as pessoas se convertem,
são batizadas no ES, são salvas, são curadas, são libertas;
• A orientação que se dá é que a pregação ocupe ¼ de todo
o tempo da reunião;
• A oração depois da pregação é a oportunidade para o
Espírito Santo agir no coração das pessoas.
“Vós, porém, sois uma raça escolhida, um sacerdócio
régio, uma nação santa, um povo adquirido para Deus,
a fim de que publiqueis as virtudes daquele que das
trevas vos chamou à sua luz maravilhosa”
(I Pe 2, 9)