Você está na página 1de 6

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA - RCCBRASIL

DONS DE SANTIFICAÇÃO

I - INTRODUÇÃO
(Pedir oração)
1. Apresentação do Formador
2. Motivação
a) Quem tem medo de tentar ser santo e não conseguir?

b) Quem já tentou fazer as coisas certas e não conseguiu?

c) Quem gostaria de viver uma vida de santidade?

d) O Espírito Santo nos revela na Carta aos Romanos, capítulo 7, 14-20,


toda a nossa fraqueza em relação à santidade. De fato, desejamos fazer, mas
muitas vezes fazemos é o mal que não desejamos.

Veremos neste ensino a SOLUÇÃO de Deus para este problema.

e) Querem saber qual é a solução que Deus nos preparar, para vencermos
os problemas que temos em relação à santidade?
Então vamos lá.

3. Apresentação do Ensino
a) TEMA: DONS DE SANTIFICAÇÃO (OS SETE DONS)
b) Itens:
b.1) APRESENTAÇÃO DOS DONS DE SANTIFICAÇÃO
b.2) COMPARAÇÃO COM OS DONS CARISMÁTICOS
b.3) UTILIDADE

II – DESENVOLVIMENTO
1. APRESENTAÇÃO DOS DONS DE SANTIFICAÇÃO
a) Conceito

Dons de santificação são os dons infusos, isto é, são aqueles


dons que recebemos em decorrência de nossa filiação divina, no
momento do nosso batismo.
2

No exato momento do nosso batismo o Espírito Santo infunde,


põe, estes dons em nós, independentemente de nossos
merecimentos e esforços. São, portanto, uma graça divina que
recebemos da parte da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade.

b) Espécies

1) sabedoria; 2) entendimento (inteligência); 3) ciência; 4)


conselho; 5) fortaleza; 6) piedade; 7) temor de Deus.

c) Fonte Bíblica

Isaías 11, 1-2

d) Fonte Doutrinária
d.1) Santo Ambrósio, conforme CIC, 1.303, diz: “Lembra-te,
portanto, de que recebeste o sinal espiritual, o Espírito de
sabedoria e de inteligência, o Espírito de conselho e força, o
Espírito de conhecimento e de piedade, o Espírito do santo temor,
e conserva o que recebeste. Deus Pai te marcou com o seu sinal,
Cristo Senhor te confirmou e colocou em teu coração o penhor do
Espírito.”

d.2) CIC, 1299.


2. COMPARAÇÃO COM OS DONS CARISMÁTICOS
a) Semelhanças

a.1) Mesma fonte: O ESPÍRITO SANTO.

a.2) São dádivas de Deus. Não dependem de nosso


merecimento, mas sim dos méritos (dos merecimentos) de nosso
Senhor Jesus Cristo.

b) Diferenças

b.1) DONS DE SANTIFICAÇÃO:


- O Espírito Santo não espera a manifestação de nossa
vontade para dá-los a nós (Os recebemos desde
criancinha, no nosso batismo, bem como no momento da
crisma, que confirma o nosso batismo). Estão infundidos em
nós para serem usados a qualquer tempo. Entretanto o
Espírito Santo espera a adesão de nossa vontade para pô-
los em operação
3

- São para nossa santificação.

- Capacitam-nos para sermos testemunhas de Cristo.

b.2) DONS CARISMÁTICOS


- Os recebemos quando acolhemos a efusão
(derramamento) do Espírito Santo. Por isso são chamados
de dons efusos, isto é, dons que são derramados em nós
juntamente com a efusão do Espírito Santo. Permanecem
em nós à medida que nos abrimos ao Espírito Santo e à
manifestação deles
- São para o serviço da comunidade, para a evangelização.

- Capacitam-nos para anunciarmos o Evangelho com a


autoridade de Jesus e com eficácia.

3. UTILIDADE
a) Utilidade Geral (de todos os sete dons considerados em
conjunto)

Sua utilidade geral é nossa santificação.

Por natureza somos pecadores. Para sermos filhos e filhas de Deus,


à sua semelhança, necessitamos de sua ajuda. Ele nô-la dá por meio
do Espírito Santo que, por sua vez, infunde em nós os dons de
santificação. Assim, se desejarmos, poderemos nos tornar imitadores
de Jesus Cristo, nosso irmão, o Santo de Deus.

b) Utilidades Específicas

Para nossa santificação, cada um dos sete dons manifestam em


nossa uma graça própria, especial; cada um possui uma utilidade
própria, que, em conjunto com os demais, constróem em nós a
santidade que Deus nos preparou.

Vejamos essas utilidades:

1. Ciência (conhecimento) (NÃO CONFUNDIR COM O DOM


CARISMÁTICO DA CIÊNCIA QUE ESTÁ EM I COR 12)
- Capacita-nos a conhecer a vontade de Deus. É por ele
que Deus nos revela sua santíssima vontade, interiormente.
4

2. Entendimento (inteligência)
- Confere-nos condições para compreender a vontade de
Deus e assim aceitá-la melhor, particularmente durante as
tribulações.

3. Conselho
- Nos momentos de indecisão, principalmente em relação às
boas ações em confronto com os pecados e tentações, o
Espírito Santo nos socorre, por meio deste Dom, em
forma de moções internas (desejos, inspirações) nos
indicando (aconselhando) o caminho que seja conforme
a vontade de Deus.
4. Sabedoria (NÃO CONFUNDIR COM O DOM CARISMÁTICO DA
SABEDORIA QUE ESTÁ EM I COR 12)
- Por este Dom o Espírito Santo nos capacita a escolher a
vontade de Deus, afinal, em última análise, sabedoria é a
vontade de Deus. Com este dom saberemos a forma com a
qual devemos nos conduzir como filhos de Deus.

5. Fortaleza
- Em muitas oportunidades conhecemos a vontade de Deus e
a compreendemos; sabemos a decisão que devemos tomar
(o caminho que devemos seguir) e como devemos agir em
cada situação; mas, face as tribulações (incertezas,
dúvidas, medos, sofrimentos, pressões sociais, tentações)
não encontramos forças para agir como filhos de Deus,
como pessoas a caminho da santidade. Nestas situações o
socorro que o Espírito Santo nos dá vem em forma de dom:
dom da fortaleza.

Por este dom o Espírito Santo nos dá força, poder, para


agirmos como filhos de Deus, mesmos nas maiores
tribulações e/ou tentações.

6. Piedade
- Este Dom nos leva a nos relacionar com Deus como filhos
de fato. É dom que nos ajuda em nossa religiosidade
(adoração em verdade e em espírito, louvor). Ele nos leva a
5

ver a Deus como realmente Ele é (Deus verdadeiro, criador,


amorosíssimo, poderosíssimo) e nós como de fato somos
(seus filhos amados).

7. Temor de Deus
- Quando realmente amamos uma pessoa, vem junto com
esse amor um forte medo de ofendê-la, de fazê-la sofrer.
Esforçamo-nos de todas as formas para não magoá-la.

O temor de Deus é parecido com este sentimento. O


Espírito Santo infunde em nós um profundo desejo de
jamais ofender a Deus porque Ele nos ama . Desejamos
com todas as nossas forças não desobedecer a Deus, não
pecar, não fazer qualquer espécie de mal, tudo porque Ele
nos ama. É o dom mais precioso em relação à santidade.
Com ele sempre receberemos forças renovadas para
vencer as tentações que nos querem arrastar para longe
de Deus, para o mal, para o inferno.

III- CONCLUSÃO
1. RESUMO

a) Recapitulação (retomar Itens)

b) Avaliação (indagar, responder perguntas, sanar dúvidas, complementar etc).

c) Fecho (fixação-síntese)

Irmãos e irmãs, como bem sabemos, somos pecadores de fato. Contudo,


outro fato que também devemos considerar é que somos filhos de Deus (I João
3, 1). Assim, temos em nós, desde a perversão de nossa natureza, duas
tendências: uma para o pecado, outra para a santidade (Romanos 7, 14-20). Mas
Deus, nos conhece como ninguém, sabedor do que necessitamos para
usufruirmos da santidade que Ele mesmo nos preparou, envia-nos a sua ajuda,
na pessoa do Espírito Santo. Este, por sua vez, nos auxilia no caminho da
santidade, para que fiquemos parecidos com Jesus Cristo, o Santo de Deus,
infundindo em nós os sete dons de nossa santificação.

2. Convite à Ação
6

Portanto, abramo-nos a esta diviníssima ajuda. Peçamos, agora, de pé, os


sete dons de nossa santificação ao Espírito Santo.

3. Oração Final
- Pedir perdão.

- Aceitar (dizer que aceita) os sete dons.

- Pedir ao Espírito Santo os sete dons de santificação.


Amém. Muito obrigado. Deus os abençoe.