Você está na página 1de 55

CALAGEM DO SOLO

CALAGEM - Aula passada


ü Acidez do solo

. Significado da acidez do solo


- Efeito direto e indireto

. Tipos de acidez do solo


- Acidez ativa e potencial
- Tipos de acidez potencial e estimativa
a) Acidez trocável
b) Acidez não-trocável
. Usos da estimativa da acidez do solo
- Acidez ativa determinada pelo pH em água
- Acidez potencial estimada pelo método
SMP
CALAGEM - Aula hoje

ü Tomada de decisão
. Preciso aplicar calcário?
. Quanto preciso aplicar calcário?
de
- Procedimentos alternativos

ü Aplicação do calcário a campo

. Qual o equipamento a ser utilizado?


. Qual a localização do calcário no
solo?
.
Problemas do SPD
.
Quando incorporar o calcário
ORIGEM DA ACIDEZ DO SOLO

Rocha CHUVA H2 O + CO2


-
HCO
3 + H+ ACIDEZ e CALAGEM

Destruição da rocha e liberação dos elementos


pH = 6,9

Ca = 8.100
Mg = 1.700
Liberação
K = 38.500
de Al+3
Al+3 = 0
* argila e óxidos
Perdas de nutrientes

Formação de Cargas
pH < 5,5

*
aparecimento de MO
ü Reação do calcário no solo

- dissolução + dissociação do calcário:

CaCO3(s) CaCO3(aq) + H2O « Ca+2


+ HCO - + OH-
3

- neutralização da acidez ativa:


- +
HCO3 + H « H2CO3 H2O + CO2

OH- + H+ H2O

- neutralização do alumínio:
Al+3 + 3OH- « Al(OH)3
CALAGEM

ü Aplicação de calcário agrícola com vistas à correção do solo

Tomada de decisão

Preciso aplicar calcário?


-atual: em função do grupo de culturas e sistemas de
manejo do solo e/ou condicionamento da área

Principais:
- valores de pH
- saturação por bases

Auxiliares:
- saturação por alumínio + teor de P.
- teores de Ca e Mg
CALAGEM

ü Aplicação de calcário agrícola com vistas à correção do solo

Tomada de decisão

Preciso aplicar calcário?


Procedimentos alternativos:

1) Saturação por bases (usado em PR/SP)


para solos já corrigidos anteriormente

NC (t ha-1)= V2-V1 x CTCpH7


100
V2 = saturação por bases desejada
V1 = saturação por bases real do solo

Conversão pH x saturação por bases


pH 5,5 = ~65%
pH 6,0 = ~80%
pH 6,5 = ~85%
Tomada de decisão...

Quanto preciso aplicar de calcário?

- década de 50: teor de Al

1 t ha-1 de calcário para cada 1 cmol /dm3 de Al


c

presença de outras fontes de acidez potencial?


Al x 2
Al x 3
Al x 3,3...
CALAGEM

ü Aplicação de calcário agrícola com vistas à correção do solo

Tomada de decisão

Preciso aplicar calcário?

ü Critério utilizado no RS e SC: pH em água


- Década de 50: pH em água 6,5

solos produtivos em outros países


- década de 70: diferentes valores de pH em função
de grupos de culturas

Sem correção
pH 5,5
pH 6,0
pH 6,5

Diferente exigência das culturas


Tabela 6.1 – Classificação de espécies e/ou sistema de cultivo em relação
ao condicionamento do pH do solo.
pH – Espécies e/ou sistema de
cultivo referência
pH em água( relação 1:1)

pH 6,5 Alfafa, aspargo, piretro.

Abacateiro, abóbora, alface, alho, ameixeira, amendoim, arroz de sequeiro, aveia,


bananeira, batata-doce, beterraba, brócolis, cana-de-açúcar, camomila, canola,
caquizeiro, cebola, cenoura, cevada, chicória, citros, consorciação de gramíneas e
leguminosas
fria, gramíneas de estação quente,
de estação fria, consorciação de gramíneas
hortelãs, leguminosas e fria,
de estação leguminosas de
leguminosas
estação

pH 6,0 quente, couve-flor, ervilha, estévia, feijão, figueira, fumo, girassol, gramíneas de estação

de estação quente, linho, macieira, maracujazeiro, melancia, melão, milho, moranga,


morango, nogueira-pecã, painço, pepino, pereira, pessegueiro, pimentão, quivizeiro,
rabanete, repolho, soja*, sorgo, tomate, tremoço, trigo, triticale, urucum, vetiver, videira.
posterior a emergência das plantas, batata, bracatinga, calêndula, cardamomo, carqueja,

Abacaxizeiro, acácia-negra, amoreira-preta, arroz irrigado nos cultivos com alagamento


pH 5,5
coentro, curcuma, erva-doce, eucalipto, funcho, gengibre, mangericão, pinus, salsa.

Dispensa Arroz irrigado nos cultivos com sementes pré-germinadas ou com transplante
de correção da mudas, erva-mate, mandioca, mirtilo.
acidez do
solo**

* Considerar
pH 5,5 no
Critérios para a indicação da necessidade e da quantidade de
corretivos da acidez para culturas de grãos.

Sistema
Amost. Critérios Quantidade de Método de
de Condição da área
(cm) de calcário aplicação
manejo decisão
1 SMP para
SPC Qualquer condição 0 a 20 pH< 6,0(1) Incorporado
pH água 6,0
Implantação a partir de
1 SMP para
lavoura ou campo natural 0 a 20 pH< 6,0(1) Incorporado
pH água 6,0
quando o índice SMP for ≤
Implantação5,0
a partir de campo Incorporado (3)
pH< 5,5 ou 1 SMP para
natural quando o índice SMP 0 a 20 ou
V< 65%(2) pH água 5,5
SPD for > 5,0 a 5,5 Superficial (4)
Implantação a aprtir de
pH< 5,5 ou 1 SMP para
campo natural quando o 0 a 20 Superficial
V<65%(2) pH água 5,5
índice SMP for >5,5
pH< 5,5 ou / 2 SMP para
1
Sistema consolidado 0 a 10 Superficial (4)
V<65%(2) pH água 5,5

(1) Não aplicar calcário quando a saturação por bases (V) for > 80%.
(2) Quando somente um dos critérios for atendido, não aplicar calcário se a saturação por Al for menor o
que 10% e a se teor de P for “Muito alto”.
(3) A opção de incorporar o calcário em campo natural deve ser feita com base nos demais fatores de
produção locais. Se optar pela incorporação do calcário, aplicar a dose 1 SMP para pHágua 6,0.

(4) No máximo 5 t/ha de calcário (PRNT 100%).


Critérios para a indicação da necessidade e da quantidade
de corretivos da acidez para arroz irrigado.

Método
Sistema de Amostragem Critérios de Quantidade
Condição da área de
manejo (cm) decisão de calcário
aplicaçã
o
Convencional
pH<5,5 ou 1 SMP para
(semeadura em 0 a 20 Incorp.
V<65%(1) pH água 5,5
solo seco)
Arroz irrigado
por
inundação Sistema pré-germinado Ca ≤2,0 ou Mg
0 a 20 1 t/ha(2) Incorp.
ou transplante de ≤0,5 cmolc/dm3
mudas

(1) Quando somente um dos critérios for atendido, não aplicar calcário se a saturação por
Al
(2) for menor o que 10% e a se teor de P for “Muito
alto”. Calcário dolomítico para suprir Ca e Mg.
Critérios para a indicação da necessidade e da quantidade de
corretivos da acidez para forrageiras.
Sistema de
Condição da área ou Amostr. Critério de Quant. de Método de
manejo ou
grupo de cultura (cm) decisão calcário aplicação
cultura
Implantação a partir de
lavoura ou de campo
natural para:
Leguminosas de estação 0 a 20 pH< 6,0 1 SMP para Incorp.
fria e quente e pHágua 6,0
SPC
consorciações de
estações fria e quente

Gramíneas de estações fria 0 a 20 pH< 5,5 1 SMP para Incorp.


e quente, capim elefante pH água 5,5
Campo natural ou lavoura
com introdução de ½ SMP para
espécies (semeadura em 0 a 10 pH< 5,5 ou V< 65% Superf. (1)
pH água 5,5
SPD linha ou sobre-semeadura)

Campo natural sem


introdução de espécies Ca £ 2,0 ou
0 a 10 1 t/ha Superf.(1)
forrageiras ou com uso Mg £ 0,5
de fosfato natural cmolc /dm3
Qualquer condição 0 a 20 pH< 6,5 1 SMP para Incorp.
Alfafa
pH água 6,5

(1) No máximo 5 t/ha de calcário (PRNT 100%)


- década de 70: índice SMP

Diferentes quantidades de calcário conforme o valor


de pH desejado (a atingir)

Sem correção
pH 5,5
pH 6,0
pH 6,5

Conforme exigência das culturas


- atualmente: usa-se o SMP em grupo de culturas
e
sistemas de manejo do solo e/ou condicionamento da

área.
Critérios para a indicação da necessidade e da quantidade de
corretivos da acidez para culturas de grãos.

Sistema
Amost. Critérios Quantidade de Método de
de Condição da área
(cm) de calcário aplicação
manejo decisão
1 SMP para
SPC Qualquer condição 0 a 20 pH< 6,0(1) Incorporado
pH água 6,0
Implantação a partir de
1 SMP para
lavoura ou campo natural 0 a 20 pH< 6,0(1) Incorporado
pH água 6,0
quando o índice SMP for ≤
Implantação5,0
a partir de campo Incorporado (3)
pH< 5,5 ou 1 SMP para
natural quando o índice SMP 0 a 20 ou
V< 65%(2) pH água 5,5
SPD for > 5,0 a 5,5 Superficial (4)
Implantação a aprtir de
pH< 5,5 ou 1 SMP para
campo natural quando o 0 a 20 Superficial
V<65%(2) pH água 5,5
índice SMP for >5,5
pH< 5,5 ou / 2 SMP para
1
Sistema consolidado 0 a 10 Superficial (4)
V<65%(2) pH água 5,5

(1) Não aplicar calcário quando a saturação por bases (V) for > 80%.
(2) Quando somente um dos critérios for atendido, não aplicar calcário se a saturação por Al for menor o
que 10% e a se teor de P for “Muito alto”.
(3) A opção de incorporar o calcário em campo natural deve ser feita com base nos demais fatores de
produção locais. Se optar pela incorporação do calcário, aplicar a dose 1 SMP para pHágua 6,0.

(4) No máximo 5 t/ha de calcário (PRNT 100%).


2) Baseado no Al e na matéria orgânica
para solos pouco tamponados

- pH 5,5 = -0,653 + 0,480m.o. + 1,937Al


- pH 6,0 = -0,516 + 0,805m.o. + 2,435Al
- pH 6,5 = -0,122 + 1,193m.o. + 2,713Al

Obs: ver ajuste para qualidade do calcário (PRNT 100%)


Método do alumínio trocável
Este método foi o primeiro a ser utilizado e baseia-se no teor de alumínio,
expresso em cmolc/dm³ ou em mmolc/dm³, multiplicado por um fator de
acordo com a textura do solo e teor de matéria orgânica.

a) Para solos de textura arenosa e baixo teor de matéria orgânica:


NC (t/ha) = Al³+ (em cmolc/dm³) x 1,5
NC (t/ha) = Al³+ (em mmolc/dm³) x 0,15

b) Para solos de textura média e teor médio de matéria orgânica:


NC (t/ha) = Al³+ (em cmolc/dm³) x 2,0
NC (t/ha) = Al³+ (em mmolc/dm³) x 0,2

c) Para solos argilosos com alto teor de matéria orgânica:


NC (t/ha) = Al³+ (em cmolc/dm³) x 2,4
NC (t/ha) = Al³+ (em mmolc/dm³) x 0,24
Método alumínio trocável mais suprimento de Ca e Mg

Este método tem o objetivo de neutralizar o alumínio e elevar os


níveis de cálcio e de magnésio trocáveis no solo, baseado na
análise do mesmo.
NC (t/ha) = Al³+ x 2 + [2 - (Ca²+ + Mg²+)]
A quantidade calculada refere-se à utilização de um calcário com
100% de PRNT e incorporado na camada de 0-20 cm do solo.
O Estado da Paraíba (PB) começou a utilizar este método da
elevação de cálcio e magnésio:
NC (t/ha) = [X - (Ca + Mg)]
onde X = 2 para solos com menos de 2% de matéria orgânica e X =
3 para solos com mais de 2%.
Em Minas Gerais, a Comissão de Fertilidade do Solo recomenda a
utilização de uma fórmula baseada no teor de argila do solo (Y),
no tipo de cultura (X) e na percentagem de saturação por
alumínio (mt) tolerada pela cultura
NC = Y[Al³+ - (mt.t/100)] + [X - (Ca²+ + Mg²+)]
Gesso agrícola
CaSO4

Resíduo da produção de ácido fosfórico

Ca(H2PO4)2 + CaSO4 + 2HF


Fosfato natural
Ca10(PO4)6F2

+
SFS
H2SO4
H3PO4 + CaSO4 + 2HF SFT

+ Ca10(PO4)6F2 Ca(H2PO4)2 + 2HF


Gesso agrícola (fosfogesso)
CaSO4

Calcário?
Ca: 24 a
28%
S: 14 a SFS, SA?
17%
P2O5: 0,8 a 1,2% SFS, SFT, MAP, DAP?
(CNA)
Substância Fórmula Kps
carbonato de cálcio CaCO3 8,7 x10-9
sulfato de cálcio CaSO4 1,9 x10-4 + solúvel que o calcário
Aplica
-2
CaSO4.2H2O → Ca2+ + SO4

par iônico

Íons Ca2+ e SO4-2 podem ser lixiviados no


solo para camadas subsuperficiais
Com mais Ca, reduz a saturação
por Al em profundidade!
Riscos? Al% = Al / CTC ef * 100
- Lixiviação de Mg (e de K) CTCef = Ca + Mg + K + Al
Gessagem

Recomendação do PR para quantidade de gesso em toneladas por hectare:

< 200 g kg-1 argila – 700 kg ha-1 de gesso

200-400 – g kg-1 argila – 1200 kg ha-1 de gesso

400-600 – g kg-1 argila – 2200 kg ha-1 de gesso

>600 g kg-1 argila – 3200 kg ha-1 de gesso


?
Quando devo aplicar? Quanto de gesso aplicar?

No cerrado (EMBRAPA, 2005):

Camada 20 a 40 cm Al > 20%


e 40 a 60 cm (anuais) Ca < 0,5 cmolc/dm3

D.G. (kg/ha) = 50 x teor de argila (%)


Gessagem

As maiores doses recomendadas para solos com CTC maior que 6 cmolc /dm3 na
camada de 20 a 40 centímetros de profundidade não ultrapassam 3,5 toneladas
por hectare. É importante destacar que a aplicação de gesso deve ser feita
juntamente com a aplicação de calcário, mas nunca deve substituí-lo.

Quantidades de gesso a aplicar para a cultura da cana-de-açúcar:

Quantidade de gesso em toneladas por hectare:


- Ca<4 e Al% < 30 = 1 tonelada de gesso;
- Ca<4 e Al% > 30 = 1,5 tonelada de gesso.
Uma vez tomada a decisão de aplicação...

Como pode ser feita a aplicação do


calcário a campo?
Observar...

Qual o equipamento a ser utilizado para distribuir


o calcário no campo?

Qual a localização do calcário no solo?


Equipamentos de distribuição

Uniformidade
ü Distribuidores centrífugos
Distribuidores centrífugos...

Uniformidade
ü Distribuidores por Gravidade

Uniformidade
Regulagem

Uniformidade

A incorporação não corrige os problemas de má


distribuição e sim tende a agravá-los!!!
Qual a localização do calcário no solo?

Incorporado...

ü Lavração + gradagem

?
ü Gradagem
Como ü Escarificação/Subsolagem
ü Na linha de semeadura
ü Novos equipamentos

Superficial...
ü Incorporação

- Lavração + gradagem

. Vantagens: - Maior área contato solo-calcário

- Correção mais uniforme em profundidade

. Desvantagens: - Alto custo das operações

- Desestruturação e maior risco de erosão


Ø Seus efeitos se restringem às camadas mais
superficiais;
Incorporado com lavração
Incorporado com lavração e gradagem
Incorporado com grade
Incorporação...

- Escarificação/Subsolagem

. Vantagens: - Menor custo de operação

- Menor desestruturação

- Romper camadas compactadas em

profundidade

. Desvantagens: - Correção se restringe a camada superficial

- Correção desuniforme em profundidade e

horizontalmente
Incorporado com escarificador
Incorporação...
- Calagem na linha de semeadura

Quando não for possível aplicada em toda a área...

?
. Calcário filler – PRNT >90%
Como
. Caixa calcário isolada
. 200 a 400 kg -1
ha
Incorporação...

- Novos equipamentos

Busca de tecnologias capazes de aplicar calcário em

profundidade com apenas uma operação, “sem perder as

características físicas do solo adquiridas pelo plantio

direto.”
“equipamento protótipo capaz de injetar calcário em
profundidade, onde está o problema da toxidez do alumínio, sem
revolver as camadas de solo”

O equipamento tem um escarificador, equipado com discos de


corte e rolo nivelador/destorroador, em que foram acoplados um
reservatório para calcário com dosadores e uma turbina que é
acionada pelo trator, que produz um fluxo de ar injetando o
calcário nas fendas que as hastes do escarificador fazem.
ü Superficial

- Baixo custo
- Não há revolvimento do solo
- Correção somente de camadas superficiais
- “Supercalagem” na superfície,
favorecendo:
. Aparecimento de doenças
. Concentração nutrientes
. Menor disponibilidade de nutrientes
. Dispersão da argila favorecendo a perda descida
e de argila no perfil
Superficial...
Aplica e mantém na superfície à PLANTIO DIRETO
Problemas encontrados no SPD
ü Martinazzo (2006) encontrou:

0 – 10cm à . Sem problemas de acidez

. Limitação de nutrientes ( P )

10 – 20cm à . Al tóxico e baixa saturação de bases

Como
?
ü rotação de culturas
Situação SPD...

Calcário: camada 0-10cm 0

10

20

?
30
Soja
0

10

20

Sistema radicular de soja, Martinazzo (2006)


30

? 40
Milho
Quando Incorporar?

ü Monitorar a produtividade das culturas;

ü Verificar se existem problemas em profundidade (físicos


e químicos) que podem ser a causa da baixa
produtividade;

Em alguns casos pode ser necessário a quebra do mito


de que no plantio direto não se pode revolver o solo...
Considerações finais

ü Aplicação deve ser o mais uniforme possível

ü Usar preferencialmente distribuidor por gravidade

ü Efeito do calcário se restringe à área aplicada

ü No sistema plantio direto a correção é superficial (até


10cm) e deve monitorar-se a camada de 10-20cm para
verificar potenciais problemas de toxidez de alumínio e baixa
saturação com bases.
Aula 3

ü Realização:

Professores:
- Leandro Souza da Silva
- Carlos Alberto Ceretta

- Danilo Rheinheimer dos Santos


Alunos de Pós-graduação:
- Otávio Bagiotto Rossato
- Elisandra Pocojeski

ü Última atualização: março de 2008