Você está na página 1de 10

TRABALHO DE

LITERATURA
Livro: Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis

Christian Lavorenti – 3º ano E.M.


MACHADO DE ASSIS
• Joaquim Maria Machado de Assis foi um escritor brasileiro, considerado por muitos
um dos maiores senão o maior nome da literatura do Brasil.
• Nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 21 de junho de 1839, e faleceu também no Rio de
Janeiro, em 29 de setembro de 1908.
• Foi jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e teatrólogo, e ainda fundador da
cadeira nº. 23 da Academia Brasileira de Letras (a qual ocupou a presidência por
mais de 10 anos).
CARACTERÍSTICAS DA OBRA MACHADIANA
• Escrita moderna, sem seguir uma ordem cronológica.
• Visão pessimista.
• Estilo enxuto: com curtas sentenças e forte equilíbrio entre o conteúdo e linguagem.
• Maior enfoque em aspectos psicológicos do que descrições físicas.
• Ironia, humor negro.
• Despreocupação com as modas literárias dominantes da época.
• Utilização de arquétipos.
• Temas profundos: “quem sou eu?”; “o que sou eu?”; “em que medida eu só existo
por meio dos outros?”; “eu sou mais autêntico quando penso ou quando existo?”;
“haverá mais de um ser em mim?”
MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS

• Memórias Póstumas de Brás Cubas é


um livro disposto em 160 capítulos
com extensões variáveis.
• Foi publicado pela primeira vez em
folhetim na Revista Brasileira em
1880. No ano seguinte foi editado
em livro.
• Este fato inaugura a fase realista da
ficção machadiana e dá início ao
Realismo na Literatura brasileira.
A OBRA
• Após uma dedicatória e um irônico prefácio, o autor, Brás Cubas (narrador
consciente-participante e onisciente), começa a narrar sua autobiografia.
• Sem ordem lógica ou cronológica, num processo de livre-associação de ideias,
imagens e palavras, Brás Cubas, do túmulo, relata sua história de homem rico,
excêntrico, inteligente, culto, leviano, preguiçoso, cínico, ambicioso e ás vezes sádico.
• Entediado da morte da morte e da eternidade, conta sua vida de fracassado, suas
baixezas e a dos outros. Como defunto, pode difamar amigos e inimigos e confessar
suas intenções e ações mais sórdidas e vis, pois está além de qualquer punição.
• Brás Cubas se entretém também em comentar com o leitor a própria escritura,
através de frequentes digressões e de comentários paralelos sobre os mais diversos
assuntos.
ENREDO
• Durante sua infância Brás Cubas comenta sua relação com seu escravo, o negrinho
Prudêncio e esboça a relação que tinha com o garoto desde suas brincadeiras e
caprichos. Nessa relação, podemos notar a superioridade de Brás que montava no
negrinho.
• Quando jovem, conhece Marcela, uma prostituta de luxo por quem se apaixona. Essa
relação esteve baseada nos interesses. “Marcela amou-me durante quinze meses e
onze contos de réis”.
• Preocupado com o envolvimento que Brás tinha com Marcela, seu pai resolve que
seu filho deve estudar fora do país por um tempo. Sendo assim, ele foi estudar em
Coimbra, Portugal, onde se forma em Direito.
ENREDO
• De volta ao Brasil, apaixona-se por Virgília,
no entanto, ela acaba por se casar com Lobo
Leves, pretendendo ter mais status.
• Mesmo assim, o casal se encontra às
escondidas numa casa alugada para esse
propósito. Nesse momento podemos notar a
presença de Dona Plácida, empregada de
Virgília e que encobre todos os encontros
da adúltera.
• Por fim, Brás Cubas entra para a política e
mesmo desenvolvendo um trabalho
medíocre essa posição lhe oferece certo
“status”, num mundo onde a aparência era o
mais louvável.
A CRÍTICA SOCIAL EM “MEMÓRIAS
PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS”

• A caracterização psicológica das personagens, a ironia com que trata as


desigualdades sociais e o deboche que faz à classe dominane.
• Outra grande crítica social presente na obra de Machado/Brás Cubas é sobre a
escravatura. Nomeadamente, quando o narrador descreve a cena de um escravo
torturando um outro escravo. Brás Cubas justifica a atitude violenta do seu ex-escravo
como uma transferência das violências que ele mesmo sofreu.
• Além da crítica ao sistema de escravidão, também vemos uma das teorias do
positivismo, que defende que o meio determina o homem.
LISTA DE PERSONAGENS

• Brás Cubas: protagonista da história e o • Luís Dutra: primo de Virgília.


narrador, considerado o “defunto-autor”.
• Dona Plácida: empregada de Virgília e álibi
• Virgília: filha do conselheiro Dutra e amante da relação de Virgília com Brás Cubas.
de Brás Cubas.
• Quincas Borba: filósofo, mendigo e amigo de
• Conselheiro Dutra: político e pai de Virgília. infância de Brás Cubas.
• Lobo Neves: político e esposo de Virgília. • Marcela: prostituta e paixão da juventude de
Brás Cubas.
• Sabina: irmã de Brás Cubas, casada com
Cotrim. • D. Eusébia: amiga da família de Brás Cubas.
• Cotrim: marido de Sabina e tio de Nhã-Loló. • Eugênia: mulher manca e filha de D. Eusébia.
• Nhã-Loló: sobrinha de Cotrim e pretendente • Prudêncio: escravo de Brás Cubas.
de Brás Cubas.
VÍDEO

• https://www.youtube.com/watch?v=6MksocxLvU0