Você está na página 1de 22

A

EXPANSÃO
URBANA
EXPANSÃO DAS CIDADES E… ÁREAS URBANAS

As áreas metropolitanas de Lisboa e A expansão urbana tem-se feito à


do Porto são aglomerações urbanas custa das áreas periféricas das
de grande dinamismo e polarizadoras cidades.
do desenvolvimento regional e
nacional.
Suburbanização

Fig. Cidade do Porto (ponte D. Luís). Fig. Cidade de Lisboa (vista de Alfama).

Pág. 96
SUBURBANIZAÇÃO

A suburbanização resulta:
 dinâmica da
construção civil;
 desenvolvimento das
atividades
económicas; Fig. Ponte da Arrábida, Porto.
 desenvolvimento dos
transportes e das
infraestruturas
viárias;
 aumento da taxa de
motorização das
famílias. Fig. Comércio numa rua daFig. Prédios
baixa em construção
Pombalina, Lisboa.
Fig.Fig.
GarePonte 25 de Abril,
do Oriente, Lisboa.
Lisboa.

Pág. 98
PERIURBANIZAÇÃO E RURBANIZAÇÃO

Expansão urbana
Dá origem: Áreas para lá da coroa suburbana
Beneficia do:
onde o espaço rural é ocupado, de
 Áreas periurbanas forma descontínua,Aumento
por funções
da
Facilitadas pelo:
 Rurbanização acessibilidade
urbanas (periurbanização).

Dão origem: Dá origem:


Migração de população e emprego
Localização difusa da das cidades paraAumento
pequenasdos
função residencial e das movimentos
povoações e/ou pequenas cidades
atividades económicas pendulares
e vilas situadas a maior distância.

Fig. Área periurbana no concelho de Vila do Conde.

Pág. 99
IMPACTES NEGATIVOS DA EXPANSÃO URBANA

 Intensificação dos movimentos


pendulares.
 Pressão sobre os transportes
urbanos e suburbanos.
 Aumento dos custos e tempos
das deslocações diárias.
 Falta de planeamento da
ocupação do espaço e
habitação precária.
 Custo elevado das redes de
distribuição de água e
energia e de saneamento.

Fig. Habitações degradadas, Bairro Alto,


Fig.à
Fig. Pessoas Tráfego
espera
Fig. Redeem
do hora
demetro, Lisboa.
deLisboa.
ponta.
eletricidade.
Pág. 99
IMPACTES NEGATIVOS DA EXPANSÃO URBANA

 Ocupação de solos
agrícolas e florestais.
 Oferta de serviços e
equipamentos coletivos
insuficientes.

Fig. Sintra.
Fig. Esquadra da Polícia, Lisboa.

Pág. 99
ÁREAS METROPOLITANAS

Atividade:
1- Defina expansão urbana.

Fig. Cidade Lisboa.

Pág. 97
Verificar resposta
ÁREAS METROPOLITANAS DE LISBOA E PORTO

Em Portugal, o processo de suburbanização ocorreu, sobretudo, no litoral,


em particular à volta de Lisboa e Porto.

Em 1991, foram instituídas as áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.

Fig. Concelhos e cidades das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto (2013).


Pág. 100
ÁREAS METROPOLITANAS DE LISBOA E PORTO

Em 2003 – Lei nº 10 de 13 de Maio –


Definido o regime jurídico das
áreas metropolitanas.
Revogado - Lei nº 45/2008 –
Criação das comunidades
intermunicipais.

Fig. Cidade de Lisboa (vista de Alfama). Fig. Comunidades Intermunicipais.

Pág. 100
ÁREAS METROPOLITANAS DE LISBOA E PORTO

Lei nº75/2013
 Define as atribuições, os órgãos e as competências das áreas
metropolitanas de Lisboa e Porto.
 Nas duas áreas metropolitanas passou-se de uma estrutura funcional
monocêntrica para uma estrutura policêntrica.

Fig. Cidade do Porto (ponte D. Luís).

Pág. 100
DINAMISMO DEMOGRÁFICO

O dinamismo demográfico nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto


evidencia-se pela concentração populacional… e pelo aumento da
população.

Fig. Proporção da população das áreas Fig. Evolução da população das áreas
metropolitanas no total do país, 2011. metropolitanas.
Fig. Almada, Setúbal.

Pág. 102
DINAMISMO DEMOGRÁFICO

A variação demográfica nos concelhos das duas áreas metropolitanas foi


maior no período entre 1991 e 2001.
 Perda demográfica nos municípios centrais.
 Maior crescimento nos concelhos da periferia.

Fig. Evolução da população das áreas metropolitanas.

Pág. 102
DINAMISMO DEMOGRÁFICO

As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto caracterizam-se por uma


A densidade
Os populacional
dois concelhos apresenta-se
mais densamente em menor
povoados disparidade
pertencem à área
população:
interconcelhia de
metropolitana na área metropolitana do Porto.
 mais jovem; Lisboa.
Amadora
mais instruída; Lisboa
2
+ de qualificada.
 mais 7000 hab./Km + de 6000 hab./Km 2

Fig. Grupo de estudantes universitários.


Fig. Densidade populacional por municípios das duas áreas metropolitanas (2011).

Pág. 103
DINAMISMO ECONÓMICO

As duas áreas metropolitanas apresentam vantagens:


 localização litoral;
 acessibilidade natural;
 amenidade do clima;
 relevo pouco acidentado – AML.

Pólos dinamizadores Oferecem cerca de 43% do


da economia nacional. emprego e produzem quase
52% do PIB nacional.

Fig. Vista sobre o rio Douro.


Fig.
Fig.Lisboa.
Sintra.

Pág. 104
A INDÚSTRIA NAS ÁREAS METROPOLITANAS DE LISBOA E PORTO

O dinamismo económico
destas áreas deve-se, sobretudo,
à atividade industrial que
beneficia de algumas vantagens:
 complementaridade entre
diferentes ramos industriais;
 existência de infraestruturas
e serviços diversos;
 disponibilidade de
mão de obra;
 acessibilidade aos mercados
nacional e internacional.

Fig.Fig.
Linha ferroviária
Estação Fig. Porto
e porto,
de São de Lisboa.
Bento, Porto

Pág. 106
A INDÚSTRIA NAS ÁREAS METROPOLITANA DE LISBOA

 Localiza-se, principalmente, nos concelhos periféricos ao de Lisboa.


 Verifica-se a tendência para a associação da indústria aos serviços de
armazenagem e distribuição e ao comércio por grosso.
 O tecido industrial é muito diverso.
 A dimensão das empresas é maior que na AMP e os níveis de
produtividade são mais elevados.

Fig. Vista sobre Lisboa.

Pág. 106
A INDÚSTRIA NAS ÁREAS METROPOLITANA DO PORTO

 Alguma concentração à volta do concelho do Porto e uma localização dispersa


no restante território.
 Predomínio da indústria de bens de consumo tradicionais.
 Indústria de vestuário e calçado, com alguma especialização.
 Tendência para a diversificação industrial.
 Crescente aposta na inovação científica e tecnológica.

Fig. Ribeira do Porto.

Pág. 106
A INDÚSTRIA NAS ÁREAS METROPOLITANAS DE LISBOA E PORTO

A
Noárea
No metropolitana
valor acrescentado
volume do Porto
de negócios bruto tem maior número
evidenciam-se
destacam-se: de trabalhadores.
os mesmos municípios nos lugares
cimeiros, aos quais se junta Sintra.

Sintra
Palmela

Lisboa
Vila Nova de Gaia

Fig. Volume de negócios dos estabelecimentos industriais nos municípios da AML e da AMP (2011).

Pág. 107
A INDÚSTRIA NAS ÁREAS METROPOLITANAS DE LISBOA E PORTO

Atividade:
1 – Analise a tabela que se segue e enumere as principais conclusões
que pode tirar dessa análise.

Pág. 105
Verificar resposta
DINÂMICA DA INDÚSTRIA TRANSFORMADORA

Em Portugal, a distribuição espacial da


indústria transformadora concentra-se:
 no litoral;
 nas duas áreas metropolitanas.

Na região Norte predomina a indústria


intensiva em mão de obra.
Na região de Lisboa tem grande importância
a indústria intensiva em tecnologia.

Fig. Número de estabelecimentos e trabalhadores da indústria transformadora, por NUTS III (2011).

Pág. 108
INDÚSTRIA TRANSFORMADORA – ESPECIALIZAÇÃO REGIONAL

Na especialização regional
evidencia-se:
 Indústria farmacêutica.
Fig. Cientista a trabalhar em laboratório.
 Têxteis e o couro.
 Indústria química, a do papel
e impressão e a de fabrico de
TIC e a de equipamentos
Fig. Fábrica de pão.
elétricos.
 Indústria alimentar.

Fig. Farmácia.
Fig. Indústria têxtil.
Fig. Emprego industrial por NUTS III e por ramo da indústria transformadora (2010).

Pág. 109
FIM DA
APRESENTAÇÃO