Você está na página 1de 8

“AEmoção

“A EmoçãoeeaaRegra
Regrana
naConstrução
Construçãode
deuma
umaPedagogia
Pedagogiada
daInfância”
Infância” --
MELLO,A.
MELLO, A.Suely.
Suely.
UMA EXPERIÊNCIA BEM SUCEDIDA NA REDE MUNICIPAL DE PIRACICABA – SP 1978-1983
CONTEXTO, 1978-1983: DITADURA, POBREZA E DESEMPREGO.

A QUESTÃO QUE NORTEOU A EXPERIÊNCIA:


QUE DOSE DE REGRA E QUE DOSE DE EMOÇÃO SE FAZEM NECESSÁRIAS
PARA A REALIZAÇÃO DE UMA EXPERIÊNCIA EDUCACIONAL ADEQUADA
ÀS NECESSIDADES DE DESENVOLVIMENTO DAS CRIANÇAS EM GERAL E,
MAIS ESPECIFICAMENTE, NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA?

OBJETIVO: DESENVOLVER UM PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PARA CRIANÇAS DE 0 A 6


ANOS, CONSIDERANDO-AS COMO DIRIGENTE (PERPESCTIVA GRAMSCIANA), TENDO O
CUIDADO DE NÃO ABREVIAR A INFÂNCIA.
“AEmoção
“A EmoçãoeeaaRegra
Regrana
naConstrução
Construçãode
deuma
umaPedagogia
Pedagogiada
daInfância”
Infância” --
MELLO,A.
MELLO, A.Suely.
Suely.

OBJETIVO: DESENVOLVER UM PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PARA CRIANÇAS DE 0 A


6 ANOS, CONSIDERANDO-AS COMO DIRIGENTE (PERPESCTIVA GRAMSCIANA), TENDO O
CUIDADO DE NÃO ABREVIAR A INFÂNCIA.

FORMAÇÃO
PROFESSOR
ES

COMUNIDA DIRETRIZES AVALIAÇÃO


DE

REFLEXÃO
DA PRÁTICA
“AEmoção
“A EmoçãoeeaaRegra
Regrana
naConstrução
Construçãode
deuma
umaPedagogia
Pedagogiada
daInfância”
Infância” --
MELLO,A.
MELLO, A.Suely.
Suely.

DIRETRIZES
Participação comunitária; GRAMSCI
Instância de Educação,
COMUNIDA
palestras; DE
Canais de expressão; CONHECER
Repensar o papel da PARTICIPAÇÃO TRANS
creche; EDUCAÇÃO
Superação d um visão POLÍTICA
assistencialista;
 HISTÓRIA CULTURAL = MOTIVAÇÃO DO SER HUMANO
Parceria entre professores  CONHECER E INTERPRETAR AS NECESSIDADES E
e pais; INTERESSES;
 APRENDER COM;
“AEmoção
“A EmoçãoeeaaRegra
Regrana
naConstrução
Construçãode
deuma
umaPedagogia
Pedagogiada
daInfância”
Infância” --
MELLO,A.
MELLO, A.Suely.
Suely.

 Seleção para professores; DIRETRIZES


 Ser morador do bairro; GRAMSCI
 Delineamento de um perfil:
capacidade de leitura e escrita, FORMAÇÃO
PROFESSOR
curiosidade, trabalhar com ES
informações novas, aprender CONHECER
critérios, TÉCNICO POLÍTICO
 Formação continuada, palestras, TRANSFORMAR
reuniões, discussões políticas,
 Estruturação de um conceito de
infância.  FORMAR INTELECTUAIS; REFLEXÃO INDIVUAL E COLETIVA;
 AVALIAÇÃO DO TRABALHO E DAS CONDIÇÕES CONCRETAS;
 TOMADA DE DECISÕES;
 DESNATURALIZAÇÃO DAS RELAÇÕES COTIDIANAS;
“AEmoção
“A EmoçãoeeaaRegra
Regrana
naConstrução
Construçãode
deuma
umaPedagogia
Pedagogiada
daInfância”
Infância” --
MELLO,A.
MELLO, A.Suely.
Suely.

Composto por;
representantes dos
DIRETRIZES
funcionários;
CONSELHOS DE CONSELHOS
Pais, AVALIAÇÃO PEDAGÓGICO

Compreensão e Composto pelo Secretário


interferência na da Educação;
realidade Equipe pedagógica;
REFLEXÃO SOBRE A
PRÁTICA
“AEmoção
“A EmoçãoeeaaRegra
Regrana
naConstrução
Construçãode
deuma
umaPedagogia
Pedagogiada
daInfância”
Infância” --
MELLO,A.
MELLO, A.Suely.
Suely.

PROJETO PEDAGÓGICO
REFLEXÃO
TRABALHO
CONJUNTO PLANEJAMENTO EXPERIÊNCIA CULTURA PROPOSTA

 RELAÇÃO PROF X CRIANÇA;  MATERIAIS;  AUTO-ESTIMA  SUPERAÇÃO DAS


 SUPERAR A PERSPECTIVA  TEMPOS;  IDENTIDADE PROPOSTAS:
PARA/PELA CRIANÇA ;  INTENCIONALIDADE  ESPAÇOS;
 AUTONOMIA, PEDAGÓGICA  RELAÇÕES. COMPENSATÓRIA;
 AUTO-ESTIMA;  REGISTRO REFLEXIVO; ESCOLARIZAÇÃO;
 APRENDER A FAZER;
 APRENDER A PENSAR.
 A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DEVE SE DAR SOB O VIÉS
HISTÓRICO;
 POSICIONAMENTO TRANSFORMADOR, CULTURAL MORAL E
ÉTICO;
À GUISA DE  PRÁTICA INTENCIONAL;
CONCLUSÃO  NÃO HÁ MODELOS PRONTOS;
 O PROCESSO FORMATIMO DEVE ZELAR PELA APROPRIAÇÃO
DE LEITURAS, ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA E PESQUISA NO
CAMPO DA ÁREA;
 CLIMA DE COOPERAÇÃO E AUTONOMIA INTELECTUAL;
 REGRAS DO COMO FAZER?.

“GENTE É PARA BRILHAR E NÃO PARA MORRER DE FOME” MAIAKOWSKI