Você está na página 1de 16

ANÁLISE DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO

TEMA II. Análise do Sistemas

Lic. Isabel Carina F. Da Cunha


BASES CONCEITUAIS

 ANÁLISE LÓGICO: Método de obtenção de um novo conhecimento apartir da


descomposição mental do objecto estudado como um todo complexo, com suas
partes integrantes. Permite revelar composição e estructura, separar o esencialdo
não esencial, o causal e o necessario, a diversidade, identidade e unidade, e
reduzir o complexo ao simples. Implica ainda a classificação de objectos e
fenómenos, e destacar etapas e tendencias contradictorias de um processo em
desenvolvimento.
 SÍNTESE: É a unificação em que um todo único das partes, propiedades e
relações agregadas por meio de uma análise. Une o geral e o particular, a unidade
e a diversidade, complentado a análise em uma unidade indissoluvel.
 ANÁLISE SISTÉMICO: aplica-se principalmente na investigação dos sistemas
artificiais, creados pelo homem. Plantea-se que um ou outro problema complexo
que se plantea diante a nossa sociedade deve estudar-se como algo íntrego, como
sistema em interacção de todos seus componentes.
 ENFOQUE SISTÉMICO: Base teórica e metodológica de análise sistématico,
fase do desenvolvimento dos métodos de conhecimento, de investigação e
disenho, dos modos de descrição e explicação da natureza dos objectos
complexos em desenvolvimento que esta a serem analizados.
SISTEMA
Se trata de não reduzir um problema, só ao estudo das partes obviamente em
um todo, nem de estudar o todo sem conhecer as partes.
CARACTERÍSTICAS ESTRUCTURAIS BÁSICAS.
 Elementos, partes ou componentes; (entidades ou processos)

 Relações ou interações entre eles;

 Limites que ajudam a distiguir-lo em seu entorno e contexto e a definir qué


elementos o pertecem que não.
CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS
Podem ser diversas, de acordo ao objecto que pretende alcançar, as funções em
que realizam, y as condições particulares em que desenvolvem-se.
 Segundo a sua construção: Fisica ou concreta, ou abstractos ( conceitos,
Hipotesis, planos, leis...etc).
 Segundo a sua natureza: Fechado (não intercambio com o ambiente) ou
Aberto ( Intercambio com o ambiente apartir de entradas e saidas).
 Segundo as características das relações: Simples ou Complexos

 Segundo o seu desempenho no tempo: Estáticos ou Dinámicos

 Segundo os seus niveis: Herárticos, auto-organizadores, biológicos,


psicológicos, sociais, etc.
Os sistemas sociais humanos são dependentes do resto dos sistemas, e incluem
diferentes formas de interação, visiveis ou invisiveis, tais como as comunidades, as
familias, as organizações, a economía, a inteligência social, entre outros.
Sistema

Principio da relatividade: Todo sistema é um subsistema de outro, a sua vez, todo


subsistema é um sistema ao que lhe subordina outros subsistemas. Cada sistema é um
subsistema de outro maior e todo subsistema está constituido por componentes
genéricos que com relação aeste sistema constituem seus subsistemas.
SISTEMA
CARACTERISTICAS OU PROPIEDADES DOS SISTEMAS

 Um conjunto de subsistemas independentes criam um todo como entidade.


 Os componentes estão entrelaçados e interagem entre si.

 As partes estão conectadas de forma organizadas

 O enfoque sistémico tem a haver com todo, sem dispresar as partes

 Primar pela a sinergia e o holismo: em que tudo é superior a suma das partes

 As partes realizam algo que é de interesse para o objectivo global.

 Tem os mesmos propósitos ou objectivos.


FUNÇÕES BÁSICAS DA GESTÃO

Recursos:
- Planificar - Humanos
- Organizar - Económicos
- Dirigir - Materiais
- Controlar - Informáticos
FUNÇÕES BÁSICAS DA GESTÃO
 Planificar: Determinar os objectivos da organização, e establecer as estrategias
adequadas alcançar os ditos objectivos se deve conhecer o âmbito em que
encontra-se, para estabelecer a finalidade da organização, suas metas e por tanto
seus objectivos para poder levar-los a cabo.
 Organizar: Adequar os recursos previstos na planificação para conseguir os
objetivos. Implica a existência de uma estructura de relações de função e de
autoridade.
 Dirigir: Levar a práctica o plano de disenhado. Que deve-se conseguir um lider
capaz de articular o conjunto de componentes que formão a estructura
organizativa.
 Controlar: Evaluar o rendimento real, comparar esse rendimento com os
objetcivos fijados, ou corregir as diferencias entre os resultados e os objectivos.
RECURSOS ORGANIZACIONAIS
Estes recursos deviden-se:
 RECURSOS TANGIVEIS OU VISIVEIS: Recursos financeiros, ou os
recursos materiais e técnicos, carecem de valor sem os intangiveis ou
invisiveis.
 RECURSOS INTANGIVEIS OU INVISIVEIS: Imagem da marca, a
investigação, os processos de interação com os consumidores, o mesmo
capital intelectual derivado dos recursos humanos; activos, todos eles, são os
que gerão o auténtico valor em uma organizaçãoe em particular em uma
empresa.
Classificam-se segundo o fluxo de informação que impliquem, já seja entrada
de informação do exterior, movimento da mesma dentro da organização, ou
saida da informação ao exterior.
A INFORMAÇÃO COMO RECURSOS INTANGIVEIS
A INFORMAÇÃO AMBIENTAL

 Informação Crítica: Científica, técnica, tecnológica, técnico-económica,


jurídica e reglamentaria, de entorno e seguraça, e informação qualitativa e geral.
 Informação Externa: presente no entorno da organização

 Entorno Inmediato: o que conformam os activos de uma empresa, trata-se do


diario de uma instituição, como os clientes, os distribuidores, competidores,
proveedores, finaciamentos e reguladores da mesma.
 Entorno Remoto: está formado por aqueles elementos que uma organização
deve ter em conta para controlar o entorno em que se enquadra, e que esta
formado pela informação sobre a situação política, a sociedade, as trocas
tecnológicas ou a evolução económica.
A INFORMAÇÃO INTERNA
 A informação operacional: a gerada pela organização devido ao
funcionamento rutinario da empresa.
 O conhecimento: o resoltado da fusão da informação interna e a externa, que
gera beneficios para as empresas.
A INFORMAÇÃO CORPORATIVA
 É aquela que uma empresa lança ao exterior, de manera que o permite
controlar seus canais e seus conteúdos, em:
 Um entorno inmediato no âmbito empresarial (Clientes, distribuidores,
preveedores, financiadores, reguladores, accionistas e empregados).
 Um entorno remoto, definido por dois tipos de informações, as de carácter
económico, e as de carácter tecnólogico (Patentes ou resultados da
investigação e desenvolvimento).
A PLANIFICAÇÃO E OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

A planificação deve servir de ferramenta para aportar informação a toma de


decisões.
De acordo ao nivel directivo, encontramos:
 Planificação estratégica, Centrado nos temas longos e duradores que
aseguram a efectividade da empresa. Se Establecem objectivos e metas a
longo prazo, e a leva a cabo a alta direcção.
 Planificação operativa, que se estabelece a curto prazo e esta orienta a
consecução de um objetivo determinado. O leva a cabo a direcção de
controlo e dos directivos das operações.
 E a planificação táctica, que se centraliza no enlance que pode estabelecer-se
entre a planificação estratégica e a operativa.
FASES GERAIS DA PLANIFICAÇÃO

 Evaluação das condições actuais: Na planificação estratégica se adapta um


visão panorámica dos ambientes internos e externos da organização, na
operativa, na evaluação se faz em dados do tipo de fluxo de caixa, ou de
cotas de mercados, já seja que se centra nos objectivos e metas mais
específicas.
Determinação dos objectivos e metas.
 Os objectivos são fins específicos, mediveis e planteados a curto prazo e
sua consecução previa é precisa para poder alcançar as metas da organização.
 As metas são estados ou condições futuras que contribuem a finalidade
ultima da organização.
 Establecimento de um plano de acção: as acções são medios específicos
pelo logro dos objectivos traçados.
MUITO OBRIGADO