Você está na página 1de 9

Escravidão, pós-abolição

e o imaginário dos negros


no Brasil

Jasmini L. Maurer
Historiadora e Mestranda do Programa de Pós-Graduação em
História na Universidade Federal da Fronteira Sul – bolsista da
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina

Foto de José Medeiros/Acervo Instituto Moreira Salles


Breve contexto
 No Brasil Colônia:
 Chegada dos portugueses em 1500:
 Escravização indígena – os “negros da terra”;
 Ascensão do tráfico transatlântico de sujeitos escravizados;

América portuguesa

Mão-de-obra escravizada Manufatura Exportação


 Em 1822 o Brasil torna-se independente, contudo a escravidão ainda é a base
econômica e social vigente. Aqui intensifica-se os discursos em torno da abolição.
 A Lei para Inglês ver – O fim do tráfico transatlântico em 1833?

 Uma abolição lenta e gradual – legislação

1850 1871 1885


Lei nº 601 – 18 de setembro Lei nº 2.040 – 28 de setembro Lei 3.270 – 28 de
Lei nº 581 – 4 de setembro setembro

1888 – Lei Aurea


Lei nº 3.535 – 13 de maio
O que houve a partir de 14 de maio de 1888?
 “Tem um apagamento em geral sobre a escravidão e um apagamento da experiência negra na
liberdade na maioria das cidades, não só após a abolição, mas durante o século XIX, quando a
maioria da população livre era afrodescendente. Muita gente ficou invisibilizada. Só se fala da
experiência negra para falar da dor, e se fala no genérico. Aquelas pessoas que viveram mais
perto no tempo essa experiência da dor foram muito importantes em termos de criação de
cultura, formas de sociabilidade e afeto. Não é possível pensar as regiões que receberam essas
pessoas falando apenas da experiência da dor, porque é uma experiência de superação também.”
 Escravidão e República
 “Deixados à própria sorte” –
projetos do governo?
 Marginalizados
 Favelas e cortiços
 Projetos de “embranquecimento” e
racismo “científico”
 Resistência
 Revolta da vacina – 1904
 Revolta na chibata
Escolarização
 O mito da democracia racial
 As primeiras escolas datam ainda do
período imperial, contudo eram
poucas.
 Neste período para frequentar as
escolas deveriam ser homens e livres.
 Até este momento a escolarização
destes sujeitos era resultado da luta e
resistência.
 Após a abolição as escolas
estruturadas para elite, excluiu
negros.
Obrigada!