P. 1
04_Analise Preliminar de Riscos_AR

04_Analise Preliminar de Riscos_AR

|Views: 9|Likes:
Publicado pors.marques

More info:

Published by: s.marques on Apr 18, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/25/2014

pdf

text

original

Formador: Eng.

Susana Marques Maio 2012

Preliminary Hazard Analysis (PHA)

  Aplicar a técnica de análise preliminar de riscos.No final desta unidade os participantes deverão ser capazes de: Conhecer as caraterísticas da técnica de Análise Preliminar de Riscos. AVALIAÇÃO DE RISCOS 3 .

Metodologia de análise preliminar de riscos.  Enquadramento e caraterísticas da técnica. AVALIAÇÃO DE RISCOS 4 .

medidas de prevenção ou correção e caracterizando-se os riscos para priorização de ações. » Técnica Indutiva e Qualitativa. AVALIAÇÃO DE RISCOS 5 . levantado-se causas e efeitos de cada risco.Tipo » Análise inicial. Definição » Técnica estruturada para identificar os perigos potenciais decorrentes da instalação de novas ou antigas instalações/ sistemas de trabalho. » Revisão geral de aspectos de segurança através de um formato padrão.

no evitar de acidentes graves ou. mitigar as suas consequências. apesar de preliminar pode ser relevante na redução de custos e preocupações desnecessárias. » É designada de Preliminar. pelo menos. produto ou sistema. porque é um método utilizado como primeira abordagem do objeto em estudo. revelando aspectos às vezes despercebidos. » Este método.Uso e aplicações » Fase de projeto ou desenvolvimento de qualquer novo processo. AVALIAÇÃO DE RISCOS 6 . » É muito útil como revisão geral de segurança em sistemas/instalações já operacionais.  A APP é a técnica percursora de outras análises.

» Ordenação qualitativa dos cenários de acidentes identificados. AVALIAÇÃO DE RISCOS 7 .Permite » Os resultados obtidos são qualitativos. » Priorização das medidas propostas para a redução dos riscos da instalação analisada. não fornecendo estimativas numéricas.

Condições materiais do trabalho. . normalmente feita para fins de simplificação e ordenação do trabalho).Causas Humanas Descrição dos: .A APP é realizada para cada módulo de análise da instalação (subdivisões.Lesões nos trabalhadores ou morte I. III ou IV Medidas de prevenção e de proteção AVALIAÇÃO DE RISCOS 8 . Análise Preliminar de Riscos Subsistema: Consequências ou Efeitos Data: Categoria de Risco Medidas de Prevenção Perigo Causas Propriedade ou capacidade intrínseca de um componente de trabalho potencialmente causador de danos Causas relacionadas com: .Organização do trabalho e gestão da prevenção . equipamentos) . II.Ambiente e local de trabalho.Danos patrimoniais (instalações. .

Danos nos equipamentos. Sistema de combate a incêndio. AVALIAÇÃO DE RISCOS 9 . III Pressão elevada.Exemplo: Análise Preliminar de Riscos Subsistema: Consequências ou Efeitos Data: Categoria do Risco Perigo Causas Medidas de Prevenção Formação de atmosfera explosiva Deficiência da válvula de segurança. Proteção contra a corrosão/isolar o tanque. Corrosão no tanque. Sistema de controlo da pressão e da temperatura. Explosão do tanque: Assegurar a qualidade da válvula de segurança. . -Lesão nos trabalhadores.

recolher: » As tarefas a realizar. público. » Os procedimentos de trabalho escritos e/ou autorizações de trabalho. etc. subempreiteiros. » Os locais onde se realiza o trabalho.Para cada atividade de trabalho. A sua duração e frequência. Tanto de forma permanente como ocasional. » Outras pessoas que possam vir a ser afetadas (visitantes.) » A formação recebida pelos trabalhadores para a execução das suas tarefas. » Quem realiza o trabalho. AVALIAÇÃO DE RISCOS 10 .

» O volume. liquido. » As distâncias e alturas a que se tem que movimentar manualmente os materiais. » As instruções dos fabricantes e fornecedores sobre o funcionamento das instalação. » As energias utilizadas (ex.Para cada atividade de trabalho. máquinas e equipamentos utilizados.). etc. AVALIAÇÃO DE RISCOS 11 . máquinas e equipamentos. » As ferramentas utilizadas (manuais/movidas).: ar comprimido. recolher: » As instalações. » O estado físico das substâncias utilizadas (sólido. » As substâncias utilizadas e produzidas. gasoso). características das superfícies e peso dos materiais a manipular. vapor. forma.

AVALIAÇÃO DE RISCOS 12 . etc. fichas de segurança de produtos) • Códigos de boas práticas. • os diversos órgãos e funções de um equipamento.LISTAS DE VERIFICAÇÃO » Utilização de questionários. • as diversas áreas das instalações. » Avaliação do cumprimento de referenciais: • Legislação • Normas técnicas • Instruções dos fabricantes (e. estruturados de acordo com a lógica do objeto observado: • a sequência das operações de um processo produtivo.g.: manuais de equipamentos.

AVALIAÇÃO DE RISCOS 13 .

etc. » Consiste no apuramento de desvios que permitam a análise de riscos existentes e.INSPEÇÕES DE SEGURANÇA » Finalidade: identificar as condições de segurança de uma instalação e/ou os procedimentos de operação que possam conduzir ao acidente. a identificação e implementação das medidas preventivas correspondentes. em procedimentos internos.). LISTAS DE VERIFICAÇÃO AVALIAÇÃO DE RISCOS 14 . normas. » Baseia-se na verificação de conformidade das práticas com os referenciais correspondentes (legislação. consequentemente.

Sequência da Análise – 1ª Fase: Identificação dos Perigos (1ª coluna) Identificação das Causas (2ª coluna) Identificação dos Efeitos (3ª coluna) AVALIAÇÃO DE RISCOS 15 .

químicos e biológicos. Organizacionais. Etc. Trabalhos em altura. Elétricos.» Existe uma fonte de dano (de perigo/fator de risco)? » Quem (ou quê) pode ser lesado? » Como pode ocorrer o dano (acidente)? Grupos distintos de perigos: » » » » » » » » » Mecânicos. Condições físicas do local de trabalho. Incêndios e explosões. Exposição a agentes físicos. Posturas. AVALIAÇÃO DE RISCOS 16 .

AMBIENTE E LOCAL DE TRABALHO CONDIÇÕES MATERIAIS DO TRABALHO CAUSAS ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO E GESTÃO DA PREVENÇÃO HUMANAS AVALIAÇÃO DE RISCOS 17 .

etc.. AVALIAÇÃO DE RISCOS 18 . fraturas.). etc. golpes. formação de nuvem tóxica. queimaduras. » Lesões nos trabalhadores (cortes. etc. equipamentos. » Morte. » Danos patrimoniais (instalações.» Incêndio.). explosão. amputações.

Sequência da Análise – 2ª Fase: Determinação da Categoria de risco Elaboração das Medidas de prevenção AVALIAÇÃO DE RISCOS 19 .

I DESPREZÍVEL II MARGINAL III CRÍTICA IV CATASTRÓFICA AVALIAÇÃO DE RISCOS 20 . na propriedade e/ ou no meio ambiente (reparação lenta ou impossível). prestadores de serviços ou em membros da comunidade. na propriedade e/ou no meio ambiente.Danos severos nos equipamentos. . na propriedade e/ou no meio ambiente (os danos materiais são controláveis e/ou de baixo custo de reparação). na propriedade e/ou no meio ambiente.Lesões leves nos trabalhadores.Exige ações corretivas imediatas para evitar seu desdobramento em catástrofe. .Provoca mortes ou lesões graves em várias pessoas (trabalhadores. prestadores de serviços ou em membros da comunidade).A priorização das medidas é determinada pela categoria dos riscos: Categoria Denominação Descrição / Características . prestadores de serviço ou em membros da comunidade (probabilidade remota de morte). .Danos irreparáveis nos equipamentos. . prestadores de serviço ou em membros da comunidade.Danos leves nos equipamentos.Não ocorrem lesões/mortes dos trabalhadores. . o máximo que pode ocorrer são casos de primeiros socorros ou tratamento médico menor. . .Lesões de gravidade moderada em trabalhadores.Sem danos ou danos insignificantes nos equipamentos. .

AVALIAÇÃO DE RISCOS 21 .

AVALIAÇÃO DE RISCOS 22 .

Diagrama Esquemático de Interfaces e Conexões do Sistema de Transferência de Ácido Sulfúrico do Camião para o Tanque. AVALIAÇÃO DE RISCOS 23 .

AVALIAÇÃO DE RISCOS 24 .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->