P. 1
Apostila de Estatística - UFSM - Prof. Dr. Luis Felipe Dias Lopes

Apostila de Estatística - UFSM - Prof. Dr. Luis Felipe Dias Lopes

4.5

|Views: 87.677|Likes:
Publicado pormfmarcal
Apostila de Estatística - UFSM - Prof. Dr. Luis Felipe Dias Lopes
Apostila de Estatística - UFSM - Prof. Dr. Luis Felipe Dias Lopes

More info:

Published by: mfmarcal on Dec 08, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/23/2015

pdf

text

original

É o tipo de série estatística na qual permanece constante o fato, o local e a época. Os
dados são colocados em classes preestabelecidas, registrando a freqüência de ocorrência. Uma
distribuição de freqüência pode ser classificada em discreta e intervalar.

a) Distribuição de Freqüência Discreta ou Pontual: É uma série de dados agrupados na
qual o número de observações está relacionado com um ponto real.

Notas do Aluno "X" na Disciplina de Estatística segundo
critérios de avaliação do DE da UFSM – 1990

Xi

fi

6.3

2

8.4

3

5.3

2

9.5

3

6.5

5

Σ

15

Fonte: Departamento de Estatística (1990)

8

b) Distribuição de Freqüências Intervalar: Na distribuição de freqüência, os intervalos
parciais deverão ser apresentados de maneira a evitar dúvidas quanto à classe a que permanece
determinado elemento.

O tipo de intervalo mais usado é do tipo fechado a esquerda e aberto a direita,

representado pelo símbolo: |---.

Altura em centímetros de 160 alunos do Curso de Administração da UFSM - 1990

Altura (cm)

Xi

fi

150 |--- 158 154

18

158 |--- 166 162

25

166 |--- 174 170

20

174 |--- 182 178

52

182 |--- 190 186

30

190 |--- 198 194

15

Σ

----

160

Fonte: Departamento de Estatística (1990)

Elementos de uma Distribuição de Freqüências:

Ø Classe ou Classe de Freqüência (K): É cada subintervalo (linha) na qual dividimos o

fenômeno.

Para determinar o número de classes a partir dos dados não tabelados, podemos usar a
Fórmula de Sturges, mas deve-se saber que existem outros métodos de determinação do
número de classes em uma tabela de freqüência. O que se deseja fazer é apenas comprimir um
conjunto de dados em uma tabela, para facilitar a visualização e interpretação dos mesmos.

n

log

3.3

1
n(K) +
=

, onde “n” é no

de informações.

•Além da Regra de Sturges, existem outras fórmulas empíricas para resolver o problema para determinação
do número de classes [n(k)], há quem prefira

n

)

k(
n ≅

. Entretanto, a verdade é que essas fórmulas não

nos levam a uma decisão final; esta vai depender na realidade de um julgamento pessoal, que deverá estar
ligado a natureza dos dados, procurando, sempre que possível, evitar classes com freqüências nulas ou
freqüências relativas exageradamente grandes.

Ø Limite de Classe (li ou Li): São os valores extremos de cada classe.

li = limite inferior da i-ésima classe;
Li = limite superior da i-ésima classe;

9

Ø Amplitude do intervalo de classe (h): É a diferença entre dois limites inferiores ou
superiores consecutivos.

l

l

h

1

n
n −

=

ou

1

n

n

L

L

=

h

•A amplitude do intervalo de classe deve ser constante em todo a distribuição de freqüências intervalar.

Ø Amplitude total (H): É a diferença entre o limite superior da última classe e o limite
inferior da 1ª classe, ou a diferença entre último e o primeiro elemento de um conjunto de
dados postos em ordem crescente.

1

n

l

L
H −
=

Ø Ponto médio de classe (Xi): É a média aritmética simples do limite inferior com o limite
superior de uma mesma classe.

2

L

l

X

i

i

i

+

=

ou a partir do X1 os demais pontos médios pode ser determinado por:

h

X

X

1

n

n

+

= −

•Quando substituirmos os intervalos de classes pelos pontos médios (X

i), ter-se´-á uma distribuição de

freqüência pontual.

Ø Freqüência absoluta (fi): É a quantidade de valores em cada classe

n

2

1

n

1

i

i

f

...

f

f

f

n

+

+

+

=

=∑

=

Ø Freqüência Acumulada (Fi): É o somatório da freqüência absoluta da i-ésima classe com
a freqüência absoluta das classes anteriores, ou a freqüência acumulada da classe anterior.

n

f

F

n

1

i

i

n

=

=∑

=

Ø Freqüência Relativa (fri): É o quociente entre a freqüência absoluta da i-ésima classe
com o somatório das freqüências.

=

=

n

1

i

i

i

i

f

f

fr

Obs.:

1

fr

n

1

i

i =

=

Ø Freqüência Relativa Acumulada (Fri): É o somatório da freqüência relativa da i-ésima
classe com as freqüências relativas das classes anteriores.

1

fr

Fr

n

1

i

i

n

=

=∑

=

10

33 RReepprreesseennttaaççããoo ggrrááffiiccaa

Os gráficos são uma forma de apresentação visual dos dados. Normalmente, contém
menos informações que as tabelas, mas são de mais fácil leitura. O tipo de gráfico depende da
variável em questão

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->