Simone de Beauvoir

monografias sobre filosofia. ensaios. ` `Simone . política. sociedade. como Ruão e Marselha. Escreveu romances.Lucie-Ernestine-Marie Bertrand de Beauvoir (09/01/1908 Paris ² 14/04/1986 Paris) foi uma escritora. feminista francesa e filósofa participante da corrente existencialista. Foi professora de filosofia até 1943 em escolas de diferentes localidades francesas. biografias e uma autobiografia.

`Para `Simone ela. nos relacionamos com outras pessoas priorizando nossos desejos. pouco compreendendo e valorizando suas necessidades. forma. `Desta . como quem pensava o próprio destino. dominação. prazer. um dos problemas da sociedade capitalista está no fato de que cada indivíduo percebe as outras pessoas como meio para a realização de suas necessidades: proteção. mas do ponto de vista de que sabia que iria se tornar um deles. riqueza.de Beauvoir procurou refletir sobre a exclusão dos idosos em sua sociedade.

Simone de Beauvoir escreveu que o idoso é uma espécie de objeto incômodo.`No texto. . inútil. A velhice (1970). e quase tudo que se deseja é poder tratá-lo como quantia desprezível.

. "Antes de tudo. condenando-os à miséria. Beauvoir afirma que a velhice é acima de tudo um fator cultural. à solidão e ao desespero. o que autoriza o desinteresse por sua infelicidade´ . afirma-se que possuem essa serenidade. Assim como a feminilidade é socialmente construída.` ` ` Segundo ela. exige-se deles a serenidade. a sociedade de consumo trata os idosos como párias.

estima-se que.`Simone de Beauvoir. . denunciava a ³conspiração do silêncio¶¶ ou o descaso com que era tratada a velhice naquela época. aproximadamente. 8 entre 10 trabalhos nas décadas de 1980 e 1990 usaram Beauvoir como referencial teórico. `A relevância que adquiriu nos estudos sobre a velhice. filósofa francesa.

raros são os que se consideram nessa condição e mesmo depois dos 80 anos há muitos que acreditam ser de meia-idade e uns tantos que continuam a se achar jovens. . na velhice.` Simone de Beauvoir em seu livro clássico sobre a velhice mostra. como se jamais fôssemos velhos: aos 60 anos. entre outras coisas. que o inconsciente não tem idade e que temos forte tendência a nos comportar.

` O homem não vive nunca em seu estado natural.como em qualquer idade. O individuo é condicionado pela atitude prática e ideológica da sociedade em relação a ele. Sabe-se que hoje é abstrato considerar em separado os dados fisiológicos e os fatos psicológicos: eles se impõem mutuamente. seu estatuto lhe é imposto pela sociedade que pertence. ` ` . na sua velhice.

` Se a velhice. ` . é uma realidade que transcende a história não é menos verdade que esse destino é vivido de maneira variável segundo o contexto cultural. enquanto destino biológico. Qualquer afirmação que pretenda referir-se à velhice em geral deve ser rejeitada porque tende a mascarar este hiato.

. geralmente ligado à passagem do tempo.` Gerontologista americano Lansing o envelhecimento é: ` Um processo progressivo de mudança desfavorável. tornando-se aparentemente depois da maturidade e desenbocamento invariável da morte.

Ela não é somente um fato biológico. A velhice não poderia ser compreendida senão em sua totalidade. ` .` Cada sociedade cria seus próprios valores: é no contexto social que a palavra ³declínio´ pode adquirir um sentido preciso. mas também um fato cultural.