6.

8 Curvamento de tubos
DIÂMETRO EXTERNO DA PLACA EM POLEGADAS
Dp = 0,98 DE - 2e (1 + K)
0.41 e (pol) 0.47 0.56 0.69

N-464 H

6.8.1 O curvamento d a) para oleodutos: no b) para gasodutos: no

Dp (pol)
DE (pol) K 24 0.2

22.55
59.11

22.39
51.17

22.17
42.70

21.87
34.88

DE/e

TABELA 1 - TOLERÂNCIA DA ESPESSURA DE PAREDE - K Diâmetro Nominal do Duto < 2” 2” a 18” ≥ 20” ≥ 20” Grau do Aço (API 5L) B com ou sem costura com ou sem costura com costura sem costura 0.20 0.15 0.18 0.15 X42 a X70 0.150 0.150 0.200 0.180

6.8.4 O método de cu condições mínimas d a) a diferença entre o qualquer seção do tu diâmetro externo esp b) não são permitidos revestimento;

Processo de Fabricação

c) todos os tubos cur interno para verificar alínea a); para a dete utilizada a seguinte fó Dp = 0,98 DE - 2e (1 Onde: Dp = diâmetro extern DE = diâmetro extern e = espessura nomin (polegada); K = tolerância da esp

6.8.5
Ec (MPa) Sy (MPa) DE (cm) e (cm) P (MPa) α (ºC-1) Δθ (ºC)

RAIO MÍNIMO DE CURVATURA PARA CURVAMENTO NATURAL
200000 482.14 60.96
ver tabela

6.8.5 O curvamento n mínimo calculado pel Onde:

R = raio mínimo de cu

Ec = módulo de elast

10.77 Esta pressão é a mínima de teste hidrostático a ser aplicada no gasoduto, que depende da classe de locação. Veja qual é a Sy = tensão mínima d menor classe de loc 1 Não é 1. D = diâmetro externo 0 e = espessura nomin

00 4.8.13 3. .13 3.41 37.38 18.00 kgf/cm2 1.75 (cm) estimada de montage Âng Máx Nat Desvio Angular Nat 288.19 0.000.28 (graus) 1 kgf/cm² = 0.43 0.08 37.26 201.13 2. DADOS BÁSICOS DE PROJETO Diâmetro nominal (Dn) Pressão de projeto (P) Sobrespessura de corrosão (CA) Tensão mínima de escoamento (SMYS) 24.69 1.41 1.00 Copie o símbolo de grau.60 18.41 (graus) 0. o que não é verdade.47 1.38 3.38 0.72 0.21 kgf/cm² Raio Mín Curv Nat 1.88 18.99 18.C.64 1 kgf/cm² = 14.29 CURVAMENTO NATURAL CALCULADO Raio Mínimo (frio) PELA NORMA N-464 H Âng Máx Nat Âng Máx a Frio Desvio Ang a Frio 2.72 37.75 (pol) (cm) (m) (m) (graus) (graus) (graus/m) 288.60 3.5 RAIOS MÍNIMOS DE CURVATURA NATURAL E À FRIO TEÓRICOS PARA TUBOS Nota: O raio teórico à frio independe da espessura da parede do tubo.03 0.64 kgf/cm2 Notas: 1) Ec = 2.03 0.38 37. 3) Δθ = 0 para duto tr 6.23 223.60 3.00 x 10E+5 2) P é a pressão mín temperatura ambiente produto quente.29 223.00 pol 100.13 Nota: Estes ângulos foram obtidos considerando-se que se consegue curvar um tubo inteiro de 12 m.Tubo (m) D (in) Δθ (55 °C)= Ec (MPa)= Sy (kgf/cm²)= Sy (MPa)= 12 24 Espessuras (e) para o tubo de 24 polegadas P = pressão.14 1 MPa = 10.41 200.60 3.56 1.60 3.29 252.88 2. .19 0.99 2.29 201.43 0.08 0.47 1.60 (m) 3.69 (pol) 1.097943193 MPa OBS: Temperatura de projeto é de 55o.22 psi 482. Espessuras (e) do tubo de DN 24" CURVAMENTO A FRIO CALCULADO PELA NORMA ABNT NBR 12712 (R = 30 x DE) Raio Mín Curv Nat Unidade 0.30 mm 4. pois logo na curvadeira é introduzido um trecho reto que não é curvado e na outra extremidade também fica um trecho reto sem curvar. se quiser usar nas outras.922.922. em MPa Δθ = diferença entre α = coeficiente de dila 0 0.2 252.56 1.

2. conforme definido no item 6.2.1 e 8.a pressão mínima de teste deve ser fixada em função da classe de locação.) que: 8.25 vezes a pressão de projeto. temos o item 8 (T. respeitar os limites para curvamento a frio dos dutos revestidos. sempre que possível.4 Os raios de curvatura horizontais e verticais da pista devem estar compatíveis com o método previsto para a mudança de direção do duto. devem ser observados os raios mínimos de curvatura.2 Para o teste hidrostático o projetista deve considerar as condições descritas nos itens 8. .6. b) para gasodutos: . .a pressão que produzir uma tensão circunferencial equivalente a 72 % do “SMYS” no ponto mais baixo do perfil do trecho.4.5. Pela N1744(projetos de gasodutos e oleodutos terrestres).8.a pressão que produzir uma tensão circunferencial equivalente a 72 % do “SMYS”. em consonância com os ditames da norma ASME B31. 8.1.H.2.8.1 Este item trata da definição das pressões de teste hidrostático de resistência mecânica para duto novo. 8. procurando-se.2.1 A pressão mínima de teste deve ser fixada no maior dos seguintes valores: a) para oleodutos: . estabelecidos pelo projeto. No caso de construção de dutos para produtos aquecidos. .

b) não são permitidos enrugamento e danos mecânicos no tubo e no c) todos os tubos curvados devem ser inspecionados por passagem de gabarito interno para verificar se a ovalização está dentro do prescrito no item 6. e = espessura nominal da parede do tubo. medidos em qualquer seção do tubo.4 O método de curvamento deve ser previamente aprovado e satisfazer às seguintes condições mínimas de inspeção: a) a diferença entre o maior e o menor dos diâmetros externos.1 O curvamento de tubos deve atender ao disposto nas seguintes normas: a) para oleodutos: norma ASME B 31. e = espessura nominal de parede do tubo ou da conexão. DE = diâmetro externo do tubo (polegada). .2e (1 + K) Dp = diâmetro externo da placa (polegada). Ec = módulo de elasticidade do aço.98 DE . 6. conforme TABELA 1. b) para gasodutos: normas ASME B 31.6.5 O curvamento natural não deve ultrapassar o limite elástico do material.8. sendo o raio mínimo calculado pela seguinte fórmula: R = raio mínimo de curvatura para curvamento natural. após o curvamento.8. em MPa.5 % do seu diâmetro externo especificado na norma dimensional de fabricação. em cm. D = diâmetro externo do tubo. o que for maior K = tolerância da espessura. em cm. em cm. em MPa. Sy = tensão mínima de escoamento especificada. para a determinação do diâmetro da placa do gabarito deve ser utilizada a seguinte fórmula: Dp = 0. não pode exceder 2.8.8 e ABNT NBR 12712.4 alínea a). 6.8.4.

2) P é a pressão mínima de teste hidrostático para duto transportando produto à temperatura ambiente. 1) Ec = 2. 3) Δθ = 0 para duto transportando produto à temperatura ambiente. P é a pressão de projeto para duto transportando produto quente. . em ºC-1.P = pressão. Δθ = diferença entre a temperatura de operação do duto e a temperatura estimada de montagem do duto.00 x 10E+5 MPa para aço-carbono à temperatura ambiente de 21 ºC. em MPa. α = coeficiente de dilatação térmica linear do aço. em ºC.

.

922.72 0.50 0.56 0.47 0.458 0.00 1. 0.64 F (*) E (*) T CA (cm) 0.72 1.922.30 mm 4.64 kgf/cm2 ESPESSURA MÍNIMA DE PAREDE (Tmin) POR CLASSE DE LOCAÇÃO E PRESSÃO DE PROJETO Esta fórmula está certa >.539 0.41 0.12-6521-940-PEN-001 DIMENSIONAMENTO MECÂNICO DO GASODUTO DADOS BÁSICOS DE PROJETO Diâmetro nominal (Dn) Pressão de projeto (P) Sobrespessura de corrosão (CA) Tensão mínima de escoamento (SMYS) 24.69 Classe de locação Fator de projeto 1 2 3 4 0.661 0.60 0.13 tmin (pol) tnom (pol) 0.39 pol Tmin INSERIR DADOS (*) P (kgf/cm2) D (cm) S (kgf/cm2) 0.MC-4717.00 kgf/cm2 1.99 cm 0.00 60.00 0.00 pol 100.40 .390 0.96 4.39 pol 100.

11 C 300 F = 148.44 C 450 F = 232. °C = 5 * (°F .Conversão de temperatura 250 F = 121.32) / 9 .66 C 400 F = 204.89 C 350 F = 176.22 C Considerar T de projeto 55oC ou 131F.

PRESSÃO DE PROJETO .

O tubo é sem costura mesmo? .

.

.

81 m 28.92 graus .41 in 12 m 307.Módulo de elasticidade Pressão de projeto Diâmetro externo Tensão de escoamento Espessura de parede Comprimento do tubo Raio mínimo (natural) Ângulo máximo (graus) Desenvolvimento Raio mínimo (a frio) Ângulo máximo (graus) 200000 Mpa 100 kgf/cm² 26 in 70 ksi 0.23 graus 10 m 19.77 m 2.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful