Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC CENTRO DE ARTES – CEART

Programa da disciplina

1.Dados de Identificação:

Disciplina: Filosofia da Arte Código: FILAR Carga horária: 60hs/a Créditos: 4 Curso: Artes Plásticas Habilitação: Bacharelado e Licenciatura. Departamento: Artes Plásticas Fase: 8 Professora: Anita Prado Koneski Currículo: 2000 Ano: 2008/2

2. Caracterização da Disciplina (ementa):

Teoria da experiência, produção e da leitura da obra de arte. Conceitos centrais da arte.

3. Objetivo Geral:

Pensar o ser da obra de arte na contemporaneidade a partir de textos dos pensadores:

Martin Heidegger, Emmanuel Levinas, Maurice Blanchot e Julia Kristeva.

4.Objetivos específicos:

I Unidade: Pensar a questão da essência da obra de arte através do texto de Martin Heidegger, A Origem da Obra de Arte.

II Unidade: Pensar a impossibilidade do desvelamento do ser da obra de arte no

pensamento de Emmanuel Levinas.

III Unidade: Pensar a questão do Neutro no pensamento de Maurice Blanchot.

IV Unidade: Pensar o conceito de Abjeto como estranhamento do ser da obra de arte no

pensamento de Julia Kristeva.

5. Conteúdo:

I Unidade: Estudo do texto , A Origem da Obra de Arte, de Heidegger. Algumas

chaves da filosofia heideggeriana, as definições de “coisa”, utensílio e obra de arte, a questão da verdade na obra de arte, o ser como velamento/desvelamento.

II Unidade: Estudo dos textos de Emmanuel Levinas: Existência sem Mundo, In. Da

Existência ao Existente; , In. Ética e Infinito. Pensar os conceitos, há, Infinito,

existente sem existência.

III Unidade: Estudo dos textos de Maurice Blanchot , O Lado de Fora, a Noite, In. O Espaço Literário; Esquecimento e Desrazão, In. Conversa infinita. A Experiência limite 2. Pensar a arte a parte da experiência limite da desrazão, o conceito de Neutro. As metáfora da noite e de Orfeu usadas por Blanchot para falar da obra de arte.

IV Unidade: Estudo do texto de Julia Kristeva, Sobre La Abyeccion, In Poderes de la

perversión. O conceito de abjeto como um conceito sobre o estranhamento na obra de arte a partir do século XX, as relações entre abjeto e as construções religiosas, a inscrição do abjeto fora do sagrado.

6. Metodologia:

Leitura, reflexões e diálogos em sala de aula, a partir dos textos determinados nas

unidades da disciplina.

7. Avaliação:

Serão realizadas três avaliações (provas com consulta), em sala de aula, a partir dos

textos determinados nas unidades.

8. Bibliografia Básica:

BLANCHOT, Maurice. O espaço Literário. São Paulo: Rocco, 1987

BLANCHOT, Maurice. A Conversa infinita. A Experiência Limite 2.São Paulo: Escuta,

2007

BLANCHOT, Maurice. A Conversa Infinita. A Experiência limite 1. São Paulo:

Escuta, 2001. HAAR, Michel. A Obra de Arte Ensaio sobre a Ontologia das Obras.Rio de janeiro:

Difel, 2000. HEIDEGGER, Martin. A Origem da obra de Arte. Rio de Janeiro: Edições 70, 1990. LEVY, Tatiana Salem. A Experiência do Fora. Blanchot, Foucault e Deleuze. Rio de Janeiro: Relume, 2003 LEVINAS, Emmanuel. Ética e Infinito.Rio de Janeiro: Edições 70, 2000. LEVINAS, Emmanuel. Da Existência ao existente. Campinas: Papiros , 1998. OLIVERAS, Elena. Estética. La cuestión del arte.Buenos Aires: Ariel filosofia, 2005. KRISTEVA, Julia. Poderes de la Perversión. Buenos Aires: Catálogos, 1988. PELBART, Peter Pál. Da Clausura do Fora ao Fora da Clausura. Loucura e Desrazão. São Paulo: Brasiliense, 1989. SELIGMANN-SLIVA, Márcio. O Local da Diferença. São Paulo: Editora 34, 2005