Você está na página 1de 4
COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR Unidade Centro Língua Portuguesa – Prof. Vivian Gusmão Nome nº ____________________________________________________________ __________revistas, nos jornais, temas polêmicos que exigem uma posição por parte dos ouvintes, espectadores e leitores, por isso, o autor geralmente apresenta seu ponto de vista sobre o tema em questão através do artigo de opinião. É importante estar preparado para produzir esse tipo de texto, pois em algum momento poderão surgir oportunidades ou necessidades de expor ideias pessoais através da escrita. Nos gêneros argumentativos, o autor geralmente tem a intenção de convencer seus interlocutores e, para isso, precisa apresentar bons argumentos, que consistem em verdades e opiniões. O artigo de opinião é fundamentado em impressões pessoais do autor do texto e, por isso, são fáceis de contestar. Para produzir um bom artigo de opinião é aconselhável seguir algumas orientações. Observe: a) Após a leitura de vários pontos de vista, anote num papel os argumentos que mais lhe agradam, eles podem ser úteis para fundamentar o ponto de vista que você irá desenvolver. b) Ao compor seu texto, leve em consideração o interlocutor: quem irá ler a sua produção. A linguagem deve ser adequada ao gênero e ao perfil do público leitor. c) Escolha os argumentos, entre os que anotou, que podem fundamentar a ideia principal do texto de modo mais consciente, e desenvolva-os. d) Pense num enunciado capaz de expressar a ideia principal que pretende defender. e) Pense na melhor forma possível de concluir seu texto: retome o que foi exposto, ou confirme a ideia principal, ou faça uma citação de algum escritor ou alguém importante na área relativa ao tema debatido. f) Crie um título que desperte o interesse e a curiosidade do leitor. g) Formate seu texto em colunas e coloque entre elas uma chamada (um importante e pequeno trecho do seu texto). h) Após o término do texto, releia e observe se nele você se posiciona claramente sobre o tema; se a ideia está fundamentada em argumentos fortes e se estão bem desenvolvidos; se a linguagem está adequada ao gênero; se o texto apresenta título e se é convidativo e, por fim, observe se o texto como um todo é persuasivo. Veja um exemplo: Exemplo: Privacidade Zero. " id="pdf-obj-0-2" src="pdf-obj-0-2.jpg">

COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR Unidade Centro Língua Portuguesa – Prof. Vivian Gusmão

Nome

____________________________________________________________

__________

Série

1°F

O artigo de opinião

É comum encontrar circulando no rádio, na TV, nas revistas, nos jornais, temas polêmicos que

exigem uma posição por parte dos ouvintes, espectadores e leitores, por isso, o autor geralmente

apresenta

seu

ponto

de

vista

sobre

o

tema

em

questão

através

do

artigo

de

opinião.

É importante estar preparado para produzir esse tipo de texto, pois em algum momento poderão

surgir

oportunidades

ou

necessidades

de

expor

pessoais

através

da

escrita.

Nos gêneros argumentativos, o autor geralmente tem a intenção de convencer seus interlocutores e,

para

isso,

precisa

apresentar

bons

argumentos,

que

consistem

em

verdades

e

opiniões.

O artigo de opinião é fundamentado em impressões pessoais do autor do texto e, por isso, são fáceis

de

contestar.

Para produzir um bom artigo de opinião é aconselhável seguir algumas orientações. Observe:

a)

Após a leitura de vários pontos de vista, anote num papel os argumentos que mais lhe agradam,

eles

podem

ser

úteis

para

fundamentar

 

o

ponto

 

de

vista

que

você

irá

desenvolver.

b)

Ao compor seu texto, leve em consideração o interlocutor: quem irá ler a sua produção. A

linguagem

deve

ser

adequada

ao

gênero

 

e

ao

perfil

do

público

leitor.

c)

Escolha os argumentos, entre os que anotou, que podem fundamentar a ideia principal do texto de

modo

 

mais

consciente,

 

e

desenvolva-os.

 

d)

Pense

num

enunciado

capaz

de

expressar

a

ideia

principal

que

pretende

defender.

e)

Pense na melhor forma possível de concluir seu texto: retome o que foi exposto, ou confirme a

ideia principal, ou faça uma citação de algum escritor ou alguém importante na área relativa ao tema

debatido.

 

f)

Crie

um

título

que

desperte

o

interesse

e

a

curiosidade

do

leitor.

g)

Formate seu texto em colunas e coloque entre elas uma chamada (um importante e pequeno trecho

do

seu texto).

h)

Após o término do texto, releia e observe se nele você se posiciona claramente sobre o tema; se a

ideia está fundamentada em argumentos fortes e se estão bem desenvolvidos; se a linguagem está adequada ao gênero; se o texto apresenta título e se é convidativo e, por fim, observe se o texto como um todo é persuasivo.

Veja um exemplo:

Exemplo:

Privacidade Zero.

A privacidade é uma questão cada vez mais importante na sociedade contemporânea. Não se assuste, não vamos encetar aqui uma dissertação sociológica. Vamos, sim, mostrar-lhe os avanços tecnológicos feitos nos últimos tempos para que a nossa privacidade seja uma realidade. Sorria, está a ser elucidado! O Blur é um spray antifotográfico, de fácil aplicação, que vai manter afastados os flashes das câmaras de vez. Útil, sobretudo, para celebridades ou mesmo para usar durante aqueles 15 segundos de fama que todos temos (diz-se) - depois de os paparazzi virem que nada podem fazer para contornar o problema vão deixá-lo descansar. O Blur foi pensado para ser espalhado sobretudo pela face para que, quando um flash acende, a luz seja reflectida, graças às nanopartículas altamente refletivas. A zona da face não passa de um círculo prateado em que não se distinguem os traços fisionómicos. Uma idéia de Kok-Chian Leong e criado pelo grupo Troika que, aliás, participa ainda noutro projeto interessante, baseado em ADN. O Factor 40 DNA Protection é um produto, também em spray, que impede que o seu ADN se espalhe e seja usado indevidamente para outros fins - quem sabe, confirmar que é realmente pai/irmão/filho do seu familiar e que não pertence a uma qualquer família alienígena. Voltando ao produto. Segundo os autores, "o spray ajuda a manter as células no local certo, enquanto adiciona uma fina camada de ADN de outras pessoas". A idéia é de Suw Charman. Ambos os projetos estão em exibição na exposição The Science of Spying, no Science Museum de Londres, Inglaterra, a decorrer até 2 de Setembro de 2007. Já um projeto que a HP está a desenvolver debruça-se mais no bloqueio das invasões de privacidade. Um distintivo eletrônico trava as câmaras e previne as tão indesejáveis fotos à socapa. Chama-se, por enquanto, "sistema de proteção de privacidade" e vai permitir aos que não querem ser fotografados transmitir um sinal de infravermelhos às câmaras compatíveis que estiverem nas redondezas. A face de quem ativar o sinal sai automaticamente desfocada. Além deste sistema, a HP está também a trabalhar numa câmara ativada por um alfinete de peito, ou mesmo por um brinco de mola, que vai poder tirar uma fotografia sem que o fotografado dê por isso. Tecnologicamente falando, o equipamento tem um acelerômetro que detecta um pequeno gesto da cabeça que envia depois essa informação à câmara - a foto é tirada imediatamente. Por outro lado, os inventores japoneses Hiromi Someya e Toshiki Ishino, de Kanagawa, desenvolveram um equipamento específico e um sistema para transformar as faces de quaisquer pessoas fotografadas. O equipamento inclui um sistema óptico que joga com dois modos: um tira uma fotografia com mais píxeis, outro com menos. Depois de identificar as faces na foto, a resolução da face é, então, reduzida, até que fica desfocada e irreconhecível.

Mas há o reverso da moeda, como em quase tudo na vida - não, aqui também não vai começar o sermão sacerdotal. A Nokia está a preparar uma função similar ao GPS em que os utilizadores de um telemóvel com câmara podem convidar os indiscretos fotógrafos a tirar-lhes uma foto. O "modo celebridade" envia um sinal Wi-Fi às câmaras compatíveis, quando ativado. Com a promessa de uma melhoria na segurança pessoal, as invasões à privacidade vão-se sucedendo, com as câmaras de vigilância nas lojas e até nas ruas. No entanto, a tecnologia tenta salvaguardar quem não pretende ser apanhado em flagrante em ações tão vulgares como fazer compras ou levar o cão a fazer xixi. Vejamos se o futuro nos reserva um espaço para a privacidade total. Nota do Managing Editor: a Editoria optou por manter o texto na língua original: Português de Portugal, sem fazer adaptações para o Português do Brasil.

Agora é sua vez.

Tendo em mente a notícia abaixo. Redija um artigo de opinião a respeito do assunto. No entanto, é preciso ter em conta a nossa realidade, uma vez que no Brasil o casamento entre indivíduos do mesmo sexo não é legalizado. Você é a favor ou contra essa medida ser adotada em nosso país?

Não se esqueça de utilizar os aspectos acima mencionados e colocar um título.

Senado argentino aprova casamento homossexual

Com 33 votos a favor, 27 contra e 3 abstenções, o Senado da Argentina aprovou na madrugada desta quinta-feira (15/7) o projeto de lei que legaliza o casamento entre pessoas do mesmo sexo. O resultado da votação é considerado histórico porque reforma o Código Civil e pode transformar a Argentina no primeiro país de toda a América Latina a permitir o casamento homossexual. A notícia é da Agência Brasil.

A sessão do Senado durou 14 horas e envolveu intensos debates entre parlamentares ligados ao governo de Cristina Kirchner, que já sinalizara sua aprovação ao projeto, e da oposição. Os debates mostraram senadores contrários e favoráveis ao projeto tanto no bloco governista quanto na oposição. A presidente deverá sancionar o projeto assim que retornar de viagem que faz à China.

Logo após o resultado da votação, o líder dos senadores governistas, Miguel Angel Pichetto, mostrou-se satisfeito com a aprovação do projeto e comentou que o Congresso argentino deu um "passo significativo no caminho da igualdade. Os acalorados debates que aqui se registraram fazem parte da dinâmica da Casa".

A legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo repercutiu fora do prédio do Congresso argentino, onde manifestantes contrários e favoráveis estavam concentrados desde as primeiras horas da tarde dessa quarta-feira (14/7).

Claudio Morgado, diretor do Instituto Nacional contra a Discriminação, a Xenofobia e o Racismo (Inadi), que assistia aos debates entre os senadores, deixou o prédio e dirigiu-se aos manifestantes pedindo que defendessem seus pontos de vista "da melhor maneira possível e com argumentos sólidos", mas evitando confrontos.

Diante do Congresso argentino, 60 mil pessoas convocadas por organizações católicas e evangélicas fizeram uma das maiores manifestações já vistas em Buenos Aires, mostrando repúdio ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e pedindo que os senadores mantivessem a solidez da família tradicional. Caravanas com autoridades e famílias da maioria das províncias argentinas concentraram-se diante do Congresso com bandeiras de cor laranja — que simbolizavam os manifestantes contrários ao casamento homossexual.

1

 

2

 

3

 

4

 

5

 

6

 

7

 

8

 

9

 

1

 

0

1

 

1

1

 

2

1

 

3

1

 

4

1

 

5

1

 

6

1

 

6

1

 

8

1

 

9

2

 

0

2

 

1

2

 

2

2

 

3

2

 

4

2

 

5

2

 

6

2

 

7

2

 

8

2

 

9

3

 

0