Você está na página 1de 4

UMA FALSA RELIGIÃO

Mateus 23.37,38

Introdução

A polêmica sobre a vida e a morte volta ao cenário cotidiano de pessoas

simples e cultas. O debate sobre o aborto e as questões da igreja geram

polêmicas, angustia e revolta.

Arcebispo da igreja católica de Olinda e Recife, José Cardoso Sobrinho, excomungou na útlima quarta-feira 04 de março de 2009, segundo o g1.globo.com, a mãe, os médicos e outros envolvidos no aborto legal feito por uma menina de 9 anos violentada pelo padastro.

Apolêmica correu o mundo e chegou até ao vaticano. Váriasautoridadesse posicionaram contra a igreja pelas suas posições arbitrárias, discriminatórias, que causou repulsa na sociedade brasileira.

Uma enquete produzida pelo programa Mais Você da terça-feira (10-03-09), apresentou que mais de 90%dos telespectadores se posicionaram contra a decisão do arcebispo de ter excomungado a mãe, equipe médica e os envolvidos no aborto, mas de não ter excomungado o padastro que violentou a menina de 9 anos. O padrastro ainda confessou que abusava da meninadesde os6 anos.

Ao justificar sua ação, dom José Cardoso Sobrinho disse que, aos olhos da Igreja, o aborto foi um crime e que a lei doshomensnão está acima dasleis de Deus.

A reação de arcebispo foi imediata. Assim que soube que o aborto havia

sido consumado, dom José Cardoso Sobrinho disse que a Igreja Católica

considera que houve um crime e um ato inaceitável para a doutrina. E decidiu: todas as pessoas que participaram do aborto, com exceção da criança, estão excomungadas da Igreja.

Entidades de defesa da mulher, da criança e do adolescente; teólogo da igreja católica, presidente Lula, Ministro da Saúde e a sociedade em geral condenaram a decisão e a atitude do arcebispo.

Dom José Cardoso, considerou o abuso seguido de estupro de pecado leve, enquanto que o aborto de pecado gravíssimo.

Que religião é essa que prega uma escala de pecado? Que religião é essa que diz quem vive e quem morre. É contra o aborto mas é favorável ao abuso, estupro, a violência sexual

É de uma religião assim que Jesus vai chamar de hipócritas, guias cegos,

insensatos e homicidas os religiosos de sua época.

A religião aliena e mata o espírito humano e o distância da maravilhosa

graça de Deus.

O texto bíblico que acabamos de ler, tratar alguns aspectos de como Jesus

tratou a religião de sua época e seus religiosos.

Antes porém vamos conhecer algumas dessas seitas.

Publicanos

Era uma classe imposta aos judeus pelos dominadores romanos com a missão de lhes coletarem os impostos.

Escribas

Existiram no Antigo Testamento, porém no Novo Testamento aparecem formando uma classe religiosa. Nos dias de Jesus, eram chamados de "doutoresda lei". Osescribasque se ocupavam do ensino eram conhecidos como rabi ou rabinos.

Zelotes

Descendem de Judas de Gâmala, que incitou os judeus a uma revolta contra Roma, no ano seis. Eram chamados zelotes pelo zelo excessivo da lei de Moisés, o que faziam à custa de espada. Tinham também o nome de sicários, nome que deriva de sica, arma romana que usavam em defesa da

lei mosaica.

Herodianos

Formavam um partido mais político do que religioso. Pregavam incondicional fidelidade a Herodes quanto ao pagamento dos tributos. Julgavam que aLei de Moiséspodiaser violadaparase construir templosde idolatria aos romanos e seus imperadores. Eram aliados aos fariseus em oposição a Jesus.

Essênios

Depois dos fariseus, os essênios eram os mais numerosos entre os judeus. Eram separatistas e formavam uma verdadeira congregação distinta do judaísmo, como de outras seitas existentes. Em doutrinas eram parecidos com os fariseus e odiavam os saduceus.

Fariseus

Vem de parushim, literalmente "separados". Observavam rigidamente os preceitos da lei de Moisés, tanto oral como escrita. Nos dias de Jesus, gozavam de grande prestígio entre o povo. Eram considerados grandes mestres e homens piedosos.

Samaritanos

Era a classe mais odiada pelos judeus.De tal maneira se acentuaram as rivalidades entre eles que os judeus consideravam os samaritanos como cães.

Saduceus

A seita dos saduceus era pequena, porém muito conceituada, pois os

membros que a integravam eram ricos e influentes. Eram mais políticos do que religiosos e tinham bastante conceito entre os romanos. Eram os céticos, os materialistas, os livres pensadores dos dias de Jesus. Não acreditavam na ressurreição, na imortalidade da alma, nos anjos, na providência divina; rejeitavam a tradição oral e interpretavam a lei e os profetas diferentemente dos outros.

Jesusrevela trêsgrandesverdadessobre a religião e em quem cuida em ser religioso. Vejamos quais são essas verdades que levaram Jesus ao madeiro

da cruz.

Em primeiro JesusconsideravaosreligiososdesuaépocaHIPÓCRITAS.

1. HIPÓCRITASV. 13-15; 23-25, 27

1.1 Fecham aos homens o reino de Deus v. 13

1.2 Tornam-se filhos do inferno duas vezes v.15

1.3 Omissos v.23

1.4 Ladrões e cobiçosos v.25

1.5 Sepulcros caiados v.27

Em segundo lugar Jesus considerava os religiosos de sua época GUIAS CEGOS E INSENSATOS.

2. GUIASCEGOSEINSENSATOSV. 16-19; 24,26

2.1 Juram falsamente v.16-19

2.2 Insensatos v.24,26

Em terceiro lugar Jesus considerava os religiosos de sua época HIPÓCRITAS.

3. HOMICIDAS V. 31,34,

3.1 Testemunhas falsas v.31

3.2 Grandes perseguidores v.34

Conclusão

Vimos aqui que por mais que uma religião tenha boas intenções nenhuma consegue salvar, redimir e justificar o homem diante de Deus.

Só por meio de Jesus é que encontramos a verdadeira paz que religião algumapodenosdar. Oúnico caminho, verdade evida.