Você está na página 1de 24

Edição especial Meio Ambiente

ANO 3 - Nº 9 - JUNHO/2009 - 5.000 EXEMPLARES DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Responsabilidade social

A bola da vez
Cultura: Secretário Emerson Sociedade: Aumento dos Política: Começa a
Alves preparou um cardápio evangélicos traz benefícios ao Brasil corrida para eleições 2010;
de atrações que promete mo- Social: Confira os flashs das PR surge como nova opção
vimentar a região principais festas na coluna Agittus política em Paulínia
Revista SPASSO 1
17/07
21h Show
PARALAMAS
DO SUCESSO
gratuíto
Sambódromo

2 Revista SPASSO
Editorial
Sejam bem vindos à 9º edição da Revista Spasso, onde nesses três anos de exis-
Expediente tência caminhamos por caminhos arenosos, algumas vezes com barreiras e
graças a DEUS com grandes conquistas, seja ela material ou espiritual.
Estamos levando até você leitor, o melhor, contudo sempre buscando alcançar
Diretor a excelência, a qual só alcançaremos com o apoio dos anunciantes e dos leitores
Bruno Wellington que recebem a Revista Spasso gratuitamente.
brunowellington@revistaspasso.com.br Nessa edição gostaria de convidá-los para refletir mais uma vez sobre o Meio

Jornalista Responsável
Luciene Maiochi MTB 23.515

Fotos
Divulgação



em prol do Meio Ambiente e da sociedade.
Obrigado a todos e fiquem com DEUS.

Boa leitura.

Ambiente, capa dessa edição, o qual através dessas instituições expostas em
nossa editoria, desejamos dar exemplos das empresas e indústrias que atuam


Thiago Muller
Fernanda M. Valente Bruno Wellington

N
Reportagem inguém está autorizado a solicitar objetos em lojas, pedir qualquer tipo
Fernanda M. Valente 19 8801.0946 de serviço ou refeições em nome da revista a pretexto de produzir re-
portagens para qualquer seção da Revista SPASSO ou para qualquer
Direção de Arte e diagramação tipo de parceria ou permuta, em nome de BRUNO WELLINGTON para outros
Mateus Vinicius veículos de comunicações pois o mesmo é exclusivo da REVISTA SPASSO.
mateusvinicius@revistaspasso.com.br

Publicidade Você encontra mais:


Bruno Wellington www.revistaspasso.com.br

Colaboradores
Rodrigo Pereira
Índice
Impressão Responsabilidade social
City Gráfica Investindo no presente, acreditando no futuro Pág 4
Informações e Sugestões Um novo começo Pág 6
revistaspasso@revistaspasso.com.br Pequenas ações, grandes resultados Pág 8
Endereço
Em harmonia com o meio ambiente Pág 10
Av. José Paulino, 1609 - Sala 1, Centro Corpus Pág 12
Paulínia/SP - CEP 13140-000 Promessa vai se tornando realidade Pág 13
fone: 19 7850 4615
Agittus Pág 14
Sociedade
“Comunidade evangélica vai mudar a cara do Brasil” Pág 16
Os artigos e colunas assinados por co- Política
laboradores não são de responsabili-
Nova opção no cenário político de Paulínia Pág 18
dade da Revista Spasso, e não refletem
necessariamente a opnião da revista. Começa corrida para as eleições de 2010 pág 22

Revista SPASSO 3
Investindo no presente,
acreditando no futuro
Projetos sociais do Instituto Lina Galvani contribuem para
o desenvolvimento sustentável

A
ulas de karatê e colocação profissional de a ideia foi proporcionar uma atividade ali mesmo,
jovens de baixa renda em Paulínia, Cen- no próprio bairro.
tro de Conservação e Educação Ambien- Desde então, crianças e jovens, com ida-
tal no Cerrado Baiano e programa de rádio sobre de entre 6 e 18 anos, podem praticar aulas de kara-
meio ambiente com crianças da Bahia, formam tê no salão paroquial da Igreja local de São Pedro,
hoje parte do ‘hall’ de projetos sociais desenvolvidos com a exigência de que o aluno esteja matriculado
pelo Instituto Lina Galvani, braço social da empresa em escola pública ou seja bolsista de escola parti-
Galvani - grupo nacional que atua em toda a cadeia cular. Denominado ‘Viva Betel’, o projeto também
de fertilizantes fosfatados no Brasil. oferece suporte aos atletas por parte dos professo-
Desde que foi criado, em 2003, o Ins- res, que realizam reuniões com os pais, organizam
tituto vem desenvolvendo um trabalho cujo ob- palestras, acompanham o desempenho escolar etc.
jetivo é contribuir de maneira mais efetiva para Para o Instituto, o esporte é recomenda-
as comunidades na qual a empresa atua. Como do por ter como filosofia a busca constante pelo
resultado de suas ações em prol da sociedade, em aperfeiçoamento pessoal, contribuindo para a Alunos durante aula de karatê providas pelo
fevereiro de 2004, o Instituto obteve o certificado harmonização do meio onde o aluno está inserido, projeto ‘Viva Betel’
de OSCIP - Organização da Sociedade Civil de exigindo de seus praticantes dedicação ao trabalho,
Interesse Público. treinamento rigoroso e disciplina, ensinamentos ser efetivados. Devido
“O Instituto é uma organização que en- que são essenciais para toda a vida. ao sucesso do projeto,
xerga as comunidades em sua singularidade e tra- Outro projeto que chama atenção em a empresa pretende levar,
balha, com elas, para o crescimento consciente do Paulínia, é o ‘Conhecendo uma Empresa’. Por ainda esse ano, a iniciativa
indivíduo no meio em que vive. Todas as pessoas iniciativa de funcionários da própria Galvani para outra unidade do grupo, lo-
merecem apoio a partir do momento em que tam- e desenvolvido em parceria com a Associação calizada na cidade de Luis Eduardo
bém estejam dispostas a se ajudar”, conceituou dona Criança Feliz (Guarda Mirim) de Paulínia, o Magalhães (BA).
Lina Galvani, mãe dos três diretores do Grupo Gal- projeto foi criado em 2001. Com o objetivo de
vani, que homenagearam-na, em vida, com o nome facilitar o acesso ao mercado de trabalho para Meio ambiente em questão
do Instituto. os jovens de baixa renda, os funcionários se torna- Acaba de sair do forno o mais novo
Nesse sentido, há cerca de três anos a ram então voluntários e colaboram com o progra- projeto sócio-ambiental do Instituto Lina Gal-
empresa vem acompa- ma conduzindo palestras vani. Lançado na Semana do Meio Ambiente, o
nhando a mobilização “O Instituto é uma organização que enxer- sobre o funcionamento projeto ‘Alô Cerrado’, em parceria com a Rádio
dos moradores de Be- ga as comunidades em sua singularidade de uma empresa, suas di- Cultura FM, de Luís Eduardo Magalhães, no oes-
tel, que organizaram e trabalha, com elas, para o crescimento ferentes áreas e perfil dos te da Bahia, conta com a participação de alunos e
uma associação e lu- consciente do indivíduo no meio em que profissionais envolvidos. professores das escolas municipais da cidade.
tam pela melhora da vive. Todas as pessoas merecem apoio Desde 2003, mais de Através de oficinas, os interessados
qualidade de vida da a partir do momento em que também es- 1600 adolescentes já pas- aprendem a produzir programas radiofônicos e
comunidade do bair- tejam dispostas a se ajudar”, conceituou saram pelo projeto. Des- vinhetas informativas, focadas na sensibilização
ro. Constatada que a dona Lina Galvani, mãe dos três diretores tes, 39 foram absorvidos da comunidade a respeito das questões ambien-
maior dificuldade está do Grupo Galvani, que homenagearam- pela unidade da Galvani tais, como alternativas para resíduos sólidos, cri-
na distância entre Betel na, em vida, com o nome do Instituto como aprendizes, sendo mes ambientais, recursos hídricos, queimadas,
e o centro de Paulínia, que 53,84% chegaram a caça e tráfico de animais, entre outros.
“O Alô Cerrado tem como principais
objetivos permitir que os ouvintes se informem,
reflitam e se integrem sobre as potencialidades
e os problemas ambientais locais, além de forta-
lecer o espírito comunicativo dos membros da
comunidade escolar e a criar condições para que
o estudante tenha uma atuação social”, afirma a
presidente do Instituto Lina Galvani, Cecília Gal-
vani.
Esta não é a primeira atuação da em-
presa na região. Na verdade, a ação faz parte do
Núcleo de Educação Ambiental (NEA) do Par-
que Fioravante Galvani, projeto do Instituto Lina
Galvani. Inaugurado em setembro de 2006, o
Parque é o primeiro criadouro conservacionista
de espécies animais e vegetais do oeste baiano e
estende-se por uma área preservada de 20 hecta-
res e está a 12 km de Luís Eduardo Magalhães/BA.
O objetivo é contribuir para a conservação desse
importante ecossistema brasileiro e realizar ações
Mais de 1600 adolescentes já participaram do
programa ‘Conhecendo uma empresa’ educativas de valorização do Cerrado.

4 Revista SPASSO
Revista SPASSO 5
Um novo COMEÇO
SECA inova com projeto ‘Ambientar-se’ e dá oportunidade de mudança a adolescentes infratores

P
ropiciar ao adolescente infrator condição quanto verbais. Com essa dura realidade, eles não ma também dá total apoio às famílias dos jovens
para o seu desenvolvimento integral, refle- têm interesse pela escola e procuram fugir de suas que estão cumprindo internação.
xões sobre sua conduta, resgate de vínculos dificuldades ingressando no mundo das drogas”, O adolescente infrator, de modo geral, é
familiares e comunitários e a sua inserção na socie- lamentou. rejeitado pela sociedade. Existe uma polêmica sobre
dade, é o objetivo princi- Ao cometerem uma o assunto e muita gente acha que eles não são res-
pal da SECA (Secretaria infração e serem autua- ponsabilizados pelos seus atos. “Isso não é verdade.
da Criança e do Adoles- “Nós pretendemos que dos pela polícia, o caso O ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) os
cente) de Paulínia, em eles passem os conheci- vai parar no Ministério responsabiliza e tem todo um processo nesse sen-
seu mais novo projeto, o
Ambientar-se.
mentos adquiridos para a Público. Dependendo tido. Nós não estamos aqui para passar a mão na
da gravidade do ato, o cabeça deles, ao contrário, com este projeto, quere-
Lançado ofi- sociedade, atuando como jovem é encaminhado mos dar a eles uma oportunidade de aprendizado,
cialmente no dia cinco de agentes multiplicadores para a Fundação Casa fazendo com que eles reflitam suas ações, repen-
junho, na abertura da Se-
mana do Meio Ambiente e dando sua contribuição ou para o programa de
medidas sócio-educa-
sem seus atos e vivenciem o momento, gerando
uma mudança comportamental, transformando
da cidade, o projeto está para à comunidade”, Ânge- tivas da SECA, que dá seus valores e rompendo com a prática remissiva”,
transformando a maneira
de aplicar medidas sócio-
la Maria Furlan, coordena- suporte ao judiciário alegou Alice Curto, orientadora de medidas sócio-
no sentido de fazer com educativas da SECA.
educativas para adoles- dora do projeto que os adolescentes A assistente social do projeto, Marlene
centes em conflito com a cumpram as penas, que Matiolli, concorda com Alice e completa. “As medi-
lei. “A proposta do projeto atualmente são de liberdade assistida e prestação de das sócio-educativas, além de responsabilizar o ado-
é inovadora porque nós fizemos uma ligação entre o serviços à comunidade. Vale destacar que o progra- lescente pelos seus atos, têm um caráter socializante
cumprimento da medida sócio-educativa que é pre-
vista por lei com uma visão sócio-ambiental. Nosso
objetivo foi criar um programa completo, recheado
de atividades, que ao mesmo tempo que ensinasse,
conquistasse os adolescentes e fizesse com que eles
tivessem prazer em cursá-lo”, explicou Rita de Fátima
Lopes Coelho, secretária da SECA e co-responsável
pela implementação do programa.
O título de co-responsável se deve ao fato
da secretária fazer questão de dizer que o Ambien-
tar-se é um programa feito por muitas mãos. Segun-
do Rita, todos os profissionais envolvidos deram
sua parcela de contribuição e trabalham seriamente
no intuito de transformar esses jovens e fazer com o
que o projeto vire referência para outras cidades.
A secretária conta que a maioria dos ado-
lescentes enviados pela justiça são envolvidos com
o tráfico de drogas e boa parte já passou por violên-
cia doméstica. “Muitos adolescentes são vítimas de
violência desde sua gestação, pois comumente são
frutos de uma gravidez indesejada. Com o passar
dos anos acabam sendo alvos de duras críticas por Secretária Rita Coelho (1ª da dir. p/ esq.) e profissionais
parte dos familiares, sofrendo agressões tanto físicas envolvidas no projeto: trabalho e dedicação para trans-
formar os adolescentes

6 Revista SPASSO
Depoimentos
e educativo. O adolescente deve ser alvo de ações
que contribuam para sua formação de modo que
ele venha a ser um cidadão autônomo, solidário, de
ter a percepção das suas potencialidades, o respeito “Eu to achando bom porque estou apren-
por si mesmo e também pelo outro e se interar com dendo muitas coisas sobre as matas, so-
o meio que ele vive. Resumindo: Ambientar-se”. bre as águas, sobre poluição. [...] Eu tenho
Até meados de junho, a SECA tinha 64 um tempo certo para pagar pra justiça, mas
adolescentes cumprindo medidas, sendo oito na depois que esse tempo acabar eu pretendo
Fundação Casa. É importante citar que ao sair da continuar no projeto”, J.F.F., 18 anos
internação, os adolescentes também são inseridos
no projeto Ambientar-se e frequentam as atividades
durante um prazo mínimo de seis meses.

Vila do Zerinho vira sede do projeto


O projeto Ambientar-se ganhou até sede “Eu aprendi a preservar a natureza, os
própria. A Vila do Zerinho agora é a base do proje- animais, aprendi bastante coisa que vai
to, que é composto por quatro ciclos e atende ado- ser bom para mim no futuro. [...] Eu não
lescentes infratores com idade entre 12 e 21 anos. O quero parar de frequentar não, eu quero
primeiro ciclo, denominado Raízes, tem o objetivo virar monitor, aprender mais e ajudar a
de dar subsídios e fortalecer o relacionamento dos cuidar dos animais, das plantas, de tudo”,
adolescentes com a família, a sociedade, a escola e C.A.G.S., de 17 anos
com o meio ambiente. O segundo ciclo foi chamado “Eu to achando muito bacana porque eu
de Germinar e tem como finalidade fazer com que to aprendendo bastante coisa sobre meio
os jovens amadureçam os conhecimentos adquiri- ambiente. Se pudessem me dar essa opor-
dos no primeiro ciclo através de trabalhos manuais tunidade eu queria aprender mais, passar
como horta, plantas medicinais, artesanato etc. pra frente, pras outras pessoas, deixar elas
“No terceiro ciclo, Polinizar, nós pretende- cientes que a natureza é muito bom e o
mos que eles passem os conhecimentos adquiridos meio ambiente ajuda muito a gente. Sem
para a sociedade, atuando como agentes multiplica- ele a gente não vive”, A.B.S., de 18 anos
dores e dando sua contribuição para à comunidade.
Conforme eles vão passando pelas etapas, eles vão abrangente e eu acredito que integrando a SECA
ganhando ‘Asas’, que foi o nome dado ao quarto ciclo. com os adolescentes e suas famílias principalmen-
Neste momento eles serão preparados profissional- te, grande parte do problema envolvendo estes
mente para conseguirem uma inserção social mais na cidade para saber qual é o melhor lugar para jovens estará solucionado e vai ser uma resposta
digna, um trabalho mais valorizado”, esclareceu Ân- ser implantado, com análise de solo e tudo mais. bastante boa, não só para a sociedade como para
gela Maria Furlan, coordenadora do projeto. A parceria ainda contempla capacitação técnica de os trabalhos do poder judiciário”.
Através de uma iniciativa inovadora, a horta e paisagismo, ou seja, abrange o nosso maior Cada adolescente cumpre prazos distin-
família acompanhará todo o procedimento como objetivo, um projeto totalmente voltado para a tos de medidas sócio-educativas. Em média, os jo-
parte integrante do projeto. “Durante todo o proces- sustentabilidade”, adiantou Rita satisfeita. vens ficam seis meses participando das atividades
so nós estamos pensando em sustentabilidade e em obrigatoriamente. Quando terminam o período
capacitação profissional, com cursos de obtenção de Resultados mais que positivos estipulado pela justiça, eles são convidados a con-
renda para eles e para toda sua família. Em nenhum O projeto chamou a atenção de Rodri- tinuar no projeto e completar todos os ciclos, que
momento a família deixará de ser assistida. Inclu- go Merli Antunes, segundo promotor de justiça pode ter duração de até dois anos.
sive haverá oficinas, tanto de Paulínia. “Eu re- Os primeiros jovens envolvidos com o
para a mãe quanto para “A proposta do projeto é inova- almente fiquei im- Ambientar-se têm aprovado a iniciativa e demons-
outros familiares, com pressionado com o tram interesse em prosseguir com as atividades. O
aprendizado de artesana-
dora porque nós fizemos uma projeto apresentado adolescente J.F.F., de 18 anos, só precisava cumprir
tos que possam melhorar ligação entre o cumprimento da pela SECA, realmente um mês de medida, mas afirma que não quer pa-
a capacidade financeira de medida sócio-educativa que é pre- é motivo de orgulho rar. “Eu to achando bom porque estou aprendendo
todos”, enfatizou a orien- vista por lei com uma visão sócio- poder contar com muitas coisas sobre as matas, sobre as águas, sobre
tadora Alice. ambiental. Nosso objetivo foi criar uma Secretaria com poluição. [...] Eu tenho um tempo certo para pagar
essa estrutura e com
Horta comunitária em
um programa completo, recheado esses profissionais. pra justiça, mas depois que esse tempo acabar eu
pretendo continuar no projeto”.
parceria com a Unicamp de atividades, que ao mesmo tem- Paulínia dá o exemplo Para C.A.G.S., de 17 anos, o projeto se
Ao saber do po que ensinasse, conquistasse de que a criança e o tornou sinônimo de oportunidade de uma nova
projeto Ambientar-se, os adolescentes e fizesse com adolescente realmen- profissão. “Eu aprendi a preservar a natureza, os
profissionais do Insti- que eles tivessem prazer em te devem ser tratados animais, aprendi bastante coisa que vai ser bom
tuto de Economia da com prioridade abso- para mim no futuro. [...] Eu não quero parar de
Unicamp procuraram a
cursá-lo”, Rita de Fátima Lopes luta”. frequentar não, eu quero virar monitor, apren-
SECA para propor uma Coelho, secretária da SECA Para a juíza da der mais e ajudar a cuidar dos animais, das
parceria com o municí- Vara da Criança e do plantas, de tudo”.
pio, informou a secretária Adolescente de Paulí- O jovem A.B.S., de 18 anos, é um poten-
Rita Coelho. A pesquisadora Ana Karina Bueno nia, Ana Lia Bial, o programa é bem direcionado cial agente multiplicador. “Eu to achando muito
e a coordenadora Iara Regina da Silva Ferreira, se e tem tudo para dar certo. “Queria parabenizar a bacana porque eu to aprendendo bastante coisa
reuniram com Rita e sugeriram a criação de uma SECA pelo programa apresentado de medidas sobre meio ambiente. Se pudessem me dar essa
horta comunitária que possa servir tanto para ca- sócio-educativas. [...] Eu acho que agora, com a oportunidade eu queria aprender mais, passar pra
pacitação, quanto para geração de renda. entrada em vigor desse programa, muito prova- frente, pras outras pessoas, deixar elas cientes que
“É um projeto grandioso e antes de ser velmente nós teremos um número de inciden- a natureza é muito bom e o meio ambiente ajuda
colocado em prática, a Unicamp fará um estudo tes bem pequeno, porque o programa é bastante muito a gente. Sem ele a gente não vive”.

Revista SPASSO 7
A
Pequenas ações,
SULT DOS
GRANDES RE

A maior parte do piso, das mesas e das


laterais decorativas do restaurante foram
feitas com madeira de demolição

Joe & Leo’s faz a diferença no dia-a-dia


U
ma prática mundial que tem sido difundida para que não contaminem o restante do material or- nada para preservar o meio ambiente”, lamentou.
e utilizada cada vez mais por aqueles que gânico. “Conscientização ambiental é um trabalho di-
aderiram à consciência ambiental é a política ário. Incentivamos as ações com nossos colaboradores História
dos três R’s: Reduzir, Reusar e Reciclar. Ensinada em e eles têm respondido de maneira positiva”, comentou. Em 1993, nascia em Itaipava, região ser-
escolas, empresas, igrejas, congressos etc, a filosofia já Quanto a parte administrativa, o geren- rana do Rio de Janeiro, o primeiro restaurante da
ganhou até uma música, interpretada pelo cantor Jack te ressaltou que nada é descartado direto para o lixo. rede Joe & Leo’s. Especialistas em hambúrgueres,
Johnson. Curiosidades a Recentemente, Lou- o local cativou o público e desde então tem se ex-
parte, um exemplo de que
estas ações podem ser co-
“Precisamos encontrar dentro redo renovou os com- pandido a cada ano. Hoje, o Joe & Leo’s conta com
putadores da loja e os oito restaurantes espalhados pelo Brasil, sendo cin-
locadas em prática está no do nosso Planeta outra antigos foram doados co no Rio de Janeiro, um em São Paulo (Capital),
restaurante Joe & Leo’s. utilidade para aquele material a uma instituição social um em Porto Alegre e um em Campinas (Parque
Separação do de Campinas. “Precisa- Dom Pedro).
lixo, economia de água e que nós não utilizaremos mais” mos encontrar dentro O gerente Carlos Américo Louredo fez
energia, descarte consciente do nosso planeta outra questão de contar que o idealizador e responsável
de materiais e utilização de produtos ecologicamente utilidade para aquele material que nós não utilizare- pela preocupação com o meio ambiente que a rede
corretos, formam a política do restaurante, instalado mos mais”, incentivou. traz, vem do próprio Joe, proprietário da franquia.
no Parque Dom Pedro Shopping de Campinas. A próxima ação de cunho ambiental de “O Joe é de Itaipava, onde fica uma parte da Mata
De acordo com o gerente geral da loja, Car- Louredo é instalar lâmpadas automáticas com sensor Atlântica, por isso desde sempre teve uma consci-
los Américo Louredo, a maior parte do piso, das mesas de presença nos banheiros da loja, evitando assim o ência ambiental aguçada. Foi dele a idéia de usar
e das laterais decorativas do restaurante foram feitas desperdício de energia. “Muita gente acha que os bens madeira de demolição, lâmpadas econômicas, se-
com madeira de demolição. A pedido do gerente, que naturais da Terra vão durar para sempre e não fazem paração de materiais etc”, destacou.
assumiu a franquia há 10 meses, toda a iluminação foi
trocada por lâmpadas de menor consumo de energia.
As sobras de alimentos e materiais recicláveis, como
papel, vidro, plástico e metal, são separados e descar-
tados nas caçambas fornecidas pelo shopping.
“O Parque Dom Pedro tem uma adminis-
tração impressionante, nós temos franquias instaladas
dentro de shoppings de outras cidades e nenhum ofe-
rece a estrutura daqui”, elogiou Louredo, dizendo que
todo o material separado pelo restaurante tem seu des-
tino certo ali mesmo, há poucos passos da loja.
A borra do café, o óleo e as cascas de laranja
e limão também ganham atenção especial. Os funcio-
nários foram orientados a separarem estes produtos,
8 Revista SPASSO
Revista SPASSO 9
Em harmonia
com o meio ambiente
Paulínia terá Parque de Convivência patrocinado pela Braskem
Jorge Soto, diretor de Sustentabilidade da de foi muito alta, o que me leva a crer que será queiro São Domingos.
empresa, concedeu entrevista exclusiva à um projeto muito importante para a comuni- De acordo com Soto, a Braskem en-
Revista Spasso dade local. Essa é nossa intenção”, afirmou. tende que faz parte de seu papel contribuir

O
Jorge Soto explicou que a obra só po- para o desenvolvimento sustentável e nes-
“ Parque de Convivência de Paulínia derá ser iniciada quando a licença ambiental se sentido busca continuamente melhorar
será, como o nome já diz, um local for obtida. “Esperamos que isso aconteça nos seu desempenho ambiental, tendo a legisla-
prazeroso e educativo para usufruto próximos 60 dias”, disse. O projeto, que visa ção como patamar mínimo de desempenho.
da sociedade local”. A afirmativa é de Jorge recuperar e proteger as áreas de vegetação re- “Apenas para citar alguns exemplos de resul-
Soto, diretor de Sustentabilidade da Braskem. manescentes, deve ser concluído até o final do tados, entre 2002 e 2008 a Braskem conseguiu
Com cerca de 32 hectares, o Parque atingirá ano que vem. reduzir seus impactos por unidade de produ-
seis bairros da cidade, abrangendo cerca de “Antes da definição final do Parque to significativamente. Os efluentes em 48%,

15 mil habitantes. faremos uma interação com a comunida- o consumo de água em 13% os resíduos em
O espaço onde o projeto será execu- de para entender quais são suas principais 66%”, citou.
tado foi instituído como APP (Área de Pro- percepções sobre a área e demandas para o São inúmeros os projetos ambientais
teção Permanente) e conta com uma extensa local”, adiantou o desenvolvidos pela
variedade de nascentes e córregos. “A ideia diretor de Sustenta- “O Parque de Convivência de empresa. Com desta-
do Parque de Convivência de Paulínia sur- bilidade, referindo- Paulínia será, como o nome já diz, que para o Cinturão
giu como uma das formas de contribuir para se às atividades que Verde (Alagoas), re-
um local prazeroso e educativo
a melhoria ambiental e social no município serão desenvolvi- conhecido pela Unes-
onde está localizada nossa planta industrial das por uma ONG
para usufruto da sociedade lo- co (Organização das
mais nova. Essa contribuição foi negociada (Organização Não cal. [...] Tivemos uma reunião com Nações Unidas para a
com o órgão ambiental (Cetesb) e hoje faz Governamental), o prefeito da cidade e com seus Educação, a Ciência e
parte do nosso processo de licenciamento”, responsável pela secretários e a receptividade foi a Cultura) como Pos-
esclareceu Soto. educação ambiental muito alta, o que me leva a crer to Avançado da Re-
Segundo o diretor, com a implanta- dos moradores dos que será um projeto muito impor- serva da Biosfera da
ção do Parque, a empresa pretende colaborar bairros Jardim Amé- tante para a comunidade local. Mata Atlântica com
para o desenvolvimento sustentável em suas lia, Jardim Leonor, Essa é nossa intenção” 150 hectares de área
três dimensões (social, ambiental e econômi- Parque das Árvores, preservada; a Fábrica
ca). “Tivemos uma reunião com o prefeito da Alto dos Pinheiros, de Florestas (Bahia),
cidade e com seus secretários e a receptivida- Morro Alto e loteamento de chácaras do Pes- com a construção de um corredor ecológico
do Pólo Industrial de Camaçari até o Parque
Sauípe, que consiste na preservação e reflo-
restamento da Mata Atlântica com o plantio
de 100 mil mudas em 2009 e preparação de
500 mil mudas para 2010; e o Parque Braskem
de Proteção Ambiental (Rio Grande do Sul),
com um total de 68 hectares de mata nativa
às margens do Rio Caí com mais de duas mil
espécies de fauna e flora.
Soto ainda fez questão de salientar
a importância do projeto ‘Polietileno Verde’,
contando que o produto foi desenvolvido
com tecnologia Braskem e a primeira planta
industrial entrará em operação no segundo
semestre de 2010. “O mais importante desse
projeto é que produzirá polietileno a partir de
matéria prima renovável, o álcool da cana de
açúcar. Por esse motivo contribuirá concreta-
mente para a redução do efeito estufa. Para
Jorge Soto explicou que a obra só poderá ser ini-
cada tonelada de polietileno verde produzido
ciada quando a licença ambiental for obtida
serão seqüestradas 2,5 toneladas de CO2 [di-
10 Revista SPASSO
óxido de carbono]”, comentou orgulhoso. fundamental o envolvimento de toda comu- leça. “A modificação da paisagem daquela área
Devido a estes tipos de investimen- nidade”, reforçou Jeanette. fará com que as pessoas se conscientizem e não
tos, a Braskem é uma das 34 empresas brasi- Para isso, ela adianta que será feito um deixa de ser uma forma de exercer a cidadania”,
leiras que integram o Índice de Sustentabili- treinamento de agentes multiplicadores (pro- exemplificou Jeanette, dizendo que a criação do
dade Empresarial da Bolsa de Valores de São fessores, estagiários, monitores, voluntários etc) Parque abrangerá quatro pontos temáticos, são
Paulo, uma carteira diferenciada criada em que contribuirão para o que o projeto se forta- eles: ambiental, esportivo, cultural e artesanal.
2005 com ações de empresas que se destacam
por sua atuação em favor do desenvolvimento
sustentável e da responsabilidade social.

Projeto é destaque na Semana do Meio Am-


biente de Paulínia
Durante a abertura da Semana de
Meio Ambiente de Paulínia, realizada no
dia 1º de junho, no Plenário da Câmara
Municipal, a bióloga do Jardim Botânico
da cidade, Jeanette Inamine Miachir, fez
uma apresentação sobre o projeto do Par-
que de Convivência.
Jeanette contou que o Parque está lo-
calizado no Fragmento 17 do município e que
foi feito um trabalho de levantamento no qual
constatou-se a existência de 110 fragmentos
florestais na cidade, todos com áreas acima
de um hectare. O estudo também mostrou
que grande parte da área do futuro Parque de
Convivência é de mata ciliar e contém uma
“riqueza” de espécies de animais e vegetação.
A bióloga deixou claro que o objetivo
do projeto é a criação de um espaço público,
que atenda as necessidades da comunidade
local, recuperando as áreas degradadas e pro-
tegendo a vegetação remanescente. “Nossos Grande parte da área do futuro Parque de Con-
remanescentes urbanos estão sendo degra- vivência é de mata ciliar e contém uma “riqueza”
dados. [...] Para o sucesso deste projeto será de espécies de animais e vegetação

A Braskem é uma das 34 empresas brasileiras que inte-


gram o Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bolsa
de Valores de São Paulo, uma carteira diferenciada criada
em 2005 com ações de empresas que se destacam por
sua atuação em favor do desenvolvimento sustentável e
da responsabilidade social. Abaixo alguns dos projetos
que honram o título da empresa:

Cinturão Verde (Alagoas), reconhecido pela Unesco (Orga-


nização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e
a Cultura) como Posto Avançado da Reserva da Biosfera da
Mata Atlântica com 150 hectares de área preservada;

Fábrica de Florestas (Bahia), construção de um corredor


ecológico do Pólo Industrial de Camaçari até o Parque Sauípe,
que consiste na preservação e reflorestamento da Mata Atlân-
tica com o plantio de 100 mil mudas em 2009 e preparação de
500 mil mudas para 2010;

Parque Braskem de Proteção Ambiental (Rio Grande do Sul),


com um total de 68 hectares de mata nativa às margens do
Rio Caí com mais de duas mil espécies de fauna e flora;

‘Polietileno Verde’: produto desenvolvido com tecnologia


Braskem. Sua primeira planta industrial entrará em operação
no segundo semestre de 2010. O mais importante desse
projeto é que produzirá polietileno a partir de matéria prima
renovável, o álcool da cana de açúcar. Por esse motivo con-
tribuirá concretamente para a redução do efeito estufa. Para
cada tonelada de polietileno verde produzido serão seqüestra-
das 2,5 toneladas de CO2 [dióxido de carbono].

Rod. José Lozano de Araújo, 1515Revista


- Paulínia Shopping
SPASSO 11
Corpus realiza ações com a comunidade e com
seus funcionários no Dia Mundial do Meio Ambiente
N
o dia cinco de junho a Corpus realizou a
distribuição de 5 mil mudas de árvores fru-
tíferas nas diversas cidades onde atua no
Estado de São Paulo.
A doação das mudas também foi realiza-
da aos mais de 1400 funcionários da empresa, que
puderam realizar o plantio com as suas famílias e
divulgar as fotos na empresa.
Durante o mês de junho, a Corpus ofere-
ceu palestras de sensibilização ambiental aos seus
clientes e atendeu mais de 450 pessoas. Esse traba-
lho também é realizado durante todo o ano, como
um diferencial aos seus clientes.
Em Indaiatuba, onde presta serviços desde
1992, a empresa participou de um evento voltado
para toda a população da cidade. Em seu estande, fo-
ram distribuídas mudas de árvores, fornecidas orien-
tações sobre plantio e houve a exposição da maquete
do Aterro Sanitário de Indaiatuba de propriedade da
Corpus. O Aterro de Indaiatuba é considerado um
dos melhores aterros sanitários da Região Metropo-
litana de Campinas, segundo a CETESB.
Atividades relacionadas ao tema meio am-
biente também aconteceram nas filiais da empresa
em outros Estados, como, em Vitória no Espírito
Santo e Goiânia/GO.
Estas e outras ações comprovam o com-
prometimento da empresa com o meio ambiente e
com a qualidade de vidas das pessoas.

12 Revista SPASSO
REALIDADE
Promessa vai se tornando

Paulínia já é referência no cenário artístico


brasileiro; Apresentações internacionais,
festival, feira e mostra de cinema são des-
taques do mês de julho

E
m 2009, a Secretaria de Cultura comemora
cinco anos desde que foram feitos os primei-
ros investimentos no Pólo Cinematográfico
de Paulínia. Aos poucos, o município foi ganhando
notoriedade e reconhecimento de todos os segmen-
tos artísticos nacionais.
“Investir em cultura no Brasil é sempre
um desafio, às vezes não compreendido por todos,
mas entendido pela maioria. Podemos comemorar
no histórico do município que já passaram mais de
30 produções por aqui. A cidade tem se orgulhado
de desenvolver um Pólo Cinematográfico e trazer
para Paulínia essas produções, que acabam por
gerar emprego e renda para a comunidade”, argu- nema nacional terão lu- “Investir em cultura no Brasil é sem- com a IV Mostra Pau-
mentou Emerson Alves, secretário de Cultura do gar e hora marcada para pre um desafio, às vezes não com- línia de Cinema, que a
município. desfrutar - gratuitamente preendido por todos, mas entendido partir deste ano aconte-
Hoje, Paulínia tem uma infra-estrutura - das sessões de exibição pela maioria. Podemos comemorar no ce paralelamente à pro-
diferenciada e está preparada para produzir cerca de das principais produções gramação do evento.
histórico do município que já passa-
12 filmes por ano e sediar incontáveis apresentações brasileiras filmadas re- A novidade é que a Se-
no Theatro Municipal. E é isso que deve acontecer centemente. Trata-se do ram mais de 30 produções por aqui. A cretaria de Cultura vai
nos próximos dias. A partir do dia cinco de julho, II Festival Paulínia de Ci- cidade tem se orgulhado de desenvol- instalar telas de cinema
uma batelada de atividades vai rechear a cidade de nema, que acontece entre ver um Pólo Cinematográfico e trazer montadas ao ar livre em
eventos culturais. O secretário Emerson Alves pre- nove e 16 de julho. A Se- para Paulínia essas produções, que cinco bairros periféricos
parou um cardápio de atrações que promete movi- leção Oficial do Festival da cidade, onde serão
acabam por gerar emprego e renda
mentar a região. vai exibir um total de 26 exibidos 10 grandes su-
No mês de julho, os admiradores do ci- filmes, sendo 12 longas para a comunidade” cessos da Globo Filmes,
numa homenagem aos
(seis de ficção e seis docu- 10 anos da distribuidora Carioca.
mentários) e 12 filmes de No encerramento, serão entregues os
curta-metragem. prêmios do Festival e, após a cerimônia de premia-
Os filmes sele- ção - exclusiva para convidados -, haverá show da
cionados pela Comissão banda ‘Os paralamas do Sucesso’. No dia seguinte
Organizadora do Festival, (17 de julho) será a vez dos populares curtirem
formada pelo Secretário o show do grupo no Sambódromo, com entrada
de Cultura Emerson Al- franca. O II Festival Paulínia de Cinema traz ainda
ves, pelo crítico de cine- debates, seminários, feira de mercado, realização
ma Rubens Ewald Filho e do II Encontro Roteiro em Questão e lançamento
pelo produtor Ivan Melo, de livros e DVD’s.
concorrem a prêmios em Antes ainda, no dia cinco de julho, haverá
dinheiro (totalizando R$ a abertura oficial e primeira apresentação da série
650 mil aos vencedores) ‘Concertos Paulínia 2009’. Numa iniciativa inédita,
e serão exibidos entre os a Secretaria de Cultura incluiu a música erudita na
dias 10 e 15 de julho, no programação do Teatro Municipal, trazendo con-
Theatro Municipal de certos nacionais e internacionais, que serão exibidos
Paulínia. No mesmo pe- até setembro deste ano.
ríodo, acontece a ‘Mostra Ao todo, haverá 29 apresentações, sendo
Paralela’, que exibirá seis nove internacionais - com destaque para as orques-
longas de sucesso lança- tras de Israel e Berlim -, oito shows do recém criado
dos comercialmente no grupo ‘Solistas de Paulínia’ (entrada franca) e 12
período que compreen- concertos do programa ‘O Theatro vai à Escola’.
Roberto Ring, curador da programação do ‘Concertos de julho de 2008 a junho Vale destacar que recentemente, o Fes-
Paulínia 2009’ e o secretário de Cultura Emerson Alves, de 2009. tival de Humor promovido pela Secretaria de
durante coletiva de imprensa Além das exibi- Cultura, reuniu mais de 13 mil pessoas em quatro
ções dos filmes no Theatro, finais de semana, considerado um dos maiores
o Festival contará também eventos teatrais da região nos últimos anos.

Revista SPASSO 13
DA PFC

ínia Futebol
A

07/06/2009 O Paul
bros e admi-
Clube recebeu mem
O

ra mais uma
radores fanáticos pa
s dependên-
deliciosa feijoada na
J

opping. Na
cias do Paulínia Sh
I

orado tam-
E

ocasião, foi comem


C!
bém os 5 anos do PF
DO CARVALHO F

z da tradicio-
Á

20/06/2009 Foi a ve
Carvalho rece-
nalíssima Família
I

ntes queridos
ber amigos e pare
ARRA

raiá regado de
para mais um ar
o quente, bo-
muito quentão, vinh
los e doces!

14 Revista SPASSO
JUNINA MIX

P foi palco
06/06/09 A antiga PUM
ta da city,
de mais uma badalada fes
dores será
que segundo seus idealiza
a alegria da
realizada anualmente pr
dado pelo
galera. O agito foi coman
s B que de-
queridissímo Dj Matheu
tonou geral!
BLUE VIP PARTY

e muita gente bonita


20/06/2009 Celebridades
ta mais esperada do
marcaram presença na fes
Absolut, Red Bull,
momento. Open bar com
o maravilhoso café
Ballantines, Stella Artois e
levaram a galera
da manhã Cláudia Porteiro
ganizadores, vem aí
ao delírio! Segundo seus or
is um sucesso!
“Day Party”, com certeza ma

Revista SPASSO 15
“Comunidade evangélica
vai mudar a cara do Brasil”
Com o constante crescimento do número de seguidores, líderes religiosos acreditam que o
país se tornará melhor na medida em que os fiéis aumentarem
Para o pastor Elinaldo, as igrejas evan-
gélicas ajudarão a melhorar o Brasil porque en-
sinam princípios que contribuem na formação
do caráter das pessoas. Prezar pela família, pela
educação e ter postura ética perante as leis, são
prioridades entre os líderes destas comunidades.
“Família é a base da sociedade e o grande proble-
ma da atualidade é a desestruturação dos lares.
Uma família estruturada tem filhos estruturados,
que consequentemente não usam drogas, não se
prostituem e assim por diante”, explicou.
O líder da Igreja Conexão Church tam-
bém revelou que estudos recentes mostram que
as crianças evangelizadas além de saberem ler,
demonstram mais capacidade de interpretação
do que as outras. “A Bíblia é um livro cheio de
metáforas e alegorias. Desde pequenas, nossas
crianças aprendem a ler e decodificar esses tex-
tos”, comentou.
De acordo com o pastor, o trabalho
das igrejas evangélicas de hoje está voltado para
o amanhã. “Enquanto os políticos resolvem os
problemas do momento, nós estamos cuidando
Pastor Elinaldo e sua esposa Fernanda: família é
do futuro. A ideia é formar uma população que
prioridade para o rebanho evangélico em 2020 vai mudar a cara do Brasil, ou seja, edu-

E
car as pessoas para que se tornem cidadãos que
m pouco mais de 10 anos, 50% da popula- trouxe uma matéria sobre o assunto, apontando atuem de forma diferenciada”, resumiu.
ção brasileira será evangélica. Isso é o que o que mudaria na sociedade, caso a estimativa O resultado desse trabalho seria, na prá-
mostra uma recente estimativa do Sepal do Sepal se concretizasse e 50% dos brasileiros se tica, a diminuição do índice de analfabetismo, já
(Serviço de Evangelização para a América Lati- que para ter acesso à Bíblia a pessoa precisa saber
na). Baseado em dados do IBGE, o estudo ana- ler; queda do número de divórcios, uma vez que
lisa os números do Censo, que revelaram que de “O grande milagre não está a grande prioridade da igreja é manter a família
1940 à 2000, a comunidade evangélica pulou de nas igrejas evangélicas e sim, unida; redução de acidentes de trânsito e inadim-
2,6% para 15,4% do total da população no perío- plência, pois os líderes prezam pelo respeito às
do. Com destaque para a última década avaliada, no Deus que a comunidade leis estabelecidas. “Outra tendência é que com o
no qual o crescimento desta comunidade foi de evangélica prega e acredita” aumento da população evangélica diminua tam-
7,43% ao ano. bém o índice de criminalidade”, lembrou o pastor,
“As pessoas não estão procurando dizendo que o rebanho evangélico tende a ser pa-
exatamente uma igreja evangélica e sim a Deus. tornassem evangélicos até 2020. Entre os benefí- cífico.
Estão procurando se refugiar deste mundo tur- cios divulgados pela revista estaria a valorização “O grande milagre não está nas igrejas
bulento, procurando um alívio para a alma an- da educação e da família e a diminuição do con- evangélicas e sim, no Deus que a comunidade
gustiada, amigos verdadeiros, uma palavra de sumo de álcool e drogas. evangélica prega e acredita”, arrematou.
ânimo e consolo. Estão em busca de uma ‘solu-
ção’ para seus problemas, sem esperança e sem
perspectivas. A Igreja Evangélica entende esta ca-
rência do povo brasileiro e temos ido de encon-
tro com todas estas necessidades”, argumentou o
pastor Elinaldo Sarmento Santos, líder da Igreja
Conexão Church de Paulínia.
Outro fator que tem atraído os fiéis é a
flexibilidade com que as igrejas evangélicas tem
tratado a realidade. “Houve uma época em que
os evangélicos acreditavam que TV, computador,
entre outros, eram uma ameaça a fé. Hoje ama-
durecemos estes conceitos, acreditamos que estas
inovações são grandes bênçãos de Deus que tem
facilitado muito a nossa vida”, disse.
A revista Época, em sua edição espe-
cial de aniversário - publicada em 25 de maio -,
16 Revista SPASSO
Revista SPASSO 17
Nova opção
no cenário político paulinense

Presidente Cícero e vice João Bonomi: “Estamos abertos


a negociação e nosso objetivo é ajudar a cidade no que
for necessário”

Cícero Brito e João Bonomi assumem presidência do PR


com missão de reestruturar partido na cidade

18 Revista SPASSO
C
om apenas pouco mais de dois anos de O PR é um partido emergente, tem mostrado que do grupo, que pretende trazer eventos regionais,
existência, o PR (Partido da República) merece a confiança das pessoas e a cada dia que estaduais e até federais para a cidade.
acaba de comemorar a filiação de mais passa novos eleitores estão se filiando”, comentou. Vale citar que o presidente Brito, seu vice
um nome de peso para seu elenco de filiados. No Para ajudar Brito na missão de reestru- Bonomi e integrantes da Comissão Provisória pre-
dia 22 de junho o ex-governador carioca Garo- turar o partido, o engenheiro João Bonomi foi sidem o partido até a próxima convenção, ainda
tinho anunciou seu ingresso no partido. Com o empossado como vice-presidente da Comissão sem data prevista para ser realizada.
constante crescimento de filiados, os dirigentes do Provisória. “Vamos buscar espaço para o PR na
partido estavam a procura de um grupo para rees- cidade, com uma filosofia nova, inicialmente de Saiba um pouco mais sobre o PR
truturar o PR em Paulínia. uma maneira neutra, mas sempre de encontro No final de 2006, dois partidos deixa-
“Fomos procurados por representantes com os interesses da população. A ideia é permitir ram de existir. O PL (Partido Liberal) e o Prona
do Diretório Nacional do PR, que disseram não que o partido abra portas para aqueles que estão (Partido da Reedificação da Ordem Nacional) se
estarem satisfeitos com a representação do partido insatisfeitos com seus grupos e absorva pessoas fundiram e deram origem a uma nova legenda: o
na cidade e nos convidaram a assumir a liderança que comunguem com nossos ideais”, explicou Bo- PR (Partido da República).
do grupo”, contou Cícero Luiz de Brito, recém em- nomi. O partido tem como presidente nacional
possado como presidente da Comissão Provisória Os novos dirigentes municipais adianta- o paraense Sérgio Tamer, professor universitário e
do PR no município. ram que seguirão as diretrizes estaduais e federais procurador-geral federal, propulsor de uma das
do partido, mas que terão decisões próprias quan- bandeiras do partido - a luta pela educação de
“Dentre vários grupos interessados em to à conduta municipal. “Estamos abertos a nego- qualidade -, como consta de seu manifesto: “O
administrar o partido na cidade, a dire- ciação e nosso objetivo é ajudar a cidade no que for acesso à escola deve significar o acesso ao saber.
ção nacional do PR escolheu o nosso, necessário”, afirmou o vice-presidente Bonomi. Escolas de baixa qualidade são alienantes, pois
considerando que era o melhor para De acordo com Brito, promover debates transmitem a falsa sensação de mobilidade social,
encarar o desafio. O PR é um partido com pessoas que tenham experiência política e retirando dos mais humildes a possibilidade de
emergente, tem mostrado que merece a oferecer cursos de capacitação específica para os aquisição de conhecimentos”. Fundador do PL do
confiança das pessoas e a cada dia que candidatos do partido fazem parte dos objetivos seu Estado, Tamer foi um pioneiro entusiasta do
passa novos eleitores estão se filiando”, projeto que criou os cursos de formação política
Cícero Luís de Brito “Vamos buscar espaço para o PR na cida- do partido em 1987.
de, com uma filosofia nova, inicialmente No Estado de São Paulo, o PR conta com
Brito conta que o primeiro contato com de uma maneira neutra, mas sempre de José Tadeu Candelária como presidente estadual do
os dirigentes do PR foi feito no final do ano pas- encontro com os interesses da popula- partido e José Renato da silva como Secretário Geral.
sado e ficou surpreso e satisfeito quando a pro- ção. A ideia é permitir que o partido abra Atualmente, segundo dados disponibilizados no site
posta se tornou realidade. “Dentre vários grupos portas para aqueles que estão insatisfei- do PR, o partido é representado por 56 deputados es-
interessados em administrar o partido na cidade, tos com seus grupos e absorva pessoas taduais, 43 deputados federais, quatro senadores, 383
a direção nacional do PR escolheu o nosso, consi- que comunguem com nossos ideais”, prefeitos, 331 vice-prefeitos e 3539 vereadores distri-
derando que era o melhor para encarar o desafio. João Bonomi buídos em todo o território nacional.

“Garantir a preservação ambiental não é


somente uma obrigação para a nossa geração.
Mais do que isso, é um compromisso com o
futuro e um investimento no maior bem da
humanidade, que é a vida!”
Marquinho Fiorella

Revista SPASSO 19
20 Revista SPASSO
Revista SPASSO 21
Começa a corrida
para as eleições
de 2010
Empresário Sanzio Rodrigues,
pré-candidato a deputado
estadual, diz que cidade
precisa eleger representante
o mais breve possível
Prestes a completar 26 anos, Sanzio Rodrigues está cursando direito,
possui sua própria empresa de contabilidade e diz estar preparado para
assumir o desafio de representar Paulínia como deputado estadual

C
om 45 anos de emancipação, a cidade cretizou mesmo em 2008, quando se candi- comunidade. “O resultado tem sido muito
de Paulínia nunca teve um represen- datou, pelo PSC (Partido Social Cristão) para positivo, ainda mais tendo em vista que to-
tante eleito como deputado estadual. vereador de Paulínia. “Obtive 325 votos, fi- das as cidades vizinhas já elegeram deputa-
“Minha meta é transmitir para a população cando como segundo suplente na chapa. Por dos estaduais. Agora só falta Paulínia”, argu-
paulinense, a importância de eleger um re- ser minha primeira candidatura, disputando mentou.
presentante do município para defender os com quase 200 candidatos da cidade, acredi- De acordo com Rodrigues, um
direitos da cidade e pleitear benefícios para to que tive uma boa votação”, avaliou. exemplo de que um representante faz a dife-
Paulínia junto ao governo do Estado”, de- O pré-candidato explica que o mo- rença pela cidade, estaria na atuação de um
clarou o empresário Sanzio Rodrigues, pré- tivo de concorrer a deputado estadual surgiu deputado frente à Reforma Tributária. “Se a
candidato a deputado estadual. em reuniões com seu grupo de apoio - for- Reforma Tributária for aprovada da maneira
Apesar de ter nascido em Alpinó- em que está prevista, Paulínia perderá um
polis, cidade do Sul de Minas Gerais, o em- grande percentual do repasse do ICMS. Sem
presário considera Paulínia como sua terra “Minha meta é transmitir um representante para brigar pelos interes-
natal. Aos quatro anos de idade mudou-se para a população paulinen- ses do município, fica mais fácil aprovar leis
para a cidade com a família, que buscava que podem vir a nos prejudicar”, justificou.
melhores condições e novas oportunidades se, a importância de eleger Embora seja filiado ao PSC, o pré-
aqui, no interior de São Paulo. um representante do municí- candidato revelou que está analisando outras
Hoje, prestes a completar 26 anos, pio para defender os direitos legendas e estudando a possibilidade de mu-
Sanzio Rodrigues é estudante de direito e dar de partido. Ele tem até setembro para de-
possui sua própria empresa de contabilidade,
da cidade e pleitear benefí- cidir. “Independente da legenda, até o final
ramo no qual tem formação técnica. “Tenho cios para Paulínia junto ao do ano estarei com um projeto para que eu
um forte espírito empreendedor e antes de governo do Estado” comece 2010 com afinco. Estou preparado
ter a Gama Contabilidade, fui dono de em- para assumir o desafio de representar Paulí-
presas do setor alimentício e de informática”, nia como deputado estadual”, acrescentou.
recordou. mado por clientes, empresários e amigos. Sanzio Rodrigues ainda disse que
Rodrigues conta que seu interesse “Em fevereiro desse ano, decidiram que meu Paulínia será sua base, mas que também
por política vem desde criança e sempre nome seria o indicado para disputar uma pretende trabalhar em prol dos municípios
acompanhou o cenário político brasileiro vaga na Câmara dos Deputados de São Pau- vizinhos que pertencem a RMC (Região Me-
em todas as suas esferas e inclusive chegou a lo”, disse entusiasmado. tropolitana de Campinas) e para aqueles em
trabalhar em campanhas eleitorais, ganhan- Desde então, Rodrigues tem con- que possui familiares e amigos, como é o
do experiência e fazendo contatos. versado com lideranças políticas e sindicais caso de Ribeirão Preto, Catanduva, Franca,
Mas sua trajetória política se con- da cidade no intuito se sentir a aceitação da Itupeva e ABC Paulista.

22 Revista SPASSO
Revista SPASSO 23
24 Revista SPASSO