Você está na página 1de 2

A distribuição de tarefas entre o médico regulador e o TARM 1

Miguel Martinez-Almoyna
Cesar Augusto Soares Nitschke

Como em toda dupla ergonômica e particularmente no caso da dupla Médico-Auxiliar, existe


uma delegação de poder de profissional para profissional. O fluxo desta delegação leva forço-
samente a conflitos, sobretudo se o meio não está formalizado ou não tem pelo menos regras
fundamentais. De fato os médicos reguladores se sucedem no tempo diante do TARM, que
por sua vez também troca e que podem ter comportamentos diferentes em relação a estas de-
legações. Podemos ver os mesmos conflitos entre o médico e o auxiliar dentro das enfermari-
as hospitalares, onde os profissionais paramédicos existem há longa data e portanto são dota-
dos de regras e status. Estas tensões se ajustam no contexto da tarefa.
A incerteza de tarefas a realizar é uma das razões da fadiga. As síndromes de esgotamento são
freqüentes nestes serviços. A insensibilidade (Burn out) se auto-agrava quando o sujeito a-
gressor é aquele com o qual ele trabalha.

O TARM executa funções delegadas pelo Médico Regulador que é seu chefe operacional di-
reto.

As funções do TARM podem ir, de acordo com o caso, do nível decisório mínimo de telefo-
nista que conecta cegamente os interlocutores àqueles que tomam as decisões médicas, de
acordo com o nível de delegação e de liberdade que ele tem de seu médico regulador. Esta
delegação e o grau de divisão de tarefas dependem do nível operacional do TARM mas tam-
bém da confiança que ele inspira ao médico. A dupla ergonômica pode ter permanentemente
relações flexíveis ou rígidas mas também variações devidas à intensidade do trabalho e de
conflitos de empatia e de fadiga. O nível de delegação que depende sobretudo do Médico Re-
gulador, decide a direção do trabalho e não deve esquecer seus deveres de chefe. A manuten-
ção da qualidade dos relatos da dupla ergonômica é muito importante para a qualidade da re-
gulação médica. Devemos prestar atenção, ao nível da Direção, que os dois operadores co-
nheçam bem seus papéis respectivos, principalmente para a escolha de prioridades de execu-
ção e de divisão de tarefas e sub-tarefas quando estão tratando simultaneamente.

A comunicação verbal e não verbal entre o TARM e o M.R.

Idealmente, ela se faz tanto pela comunicação verbal como pela comunicação não verbal. Os
dois se enxergam e se escutam diretamente. Eles estão em frente um do outro, a uma distância
de convivência separada somente por uma mesa de trabalho. A comunicação não verbal é
desta forma constante nos casos mais simples de um médico e um auxiliar. O porte de fones
de ouvido e a multiplicação de TARMs e de Médicos Reguladores pode tornar esta comuni-
cação difícil.

1
“Extraído na íntegra de MARTINEZ-ALMOYNA, M. & NITSCHKE, C. A. S. - As tarefas que são divididas
no grupo ergonômico Médico-TARM. In: Martinez-Almoyna, M & Nitschke, C.A.S.. Elementos de uma Regu-
lação Médica dos Serviços de Ajuda Médica (SAMU).”
Tarefas e funções exclusivas do TARM

Secretariado e Informante operacional do médico regulador


Registro dos dados
Conexão e encaminhamento das comunicações via meios a sua disposição
Localização dos solicitantes
Detecção inicial das afecções vitais (graves) – Prioridade Vermelha
Priorização das intervenções do médico regulador
Verificações
Informações ao público
Reorientação dos pedidos que não são concernentes ao SAMU

Tarefas e Funções exclusivas do Médico Regulador

Chefe Operacional da equipe de regulação


Classificação de Risco final
Hipótese diagnóstica sindrômica
Decisão médica do recurso empregado
Responsável pela resposta e pela vigilância médica do sistema
Regulamenta os conflitos operacionais do sistema
Relata à autoridade médica
Não execução do protocolo

Exemplo de tarefas habitualmente delegadas ao TARM pelo M.R.

Decisão de envio de uma ambulância ou de um médico generalista quando não há dúvida.


Alerta obrigatório à Polícia e aos Bombeiros
Reorientação para as estruturas de consulta médica (ambulatórios) para os casos não urgentes.
Nível de responsabilidade dentre as funções da Regulação Médica para o Médico Regulador e
para o TARM
Funções e Tarefas TARM M.R.
Responsabilidade Ação Ação Responsabilidade
Secretariado +++ +++
Informação operacional +++ +++
Registro da informação ++ +++ ++ +++
Conexão e pesquisa de profissionais +++ +++
Localização +++ +++
Priorização das transferências de comunica- +++ +++ + +
ção ao M.R.
Detecção do NAMU ++ ++ ++ +++
Verificação das informações +++ +++
Informações ao Público ++ ++ ++ +++
Reorientação dos solicitantes +++ +++
Classificação de risco inicial – Prioridade + +++ +++ +++
Vermelha
Classificação de risco final – Prioridade +++ +++
Vermelha/Amarela/Verde
Hipótese diagnóstica sindrômica + +++ +++
Diagnóstico para a epidemiologia +++ +++
Decisão dos recursos a empregar ++ ++ +++
Estabilidade da Regulação +++ +++
Resolução dos conflitos +++ +++
Relato de atividade às autoridades de saúde +++ +++