Você está na página 1de 5

Práticas e Modelos de Avaliação em Bibliotecas Escolares

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares


Metodologias de operacionalização (Conclusão)

Tópicos estabelecidos pela IGE para a apresentação da Escola Auto-avaliação da BE: Domínios e Subdomínios

1. Contexto e Caracterização Geral da Escola

1.1. Contexto físico e social


→ Impacto das características sociológicas dos diferentes núcleos D.1.1. Integração/acção da BE na escola.
populacionais onde se insere. D.2.2. Adequação dos recursos humanos às necessidades de funcionamento
da BE na escola.
1.2. Dimensão e condições físicas da escola
→ Avaliação pela escola da dispersão/concentração espaços escolares. C.1.4. Disponibilização de espaços, tempos e recursos para a iniciativa e
→ Impacto da diversidade de níveis de educação e de ensino intervenção livre dos alunos.
ministrados, bem como número alunos e turmas. D.2.3. Adequação da BE em termos de espaço às necessidades da escola.
→ Instalações da escola e nível de qualidade e segurança. D.2.4. Adequação dos computadores e equipamentos tecnológicos.

1.3. Características da população discente


→ Avaliação do impacto do nível socioeconómico das famílias dos D.1.3. Resposta da BE às necessidades da escola.
alunos. A.1.3. Articulação da BE com os docentes responsáveis pelos serviços de
→ Impacto da diversidade linguística, cultural e étnica dos alunos. apoios especializados e educativos da escola.
→ Problemas com assiduidade dos alunos.
→ Caracterização da população discente no tocante à necessidade de
apoios socioeducativos.

1.4. Pessoal docente


→ Vínculo à escola e experiência profissional. D.2.1. Liderança do professor bibliotecário.
→ Critérios para a distribuição de serviço docente. D.2.2. Adequação dos recursos humanos às necessidades de funcionamento

1
Práticas e Modelos de Avaliação em Bibliotecas Escolares

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares


Metodologias de operacionalização (Conclusão)
→ Impacto dos níveis de assiduidade dos alunos na organização das da BE na escola.
actividades da escola.

2. O Projecto Educativo
B.1. Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola.
2.1. Prioridades e objectivos
→ Prioridades subjacentes ao projecto educativo.
→ Objectivos estabelecidos para as áreas relevantes.
A.1.4. Ligação da BE ao PTE e a outros programas e projectos curriculares de
2.2. Estratégias e planos de acção acção, inovação pedagógica e formação existentes na escola.
→ Áreas privilegiadas pela escola para o desenvolvimento educativo. B.2. Integração da BE nas estratégias e programas de leitura ao nível da
→ Acções desencadeadas e relação com as prioridades do projecto escola.
educativo. D.1.3. Resposta da BE às necessidades da escola.
→ Envolvimento das diferentes estruturas e órgãos de administração e
gestão e distribuição de responsabilidades.
→ Estratégia da escola para a formação contínua de docentes e não
docentes em função do projecto educativo.

3. A Organização e Gestão da Escola


A.1.1. Participação da BE com as estruturas de coordenação educativa e
3.1. Estruturas de gestão supervisão da escola.
→ Funcionamento das várias estruturas e órgãos da escola e seu D.1.2. Valorização da BE pelos órgãos de direcção, administração e gestão
relacionamento. da escola.
→ Funcionamento das estruturas de orientação e abrangência da sua
acção.
A.1.5. Integração da BE no plano de ocupação dos tempos escolares da

2
Práticas e Modelos de Avaliação em Bibliotecas Escolares

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares


Metodologias de operacionalização (Conclusão)
3.2. Gestão pedagógica escola.
→ Opções de gestão pedagógica para a construção da equidade e A.1.6. Colaboração da BE com os docentes na concretização de actividades
justiça. curriculares desenvolvidas no espaço da BE ou tendo por base os seus
→ Supervisão pedagógica e monitorização dos resultados. recursos.
→ Qualidade científica e pedagógica da actividade lectiva. D.1.4. Avaliação da BE na escola.
→ Apoio aos professores em dificuldades no desempenho das suas
funções. C.2.5. Abertura da BE à comunidade local.

4. Ligação à Comunidade

4.1. Articulação e participação dos pais e encarregados de educação na C.2.4. Estímulo à participação dos pais/encarregados de educação no
vida da escola domínio da promoção da leitura e desenvolvimento de competências das
→ Acolhimento e incentivo à participação dos pais e encarregados de crianças e jovens (…).
educação na vida da escola ao acompanhamento dos educandos.
→ Índices de participação dos pais e encarregados de educação.
C.2.2. Desenvolvimento de trabalhos e serviços colaborativos com outras
4.2. Articulação e participação das autarquias escolas, agrupamentos e BE.
→ Nível de participação das autarquias na vida da escola. C.2.3. Participação com outras escolas e eventualmente outras entidades
→ Áreas principais de cooperação. (RB, DRE, CFAE) em reuniões da BM/SABE a nível concelhio e interconcelhio.

4.3. Articulação e participação das instituições locais – empresas, C.2.1. Participação da BE em projectos da respectiva escola ou
instituições sociais e culturais desenvolvidos em parceria a nível local ou mais alargado.
→ Nível de participação das instituições locais na vida da escola.
→ Áreas principais de cooperação.

5. Clima e Ambiente Educativos

5.1. Disciplina e comportamento cívico A.1.2. Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas áreas curriculares

3
Práticas e Modelos de Avaliação em Bibliotecas Escolares

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares


Metodologias de operacionalização (Conclusão)
→ Importância da educação para a cidadania no projecto educativo. não disciplinares da escola.
→ Atitude da escola face à existência de situações graves de indisciplina C.1.4. Apoio à utilização autónoma e voluntária da BE como espaço de lazer
ou violência. e livre fruição de recursos.

5.2. Motivação e empenho C.1.2. Dinamização de actividades livres, de carácter lúdico cultural na
→ Formas de recepção e acolhimento aos alunos. escola.
→ Estratégias de integração de novos docentes. C.1.1. Apoio à aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e
→ Meios de informação e comunicação para a integração e estudo autónomos.
envolvimento da comunidade escolar. A.2.4. Promoção do ensino em contexto de competências de informação da
escola.

6. Resultados

6.1. Resultados académicos


→ Avaliação dos resultados académicos. A.2.4. Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de
→ Avaliação sistemática os resultados escolares numa perspectiva informação dos alunos na escola.
temporal. B.3. Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no
→ Análise do sucesso dos alunos. âmbito da leitura e da literacia.

6.2. Resultados sociais da educação


→ Conhecimento sistemático da acção educativa da escola. A.1.1. Cooperação da BE com estruturas de coordenação educativa e
→ Estratégias de monitorização e remediação do abandono escolar. supervisão pedagógica da escola.
→ Conhecimento do percurso escolar e/ou profissional dos alunos A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes
a+pós a sua saída da escola. indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.

4
Práticas e Modelos de Avaliação em Bibliotecas Escolares

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares


Metodologias de operacionalização (Conclusão)