Você está na página 1de 221

la nueva, la eterna, la de muslos trigueños,

columnas seguras que se abren perfectamente para dar paso

a tu mar ancho y espeso.

Soy la de paralelas montañas, erectas, duras,

por donde han caminado pájaros heridos de amor.

Soy la amante nocturna, la de noctámbulos besos, ( mis ojos, túneles profundos donde se pierde la soledad).

Soy la de siempre, la eterna, la que te arranca el hastío de cada costado, la que se tiende plácidamente, la que se para, la que te sorprende,

la que se quita las vestiduras

y se lava en tu río claro.

Soy la que te crucifica con mis ojos, con mi lengua, la que se pierde en tu mirada lela, la que infatigable

recorre tu cuerpo, la que vibra con devoción en tu silencioso mundo. Soy ella, la eterna, la antigua, la nueva, la de siempre la que se cierra la que se abre la de ambivalentes tardes. Soy la que renace, la que se abre la que se cierra.

O Supremo Castigo

Em todos os aeródromos, em todos os estágios,

no ponto principal de todas as metrópoles, existe

- e quem é que não viu? -

aquele cartaz De modo que, se esta civilização desaparecer e seus dispersos e bárbaros sobreviventes tiverem de recomeçar tudo desde o princípio

- até que um dia também tenham os seus próprios arqueólogos

- estes hão de sempre encontrar, nos mais diversos pontos do mundo inteiro, aquela mesma palavra. E pensarão eles que coca-cola era o nome do nosso Deus.

Frases e Poemas[editar]

"Sua alma dilacerada pelas renas da madrugada/ Enevoa a minha vidraça./ "Deixaste

mais uma vez a lâmpada acesa!" - diz ela./ Essa tia Élida eu ainda me irrito com ela!"

/

Tão viva, a coitada/ Que

 

- Tia Élida, Mário Quintana - L&PMPocket, 2013,- p. 73

 

"A vida é louca/ a vida é uma sarabanda/é um surrupio

/

A vida múltipla dá-se as

mãos como um bando de raparigas em flor/ e está cantando em tono a ti: Como

eu sou bela amor!/ Entra em mim, como em uma tela de Renoir/ enquanto a

primavera/ enquanto o mundo não poluir o azul do ar/ Não vás ficar/ Não vás ficar

ai

/

como um salso chorando na beira do rio

/

(Como a vida é bela! como a vida

é louca!)

 

-

A canção da vida, Mário Quintana - L&PMPocket, 2013,- p. 120

“O aborto não é, como dizem, simplesmente um assassinato. É um roubo. Nem pode haver roubo maior. Porque, ao malogrado nascituro, rouba-se-lhe este mundo, o céu, as estrelas, o universo, tudo. O aborto é o roubo infinito.”

"Quem pretende apenas a glória não a merece."

Caderno H - página 80, Mário Quintana - Globo Livros, 2006, ISBN 9788525042033 - 416 pp.

"Um autor, primeiro, é assunto. Mas a glória, mesmo, é quando ele vira "

falta de assunto

Caderno H - página 178, Mário Quintana - Globo Livros, 2006, ISBN 9788525042033 - 416 pp

"Não sei por que, sorri de repente. E um gosto de estrela me veio na boca."

"Noturno" in: Mario Quintana: poesia completa [em um volume] - página

204, Mário Quintana, Tânia Franco Carvalhal - Nova Aguilar, 2005, ISBN 9788521000877 - 1019 pp.

"A amizade é uma espécie de amor que nunca morre."

- Porta giratória, Mário Quintana - Globo, 1988, ISBN 9788525004994 - 252 pp.

"O cigarro é uma maneira disfarçada de suspirar."

- apato florido - página 27, Mário Quintana - Globo, 1948, 131 pp.

 

"713.789

O bom das segundas-feiras, do primeiro de cada mês e do Primeiro do Ano é que

nos dão a ilusão de que a vida se renova

Que seria de nós se a folhinha

estivesse marcando hoje o dia 713.789 da Era Cristã?"

Da Preguiça como Metodo de Trabalho p. 648 [2]

"I. Da Observação:

Não te irrites, por mais que te fizerem

Estuda, a frio, o coração alheio. Farás, assim, do mal que eles te querem, Teu mais amável e sutil recreio

(In: Espelho Mágico) p. 211 [2]

 

"XII. Das Utopias

Se as coisas são inatingíveis

ora!/Não

é motivo para não querê-las

/

Que tristes

os caminhos, se não fora/A mágica presença das estrelas!

 

-

(In: Espelho Mágico) p. 213 [2]

 
 

"LXXV. Das Confidências

Quiseste expor teu coração a nu

/

E

assim, ouvi-lhe todo o amor enleio./

 

Ah, pobre amigo, nunca saibas tu/

 

Como é ridículo o amor

alheio

-

(In: Espelho Mágico) p. 225 [2]

 

"A Carta

Quando completei quinze anos, meu compenetrado padrinho me escreveu uma carta muito, muito séria: tinha até ponto-e-vírgula! Nunca fiquei tão impressionado na minha vida."

- (In: Caderno H) p 261 [2]

 

"A

Lara

nja

A laranja cortada ao meio,

Úmida de amor, anseia pela outra…

É assim, é bem assim que eu te desejo

- (In: Preparativos de Viagem) p.773 [2]

"

h

!

s

s

s

r

A

E

a

P

c

u

ç

õ

s

e

a

e

Para desespero de seus parentes, o velho rei Mitridates, como todo mundo sabe,

conseguiu tornar-se imune a todos os venenos cabeça liquidou o assunto.

- (In: A Vaca e o Hipogrifo) p. 496 [2]

até que um bom tijolaço na

Um bom poema é aquele que nos dá a impressão de que está lendo a gente não a gente a ele!

- (In: A Vaca e o Hipogrifo) p. 532 [2]

e