Você está na página 1de 4

Estudo dirigido - EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE

Verifique se as alternativas são verdadeiras ou falsas

Questões

1. A quantidade ideal de íons hidrogênio nos líquidos intracelular e extracelular depende de um

delicado equilíbrio químico entre os ácidos e as bases existentes no organismo, denominado equilíbrio ácido-base.

2. O metabolismo é o conjunto das transformações de matéria e energia que ocorrem nos

sistemas biológicos.

3. Existem três grandes formas de energia nos organismos vivos: as energias mecânica,

elétrica e térmica.

4. A redução do pH é denominada alcalose, enquanto o seu aumento é chamado de acidose.

5. Os íons hidrogênio são partículas extremamente móveis; as alterações da sua concentração

afetam a distribuição celular de outros íons, como sódio, potássio e cloretos e modificam a atividade das proteínas, em especial das enzimas.

6. As variações do pH dos líquidos orgânicos podem produzir alterações significativas no

funcionamento do organismo.

7. Na presença de oxigênio (metabolismo aeróbico), os principais produtos finais do

metabolismo são ácidos não voláteis, especialmente o ácido lático.

8. A principal base do organismo é o bicarbonato, produzido à partir do metabolismo celular

pela combinação do dióxido de carbono com a água.

9. A manutenção do pH dos líquidos orgânicos dentro da faixa compatível com o

funcionamento celular ótimo, exige a regulação da quantidade de ácidos e bases livres nos compartimentos intra e extracelular. Essa regulação é independente da participação de um conjunto de pares de substâncias chamadas sistemas tampão, que existem nos líquidos intracelular e extracelular, principalmente no sangue.

10. O mecanismo de neutralização química no líquido extracelular é imediato; a neutralização

através da eliminação respiratória é rápida, sendo eficaz em 1 a 15 minutos, enquanto o mecanismo de regulação renal, apesar de bastante eficiente, é mais lento.

Questões

1. A forma como o organismo regula a concentração dos íons hidrogênio (H+) é de

fundamental importância para a compreensão e a avaliação das alterações do equilíbrio entre

os ácidos e as bases no interior das células (líquido intracelular), no meio líquido que as cerca (líquido intersticial) e no sangue (líquido intravascular).

2. Nos líquidos do organismo a água é o solvente universal; as demais substâncias em

solução, constituem os solutos.

3. Os íons combinam entre si, conforme a sua carga elétrica.

4. O hidrogênio ionizado, simplesmente representa um cátion.

5. Um ácido é uma substância que, em solução, é capaz de doar prótons (H+).

6. Um ácido forte pode doar muitos íons hidrogênio para a solução, porque uma grande parte

das suas moléculas se encontra no estado dissociado (estado iônico).

7. Existem substâncias, como os ácidos fortes, as bases fracas e os sais, que permanecem em

solução, quase completamente no estado ionizado.

8. Uma base é uma substância que, em solução, é capaz de receber prótons.

9. O termo pH significa potência de hidrogênio e foi criado para simplificar a medida da

concentração de íons hidrogênio (H+) na água e nas soluções.

10. A água é considerada uma substância neutra. Isto equivale a dizer que a água tanto é um

ácido quanto é uma base e serve de comparação para as demais soluções.

Questões

1. Um sistema tampão é constituído por um ácido fraco e o seu sal, formado com uma base

forte.

2. Quando uma base invade o organismo, o ácido carbônico prontamente reage com ela,

produzindo bicarbonato e água.

3. Nas acidoses o organismo tolera a redução dos íons hidrogênio em cerca da metade do seu

valor, até alcançar o pH incompatível com a vida celular.

4. No sistema tampão do bicarbonato/ácido carbônico, a concentração do dióxido de carbono é

regulada pela eliminação respiratória e a concentração do bicarbonato é regulada pela

eliminação renal.

5. O ácido fraco e o sal do sistema tampão, em condições normais, existem em uma relação

constante, que o organismo jamais tende a preservar.

6. Os sistemas tampão são completamente independentes uns dos outros.

7. O sistema tampão das proteínas é muito eficaz no interior das células, onde é o sistema

mais abundante.

8. Quando um ácido é adicionado ao sangue, o bicarbonato do tampão reage com ele.

9. Quando uma base invade o organismo, o bicarbonato se associa a ela.

10. O sistema tampão fosfato é eficaz no plasma, no líquido intracelular e nos túbulos renais.

Questões

1. O sistema respiratório pode ser representado por uma membrana com enorme superfície em

que, de um lado existe o ar atmosférico e do outro lado existe o sangue venoso. Através desta

membrana ocorrem as trocas químicas.

2. O índice metabólico é o fator determinante da produção do CO2 e, portanto, da sua

eliminação pelos pulmões.

3. Os principais mecanismos reguladores do equilíbrio ácido-base do organismo são os

sistemas tampão, a regulação respiratória e a regulação renal.

4. A alimentação e a atividade física produzem desvios do pH que são prontamente

compensados, mesmo quando as funções respiratória e renal não estão adequadas.

5. O dióxido de carbono é transportado pelo sangue venoso para os capilares pulmonares, sob

três formas: gás dissolvido, íon bicarbonato e combinado à hemoglobina.

6. O sangue arterial é o padrão habitual para avaliação do pH. Seu valor normal oscila entre

7,40 e 7,45.

7. Quando o pH do sangue está acima de 7,35 existe acidose; se o pH é inferior a 7,45 existe

alcalose.

8. O pH do líquido intracelular é mais baixo que o pH do plasma.

9. As células dos tecidos com grande atividade metabólica, tem um pH levemente ácido, em

relação ao pH do sangue. 10. Os valores de pH superiores a 7,95 são incompatíveis coma normalidade da função celular.

Essas alterações podem produzir a morte celular.

Questões

1. O mecanismo renal de regulação do equilíbrio ácido-base faz variar a concentração de íon

bicarbonato do sangue, mediante reações que se processam nos túbulos renais.

2. Os rins tem a capacidade de reabsorver o sódio (Na+) e o potássio (K+) filtrados para a

urina, eliminando o íon bicarbonato em seu lugar.

3. a unidade funcional dos rins é o néfron.

4. Cerca de 99% do filtrado glomerular são reabsorvidos para o sangue. O restante, cerca de

1,8 litros constitui a urina, que representa um concentrado do filtrado glomerular.

5. Cada néfron é formado de um novelo de capilares para filtração do sangue, chamado

glomérulo e um conjunto de túbulos que recebem o filtrado dos glomérulos, reabsorvem a sua maior parte e eliminam substâncias na sua luz para a formação da urina.

6. Os rins eliminam material não volátil que os pulmões não podem eliminar. A eliminação renal

é de início muito mais rápido, torna-se efetiva após algumas horas e demora alguns dias para compensar as al;terações existentes.

7. Os rins regulam a concentração de íon hidrogênio (H+), promovendo o aumento ou a

diminuição da concentração dos íons bicarbonato (HCO3-), nos líquidos do organismo.

8. O íon hidrogênio formado pela dissociação do ácido carbônico nas células tubulares é

secretado para a luz dos túbulos renais, sendo misturado ao filtrado glomerular, de onde é eliminado diretamente pela urina, sem qualquer transformação.

9. O excesso de íon hidrogênio no filtrado tubular é neutralizado pelos tampões do líquido

tubular, principalmente o fosfato, a amônia, os uratos e citratos.

10. A perda de bicarbonato diminui a sua quantidade no sistema tampão bicarbonato/ácido

carbônico o que desloca o pH dos líquidos do organismo na direção ácida. A urina eliminada contém maior quantidade de bicarbonatos e se torna alcalina.

Questões

1. Os desvios do equilíbrio ácido-base refletem-se nas alterações do pH do sangue.

2. A prática tem demonstrado que o organismo humano tolera um certo grau de acidose,

melhor que graus idênticos de alcalose.

3. Desvios extremos do equilíbrio ácido-base, em geral se acompanham de alterações

profundas da função dos órgãos vitais e podem determinar a morte do indivíduo.

4. Ocorre acidose quando a concentração de íons hidrogênio livres nos líquidos do organismo

está elevada; em consequência, o pH, medido no sangue arterial, está abaixo de 7,35.

5. O pH normal do sangue, situa-se entre 7,35 e 7,45. Quando o pH está abaixo do valor

mínimo normal, existe alcalose. Se o pH está acima da faixa normal, existe acidose.

6. A acidose respiratória ocorre em consequência da redução da eliminação do dióxido de

carbono nos alvéolos pulmonares.

7. Na acidose metabólica o pH do sangue aumenta devido ao acúmulo de íons hidrogênio

livres.

8. Na alcalose respiratória há eliminação excessiva do CO2 do sangue que atravessa os

capilares pulmonares e redução da quantidade de ácido carbônico no sangue.

9. A alcalose metabólica ocorre em consequência do aumento da quantidade de bases no

sangue, como o íon bicarbonato.

10. A acidose metabólica ocorre em consequência do aumento da quantidade de ácidos fixos,

não voláteis, no sangue, como o ácido lático, corpos cetônicos ou outros. O pH do sangue se

reduz, devido ao acúmulo de íons hidrogênio livres; não há interferência respiratória na produção do distúrbio.

Casos Clínicos

Paciente de 30 anos chega ao Setor de Emergência em estado de coma, apenas respondendo aos estímulos dolorosos. Sua respiração é superficial e com frequência normal. Familiares encontraram próximo a ela diversas caixas de tranquilizantes vazias. Gasometria arterial: pH= 7,20; PaCO2= 80mmHg; BR= 23 mM/L; BE= -1,2. Qual(is) o(s) distúrbio(s) ácido-básico(s) apresentado(s), seu(s) mecanismo(s), causa mais provável, e possível tratamento.

Após 24 horas de tratamento no CTI, a paciente do caso 1 ainda se encontra torporosa e submetida a ventilação artificial. Gasometria arterial: pH= 7,52; PaCO2= 26 mmHg; BR= 25,6 mM/L; BE= +1,2. Qual(is) o(s) distúrbio(s) ácido-básico(s) apresentado(s), seu mecanismo, a causa provável e o tratamento?

Paciente de 50 anos chega ao Setor de Emergência torporoso, desidratado, com respiração profunda, pausa inspiratória e aumento da frequência respiratória. Ao exame clínico nota-se hálito cetônico. Gasometria arterial: pH= 7,10; PaCO2= 20 mmHg; BR= 5 mM/L; BE= -18. Qual(is) o(s) distúrbio(s) ácido-básico(s) apresentado(s), seu mecanismo, sua causa.

Paciente de 70 anos em pós-operatório de cirurgia abdominal queixa-se de câimbras e prostração. Ao exame clínico minucioso observam-se abalos musculares e drenagem elevada pela sonda nasogástrica (2.000mL/24 h). Gasometria arterial: pH= 7,62; PaCO2= 40 mmHg; BR= 36 mM/L; BE= +8,0. Qual(is) o(s) distúrbio(s) ácido-básico(s) apresentado(s), mecanismo, outros exames importantes e conduta?

Paciente de 65 anos, fumante, procura o ambulatório queixando-se de dispnéia, cansaço e tosse acompanhada por secreção clara. O exame clínico revela aumento do diâmetro anteroposterior do tórax, alguns sibilos esparsos. Gasometria arterial: pH= 7,40; PaCO2= 58 mmHg; BR= 34 mM/L; BE= +7,2. Qual(is) o(s) distúrbio(s) ácido-básico(s) apresentado(s), mecanismo, causa e conduta?

O paciente anterior (caso 5) apresentou, após dois meses, quadro de tosse produtiva, secreção amarelada e febre. A dispneia piorou, fazendo com que fosse levado à Emergência. Gasometria arterial: pH= 7,20; PaCO2= 75 mmHg; BR= 30 mM/L; BE= +5,0. Qual(is) o(s) distúrbio(s) ácido-básico(s), mecanismo, causa e conduta?

Paciente de 55 anos com infarto agudo do miocárdio está na Unidade Coronariana em choque cardiogênico. Apesar de suporte farmacológico com dobutamina, dopamina e adrenalina, a perfusão é inadequada, apresentando extremidades frias, cianose periférica, anúria e sonolência. Gasometria arterial: pH= 7,10; PaCO2= 35 mmHg; BR= 12 mM/L; BE= -15. Qual(is) o(s) distúrbio(s) ácido-básico(s) apresentado(s), mecanismo, causa e conduta?

Paciente de 17 anos chega à Emergência sem falar, apresentando batimento palpebral e frequência respiratória de 50 incursões por minuto. Gasometria arterial: pH= 7,63; PaCO2= 18 mmHg; BR= 26 mM/L; BE= -5,9. Qual(is) o(s) distúrbio(s) ácido-básico(s) apresentado(s), mecanismo, causa e conduta?

Atleta de 20 anos está sendo submetido a avaliação funcional respiratória em repouso. Após ser colhida amostra de sangue arterial, verifica-se que o analisador de gases sanguíneos está com defeito e leva-se a amostra a outro laboratório. Gasometria arterial: pH= 7,30; PaCO2= 50 mmHg; BR= 19 mM/L; BE= -3,5. Qual(is) o(s) distúrbio(s) ácido-básico(s) apresentado(s), causa provável e conduta?

Respostas: http://perfline.com/cursos/cursos/acbas