Você está na página 1de 20

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

CENTRO REGIONAL DAS BEIRAS


Pólo de Viseu

Metodologia da Investigação Educacional

Curso de Especialização em Comunicação Educacional


e Gestão da Informação.

Contributos do Blog como Jornal Escolar nas


Aprendizagens dos Alunos

Formador: Formando:
Professora Doutora: Mª. Olívia Dias Agostinho Neves da Silva

Viseu 2005
2
Projecto

O trabalho que aqui se apresenta enquadra-se na avaliação da cadeira de


Metodologia da Investigação Educacional, integrada no Curso de
Especialização em Comunicação Educacional e Gestão da Informação sendo
leccionada pela Professor Doutora, Mª. Olívia Dias.
Trata-se de um projecto para a elaboração do trabalho final cujo título é
“Contributos do Blog como Jornal Escolar nas Aprendizagens dos
Alunos” cujo Docente Orientador será o Mestre Ciro Martins

Titulo:

Contributos do Blog como Jornal Escolar nas Aprendizagens dos Alunos.


Estudo sobre a Sociedade de Informação, as TIC e suas potencialidades;
nomeadamente “O Blog ao Serviço da Educação”.

Autor:
Agostinho Neves da Silva

Projecto de Investigação:
Professora Doutora Olívia Santos

Orientador do trabalho:
Mestre Ciro Martins

3
ÍNDICE DO PLANO:

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA.....................................................1

CENTRO REGIONAL DAS BEIRAS...................................................................1

ÍNDICE DO PLANO:.............................................................................................4

1- INTRODUÇÃO:................................................................................................5

2- O PROBLEMA:................................................................................................7

3 – OS OBJECTIVOS...........................................................................................8

4- DELIMITAÇÃO DO ESTUDO:.......................................................................10

5- FORMULAÇÃO DO CORPO DE HIPÓTESES.............................................11

6 - METODOLOGIA............................................................................................12

7 - AS FONTES:.................................................................................................13

8 – BIBLIOGRAFIA:...........................................................................................14

8.1 - LIVROS PARA CONSULTA.......................................................................14

8.2 - INTERNET..................................................................................................14

8.3 – LEGISLAÇÃO ..........................................................................................16

9 - ÍNDICE DO TRABALHO...............................................................................18

10 – CALENDARIZAÇÃO/ CRONOGRAMA ....................................................20

4
1- INTRODUÇÃO:

As tecnologias de informação iniciaram há alguns anos uma revolução


na sociedade cujo fim está ainda por descortinar. Com efeito, as melhorias e
inovações neste campo têm sido de tal ordem, que cada dia se abre novas
perspectivas de evolução e caminhos de descoberta. As tecnologias de
informação e das comunicações invadiram praticamente todas as áreas de
actividade, muitas vezes sem que os cidadãos se apercebessem da extensão
da sua penetração nos aspectos mais comuns da vida em sociedade. A
convergência das tecnologias de informação, do audiovisual e das
comunicações abrem perspectivas com importante impacto positivo na
transmissão do saber, na interacção social e na inovação de processos
democráticos. Sendo a educação a nossa esfera de acção, é nas tecnologias
de informação e comunicação que depositamos a nossa esperança e
abraçamos com força um recurso; a Internet/Web. Teresa Almeida d’Eça diz, a
este propósito: “creio que a educação tem muito a ganhar com o recurso a este
meio, se o encararmos como um meio e não como um fim”. (Eça,Teresa A. D’
1998). Hoje, mais que nunca se assiste a um grande desenvolvimento das
tecnologias de informação. Estas trazem grandes alterações na sociedade,
nomeadamente no campo da educação.
A escola tem de dotar os alunos de novas competências, o professor
tem de refazer o seu estatuto de detentor do poder, de depositário do saber e
núcleo do acto educativo, e tem de converter-se em facilitador, orientador,
coordenador, promotor e animador de actividades de ensino-aprendizagem.
O documento sobre a Reorganização Curricular do Ensino Básico1
explicita claramente a necessidade do aluno desenvolver competências no
âmbito das tecnologias de comunicação e informação, ao longo da
escolaridade obrigatória.
A importância das tecnologias de informação no currículo nacional vem
reforçada com o Decreto-Lei nº209/2002, de 17 de Outubro, que introduz a
área curricular disciplinar Tecnologias de Informação e Comunicação no
1
Dec.-lei nº 6/2001

5
currículo do 9º ano de escolaridade, a ser implementada no ano lectivo
2004/2005.
O Blog2 como um dos recursos das tecnologias de informação surgido
recentemente poderá ter um papel importante como instrumento ao serviço da
educação na forma de jornal escolar. O blog se for aproveitado como
instrumento que sirva os interesses da escola, teremos uma ferramenta capaz
de revolucionar o método tradicional de escrita em suporte papel e como
construtor de aprendizagens interactivas com os seus pares e seus
professores.
Que potencialidades? O blog como construção do jornal escolar on-line é um
dos maiores incentivos para a elaboração de artigos por parte dos alunos. A
noticia surge e aparece logo quase em simultâneo, dando a oportunidade na
escola e em qualquer outra parte ser vista. Poderá ser um bom instrumento
para a escrita e um recurso óptimo na correcção da Língua Portuguesa. Como
divulgação de trabalhos elaborados pelos alunos e para incentivá-los ainda
mais é também um óptimo recurso que só tem de ser aproveitado.
Este trabalho não tem como objectivo fazer um estudo sobre a utilização
de blogs ao serviço da educação porque ainda é reduzida a sua utilização
nas escolas mas tem como finalidade incentivar professores e alunos a
utilizarem este meio como jornal escolar e descrever as suas potencialidades
num estudo de caso.

2
Weblog, é outro termo utilizado na designação de blog

6
2- O PROBLEMA:

A generalização das novas tecnologias de informação estão mudando a forma


como produzimos, nos relacionamos e aprendemos. Elas não só fazem parte
do nosso quotidiano, inclusive do espaço escolar, como também facilitam e
potencializam nosso acesso a informação diversificada. E, a urgência em
sabermos lidar com estas novas tecnologias não é apenas questão de moda,
estes novos recursos põem à disposição dos profissionais da educação
múltiplas possibilidades para aquisição de novos conhecimentos através da
informação disponibilizada na rede. Permite inclusive a interacção com
pessoas das mais variadas culturas, possibilitando o intercâmbio das diferentes
formas de apreender a realidade. Dentro deste contexto, é essencial que a
educação formal não passe a ser uma barreira para a utilização destas novas
tecnologias, mas sim, adoptá-la, de modo que possa ter um impacto
abrangente e positivo na formação escolar dos alunos. Para tanto o professor
não pode estar desactualizado, muito menos ser uma pessoa que não incentive
os alunos a aproveitarem estes recursos que as tecnologias nos oferecem. Tem
que saber tirar proveito destas tecnologias e pô-las ao serviço da Educação.
Por isso, a razão deste trabalho é justamente contribuir na construção de
critérios de busca de uma metodologia para potencializar o aproveitamento
destes novos recursos, para que o seu uso ao serviço da escola e na forma de
jornal escolar seja muito mais eficiente.
Conscientes desta realidade e porque se entende que é da conjugação de
diversos factores e pelo envolvimento dos diversos actores educativos que
podemos evoluir neste como noutros domínios, parece-nos fulcral formular o
seguinte problema:

“ Contributos do blog como jornal escolar nas aprendizagens dos


alunos?”

7
3 – OS OBJECTIVOS

Depois da apresentação do tema e elaborada a pergunta de partida, é


apresentado de uma forma sintética os objectivos gerais e específicos que se
pretendem alcançar com a realização do trabalho:

Objectivos gerais:
• Aplicar a metodologia de investigação em educação no estudo de um
caso.
• Conhecer as principais alterações da escola portuguesa a partir da
publicação do Decreto-Lei nº209/2002
• Questionar a papel das TIC na construção de novos saberes.
• Construir um corpo teórico de saberes relacionados com as Tecnologias
Web
• Saber como se cria um Blog.
• Conhecer os sítios onde pode ser alojado e saber utilizá-los.
• Equacionar a resposta da escola aos desafios de mudança

Objectivos específicos:
• Definir o conceito de Blog
• Identificar os principais factores implícitos na construção e elaboração
de um Jornal Escolar
• Identificar o contributo dos alunos no jornal escolar tradicional
• Saber qual o papel nas aprendizagens dos alunos de um Jornal Escolar.
• Equacionar as vantagens de um jornal escolar on-line.
• Potencializar as vantagens de um Jornal on-line.
• Conhecer e aplicar técnicas básicas de informática na criação do Blog
• Apresentar uma resenha da implantação das Tecnologias de Informação
e Comunicação na Escola.
• Inferir das transformações inerentes à utilização das TIC na escola

8
• Inventariar como o Agrupamento de Escolas da Lajeosa do Dão,
implantou as Tecnologias de Informação e Comunicação
• Equacionar como as Tecnologias de Informação e Comunicação
contribuíram no Agrupamento de Escolas da Lajeosa do Dão para a
construção do jornal escolar on-line

9
4- Delimitação do estudo:

Face ao objectivo definido, o estudo permitirá obter com rigor todos os


dados pretendidos. Contudo, não se pode deixar de referir alguns dos limites
deste estudo, não para desculpabilizar de eventuais erros e/ou lacunas, mas
para evidenciar a consciência que se tem da distância existente entre o
objectivo pretendido e o objectivo produzido. Um primeiro limite tem a ver com
o espaço de tempo definido para a concretização deste trabalho. Um segundo
limite tem a ver com a necessidade de divulgar esta nova tecnologia que ainda
é reduzida como instrumento ao serviço das escolas. Outro limite prende-se
com o estudo de campo, que, pese embora ter a sua base empírica nas
declarações dos principais actores educativos envolvidos na problemática em
estudo, perde alguma legitimidade quanto à universalização das conclusões,
uma vez que se restringe a um só estabelecimento de ensino (do Agrupamento
de escolas da Lajeosa do Dão) situado numa freguesia do concelho de
Tondela.

4.1- CONSIDERAÇÕES ÉTICAS


Serão consideradas todas as situações que visem a obtenção objectiva, livre e
facultativa das informações pretendidas.
Tomar-se-á a iniciativa de informar os professores, alunos e instituição, dos
objectivos reais do estudo, garantia de anonimato e ainda, liberdade de
responder total ou parcialmente às questões.

10
5- Formulação do corpo de hipóteses.

Vantagens para os alunos da utilização do blog como jornal escolar


on-line:

• Maior interesse em participar no jornal.


• Maior rapidez na publicação dos seus artigos.
• Favorece a discussão em torno dos artigos publicados.
• Aumento da sua auto-estima.
• Maior persistência face às dificuldades.
• Atitude positiva em relação ao erro.
• Aumento da autonomia dos alunos.
• Realização pessoal superior.
• Maior competência na resolução de problemas pessoais.

Hipótese central:

O blog é um recurso tecnológico com vantagens na utilização do Jornal Escolar


e nas aprendizagens dos alunos.,

H1 - Há convergência da participação dos alunos no jornal escolar on-line com


um melhor rendimento escolar.

H2 - Há convergência da participação dos alunos no jornal escolar on-line e a


sua auto-estima.

H3 – Há convergência entre professores conhecedores das novas tecnologias


e alunos mais motivados.

11
6 - METODOLOGIA

A metodologia a utilizar num trabalho deve ir de encontro à solução que


se pretende para a análise do problema em questão, neste caso ““
Contributos do blog como jornal escolar nas aprendizagens dos alunos?”
Neste contexto, numa primeira fase proceder-se-á à pesquisa
bibliográfica que permitam construir um corpo teórico de saberes acerca da
problematização dos termos técnicos de Blog e Weblog, de construção e
alojamento de blogs, de conceitos como auto-estima e motivação. No campo
das TIC a recolha bibliográfica incidirá sobretudo numa perspectiva histórica da
implantação das mesmas na escola, e quais as transformações que lhes estão
associadas nos vários domínios.
O tratamento do tema implica ainda a recolha e análise de legislação
emanada do Ministério da Educação relacionada com “ Tecnologias de
Informação e Comunicação”
A segunda parte do trabalho realizar-se-á no Agrupamento de Escolas
da Lajeosa do Dão, na qual se irá saber empiricamente, como as Tecnologias
de Informação e Comunicação contribuíram como factor de motivação na
participação do Jornal On-line escolar.
Numa primeira fase far-se-á uma breve caracterização da escola,
através da análise dos vários documentos (projecto educativo, regulamento
interno e outros documentos de carácter administrativo). Numa segunda fase
haverá a inventariação de material informático existente na escola, dos
projectos que se têm vindo a desenvolver e ponderar a importância das TIC na
estimulação como factor de motivação das aprendizagens escolares. Esta fase
implica uma análise pormenorizada dos objectivos delineados nos Projectos
Educativos, dos Projectos Curriculares de Escola e de Turma e dos Planos
Anuais de Actividades, nos últimos anos lectivos3. Com os dados recolhidos far-

3
2 últimos anos no Agrupamento de Escolas da Lajeosa do Dão

12
se-á o tratamento estatístico, permitindo uma descrição mais fidedigna da
implantação das tecnologias de informação na escola.
Esta pesquisa poderá ser completada com entrevistas informais ao
Presidente do Conselho Executivo.

7 - AS FONTES:

Embora não faça uma apresentação exaustivamente da bibliografia


relacionada com o tema que vou tratar, exponho alguns sites, livros e outros
documentos, dos quais tenho conhecimento e que recorrerei para a elaboração
do trabalho. Esta apresentação será reformulada, de acordo com o material
que consultarei e que servirá de matéria-prima para o desenvolvimento e
conhecimento científico do tema em análise: Blogs, Sociedade de Informação,
TICs, Auto-estima e Motivação.

13
8 – BIBLIOGRAFIA:

8.1 - Livros para consulta.

CASTRO, E. (1995). O Director de Turma nas Escolas Portuguesas – O


desafio de uma multiplicidade de papeis, Porto: Porto Editora.

COSTA, Jorge A. (2003) – O Projecto Educativo da Escola e as Políticas


Educativas Locais - Discurso e Práticas, 2º edição Universidade de
Aveiro Edições

LEITE, C. (2000) – Projecto Educativo de Escola, Projecto Curricular de


Escola,
Projecto Curricular de Turma - O Que Têm Em Comum? O Que Os
Distingue?

LEITE, C. E GOMES, L. E FERNANDES, P. (2001). Projectos Curriculares de


Escola e Turma. Conceber, gerir e avaliar. Porto: Edições ASA

MARQUES, Rui e outros (1998) – Na Sociedade da Informação. O que


Aprender na Escola? 2º Edição, Edições Asa

8.2 - INTERNET

DN Online - Era dos Blogues (04.04.05)

http://dn.sapo.pt/2005/04/04/opiniao/a_dos_blogues.html

DN Online – Revolução da Blogosfera pode criar novo poder ( 29.03.05)

http://dn.sapo.pt/2005/03/29/tema/revolucao_blogosfera_pode_criar_novo.html

DIRECÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO


CURRICULAR – Livro Verde para a Sociedade da Informação em Portugal.
(03.10.05)

http://www.iie.min-edu.pt/inovbasic/rec/livro-verde/capitulo4.htm

14
DGIDC - Livro Verde para a Sociedade da Informação em Portugal. (03.10.05)

http://www.iie.min-edu.pt/inovbasic/rec/livro-verde/index.htm

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNLOGIA – Programa Sociedade de


Informação (03.10.05)

http://www.mct.gov.br/Temas/Socinfo/livroverde.htm

LIVRO VERDE PARA A SOCIEDADE DE INFORMAÇÃO (03.10.05)

http://www.pos-conhecimento.pcm.gov.pt/documentos/pdf/LivroVerde.pdf

APRENDER COM TECNOLOGIAS (03.10.05)

http://www.fpce.ul.pt/pessoal/ulfpcost/c/default.asp?id=1&mnu=1

UMIC – Agencia para a Sociedade do Conhecimento. (03.10.05)

http://www.umic.pcm.gov.pt/UMIC/

CICLO DE CONFERÊNCIAS – Pensar a Sociedade de Informação ( 01 a


04.05)

http://www.apdsi.pt/Ciclo2005/index.htm

SITE DO JORNAL A PÁGINA DA EDUCAÇÃO.

http://www.a-pagina-da-educacao.pt/

VAMOS BLOGAR

http://www.fpce.ul.pt/pessoal/ulfpcost/te3aula2003/blog/

METODOLOGIA DA INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA – PAULO, C.

http://atlas.ucpel.tche.br/~pdmc/link1.html

WEBLOG INFO

http://www.byteshift.de/web-design-Weblog-pt

UNIVERSIDADE DE SANTIAGO DE COMPOSTELA - Portal do CETA: Os


Blogs

http://www.ccietic.usc.es/Members/carlos/wblog/index_html/view
WIKIPEDIA – Os Blogs Educativos

15
http://pt.wikipedia.org/wiki/Os_blogs_educativos

BANCO DE TESES E DESSERTAÇÕES

http://teses.eps.ufsc.br/tese.asp

BLOGS IN EDUCATION

http://awd.cl.uh.edu/blog/

NETESCRIT@

http://www.nonio.uminho.pt/Netescrit@3/index.htm

BLOGS EM PORTUGUÊS

http://blogsempt.mywpages.com/?Palavras=

8.3 – LEGISLAÇÃO

Lei nº 46/86 de 14 de Outubro – Lei de Bases do Sistema Educativo

Decreto-Lei nº 43/89 de 3 de Fevereiro – Regime Jurídico da autonomia da


escola

Decreto-Lei nº115-A/98, de 4 de Maio – Aprova o regime de autonomia,


Administração e Gestão dos estabelecimentos da educação pré-escolar, e dos
ensinos
básico e secundário, bem como dos respectivos agrupamento.

Decreto-Lei nº6/2001 de 18 de Janeiro – Reorganização curricular do ensino


básico

Despacho nº8/SERE/89 de 3 de Fevereiro - Regulamenta o Projecto


Educativo

Decreto-lei nº 209/2002 de 17 de Outubro – Introdução da área disciplinar


Tecnologias de
Informação e Comunicação no currículo do 9º ano de escolaridade.

16
Parecer nº2/98 – Sociedade da informação na escola – Diário da Republica – II
SÉRIE, Nº177 (3 /8/ 1998)

17
9 - ÍNDICE DO TRABALHO

Introdução

Parte I – Sociedade de Informação, Tecnologias de Informação e Comunicação


e Blogs – O Quadro Teórico.

1.1 – Sociedade de Informação.


1.1 – TICs
1.2 – O que é um Blog.
1.3 – Como se cria um Blog
1.4 – Sítios de alojamento de Blogs.
1.5 - Factores inerentes à construção e desenvolvimento do Jornal Escolar On-
line da escola.
1.5.1 – Os factores internos
1.5.2 – Os factores externos
1.6 – Projectos do Agrupamento, instrumentos para a elaboração do Jornal
escolar On-line.
1.7 – As Tecnologias de Informação e Comunicação
1.7.1 – Introdução das tecnologias de informação e comunicação em contexto
educativo
1.8 – As tecnologias de informação e comunicação e o seu impacto na escola
1.8.1 – Repensar a função da escola
1.8.2 - Novas pedagogias, novos papeis
1.9 – As TIC como ferramentas de apoio na elaboração do Jornal escolar On-
line
1.9.1 – A nível pedagógico
1.9.2 – A nível cultural
1.9.3 – A nível motivacional
1.9.4 – A nível de auto-estima

18
Parte II – Jornal Escolar On-line “As Nossas Vozes”, como factor de auto-
estima e motivação para melhores aprendizagens.

2.1 – Caracterização do Agrupamento de Escolas da Lajeosa do Dão


2.1.1.- O espaço geográfico
2.1.2.- O corpo docente
2.1.3 – Os alunos
2.1.4 – Os recursos
2.2 – As Tecnologias de Informação na Escola
2.2.1- Como se equipou a escola
2.2.2 – Os projectos que desenvolveu
2.2.3 – As TIC no currículo.

2.3 – O Blog - Jornal Escolar On-line “As Nossas Vozes”, como factor de auto-
estima e motivação para melhores aprendizagens no agrupamento de escolas
da Lajeosa do Dão.
– Uma reflexão.

Conclusão:

19
10 – CALENDARIZAÇÃO/ CRONOGRAMA

A calendarização ou cronograma, permite planificar no tempo as


diferentes fases do desenvolvimento do trabalho.
O trabalho que pretendo desenvolver realizar-se-á no início do ano
lectivo 2005/2006, estando previstas as seguintes fases:

Calendarizaçã
o SET. OUT. NOV. DEZ. JAN.

Fases

Recolha de dados x x x
bibliográficos

Reunião com o orientador x x x x

Reformulação do plano de x x
trabalho

Elaboração do esboço da x x
primeira parte do trabalho

Elaboração dos inquéritos x x x

Recolha de dados no
Agrupamento da Lajeosa do x x
Dão

Elaboração do esboço da x x
segunda parte do trabalho

Redacção definitiva x x

Conclusão x

Apresentação do trabalho x
final

20