Você está na página 1de 16

N°39

Guarde “Guarde o precioso de


pósito,
a Fé!
pela virtude do Espírito
Santo” [II Tim I, 14]

Boletim da Fraternidade Sacerdotal São Pio X - Brasil


Formação, Informações, e Notícias da Tradição Católica Janeiro - Fevereiro de 2008 R$ 2,00
nome e de todos nós uma comovente oferecidas a Deus pelos três votos
Apostolado carta de agradecimento que foi de pobreza, de castidade e de
em tempo de crise publicada no site oficial da obediência. Convém sobremaneira
Fraternidade na França (site ‘la porte que Deus seja louvado pela
Prezados amigos leitores. Vários se latine’). Mas se podemos assim ter consagração total de muitas almas
lembrarão, com esta revista, dos as bases seguras para começar e religiosas. Deus deve ser honrado e
antigos números do Guarde a Fé. avançar nestas obras, não louvado! E Deus chama essas almas,
Pois a Providência me leva a fazê-la poderemos contar só com os outros! verdadeiramente privilegiadas de seu
agora de novo. Curiosamente, pelo O que vai se desenvolver agora em Amor infinito. Pelas suas orações e
segundo ano consecutivo, o nosso São Paulo é a vida de um priorado consagração a Deus, essas almas
responsável técnico da revista entra com todas as suas necessidades obtêm chuvas de misericórdias
no seminário. Um fim bonito com anexas, obras de reformas celestes para todos nós. E, graças a
certeza! importantes na rua Klabin, e a Deus, a Tradição católica no Brasil
Esse ano de 2008 é bem feliz. Ô, sem necessidade de pagar um aluguel conta já com obras religiosas e
dúvida, não faltariam os motivos para mensal para a casa que ocuparemos vocações femininas, e estão
se lamentar ou até para chorar, mas durante todo o tempo das obras. aumentando também. Que todos
Nosso Senhor também é o Deus das Como podem entender facilmente, as rezem para as vocações e para a
consolações verdadeiras. A primeira exigências econômicas se fazem perseverança das vocações.
delas é ver a abertura do ‘Priorado importantes. Confiemos então nos Que os santos dias da Paixão nos
Padre Anchieta’ em São Paulo, com múltiplos e constantes esforços de preparem, na oração e no espírito
a presença de dois padres fixos: o cada um para a boa realização de penitência e de mortificação, à
padre Joel Danjou e o padre desses projetos. gloriosa festa de Páscoa.
Alejandro Rivero. Já posso Outro motivo de alegria para todos Padre Joel Danjou, prior.
testemunhar o bem que sinto em estar nós são as vocações. Graças a Deus,
“livre” das constantes viagens entre seis moços ouviram este ano o
Santa Maria (RS) e São Paulo via chamamento de Cristo Rei. Um deles
Porto Alegre, ida e volta. Mas, muito vai para o seminário com a vontade Índice
além disso, poderemos, sobretudo, de ser irmão da Fraternidade, uma
começar um apostolado mais estável vocação religiosa! É realmente uma
e contínuo. - Editorial...............................p.1
consolação ver Deus solicitar todo
Desde logo teremos também as obras tipo de vocações. A Igreja desde - Santo Eusébio......................p.2
no priorado, provavelmente a partir logo precisa de sacerdotes, de - A nova missa.......................p.6
de abril. Como tal vez saibam, pregadores da Verdade, de homens - A revolução sacramental......p. 11
mediante os nossos anúncios ou pela escolhidos para preparar os católicos - O futuro priorado de SP........p.13
internet, a generosidade dos fiéis da a receber frutuosamente os bens - O silêncio de Vaticano II......p.14
França e da Suíça foi solicitada pelo espirituais, de homens cujos poderes
Superior Geral da Fraternidade os tornam capazes de constituir os
Sacerdotal São Pio X. E realmente sacramentos da salvação. Mas a
eles foram bem generosos. O padre Igreja precisa também, e muito, de
Christian Bouchacourt, enquanto vocações religiosas, de almas
Superior do Distrito, enviou em seu inteiramente consagradas e
Bimestral- Editor responsável:Pe.J.Danjou - Priorado doPadreAnchieta- RuaMaurícioFr.Klabin, 223- CEP 04120-020-VilaMariana-SP
2 Guarde a Fé!
lo de volta. santo Eusébio se recusasse a entregá-la, tinha
dado ordem ao portador de lhe cortar a mão direita.
SANTO EUSÉBIO Eusébio, tendo lido a carta sem temor, apresenta suas
duas mãos ao mensageiro, dizendo que poderia cortá-
Bispo de Samosata e mártir las, mas que não devolveria jamais esta ata, pois era uma
prova manifesta da impiedade dos arianos. Tal firmeza
desconcerta o oficial e o imperador; ambos admiram a
coragem heróica do santo bispo, e não podem deixar de
380: Papa: São Dâmaso - Imperador romano: Teodósio I louvar uma firmeza que, por outro lado, fazia fracassar
os seus projetos.
Persecutio non ad negationem credentium, sed ad
probationem pertinet et coronam. Eusébio não temeu de se encontrar entre os
A perseguição não é para a negação dos que crêem, concílios e as reuniões dos arianos, com o propósito de
mas ela é para a prova e para a coroa. defender o partido da verdade; mas após ter sabido que
S. Jerônimo, livro V sobre Isaías
algumas pessoas se escandalizavam de tal conduta, ele
rompe todo contato com os hereges, e não quer mais
assistir as suas deliberações, após o concílio que se teve
Santo Eusébio, um dos mais santos prelados e dos em Antioquia por ordem de São Melécio, depois do
principais defensores da verdade ortodoxa sob o tempo retorno do seu segundo exílio, em 363, sob o reinado do
dos príncipes arianos, nasceu em Samosata, cidade da imperador Joviano. Nesse concílio, santo Eusébio assina,
Síria, junto ao rio Eufrates, do lado da Armênia; ele foi com muitos outros bispos, o símbolo de Nicéia, à
feito bispo no tempo do imperador Constâncio (361). continuação de uma carta sinodal dirigida de parte dos
Ele assistiu no mesmo ano a um concílio tido na cidade bispos ao imperador Joviano.
de Antioquia por ordem do imperador, protetor declarado
dos arianos. Este concílio estava principalmente composto A sede episcopal da cidade de Cesaréia na
de prelados heréticos. Os prelados católicos, entre os Capadócia veio a estar vacante por volta do ano 370,
quais estava Eusébio de Samosata, pediram, antes de São Gregório, bispo de Nazianzo, temendo que os arianos
todas as coisas, que se desse à igreja de Antioquia, viúva tomassem a ocasião para espalhar o seu veneno, fez rogar
de seu chefe depois da morte de são Eustátio e do exílio ao nosso santo para que viesse ajudá-lo a dar a esta igreja
de Anieno, um pastor que pudesse ordenar a fé. A escolha vacante um pastor capaz de bem governá-la. Eusébio,
recai sobre Melécio, até então bispo de Sebaste, que que em tudo o que procurava a glória de Deus e o serviço
estivera anteriormente desterrado em Beréia na Síria. Os da Igreja não limitava o seu zelo à sua diocese, nem à sua
arianos acreditavam que ele lhes seria favorável; mas os província, vem de Samosata a Cesaréia. A sua presença
católicos, com santo Eusébio à cabeça, concorreram com causou uma grande alegria entre os prelados ali reunidos,
ardor à sua eleição, porque eles conheciam a sua sincera que tanto o amavam, e aos fiéis desta cidade. De acordo
adesão à fé ortodoxa. com São Gregório de Nazianzo e vários outros bispos,
Os próprios arianos tinham uma alta idéia da virtude ele escolhe são Basílio por bispo de Cesaréia. Esta eleição
de santo Eusébio; e ainda que o vissem como um inimigo foi considerada como um presente do céu feito tanto para
irreconciliável da sua seita, eles atestavam publicamente toda a Igreja, tanto como àquela de Cesaréia em
a sua honradez; e isso foi o que os determinou a colocar particular.
em suas mãos a ata de eleição de são Melécio.
Alguns dias depois, quando Melécio no seu São Basílio, após a sua eleição, se liga com santo
primeiro discurso feito ao povo diante do imperador se Eusébio de uma amizade ainda mais estreita que antes, e
declara abertamente pela verdade católica, os arianos, tem o cuidado de mantê-la por uma troca de cartas. Ele
que não o esperavam de sua parte, se puseram muito irá visitá-lo em Samosata, e não foram senão a sua má
irritados e se decidiram desde então a matá-lo. Eusébio, saúde e as suas grandes ocupações que o impediram de
no entanto, vendo o que ocorria, se retira à sua igreja em reiterar com freqüência esta longa viagem. Santo Eusébio,
Samosata, e leva consigo a ata que lhe haviam confiado. de sua parte, veio ainda outra vez a Cesaréia, e se ocupou
Os arianos temendo, com razão, este testemunho de dirigir-se a diversos lugares de encontro que lhe
autêntico da sua má fé, persuadiram o imperador a exigi- marcava são Basílio, que parecia encontrar toda a sua
N°39 - Janeiro - Fevereiro de 2008 3

consolação com a sua vista, ao ouvi-lo e ao seguir os mim”. O santo assiste, como de costume, ao ofício da
seus conselhos. noite; depois, quando todos se retiram, ele sai com um
As virtudes de Santo Eusébio lançavam uma tão servo fiel, se embarca sobre o Eufrates, que banha as
grande resplendor, o seu zelo era tão puro e tão ativo, muralhas da cidade, e é conduzido a Zeugma, que estava
que os antigos lhe teceram os mais belos elogios. São longe de Samosata.
julho de 2005
Gregório de Nazianzo diz, falando dele em uma das suas No dia seguinte pela manhã, a notícia da sua partida
cartas, que era uma coluna da verdade, a luz do mundo, causa grande rumor entre o povo. O Eufrates rapidamente
o instrumento que Deus se serviu para comunicar os seus se cobre de barcos, tão viva era a solicitude que os fiéis
favores ao seu povo, o sustento e a glória dos ortodoxos. tinham de encontrar o seu pastor. Tendo o encontrado
em Zeugma, eles o conjuraram a não abandonar o seu
A guerra que os arianos faziam à Igreja, assistidos rebanho ao furor dos lobos; mas ele os exortava a pôr a
com todo o poder do imperador Valente, que se havia sua confiança em Deus, após lhes ter mostrado que devia
devotado à sua seita, obrigava santo Eusébio a vigiar obedecer às ordens do imperador. Oferecem-lhe dinheiro,
incessantemente, e a manter-se como uma sentinela servos e todas as coisas que poderiam ser necessárias,
primorosa no campo do Senhor, para impedir as surpresas mas ele não aceita quase nada. Ele recomenda então o
e os progressos dos inimigos. Ele lhes era motivo de medo seu querido rebanho ao Senhor, e se põe em caminho
pelo seu zelo e pela sua coragem intrépida; mas esse zelo para a Trácia.
e essa coragem eram conduzidos por uma sabedoria Eusébio passa pela Capadócia, acompanhado do
admirável que era ordinariamente seguida do êxito de tudo sacerdote Antíoco, seu sobrinho. São Gregório de
aquilo que ele empreendia, tanto nas agitações e nas Nazianzo, não podendo vê-lo na sua passagem por causa
tempestades da igreja, como na calma e na tranqüilidade de uma grave doença que o retinha no leito, supre esta
pública. falta com uma carta ao seu santo confessor, na qual ele
atribuiu aos seus pecados o fato de ter sido privado desta
Ele não se contentava de manter o seu rebanho ao consolação. São Gregório lhe testemunha que vê-lo
resguardo de todo insulto e de manter a pureza da fé combater tão generosamente pela fé do evangelho e
entre os povos da sua cidade e da sua diocese contra adquirir tanto crédito pela grandeza da sua coragem e
todos os esforços dos hereges que buscavam corrompê- pela sua paciência nas tribulações, o considerava como
la. Posto que ele sabia que a maior parte das igrejas um ilustre mártir de Jesus Cristo, e que nesta qualidade
estavam destituídas de pastores por causa da se recomendaria às suas orações, cheio de confiança na
perseguição, ele percorria a Síria, a Fenícia e a Palestina sua intercessão.
disfarçado de soldado. Nesse estado, ele ia levar aos Assim que santo Eusébio chegou a Trácia, ele
católicos os socorros que tinham necessidade e fortalecê- escreveu a são Gregório para comunicar notícias. Escreve
los contra as solicitações dos hereges. Ele ordenava também a são Basílio e encarrega um oficial para que vá
sacerdotes, diáconos e outros clérigos na medida em que a Capadócia, informá-lo do lugar e do estado em que se
as igrejas necessitavam; e quando ele encontrava bispos encontrava. São Basílio teve uma alegria notável ao
católicos, ele se unia a esses prelados para ordenar a receber a carta; e sabendo que um discípulo de santo
outros bispos. Ele pôde se esconder tão bem dos arianos, Eusébio chamado Eupraxo ia encontrá-lo, entrega-lhe
que eles não conseguiram descobrir até o final a mão que uma carta cheia de louvores e de felicitações pela coroa
lhes dava duros golpes, e que cada dia fazia novos danos que a glória do exílio lhe preparava. São Basílio recebe
à sua seita. Eles influenciaram o imperador a vingá-los, e ainda outras cartas de Santo Eusébio durante este exílio
obtiveram que Eusébio fosse afastado da sua sede e do e lhe escreve também várias outras.
seu país, e que ele fosse enviado em exílio para a Trácia.
Os arianos, que tinham comprometido Valente a
O oficial mensageiro da ordem do rei chega à noite expulsar Santo Eusébio, não deixaram escapar a ocasião
a Samosata; em seguida ele comunica ao bispo da tarefa de pôr sobre a sua sede de Samosata um homem da sua
que lhe tinha sido confiada: “Guardai-vos”, lhe diz santo seita. A escolha caiu sobre um homem chamado Eunômio,
Eusébio, “de não divulgar o assunto que vos traz aqui; que não deve ser confundido com o famoso heresiarca
sois o mais interessado nisso. Se o povo vier a saber o desse nome, contra o qual São Basílio e o seu irmão são
que está acontecendo, ele certamente tomará as armas Gregório de Nissa escreveram. Era um homem
contra vós. Não quero que lhe custe a vida por causa de extremamente manso e muito moderado, sem as
4 Guarde a Fé!
condições de manter essa usurpação, o que levou São Os arianos, vendo que Eunômio tinha abandonado
Basílio a dizer que Deus tinha moderado a perseguição a sede de Samosata, enviaram ao seu lugar um homem
da igreja de Samosata, permitindo que não se opusessem chamado Lúcio, violento e ousado, que se tornou ainda
senão inimigos frágeis e fáceis de vencer. Por isso, não se mais odioso que o seu predecessor. Ele mandou ao
encontrava nada de mais florescente que esta igreja, na desterro os principais do clero, entre outros Evolco,
qual se viam a fé católica e a piedade cristã. Este era o diácono de santo Eusébio, que foi exilado a um deserto
fruto dos longos trabalhos de Santo Eusébio, seu bispo: do Oásis, do outro lado do Egito, e o sacerdote Antíoco,
e esta igreja, na tempestade que a separava apesar de seu sobrinho, que foi relegado aos confins da Armênia.
tudo de um tão excelente pastor, adquiriu uma glória toda
particular pela união de todos os seus membros em um São Basílio, tão afastado que se encontrava, não
só corpo, que fazia julgar que não tinha senão um só podia abandonar esta igreja afligida, e ele continuou com
coração, e que estava animada e regida por um só espírito; os seus cuidados e com os seus afetos por ela até a morte.
porque, ainda que os arianos tivessem posto um bispo Ele não se contenta com devolver os bons ofícios de santo
no lugar do nosso santo, ninguém, de qualquer condição Eusébio, mas se ocupa ainda em servi-lo por toda a terra,
que fosse, queria se encontrar com ele para ter cerimônias principalmente pelos bons testemunhos dados da pureza
eclesiásticas. Vendo que todos fugiam dele e que se de sua fé. Tendo sido acusado Santo Eusébio de
evitava até mesmo de encontrá-lo em qualquer parte, ele arianismo, assim como São Melécio, em uma conferência
abandonou seu lugar e deixou a cidade. que Dorotéia deu em Roma com Pedro de Alexandria
em presença do papa Dâmaso, São Basílio reprova
Os fiéis de Samosata, que estavam tão bem duramente a Pedro de Alexandria, assegurando que não
fortalecidos contra os ataques dos inimigos de fora, se havia nada de mais forte em favor da verdade que estes
encontraram em perigo de perder a paz e a união que dois santos não tivessem dito altamente e com uma inteira
viviam sob a conduta de sacerdotes que os governavam liberdade; ao que ele acrescentava que, mesmo se ele
em nome e pelas luzes de Santo Eusébio. O espírito de não tivesse dado outra prova de sua fé, o que eles tinham
discórdia semeou entre eles desconfianças e motivos de sofrido da parte dos arianos era em si uma prova pública
divisão, que causaram algumas perturbações nesta igreja, e bastante reluzente da sua ortodoxia.
sobretudo entre o clero. Santo Eusébio recebeu esta
notícia com dor. Ele escreveu logo ao seu povo: e talvez As devastações que os Godos acabavam de fazer
isso foi o que o faz devolver a Samosata o seu sobrinho na Trácia não fizeram senão aumentar os sofrimentos que
Antíoco, para remediar rapidamente o mal, preferindo santo Eusébio padecia neste lugar de exílio. Ele correu
antes se privar do seu socorro e da sua consolação, do muitos perigos; mas Deus o livrou de todos aos que ele
que deixar de assistir com todo seu poder uma igreja que se encontrava exposto, por meio de efeitos palpáveis da
ele não podia esquecer, nem negligenciar pelo seu sua proteção particular. É o que ele mesmo fez saber a
afastamento. São Basílio, por sua parte, tendo recebido São Basílio, por meio do diácono Libânio. E esse santo,
notícias dessa desagradável divisão desde o seu início após ter dado graças a Deus, escreve a santo Eusébio
pelas informações que lhe entregara Theodoro, diácono por meio do sacerdote Paulo, para lhe pedir que lhe dera
de Samosata, concebe um extremo descontentamento, um conhecimento exato do tudo o que lhe tinha
pois a consideração de santo Eusébio lhe fazia amar esta acontecido.
igreja como sua própria. Temendo que essa faísca pudesse
causar um perigoso incêndio, logo ele escreveu a alguns Durante estes acontecimentos, tendo Graciano se
do clero para conjurá-los a que a apagassem tornado o senhor do império após a morte de Valente,
imediatamente, e para levar os insatisfeitos a que se ele chama de volta todos aqueles que o príncipe tinha
perdoassem uns aos outros, sem entrar em explicações e exilado pela fé. Santo Eusébio, tão logo restabelecido na
sem dar-se o trabalho de se justificar. Esta carta que ele sua sede, recomeça as suas viagens para dar bons pastores
lhes enviou com uma de santo Eusébio sobre o mesmo aos fiéis abandonados. O seu exílio parece ter dado ao
tema, era muito forte e insistente para exortá-los a não seu zelo um novo grau de força e de atividade. Pelos
empanar a glória da sua igreja e para que se reunissem seus cuidados, as cidades da Beréia, de Hierápolis, de
contra o inimigo comum da fé, que se ocupava sempre Calcida e de Cyr tiveram bispos católicos. Ele assiste no
de fazê-los perder por meio de novos esforços. concílio de Antioquia, em 379, no qual seu nome é o
primeiro marcado depois de são Melécio. No mesmo
N°39 - Janeiro - Fevereiro de 2008 5

ano, ao acompanhar Maris, que tinha tomado possessão “Senhor, não lhes imputeis este pecado”. Os oficiais de
da sede de Dolica, pequena cidade de Comagena, então justiça queriam nada menos que perseguir aqueles que
infectada de arianismo, uma mulher herege, tendo-o visto tinham tomado parte na sua morte; mas os católicos
passar na rua, quebra lhe a cabeça com uma telha que obtiveram que eles não fossem punidos. “Tal foi”, diz
ela lança de cima do teto da sua casa. Ele morre alguns Teodoreto, “o fim da vida santa, de tantos combates e de
dias depois em razão dos ferimentos que recebe. Vendo- tão gloriosos trabalhos do grande Eusébio. Após ter
se próximo a expirar, e prevendo que não se poderia escapado do furor dos bárbaros na Trácia, ele não pode
deixar impune o atentado do qual tinha sido vítima, ele escapar da crueldade dos hereges: mas a sua crueldade
faz prometer por juramento àqueles que o assistiam na não serviu senão para adquirir a coroa do martírio”.
morte de não perseguir em justiça a mulher que o tinha
ferido, para imitar, em tanto quanto fosse possível, ao A sua morte se data por volta do ano 380. Santo
seu Senhor, que rezou sobre a Cruz por aqueles que o Eusébio é honrado pelos gregos no dia 22 de junho, e no
tinham crucificado, dizendo: “Pai, perdoai-os, pois não dia 21 do mesmo mês pelos latinos.
sabem o que fazem”; e santo Estevão, servo de Jesus
Cristo como ele, que, oprimido pelas pedras que lhe Fonte: Les Bolandistes - Vida dos santos, Tomo VII - 1876
atiravam, exclamou, com os olhos levantados ao céu:

***

Consagração de um bispo nos primeiros tempos da Igreja


Segundo uma miniatura do século IX
6 Guarde a Fé !
para explicar melhor o mistério eucarístico e preservá-lo
das negações heréticas.
A NOVA MISSA Assim, a Missa foi elaborada progressivamente, em torno
a um núcleo primitivo que nos legaram os Apóstolos,
testemunhas da instituição de Cristo. Como uma moldura
que sustenta uma pedra preciosa ou o tesouro confiado à
Igreja, a santa Missa foi pensada, ajustada, ornada como
Pelo cônego René Marie BERTHOD
uma música. O melhor foi escolhido, como na construção
de uma catedral. Explicitou com arte o que tinha de
AIgreja de Cristo foi instituída para uma dupla missão: implícito em seu mistério. Podemos dizer que, como a
semente de mostarda, lançou ramos, porém já estava tudo
uma missão de fé e uma missão de evangelização dos contido na semente.
homens redimidos pelo sangue do Salvador. A Igreja deve Esta progressiva elaboração ou explicação foi concluída,
entregar aos homens a fé e a graça: a fé através de seu quanto ao essencial, na época do Papa São Gregório, no
ensinamento, a graça através dos sacramentos que lhe século VI. Só se acrescentou posteriormente alguns
confiou Nosso Senhor Jesus Cristo. complementos secundários. Este trabalho dos primeiros
séculos do cristianismo realizou assim uma obra de fé
Sua missão de fé consiste em transmitir aos homens a para pôr ao alcance da inteligência humana, a instituição
Revelação, feita ao mundo por Deus, das realidades de Cristo, na sua verdade reconhecida.
espirituais e sobrenaturais, assim como sua conservação, A Missa é, portanto, a explicitação do mistério eucarístico
através do tempo e dos séculos, sem alterações. A Igreja e sua celebração.
Católica é, antes de tudo, a fé que não muda; é como -
disse São Paulo - “A coluna de verdade”, a qual é sempre
fiel a si mesma e inflexível testemunha de Deus - atravessa
o tempo dentro de um mundo em perpétuas mudanças e A doutrina católica definida
contradições.
Diante das negações de Lutero, o Concílio de Trento
Através dos séculos, a Igreja Católica ensina e defende reafirmou a doutrina intangível da Igreja Católica e a
sua fé em nome de um só critério: “O que sempre acreditou definiu, quanto ao Santo Sacrifício da missa,
e ensinou”. Todas as heresias, contra as quais a Igreja essencialmente nos três pontos de doutrina seguintes:
constantemente enfrentou, foram sempre julgadas e 1. A presença de Cristo é real na Eucaristia.
reprovadas em nome da não conformidade com este 2. A Missa é um verdadeiro sacrifício, é
princípio. O primeiro princípio reflexo da hierarquia na substancialmente o sacrifício da cruz, renovado,
Igreja, e especialmente da romana, foi manter sem verdadeiro sacrifício propiciatório ou expiatório
mudanças a verdade recebida dos Apóstolos e do Senhor. em remissão dos pecados, e não unicamente
A doutrina do Santo Sacrifício da Missa pertence a este sacrifício de louvor ou de ação de graças.
tesouro de verdade da Igreja. E, se hoje em dia, nesta 3. O papel do sacerdote, no oferecimento do Santo
matéria em particular, aparece uma espécie de ruptura Sacrifício da Missa, é essencial e exclusivo: o
com o passado da Igreja, tal novidade deveria alertar sacerdote, e só ele, recebeu, por meio do
qualquer consciência católica, como nos tempos de sacramento da Ordem, o poder de consagrar o
grandes heresias nos séculos passados, e provocar Corpo e o Sangue de Cristo.
universalmente uma confrontação com a fé da Igreja que A Missa tradicional milenar, latina e romana, expressa
não muda. com suma claridade toda a densidade desta doutrina, sem
suprimir nada do mistério.
O que é a Missa?
O que ocorre com a Missa nova?
Desde logo, bem sabemos que a Missa antiga não nós foi
dada toda pronta. Ela conservou o essencial das Sabemos que a nova Missa foi imposta ao mundo católico
celebrações feitas pelos Apóstolos por ordem de Cristo; por necessidades ecumênicas porque era o maior
e se foram aderindo novas orações, louvores e precisões, obstáculo à unidade com os reformados do século XVI.
N°39 - Janeiro - Fevereiro de 2008 7

Em efeito, a Santa Missa tradicional afirma com precisão, Apesar de que a fé protestante não se acomoda com a
sem evasivas, a fé católica que negam os protestantes, presença real física de Cristo na Eucaristia, reconhece,
nos três pontos essenciais da doutrina da Missa, quais porém, certa presença espiritual do Senhor devida à fé
são: dos crentes. Daí, pois, na nova Missa, o celebrante não
• A realidade da presença real. adora em seguida a Hóstia que acaba de consagrar, mas
• A realidade do sacrifício. em primeiro lugar eleva-a e a apresenta à assembléia dos
• A realidade do poder sacerdotal. fiéis, a qual engaja sua fé em Cristo, e esta fé o faz presente
A nova Missa vai simplesmente abafar esta fé católica. de maneira espiritual. Logo, se ajoelha e se adora, o que
Assim, o novo rito introduzido, que se tornou indiferente pode ser feito num sentido inteiramente protestante de
ao dogma, poderá acomodar-se com uma fé puramente uma presença exclusivamente espiritual.
protestante, ou inclusive servir de ponto de encontro ao
mundo da unidade ecumênica para uma celebração única, O rito exterior pode assim acomodar-se com uma fé
na qual os dogmas discutidos foram velados com exclusivamente subjetiva, e inclusive com a negação do
prudência, e só foram conservados os gestos, as dogma da Presença real. A genuflexão mantida depois
expressões e as atitudes que podem ser interpretadas da elevação da Hóstia e do cálice pode agora ser
segundo a fé de cada um. interpretada do modo protestante. Tem agora uma
Pode-se negar a evidencia dos fatos? significação que pode adaptar-se à fé de cada um e, por
As mudanças trazidas pela Missa nova correspondem isso, é equívoca. Tal rito não segue sendo a expressão
precisamente aos pontos de doutrina contestados por clara da fé católica.
Lutero.
Outras alterações do rito tradicional – mesmo quando
A Missa nova e a Presença real são menos graves que as que tocam o coração da Missa
- levam todas, porém, a uma diminuição do respeito
Na Missa nova, a presença real não tem mais o papel devido à Sagrada Presença. Nesta ordem, devem ser
central que a antiga liturgia eucarística evidenciava. mencionadas as seguintes supressões, que, isoladas,
Foi eliminada qualquer referência, até mesma indireta, à poderiam parecer menores, contudo, consideradas no seu
presença real. conjunto, indicam-nos o espírito que prevaleceu nas
Damo-nos conta com assombro que os gestos e sinais reformas. Suprimiram-se:
com os quais se expressava de maneira espontânea a fé
na presença real foram abolidos ou gravemente alterados. • A purificação dos dedos do sacerdote sobre o
Mesmo as genuflexões - gestos expressivos da fé católica cálice e no cálice.
- foram suprimidas como tais. Apesar de que, por
exceção, foi conservada a genuflexão depois da elevação. • A obrigação para o sacerdote de manter juntos
Por desgraça, devemos observar que se perdeu o seu os dedos que tocaram a hóstia depois da
significado exato de adoração à presença real. Consagração, para evitar qualquer contato
profano.
Na Missa tradicional, depois das palavras da
consagração, o sacerdote faz imediatamente uma primeira • A pália que protege o cálice.
genuflexão, que significa - sem equívoco possível - que
Cristo se acha no altar, realmente presente, e isso é a • O dourado obrigatório do interior dos vasos
causa das próprias palavras da consagração pronunciadas sagrados.
pelo sacerdote. Após a elevação, o sacerdote faz uma
segunda genuflexão: tem o mesmo sentido que a primeira • A consagração do altar, se for fixo.
e justapõe uma insistência.
Na Missa nova se suprimiu a primeira genuflexão. Mas, • A pedra sagrada e as relíquias postas no altar, se
no entanto, se conservou a segunda. Essa é a armadilha for móvel.
para gente mal informada das astúcias do modernismo:
com efeito, esta segunda genuflexão, isolada da primeira, • As toalhas para o altar, cuja quantidade foi
pode agora receber uma interpretação protestante. reduzida de três para uma.
8 Guarde a Fé !
ao ponto de ocupar a maior parte do espaço-tempo da
• As prescrições para o caso de uma Hóstia nova celebração e diminui, portanto, na mesma
consagrada que cai ao solo. proporção, a atenção devida ao mistério eucarístico e ao
seu sacrifício.
A estas supressões, que representam uma diminuição do
respeito que se deve à presença real, é importante Essencialmente, cabe destacar a supressão do Ofertório
acrescentar as atitudes que se inclinam no mesmo sentido da vítima do sacrifício e sua substituição pela oferenda
e que foram quase impostas aos fieis: dos dons. Esta substituição torna-se propriamente
grotesca e até parece caricatura, pois significa a oferenda
• A comunhão de pé e quase sempre na mão. de um pouco de pão e de algumas gotas de vinho, fruto
• A ação de graças que - muito curta – se convida da terra e do trabalho dos homens, que nos atrevemos a
a fazer sentado. apresentar a Deus soberano. Até mesmo os pagãos
• A posição de pé depois da consagração. faziam muito melhor, já que não ofereciam para a
divindade migalhas de pão, senão algo mais substancial:
Todas essas alterações, agravadas pelo afastamento do um touro ou outro animal, cuja imolação era para eles um
sacrário, muitas vezes relegado para um canto do verdadeiro sacrifício. Lutero se sublevou de modo patente
presbitério, convergem na mesma orientação que consiste contra a presença do Ofertório do sacrifício na Missa
em manter em silêncio o dogma da presença real. Estas católica. Não tinha se equivocado em sua perspectiva
observações se aplicam ao novo Ordo Missae, seja qual negadora: só a presença da oferenda da vítima já é a
for o cânon que se escolha, inclusive se a nova Missa se incontestável afirmação de que se trata realmente de um
disser com o ‘cânon romano’. sacrifício, e de um sacrifício expiatório para a remissão
dos pecados. O Ofertório da Missa católica era, então,
A Missa nova e o Sacrifício Eucarístico um obstáculo para o ecumenismo. Não duvidaram em
caricaturá-lo e aí também agir violentamente contra a fé
Além do dogma da presença real, o Concílio de Trento católica. O antigo Ofertório precisava a oblação do próprio
definiu a realidade do sacrifício da Missa, que é a sacrifício de Cristo:
renovação do sacrifício do calvário e que nos aplica os “Recebei, Pai santo... esta hóstia imaculada”...(hanc
seus frutos de salvação para a remissão dos pecados e immaculátam hóstiam)
nossa reconciliação com Deus. “Nós Vos oferecemos, Senhor, o cálice da
Assim, a Missa é um sacrifício. Também é uma comunhão, salvação”...(cálicem salutáris).
porém uma comunhão ao sacrifício previamente
celebrado: um convite, no qual se come a vítima imolada Não era nem o pão nem o vinho que se oferecia a Deus,
do sacrifício. Então, a Missa é, em primeiro lugar, um mas já a hóstia imaculada, o cálice da salvação, na
sacrifício e, em segundo lugar, uma comunhão ou comida. perspectiva da consagração que se fará a seguir. Alguns
liturgistas, preocupados demais com a letra do rito,
Pois bem, toda a estrutura da nova Missa acentua o pretendiam que se tratava de uma antecipação. Estavam
aspecto da celebração como comida, em prejuízo do muito equivocados. A intenção da Igreja, expressa através
aspecto sacrifical. Isso vai, portanto, mais gravemente do sacerdote, é efetivamente a de oferecer a própria vítima
no sentido da heresia protestante. do sacrifício (e de maneira nenhuma o pão e o vinho).
No sacrifício da missa, tudo se realiza no momento exato
A substituição do altar do sacrifício pela mesa voltada da consagração, quando o sacerdote atua “in persona
para os fiéis testemunha, por si só, toda uma nova Christi” e quando o pão e o vinho são transubstanciados
orientação. Pois, se a Missa é uma simples comida, é no corpo e no sangue de Cristo. Mas, posto que todas
conforme os costumes reunir-se ao redor de uma mesa, as riquezas espirituais do mistério eucarístico não se
e não interessa para nada um altar erigido frente à cruz podem expressar ao mesmo tempo, a liturgia da Missa
do Calvário. as expõe a partir do Ofertório. Logo, não se trata de
antecipação, mas de perspectiva.
Assim também, a “Liturgia da Palavra” (que nos convidam
também a chamar de “mesa da palavra”) foi desenvolvida Na nova Missa, suprimiu-se então o Ofertório da vítima
do sacrifício, mas suprimiram-se igualmente os sinais da
N°39 - Janeiro - Fevereiro de 2008 9

cruz sobre as oblatas, os quais eram uma constante Ademais, perdeu seu caráter próprio de “Cânon”, quer
referência à cruz do Calvário. dizer, de oração fixa, imutável, como a rocha mesma da
fé. Agora é inter-mutável: pode ser substituído, segundo
Assim, de maneira convergente, a primeira realidade da a preocupação ou crença de cada um, por outra oração
Missa, a renovação do sacrifício do Calvário, está eucarística. Essa é, manifestamente, a suprema astúcia
diminuída nas suas expressões concretas. E isso está do ecumenismo inovador.
inclusive no centro da celebração. Com efeito, as palavras
da Consagração no rito inovador são pronunciadas pelo Oficialmente, o celebrante pode escolher entre três novas
sacerdote em um tom narrativo, como se fosse o relato “Orações” (“Preces”) de substituição. Mas, de fato, fica
de um acontecimento passado, e não mais em tom aberta a porta para qualquer inovação e hoje se tornou
intimativo, como uma consagração feita no momento impossível fazer a recensão de todas as orações
presente e proferida em nome da pessoa em cujo nome eucarísticas introduzidas e praticadas nas diversas
o sacerdote atua. E isso é muito grave. (Nota: Nosso dioceses.
Senhor Jesus Cristo confere ao sacerdote o poder de
consagrar “na Pessoa de Cristo”. O sacerdote atua in Não nós ocuparemos aqui dessas liturgias “selvagens”,
persona Christi, o sacerdote consagra na Pessoa de não oficiais, mas, contudo, originadas no mesmo vento
Cristo). das reformas ou da revolução em todas as direções.
Agora, apenas apresentaremos uma breve análise das três
Qual poderá ser, dentro desta nova perspectiva, a intenção novas Orações eucarísticas, introduzidas com a nova
do celebrante? Intenção que, como recorda o Concílio missa.
de Trento, é uma das condições para a validez da
celebração. Essa intenção já não é mais significada no A 2ª Oração eucarística, apresentada como sendo o
cerimonial do rito. O sacerdote que celebra pode, sem “Cânon de São Hipólito”, mais antiga que o cânon
dúvida alguma, supri-la por sua própria vontade e a Missa romano, é na realidade o cânon do anti-Papa Hipólito,
poderá ser válida. Porém, o que acontecerá com os composto no momento da sua rebeldia, e antes de morrer
sacerdotes inovadores, preocupados antes de tudo pela mártir, martírio que lhe valeu regressar à unidade da Igreja.
ruptura com a antiga Tradição? Neste caso a dúvida se Este cânon provavelmente jamais se usou na Igreja
torna legítima. E já em nada se poderá distinguir, segundo pontifical de Roma e só nos chegou através de algumas
as aparências e na sua estrutura geral, a nova Missa da reminiscências verbais reportadas pela recensão de
ceia protestante. Hipólito. De nenhuma forma foi mantido pela Tradição
da Igreja. Neste cânon, extremamente breve, que contém
Dizem-nos que se conservou o Cânon romano. Nas - além do relato da Santa Ceia - unicamente algumas
primeiras prescrições do novo rito se lê a possibilidade orações de santificação das oferendas, de ação de graças
que se dá ao celebrante de escolher este Cânon ao lado e de salvação eterna, não se faz nenhuma menção do
de três outras Orações eucarísticas. sacrifício.

O que significa essa escolha? Na 3ª Oração eucarística, se menciona o sacrifício, porém


só no sentido explícito de sacrifício de ação de graças e
O Cânon romano que se conserva já não é o antigo cânon. de louvor. Não se menciona em nada o sacrifício
De fato, foi mutilado de várias maneiras: foi mutilado no expiatório renovado na realidade presente sacramental,
próprio ato da consagração, como acabamos de ver; foi que obtém para nós a remissão dos pecados.
mutilado pela supressão dos sinais de cruz repetidos; foi
mutilado ao suprimir as genuflexões, expressão da fé na A 4ª Oração eucarística narra os benefícios da redenção
Presença real; e já não está mais pré-significado pelo operada por Cristo. Mas aqui, de novo, o sacrifício
Ofertório do sacrifício. propiciatório – atualmente renovado – não é mais
Nas versões oficiais em língua vernácula, que são explicitado.
praticamente as únicas usadas em geral, o Cânon foi
traduzido de maneira tendenciosa, fazendo desaparecer Portanto, nos três novos textos propostos, a doutrina
ainda mais o rigor da expressão da fé católica. católica do santo sacrifício da Missa, doutrina definida
10 Guarde a Fé!
no Concílio de Trento, foi de fato deixada na sombra, e,
ao não ser afirmada no ato da celebração da Missa, Já a presença de seis teólogos protestantes, bem
encontra-se de fato abandonada e acaba sendo negada habilitados para participar da elaboração dos novos
por preterição ou omissão. textos, foi uma presença significativa.

A nova Missa e o papel do sacerdote Então, esta missa ecumênica já não é mais a expressão
da fé católica. Na sua súplica ao Papa Paulo VI, os
A função exclusiva do sacerdote como instrumento de cardeais Ottaviani e Bacci não temeram fazer a seguinte
Cristo na oferta do sacrifício é um terceiro ponto de observação, da qual ninguém, até a data de hoje, pôde
doutrina católica definida pelo Concílio de Trento. Uma contestar o rigor: “O novo rito da Missa representa, seja
vez alterada a realidade do sacrifício, também a identidade no seu todo como nos seus detalhes, um impressionante
de quem oferece esse sacrifício sofrerá as conseqüências afastamento da teologia Católica da Santa Missa, tal qual
dessa alteração. E assim, logicamente, esse papel do essa foi formulada na sessão XXII do Concílio Tridentino”.
sacerdote na oferenda do sacrifício desaparece nas novas
celebrações. O sacerdote aparece como o presidente da
assembléia. (1) Max Thurian (da Comunidade de Taizé, um dos
seis pastores que participaram na redação do novo rito -
Os leigos invadem o santuário e se atribuem as funções La Croix, 30.5.1969): “Um dos frutos do Novus Ordo
clericais, as leituras, a distribuição da comunhão e, às será que talvez as comunidades não Católicas poderão
vezes, a pregação. Não nos deixemos surpreender se celebrar a santa ceia com as mesmas orações da Igreja
ainda foram mantidas certas denominações antigas; agora Católica. Teologicamente é possível.”
estão facilmente abertas a outro significado. Como já (2) Siegevalt (professor na Faculdade protestante de
temos observado, manteve-se a palavra “Ofertório”, Strasburgo - Le Monde, 22.11.1969): “Agora, na missa
porém não tem mais o sentido de oblação da vítima do renovada, não há nada que possa perturbar o cristão
sacrifício. Do mesmo modo, a palavra “sacrifício” está evangélico”
ocasionalmente conservada, mas não é mais http://www.capela.org.br/Missa/paroco2.htm
necessariamente no sentido do sacrifício re-atualizado do São Norberto
Salvador. Pode significar unicamente a ação de graças (1080 - 1134)
ou o louvor, segundo a fé do crente. Fundador da Ordem
Premonstratense.
Santa Bernadete
Conclusão Sua mão direita
segura o osténsario,
usado para a
Na conclusão desta breve análise dos novos ritos só Adoração do
podemos constatar, à luz dos fatos, que a nova Missa foi Santíssimo
em sua totalidade concebida e elaborada no sentido Sacramento.
ecumênico, que pode adaptar-se às diferentes crenças Enquanto na mão
das diversas igrejas. esquerda carrega o
báculo de arcebispo,
É o que os protestantes de Taizé (1) reconheceram de com que pisa na
imediato, declarando teologicamente possível que as cabeça do herege
Tanquelino, que
comunidades protestantes possam agora celebrar a Santa negava a Presença
Ceia com as mesmas orações que as da Igreja Católica. real de Cristo na
Na igreja protestante de Alsácia (2) (Nota: região da Eucaristia, e cuja
França vizinha da Alemanha), pronunciaram-se com a doutrina foi vencida
mesma opinião: “Agora não há nada na Missa renovada por São Norberto.
que possa realmente incomodar o cristão evangélico”. E Por isso São
em uma famosa revista protestante, podia-se ler: “Nas Norberto recebeu o
novas orações eucarísticas católicas foi abandonada a título de Apóstolo da
Santuário do Senhor Bom Jesus
Eucaristia.
falsa perspectiva de um sacrifício oferecido a Deus”. Pirapora - SP
N°39 - Janeiro - Fevereiro de 2008 11

Igreja são válidos estes sacramentos.2


A REVOLUÇÃO Ora bem, estamos em presença de uma das revoluções
mais importantes do Código de Direito Canônico,
SACRAMENTAL promulgado por João Paulo II em 1983. Com efeito, a
EM MARCHA tradição da Igreja jamais permitiu a participação na
Eucaristia e receber a comunhão da mão de cismáticos.
O Código de Direito Canônico de 1917 ensinava que
não é lícito aos fiéis assistir ativamente, ou tomar
Em 20 de Julho de 2001, o Conselho Pontifício para parte, de qualquer modo que seja, nas funções
a Unidade dos Cristãos promulgava uma Nota de sagradas dos acatólicos.3 Esta era a tradição jurídica
orientações para a admissão à Eucaristia entre a do ensinamento teológico, entre outros, de São Tomás
Igreja Caldeia e a Igreja Assíria do Oriente. Ora d’Aquino: «A segunda [significação do sacramento
bem, este texto, que não foi publicado em da Eucaristia], a respeito do presente, é a unidade
L’Osservatore Romano até 26 de Outubro do mesmo eclesiástica, da qual, por ele, participam os homens.»4
ano, não deixa de suscitar dois tipos de problemas Esta doutrina constante foi selada com o sangue dos
à consciência católica. mártires: veja-se o exemplo de Santo Hermenegildo,
festejado em 13 de Abril, que foi martirizado por ter-se
Padre François Knittel negado a receber a sua Páscoa [Comunhão Pascal – NT]
das mãos de um bispo ariano enviado por seu pai.5
Nada mais lógico do que esta disciplina da Igreja,
Primeiro, apresenta um problema eclesiológico, já que fundamentada na sua doutrina, pois existe uma
permite a intercomunhão entre a Igreja Caldeia [católica] contradição entre a recepção da comunhão da mão de
e a Igreja Assíria [cismática]. Depois, surge um cismático, separado da unidade da Igreja pelo seu
manifestamente um problema sacramental, porque a Nota cisma, e a Comunhão do Corpo de Cristo que nos
admite a validez de uma anáfora1 sem as palavras da comunica a caridade, fermento da unidade entre a Cabeça
consagração. Tratemos de examinar esta situação inédita e os membros do Corpo Místico. Daí, o escândalo
com uma visão católica. eclesiológico causado pela Nota em questão.

O ESCÂNDALO DA INTERCOMUNHÃO CONSAGRAÇÃO SEM PALAVRAS CONSA-


A Nota de 20 de Julho de 2001, na sua primeira parte, CRATÓRIAS
descreve a situação dos fiéis destas duas Igrejas, pouco Mas as coisas vão bastante mais longe, pois, segundo
numerosos e muito dispersos. Por isso, muitos fiéis a Nota, existe «o problema da validez da Eucaristia
católicos caldeus não podem facilmente acercar-se de celebrada com a anáfora de Addaï e Mari, uma das
um sacerdote do seu rito, e afastam-se dos sacramentos. três anáforas tradicionalmente em uso ma Igreja
Depois, o documento invoca o movimento ecumênico, Assíria do Oriente.» Ora bem, «a anáfora de Addï e
que viu ultimamente uma aproximação entre a Igreja Mari é singular, pelo fato de ser utilizada desde tempos
Caldeia [católica] e a Igreja Assíria [cismática], mediante imemoriais sem as palavras da instituição».
várias declarações comuns (em 1994, 1996 e 1997). Sendo as palavras da instituição eucarística algo
Destes dois motivos, o pastoral e o ecumênico, saca-se essencial para a Igreja Católica, fomentou-se um profundo
a justificação para que os fiéis católicos sejam autorizados e largo estudo pluridisciplinar, que concluiu, apesar de
a receber a comunhão dos sacerdotes cismáticos. tudo, pela validade da Anáfora de Addaï e Mari.
Decerto, tal inovadora prática vale-se das disposições Avançaram-se três argumentos, que vamos examinar
do Código de Direito Canônico, de 1983, que estipula: sucessivamente.
Em caso de necessidade, ou quando o aconselhe uma
verdadeira necessidade espiritual, e contanto que se A antiguidade da anáfora
evite o perigo do erro ou do indiferentismo, é «Em primeiro lugar, a anáfora de Addaï e Mari é
permitido aos fiéis a quem resulte física ou moralmente uma das anáforas mais antigas e remonta ao início da
impossível acudir a um ministro católico, receber os Igreja. Foi composta e utilizada com a clara intenção de
sacramentos da penitência, Eucaristia e unção dos celebrar a Eucaristia em plena continuidade com a Última
enfermos daqueles ministros não católicos, em cuja Ceia e segundo a intenção da Igreja. A sua validez nunca
12 Guarde a Fé!
foi posta em causa de juízo oficialmente, nem no Oriente, Quantos termos ecumenicamente corretos, mas
nem no Ocidente cristão.» doutrinalmente errôneos em tão poucas linhas: «Igreja
O argumento aqui apresentado é múltiplo: a antiguidade particular... fé ortodoxa... sucessão apostólica... plena
do rito, a reta intenção na sua celebração, e o fato de a comunhão da Igreja»!... Mas, princípios doutrinais
sua validade nunca ter sido posta em causa de juízo. errôneos, não podem conduzir a decisões práticas retas.
Cabe aqui notar que nem todas as coisas antigas gozam Permita-se-nos uma pergunta um tanto ingênua: como
de origem apostólica e, ainda menos, que estão isentas podem os cismáticos ter «a plenitude da fé eucarística»,
de toda a corrupção. Ora bem, neste caso, a mutilação é quando não têm a fé católica acerca do pecado original,
patente: faltam as palavras da consagração. São muitas da transubstanciação e do primado de jurisdição do Papa,
as hipóteses explicativas (erro do copista, omissão das e lhes faltam dois dos sete sacramentos divinamente
palavras consacratórias em virtude da lei do arcano, teoria instituídos (penitência e extrema-unção)? A fé é íntegra,
oriental sobre a epiclesis, variante de uma Missa dos pré ou não existe: tudo o demais vem do maligno (Mat. 5,
santificados) e ocuparão muito tempo aos eruditos, mas 37).
o fato é certo: falta o essencial. Enfim, supondo que existisse uma plenitude da fé
eucarística entre os assírios [cismáticos], como poderia
O certo é que, quando os caldeus e os malabares, que esta suprir a ausência das palavras da instituição, julgadas
utilizam esta mesma anáfora, reintegraram a Igreja Católica, sempre7 como necessárias para a validade do rito?
exigiu-se-lhes juntar explicitamente ao seu Missal as
A Presença Disseminada das Palavras da
palavras da instituição.6 Não é esta uma retificação oficial?
Instituição
Quanto à menção à vontade de celebrar a Eucaristia
«Finalmente, as palavras da instituição da
segundo a intenção da Igreja, é colocar a primazia da
Eucaristia estão presentes na anáfora de Addaï e Mari,
intenção subjetiva sobre a ordem objetiva dos fatos. Se
não na forma de uma narração coerente e ad litteram,
seguimos este caminho, também será válido batizar sem
mas de modo eucológico e disseminado, quer dizer, foram
pronunciar as palavras sacramentais, ou perdoar os
integradas nas orações de ação de graças, de louvor e
pecados sem dar a absolvição sacramental.
de intercessão que seguem.»
Os redatores da Nota terminam contradizendo a sua
Em 1439, o Concílio de Florença recordava aos
própria argumentação, quando, no final da mesma,
armênios a forma da Eucaristia nestes termos: «A forma
acrescentam: «Quando os fiéis caldeus participam na
deste sacramento são as palavras com que o Salvador
liturgia assíria da Sagrada Eucaristia, o ministro
consagrou este sacramento, pois o sacerdote consagra
assírio é vivamente convidado a introduzir as palavras
este sacramento falando pela pessoa de Cristo. Porque,
da instituição na anáfora de Addaï e Mari.» Se Jesus
em virtude das mesmas palavras, se convertem a
Cristo está presente na anáfora de Addaï e Mari sem as
substância do pão no Corpo e a substância do vinho
palavras da consagração, para quê convidar vivamente à
no Sangue de Cristo...»8
sua introdução? Ou esta junção é necessária para a
Em 1551, o Concílio de Trento, na sua 13ª sessão,
validade do rito e, então, não se pode permitir a comunhão
confirmava este ensinamento: «... imediatamente depois
num rito habitualmente privado do essencial.
da consagração está o verdadeiro Corpo de Nosso
A Plenitude da Fé Eucarística da Igreja Assíria do Senhor e o seu verdadeiro Sangue, juntamente com
Oriente sua Alma e divindade, sob a aparência do pão e do
«Em segundo lugar, a Igreja Católica reconhece vinho; certamente o Corpo, sob a aparência do pão,
a Igreja Assíria do Oriente como autêntica Igreja particular e o Sangue, sob a aparência do vinho, em virtude das
fundada sobre a fé ortodoxa e a sucessão apostólica. A palavras...»9 Ora bem, a leitura atenta do texto da
Igreja Assíria do Oriente conservou também a plenitude anáfora de Addaï e Mari, leva-nos a afirmar que as
da fé eucarística na presença de Nosso Senhor sob as palavras da instituição, tais como foram mencionadas por
espécies do pão e do vinho, assim como no caráter esses dois concílios, não se encontram em nenhum lado.
sacrificial da Eucaristia. Por isso, na Igreja Assíria do E se aqui se trata de agradar aos Orientais, suprindo as
Oriente, ainda que esta não esteja em plena comunhão palavras literais da consagração por esta invocação ao
com a Igreja Católica, encontram-se verdadeiros Espírito Santo que chamam epiclesis, o Magistério já deu
sacramentos – principalmente em virtude da sucessão a sua sentença negativa a esse respeito, pela boca de
apostólica: o sacerdócio e a Eucaristia.» São Pio X: «mas nem sequer... fica intacta a doutrina
N°39 - Janeiro - Fevereiro de 2008 13

católica sobre o Santíssimo Sacramento da Eucaristia,


ao ensinar-se audaciosamente poder-se aceitar a Notas:
sentença que defende que, entre os gregos, as palavras 1. Anáfora, palavra grega que designa, nas liturgias
da consagração não surtem efeito senão depois de orientais, o que é o Cânone da Missa no rito latino.
pronunciada a oração que chamam epiclesis, quando, 2. Canon 844, § 2.
pelo contrário, é coisa averiguada que à Igreja não 3. Canon 1258, § 1.
lhe compete direito algum de inovar nada acerca da 4. Suma Teológica, III, 73, 4, corpus.
substância mesma dos sacramentos...»10 5. Ver Martirológio Romano, 13 de Abril.
6. Estas palavras aparecem explicitamente no Missal
NÃO SABEM O QUE FAZEM editado para os caldeus em Paris, em 1982, por Mons.
Francis Youssef Alichoran.
Acabamos de pôr em evidência brevemente os dois 7. Bento XII aos armênios, em 1341:
gravíssimos problemas de um documento recentemente «... Os armênios não dizem que, depois de pronunciadas
saído do Vaticano: um que respeita à relação íntima entre as palavras da consagração do pão e do vinho, se haja
a unidade da Igreja e a comunhão eucarística, o outro efetuado a transubstanciação do pão e do vinho no
concernente às condições essenciais de validez do verdadeiro Corpo e Sangue de Cristo...» Memorial Jam
sacramento da Eucaristia. dudum. Dz. 544, DS 1019).
Como pode ter sido aprovado semelhante documento, 8. Decreto para os armênios. Dz. 698, DS 1321.
não somente pelo Conselho para a Promoção da Unidade 9. Decreto sobre a Sagrada Eucaristia. Cap. 3. Dz. 876,
dos Cristãos, mas também pela Congregação para a DS 1640.
Doutrina da Fé, pela Congregação para as Igrejas 10. Breve Ex quo nono, de 26 de Dezembro de 1910
Orientais, e até pelo próprio Papa [João Paulo II]? (Dz. 2147 a. DS 3556). Ver também o Breve Adorabile
Verdadeiramente, é o mistério da iniqüidade que está Eucharistiae, de Pio VII, de 8 de Maio de 1822 (DS
operando e afeta o mais sagrado da nossa vida cristã: 2718).
Jesus Cristo, sacramentalmente presente, e a Igreja, Sua
Esposa e nossa Mãe.

O futuro
A
priorado
natureza,
que
Se Deus Deus
da
quiser Fraternidade
criou,

e com Sacerdotal
atmbém
facilta
sua ajuda! o São Pio X
em São
equilíbrio
das
Paulo
crianças

Padre José de Anchieta, orai por nós!


Para ajudar as obras do priorado “Padre Anchieta”
Banco: UNIBANCO - Código SWIFT: UBBRBRSP “Os leigos têm direito de receber do clero, conforme
Agência: 0098 - Conta: 228977-9 a disciplina eclesiástica, os bens espirituais e
Nome: Associação Religiosa e Cultural São Pio X especialmente os auxílios necessários para a
CNPJ: 09.385.198/0001-43 salvação.” Cânone 682 do Código de Direito
Fone: 11 / 3462 6223 Canônico de 1917.
Contato: fsspx_brasil@yahoo.com.br
14 Guarde a Fé!
O problema do ateísmo no sistema marxista não é

Intervenção de um simples corolário da sua doutrina geral, mas penetra-


a completamente. Exige, assim, uma exposição mais

D. Rusnack no Concílio profunda e mesmo uma refutação. Por isso, a parte De


Atheismo deve ser muito mais longa e mais profunda.
Penso, também, que a redução de toda a problemática
Vaticano II do comunismo ao único problema do ateísmo, está
destinada a produzir uma desmobilização geral no mundo
inteiro. Quem nãoPevê que é anormal que a Igreja do século
Jahir
Intervenção de Dom Michäel Rusnack, XX diga quase nada da «heresia do século XX»! Parece
Bispo titular de Zernique, auxiliar de impossível que a Igreja à qual pertence uma tão grande
“Família Beatae Mariae Virginis”
Toronto dos Ucranianos, na 137ª multidão de espíritos que se mostram confusos e hesitantes
perante a visão escatológica marxista se omita em propor
Congregação Geral do Concílio Vaticano a luz da verdade.
II, em 28 de Setembro de 1965. Além disso seria cruel que o Concílio recuse
(Texto em latim nas Acta Synodalia, IV, II, apresentar um auxílio aos seus irmãos oprimidos.
p. 639 a 642) Esta assembléia não pode passar em silêncio a questão
do comunismo, senão será gravemente censurada perante
Já há quatro sessões que este Concílio Ecumênico o tribunal da História. O Concílio pode e deve falar do
procura os meios de mostrar e pôr em evidência, aos comunismo! A verdade exige-o, a caridade exige-o!
homens do nosso tempo, o sentido e o verdadeiro fim da Primeiro, a verdade. Porque a visão comunista
vida. Os nossos esforços atingem o ponto culminante no do mundo e do homem não somente nega a existência de
esquema XIII. Deus, mas propaga também no mundo inteiro, e por todos
Este esquema tem um título que nos impõe uma os meios, outros erros opostos diretamente à verdade
grande responsabilidade perante Deus, perante os revelada ou aos princípios da reta razão. A negação de
homens e perante a história: Ecclesia in mundo hujus Deus e do espírito em geral, a negação dos primeiros
temporis (A Igreja no Mundo de Hoje). princípios da razão, as teorias da matéria, da natureza e
Qual é, então, o mundo de hoje, e qual é a posição da do fim do homem, da sociedade, da luta de classes, do
Igreja no ambiente daquele? determinismo em História, do sistema salarial, são alguns
Se olharmos para um mapa-mundo surge, à exemplos desta falaciosa doutrina. Com freqüência, basta
primeira vista, metade do globo terrestre sob regime simplesmente o conhecimento e a exposição clara destas
comunista; ademais, nas nações situadas fora dessa zona, teorias, para que o espírito humano seja desviado.
são numerosas as imbuídas dos ideais do materialismo Todavia, será também necessária uma clara explicação
dialético e histórico. O comunismo é, portanto, um da doutrina da Igreja relativa a esses erros, bem como a
fenômeno tão vasto, que seria necessário falar dele, ainda sua refutação serena e objetiva, sempre possível, mesmo
que não perseguisse a religião. sem recurso a anátemas.
Mas, a bem dizer, a Igreja, no seu encargo de expor Mas a verdade e a clareza exigem, sobretudo, que o
a lei divina, encontra diariamente no comunismo os mundo conheça a prática do comunismo. Esta prática,
maiores obstáculos. Em todas as nações em que os quer o comunismo de hoje mantê-la em segredo. Que o
comunistas detêm os poderes públicos, perseguem mundo inteiro saiba, então, que neste sistema a mentira é
abertamente não somente a Igreja Católica, mas também lícita e meritória, se for útil a esta facção política. Que
toda a religião, entre o silêncio das organizações todos os homens saibam que este sistema está fundado
internacionais que deveriam defender os direitos sobre a opressão, não somente ideológica, mas também
fundamentais da pessoa humana, e também entre o prática, por todo um aparelho legislativo, judiciário,
silêncio – que dor! – dos próprios cristãos que podem administrativo, mediante oficiais de segurança pública ou
falar e deveriam fazê-lo. agentes secretos. Que o mundo conheça o sistema de
Então, como encara o esquema Ecclesia in mundo educação e do que se chama “propaganda”, aos quais
hujus temporis a questão do comunismo? De que todos os cidadãos do Estado comunista são submetidos
maneira resolve as graves questões por ele levantadas? desde a mais tenra infância até à velhice.
Em poucas, muitas poucas linhas deste esquema, capítulo Também a caridade para com os nossos irmãos
Missa de Réquiem pelo Papa que se encontra nas nações regidas pelos comunistas
I, nº 19 (...).
N°39 - Janeiro - Fevereiro de 2008
exige, acima de tudo, que nós conheçamos a verdade relações com a religião, ou então uma mensagem (2) con-
sobre a situação da religião nessas mesmas nações, e forme o modelo da que foi dirigida a todos os homens no
que a apresentemos à opinião pública do mundo inteiro, decurso da primeira sessão. Nesse documento solene de-
sem exageros, mas sem reticências, sem ódio, mas vem ser denunciados...» (3)
também sem temor. Nesse momento, o orador foi interrompido pelo modera-
Fala-vos alguém que pode apresentar, a partir da dor que lhe diz: «Queira finalizar, porque o seu tempo está
sua própria experiência, exemplos dessa verdadeira esgotado.» (4)
perseguição, porque ele mesmo e todos os membros O Orador: Conclusão: afirmo-vos uma vez mais, Venerá-
das congregações religiosas da Checoslováquia foram, veis Padres, que é deste modo que devemos oferecer o
numa só noite (13 de Abril de 1950), enviados para serviço da caridade aos nossos irmãos na fé, e também
“campos de concentração”; dali, a divina Providência aos comunistas, se é verdade que a clareza aproveita a
permitiu-me partir para o Canadá. todo o diálogo.
- Todas as congregações religiosas da Checoslováquia Não temais que os nossos irmãos sofrendo perseguições
foram, então, de fato destruídas numa só noite, e ainda recebam prejuízo com uma tal declaração. Porque a ex-
hoje não são permitidas. Quem sabe disto no Ocidente? periência ensina que os comunistas abandonam unicamente
- Do mesmo modo, os seminários foram reduzidos de
as práticas prejudiciais do seu sistema quando, no mundo
quinze a dois, com um numerus clausus de alunos.
inteiro, provocam os maiores protestos nascidos do es-
- Somente quatro dioceses têm um bispo como pastor;
cândalo ou da paralisia. Da nossa declaração devemos,
pelos menos oito bispos estão ainda impedidos de
assim, obter um efeito bom... Terminei.
exercer os deveres do seu cargo; quatro bispos
morreram na prisão ou em residência vigiada. Muitos
padres passam a sua vida exercendo um trabalho manual
forçado.
- Toda a diocese de Presov, na Eslováquia, de rito (1) Sobre a supressão forçada da diocese católica de
bizantino-eslavo, que contava mais de 300.000 almas, rito oriental de Presov, na Eslováquia oriental, eis al-
foi declarada inexistente durante o ano de 1950, por um guns pormenores:
mero ato administrativo do governo, e é ainda A eparquia de Presov contava 305.000 fiéis quan-
considerada assim (1). Proibiu-se aos seus fiéis a adesão do foi abolida em 28 de Abril de 1950, para ser incluída
à Igreja católica, ou de receber sacramentos dos padres pela força à Igreja ortodoxa, como tinham sido anterior-
da nossa Igreja. A maior parte dos padres desta diocese mente, para serem ligadas às Igrejas ortodoxas corres-
escolheu exercer um duro trabalho manual. pondentes, as diferentes Igrejas católicas de rito bizantino-
Estes poucos exemplos, que revelam a verdadeira eslavo, estabelecidas nos países comunistas (na Ucrânia e
natureza do sistema comunista, podem apresentar uma Romênia, principalmente). Neste 28 de Abril de 1950,
pequena idéia da opressão e da perseguição a que foram um pretenso “sínodo”, compreendendo padres e leigos
submetidos milhões de fiéis. mas nenhum membro da hierarquia católica, decidiu a se-
Dar a conhecer esta situação real, e não fictícia, a paração da Igreja católica oriental com Roma, e procla-
todos os homens, é um verdadeiro ato de caridade. mou a sua comunhão com a ortodoxia. Por ato governa-
Porque a opinião de todo o mundo católico, que esta mental, o Estado reconheceu esta decisão e, a partir des-
Assembléia representa, não menos que a de outros se momento, os católicos bizantinos, as suas igrejas, os
homens livres, é, talvez, a única força moral que pode seus padres, e todos os bens eclesiásticos passaram
induzir os dirigentes comunistas a absterem-se desta para a Igreja ortodoxa.
indigna repressão, e a reconhecer aos cidadãos católicos
e a outros crentes os direitos fundamentais da pessoa Em 1948, a Igreja ortodoxa só contava 350.000 fiéis na
humana, de fato – e não somente nas palavras das Checoslováquia: compreende-se, assim, todo o interesse
Constituições. material, para os ortodoxos locais, da supressão da
Por conseqüência, sobretudo em nome dos meus diocese de Presov. Mas os padres e fiéis católicos não se
irmãos que vivem na opressão, peço-vos instantemente, deixaram intimidar e permaneceram, em sua grande maioria,
Veneráveis Padres Conciliares, que este Sagrado fiéis a Roma, o que levou as autoridades checoslovacas a
Sínodo, além de um parágrafo mais longo e mais pro- restabelecer a diocese de Presov em 13 de Junho de 1968,
fundo sobre o ateísmo, publique uma declaração espe- por ocasião da “Primavera de Praga”.
cial tratando do comunismo teórico e prático nas suas
16 Guarde a Fé!
Entre os padres a resistência foi forte: Em Novembro de (3) Eis o que orador tinha previsto dizer quando foi
1954: interrompido: «Nesse documento solene devem ser
- 150 padres estavam na prisão, ou seja 50%; denunciados com uma clareza e uma dignidade serenas,
- cerca de 30 padres exerciam ofícios manuais, ou sem ódio nem anátema, os erros do marxismo, mas
seja 10%; também a indigna prática do sistema comunista; ao mesmo
- cerca de 30 padres viviam escondidos, ou seja tempo, os dirigentes das nações comunistas devem ser
10%; exortados a conceder a todos os cidadãos a verdadeira
- cerca de 100 padres tinham passado, sob pressão, liberdade de religião, tão útil à própria sociedade civil. O
à ortodoxia, ou seja 30%. Mas muitos destes se famoso sermão de Paulo VI, recentemente pronunciado
retrataram seguidamente e passaram para o nas Catacumbas de Santa Domitília, pode ser, para nós,
Ocidente. um exemplo do modo como tal declaração pode ser
Para os fiéis, a rejeição da passagem para a ortodoxia foi concebida.»
quase total, como revelam os resultados dos referendos
que foram organizados em cada paróquia da diocese de (4) Esta interrupção é exemplar, porque ilustra o cuidado
Presov a partir de Julho de 1968, para saber a que Igreja com que a promessa de silêncio do Concílio sobre o
queriam pertencer os fiéis. Em Março de 1969, em 246 comunismo foi posta em prática: os moderadores tinham,
paróquias existentes em 1950: visivelmente, ordens precisas para fazer calar os bispos
- 200 tinham votado pela Igreja católica; recalcitrantes...
- 2 tinham votado pela Igreja ortodoxa; *******
- 40 preparavam o escrutínio ou estavam prestes a
votar. GUARDE A FÉ !
Após o restabelecimento da diocese de Presov e perante Fraternidade Sacerdotal São Pio X
a oposição freqüentemente amarga dos ortodoxos, o Rua Maurício Francisco Klabin, 223 - CEP 04120-020
“Comité de Ação” dos greco-católicos foi levado a SÃO PAULO - SP
publicar, no decorrer do Verão de 1968, uma tel: (11) 3462 6223 / 7443 1376
“Declaração” que era uma bela homenagem à fidelidade e-mail: fsspx_brasil@yahoo.com.br
da grande maioria do clero e dos fiéis greco-católicos à 1 Num. R$ 2,00
fé do seu batismo. Assinatura: por correio: R$ 35,00

(2) Eis os termos latinos desta passagem capital, tais PARA AJUDAR O PRIORADO DE SÃO PAULO
como foram pronunciados por Mons. Rusnack perante Banco: UNIBANCO
os Padres Conciliares: «Proindre: nomine praesertim Agência: 0098 - Conta: 228977-9
fratrum meorum in oppressione viventium vos obsecro, Nome: Associação Religiosa e Cultural São Pio X
Venerabiles Patres Conciliares, ut Sacra haec Synodus... CNPJ: 09.385.198/0001-43
specialem edat declarationem de communismo theorico Código SWIFT: UBBRBRSP
et practico relate ad religionem, vel nuntium...» Contato: fsspx_brasil@yahoo.com.br

OS LUGARES ONDE A FRATERNIDADE SÃO PIO X CELEBRA A SANTA MISSA NO BRASIL

* SANTA MARIA (RS): Nos Dom. e Festas, às 9h00; na sem. às 18h30 - tel: (55)3028 3896.
* SÃO PAULO (SP): Nos Domingo e Festas, às 10h00 - na Rua Prof. Frontino Guimarães, N° 91 -
VILA MARIANA - Metrô Vila Mariana - tel: (11) 3462 6223 / 7443 1376 ou fsspx_brasil@yahoo.com.br
* BELO HORIZONTE (MG): tel: (31) 3275 0286 ou (31) 9981 2078 ou (11) 3462 6223.
* CAMPINAS (SP): Rua Hilza Teixeira Penteado de Lemos, 71 - tel: (19) 3258 4008
* PASSOS (MG): ligar (35) 3521 4574 ou (35) 9197 4181.
* BRASILIA (DF): ligar (62) 3346 1161
* CAMPO GRANDE (MS): ligar (67) 3349 0278