Você está na página 1de 1

Vocação e missão

A vocação é um convite, uma proposta. O vocacionado é livre para aceitá-la ou rejeitá-la. Sem a liberdade interior e/ou
exterior, a resposta será sempre viciada, imperfeita, e poderá ser desastrosa.
A toda vocação corresponde uma missão. Todo vocacionado é "chamado" para ser "enviado" em missão. A "vocação" está
em função da "missão".
Algumas vocações são naturais, pois estão embutidas na natureza das pessoas. O matrimônio, por exemplo. Outras
vocações são "chamados" personalizados, eventuais, como a vocação à vida religiosa consagrada, ao sacerdócio. Todas
elas, porém, estão em função de uma missão, sempre comunitária. De uma comunidade maior, menor ou familiar.
Vocação ao cristianismo
Todos os seres humanos, criados à imagem e semelhança de Deus, são chamados a conhecer, aceitar, crer e seguir Jesus
Cristo; a conhecer, crer e adorar o Deus verdadeiro; a serem batizados, a tornarem-se filhos adotivos do Pai, a serem salvos
para a vida eterna. Mesmo que a maior parte da humanidade ainda não conheça e adore o Deus verdadeiro, e nem venha a
conhecê-Lo em vida, todos são chamados a essa vocação.
À "vocação de cristão" corresponde a "missão" de anunciar Jesus Cristo, anunciar o Deus verdadeiro, tornar conhecida a
Igreja com seus tesouros espirituais e levar as pessoas ao Batismo. Essa missão deve ser cumprida quer pelo testemunho
de vida, quer por uma evangelização corpo a corpo, ou por uma evangelização veiculada por toda forma de comunicação
falada, escrita, televisiva etc.
Vocação à santidade
Todos somos chamados à santidade. "Sede santos como vosso Pai celeste é santo" (Cf 1Pd 1, 15-16). Por termos sido
criados à imagem e semelhança de Deus, por sermos batizados, isto é, mergulhados no amor criador do Pai, no amor
salvador de Jesus e no amor santificador do Espírito Santo, somos chamados a viver uma vida de comunhão com Deus e
com os irmãos, uma vida cristã santa e operosa.
A "vocação" à santidade corresponde a "missão" de dar testemunho do Deus verdadeiro por uma vida santa, de anunciá-Lo
e fazê-Lo conhecido por toda forma de evangelização e catequese, bem como de reunir todos os irmãos de fé na
comunidade da Igreja. A "vocação à santidade" corresponde ainda a "missão" de servir à comunidade maior ou menor, com
toda forma de boas obras, segundo o carisma pessoal, a profissão e as possibilidades reais e generosas de cada qual.
Lembremos as boas obras dos Santos.
Vocação ao matrimônio
A vocação ao matrimônio é a mais complexa. Está fortemente embutida na natureza humana. Todo ser humano traz dentro
de si uma forte inclinação ao casamento, à procriação, a formar uma família. Por isso, não transparece o caráter de
"vocação", de "chamado" para essa missão. No entanto, trata-se de uma "vocação" divina, de um "chamado" divino para a
missão humana mais importante no planeta terra, que é de "procriar", de gerar vidas humanas.
O fato de todo ser humano trazer em sua natureza essa "inclinação" ao matrimônio, faz com que a grande maioria não se dê
conta, não esteja consciente e, por isso, não assuma e não cumpra o matrimônio como uma vocação, como um chamado
divino. A maioria assume o matrimônio "empurrado" pelo impulso natural, mas não consciente, preparado, estruturado e
decidido a realizá-lo como um chamado divino, com a conseqüente missão a cumprir.
A "missão" dos casados é "formar um ninho de amor", um lar bem constituído, onde eles e seus filhos possam viver uma
vida em clima permanente, estável e profundo de amor, com todas as providências familiares de toda espécie que o amor
sabe concretizar. O marido e a esposa deveriam estar muito conscientes da "missão" específica de cada um, e de toda a
importância e abrangência da missão que cada um deles tem dentro do seu lar. Maravilhosas são a vocação e a missão ao
matrimônio!
Vocação leiga celibatária
Não são muitos, mas existem homens e mulheres, católicos muito conscientes, que não se sentem chamados nem ao
matrimônio, nem ao sacerdócio ou à vida religiosa consagrada, e nem para uma consagração formal leiga. Estão
conscientes de que Deus os quer "leigos feitos fermento escondido na massa" para cumprir a missão discreta, mas muito
significativa, de evangelizar e cristianizar o ambiente familiar e social onde vivem. A graça divina produz neles uma
consciência muito clara de que é essa a "vocação e a missão" que Deus lhes confiou.
Vocação de leigo consagrado
É o chamado que muitos católicos, homens e mulheres, recebem de Jesus para viverem no meio do mundo como fermento
na massa, para cristianizar os ambientes onde vivem. Como o grupo indicado acima, vivem em suas famílias, no seu
trabalho, na sua comunidade paroquial, mas empenham todo tempo possível para evangelizar, catequizar, realizar obras de
promoção humana, assistencial ou outras, segundo o carisma pessoal e sua formação profissional. Estes se sentem
chamados a "se consagrarem" a Deus, como uma forma de "radicalizar" ainda mais os compromissos batismais na Igreja.
Sua vocação: viver como leigos consagrados. Sua missão: fermentar a sociedade com o fermento do Evangelho de Jesus
Cristo.
Vocações tradicionais
São muito conhecidas por todos nós, católicos, as outras vocações na vida da Igreja. Vocação ao ministério sacerdotal;
vocação à vida religiosa consagrada em ordens, congregações ou institutos, masculinos ou femininos; vocação à
consagração em novas comunidades de vida e de apostolado. A cada uma dessas "vocações" corresponde uma "missão" a
ser cumprida na Igreja. Quer como instituição específica, quer como pessoa consagrada.
Jesus sempre chama "para" enviar em missão. Dessa forma, o Bom Pastor providencia corações generosos que aceitam o
chamado para servir ao Seu rebanho, na Igreja, em todos os tempos e lugares.
O Bom Pastor cuida muito bem de seu rebanho. E é exatamente por isso que Ele não cessa de "chamar" homens e
mulheres para "enviá-los" em missão junto ao Seu rebanho.

Interesses relacionados