Você está na página 1de 22

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA – UFBA

FACULDADE DE MEDICINA DA BAHIA - FMB

MEDB13 – MÓDULO DE MEDICINA SOCIAL E CLÍNICA II

Seminário apresentado pelos discentes: Gabriel Nascimento,


Lucas Mangabeira, Tiago Suares e Yuri Galindo, proposto pela
docente Ila Falcão como forma parcial de avaliação semestral.

Salvador
O que é um sistema de informação?

A Organização Mundial da Saúde define Sistema de Informação


em Saúde –SIS como um mecanismo de coleta, processamento,
análise e transmissão da informação necessária para se planejar,
organizar, operar e avaliar os serviços de saúde.
Conceito

O Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) é um sistema de


vigilância epidemiológica nacional, cujo objetivo é captar dados sobre os
óbitos do país a fim de fornecer informações sobre mortalidade para todas
as instâncias do sistema de saúde.
Histórico
O Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) foi desenvolvido e
implantado no Brasil pelo Ministério da Saúde em 1975, envolvendo alguns estados
que já coletavam essas informações, com o ajuste dos respectivos sistemas, e
todos os municípios de capital.
Gestão

O Centro Nacional de Epidemiologia (Cenepi), da Fundação Nacionalde


Saúde (FUNASA), é o gestor, em instância federal, do SIM, de acordo com o
inciso IV do art. 1º da Portaria nº 130/GM, de 12 de fevereiro de 1999. Suas
atribuições são cumpridas pela Coordenação Geral de Análise de Informações
em Saúde (CGAIS).
Documento-padrão

 O documento-padrão do SIM é
Declaração de Óbito (DO) utilizada
pelos Cartórios para emissão da
Certidão de Óbito.

 A Declaração de Óbito é composta por 9


blocos, com um total de 62 variáveis.
Declaração de Óbito (DO)
A Declaração de Óbito é composta por nove blocos, com um total de sessenta e duas
variáveis:
• Bloco I – Cartório
• Bloco II - Identificação
• Bloco III - Residência
• Bloco IV – Ocorrência
• Bloco V - Óbito Fetal ou menor de um ano
• Bloco VI - Condições e Causas do óbito
• Bloco VII – Médico
• Bloco VIII - Causas Externas
• Bloco IX - Localidade sem Médico
Declaração de Óbito (DO)
A Declaração de Óbito (DO) é impressa, em três vias pré-numeradas
seqüencialmente. O destino de cada uma das três vias é o seguinte:

• 1ª Via : recolhida nas Unidades Notificadoras, devendo ficar em poder do setor


responsável pelo processamento dos dados na instância municipal ou estadual;

• 2ª Via : entregue pela família ao cartório do registro civil para emissão da Certidão de
Óbito, onde ficará retida para os procedimentos legais;

• 3ª Via : permanece nas Unidades Notificadoras, em casos de óbitos notificados pelos


estabelecimentos de saúde, IML ou SVO, para ser anexada à documentação médica
pertencente ao falecido.
Fluxo da Informação

Cartórios > Secretária Municipal de Saúde (SMS) > Regional >


Secretaria Estadual de Saúde > Fundo Nacional de Saúde
Acesso às informações

 Meios magnéticos, publicações e relatórios;

 Innternet:

• Home-page DATASUS: www.datasus.gov.br

• Home-page SES: www.saude.sc.gov.br


Como o usuário pode obter dados deste sistema?

Os dados do SIM podem ser obtidos atrasvés do site do DATASUS pelo seguinte link:

http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sim/cnv/obt10uf.def
Funcionalidades do SIM
• Alumas funcionalidades desse sistema são:
 Declaração de obito informatizada;
 Geração de arquivos de dados em varias extensões para analises em outros aplicativos;
 Retroalimentação das informações ocorridas em municípios diferentes da residência do
paciente;
 Controle de distribuição das declarações de nascimento (Municipal, Regional, Estadual e
Federal);
 Transmissão de dados automatizada utilizando a ferramenta sisnet gerando a tramitação
dos dados de forma ágil e segura entre os níveis municipal > estadual > federal;
 Backup on-line dos níveis de instalação (Municipal, Regional, e Estadual).
Vantagens do SIM

• Algumas vantagens desse sistema são:

 Produção de estatísticas de mortalidade;

 Construção dos principais indicadores de saúde;

 Análises estatísticas, epidemiológicas e sócio-demográficas.


Problemas no SIM

1. precário conhecimento sobre a grande diversidade de bancos de nacionais,


estaduais e municipais;

2. coleta de dados através de sistemas compartimentalizados, com pouca ou


nenhuma articulação;

3. complexidade dos dados existentes e da estrutura dos bancos;

4. insuficiência de recursos, particularmente recursos humanos qualificados


para apoiar o processo de desenvolvimento e análise do SIS;
Problemas no SIM
5. inexistências de instâncias responsáveis pela análise dos dados;

6. falta de padronização nos procedimentos de obtenção, análise e disseminação


das informações;

7. oportunidade, qualidade e cobertura das informações variando de acordo com


as áreas geográficas onde são produzidas;

8. ausência de um claro interesse epidemiológico quando da implantação dos


bancos de dados e dificuldade no acesso às informações.
Como o médico pode contribuir para melhorar este sistema:

 Fidelidade no preenchimento de dados;


 Conhecer os passos de cada uma das etapas de um Sistema;
Indicador de panoramas epidemiológicos
Indicador de panoramas epidemiológicos
Referências
 Manual de Procedimentos do Sistema de Informações Sobre Mortalidade; 2001.
Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde.
 Sistema de Informações sobre Mortalidade – SIM, Consolidação da base de dados
de 2011; Coordenação Geral de Informações e Análise Epidemiológica – CGIAE
 Sistema de Informações sobre Mortalidade: estudo de caso em municípios com
precariedade dos dados;
 http://www.medicinanet.com.br/conteudos/biblioteca/2067/capitulo_3_%E2%80%93_
sistemas_de_informacao_em_saude_e_vigilancia_epidemiologica.htm
 http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/sim/obt10descr.htm
 http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/sim/dados/cid10_indice.htm
 http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sim/cnv/obt10uf.def
 http://datasus.saude.gov.br/sistemas-e-aplicativos/eventos-v/sim-sistema-de-
informacoes-de-mortalidade
 http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/sim/obt10descr.htm